História O Chefe (KakaSaku) - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Kakasaku, Naruto, Romance
Visualizações 165
Palavras 2.974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey pessoal.
Novo capitulo pra vcs!!!
Boa leitura!

Capítulo 25 - Você é forte, Sakura!


Fanfic / Fanfiction O Chefe (KakaSaku) - Capítulo 25 - Você é forte, Sakura!

No outro dia acordei, vi que ainda estava um pouco escuro, olho no relógio e era 5 horas da manhã, dormi por mais de 12 horas direto! Fui até a cozinha, levei um susto ao acender a luz e ver Naruto babando em meu sofá na sala, achei que tivesse ido embora. Peguei algumas laranjas, descasquei, peguei meu aparelho de fazer sucos, coloquei em cima do balcão da cozinha americana. - Vou trollar esse baka! - falei baixo com um sorrisinho no rosto. Liguei o aparelho fazendo o maior barulho, Naruto imediatamente deu um pulo no sofá que o fez cair de cara no chão. Continuei fazendo o suco com a maior cara de tédio do mundo, mas por dentro me matava de rir da cena.

- Bom dia Naruto! - falei com cara de tédio.

- Que isso Sakura, quer me matar do coração? - ele se levantou rápido e colocou a mão no peito sentindo o coração acelerado.

- Eu….imagina….hahahaha - não aguentei mais e comecei a rir dele, ele ficou bravo e foi até o banheiro.

Pouco tempo depois ele vem até mim e pega um pouco de suco.

- Já que você me acordou tão cedo, vou para casa tomar banho e trocar de roupa antes de ir para o trabalho, nos vemos lá certo?

- Sim, daqui a pouco estarei indo para lá também.

- Tranca a porta depois que eu sair. - falou preocupado.

- Tá bom mãe! - falei sarcástica.

Naruto saiu pela porta e logo em seguida a tranquei, tomei um bom banho. Novamente me lembrei de Kakashi e por um momento bateu a tristeza. Me enrolei na toalha e fui até meu quarto, me olhei no espelho e falei para mim mesma:

- Não Sakura, você é forte! Não precisa de homem nenhum em sua vida para te fazer sentir bem.

Peguei um conjunto de lingerie branca com rendas, faço uma escova em meu cabelo rosa, coloquei uma saia lápis preta, uma camisa branca, um scarpin preto. Minha maquiagem era básica, exceto por um batom vermelho em meus lábios. Precisava me sentir poderosa, e precisa que todos vissem que os boatos e o ataque não me abalaram. Todos tinham que ver a mulher forte que sou.

Chegando no trabalho, até meus passos estavam mais firmes que o habitual. Percebo olhares logo no hall do prédio, mas não dei bola. Ao chegar no meu andar, a porta de abre e ando até  minha sala, percebi mais olhares, será que a fofoca do ataque se espalhou também? Abri a porta da sala, onde todos já se encontravam.

- Bom dia! - falei firme para todos, mas queria desmoronar “Você é forte!”

- Bom dia! - Konan, Tenten e Sai responderam em uníssono.

Percebi que Karin e Deidara não estavam presentes, ainda bem, pois se visse um deles hoje não responderia por meus atos. Me sentei em minha cadeira e liguei o computador, havia um e-mail de Tsunade.

“Sakura, ao chegar dirija-se até minha sala, precisamos conversar. Att. Tsunade”

Logo após ler me levantei e fui até a sala dela, deve querer falar comigo sobre o ocorrido ontem.

- Sakura, você está bem? - Tenten perguntou, pareceu preocupada.

- Estou ótima! - saiu um pouco mais grosseiro do que queria, mas ainda estava chateada com eles.

- Olha, queria pedir desculpas a você! - meus olhos se arregalaram ao ouvir

- Eu também - disse Konan.

- E eu - disse Sai.

- Não deveríamos ter julgado você daquela maneira, deveríamos ter dado um voto de confiança a você. - disse Konan.

- Karin era uma manipuladora, não deveríamos ter dado ouvidos a ela. - falou Sai.

- Espero que possa nos perdoar - falou Tenten.

Eles pareciam sinceros, estava chateada com eles, mas preferi engolir o orgulho e dar uma chance a eles.

- Gente, claro que eu perdoo vocês. Vocês são meus amigos, e eu quero continuar assim.

Cada um deles me deu um abraço, senti o carinho de cada um deles nesse simples gesto. A manhã foi passando normalmente, agora sem Karin na sala, o ambiente ficou muito mais leve, riamos e nos divertiamos enquanto trabalhávamos. Ino entrou na sala.

- Saky! - ela veio até mim e me deu um abraço apertado.

- Oi Ino - aquela porquinha me fazia bem.

- Você está melhor? Sabe por….

- Sim, estou bem - a cortei a tempo.

- Vocês sabiam que alguém foi atacado? - Sai entrou na sala com uma xícara de café - acabei de ouvir na cozinha.

- Atacada? Que horror - Tenten falou horrorziada.

- Como assim, aqui na empresa? Atacada por quem? Quem foi atacada? - Konan perguntava sem parar.

Ino e eu nos olhamos, ela fez um sinal de não com a cabeça, entendi que era melhor não falar nada.

- Olha, não sei bem ao certo o que aconteceu, só ouvi por cima. - Sai falou enquanto caminhava até Ino, a beijando no rosto.

Um som de mensagem chegou no computador de todos da sala, abri o meu e estava escrito: “Reunião em 10 minutos na sala maior, presença obrigatória. Kakashi”

- Ué, não tínhamos reunião agendada hoje. Por que será isso agora? - falei pensativa, claro que sabia sobre o que seria a reunião, mas preferi me fazer de boba.

- Deve ser por causa desse “ataque” - ele disse fazendo sinal de aspas.

Os minutos se passaram, então nos dirigimos até a sala de reuniões. Entramos na sala, vi que estava todos que trabalham no andar nela, ainda bem que a sala é grande, deveria ter umas trinta pessoas ali. Ouvimos a porta abrir, por ela passaram Tsunade, Kakashi, Naruto e o chefe da segurança, os quatro estavam sérios. Meu coração deu uma pequena descompassada ao ver Kakashi, mas logo voltou ao normal quando ele passou ao meu lado e se quer olhou para mim. “Você é forte Sakura!” Pensava comigo mesma. Os quatro se posicionaram de frente para todos.

- Bom dia a todos - Tsunade começou.

- Bom dia - todos respondemos em uníssono.

- O motivo desta reunião é sobre o ocorrido ontem. Para acabar com os boatos que se espalharam, resolvemos deixar todos a par da situação. Ontem uma colaboradora foi atacada na saída de emergência do prédio!

Neste instante algumas pessoas ficaram horrorizadas, outras não esboçaram nenhuma reação, Kakashi e Naruto continuaram sérios. E eu? Bom eu continuei com minha habitual cara de tédio, pouquíssimas pessoas sabiam quem era a pessoa, e por mim continuaria assim.

- Como assim atacada Tsunade? - uma mulher perguntou.

- Bem...atacada….errrr…. - ela respirou fundo antes de finalmente falar - ela sofreu um tentativa de estupro!

Os semblantes antes horrorizados ficaram ainda pior, percebi o medo no rosto de algumas mulheres.

- Por Kami!

- Ela está bem?

- Quem foi?

- Um maníaco invadiu a empresa?

Muitas perguntas eram feitas ao mesmo tempo e o burburinho começou entre todos. Ino, que estava ao meu lado, apenas segurou minha mão, num ato que demonstrava que ela estava ali por mim.

- Calma pessoal, vamos explicar…

- Quem foi o monstro que fez isso? - Sai finalmente falou alguma coisa e todos olharam em nossa direção, inclusive Kakashi.

Ao olhar para ele, percebi o ódio em seu olhar, e curto e grosso ele respondeu: - Deidara!

Mais expressões em choque pela informação dada, inclusive meus colegas de sala, que também eram colegas do Deidara.

- Não acredito! Ele era meio doidinho, mas atacar uma mulher? Vocês tem certeza que foi ele? - Konan questionou incrédula.

- Sim, nós temos! - Naruto respondeu calmamente enquanto Kakashi virava o rosto com raiva, ou nojo, ou uma mistura dos dois, não consegui distinguir, aquela maldita máscara sempre escondendo suas emoções. - nós temos testemunhas, e a própria vítima nos contou o que houve.

O burburinho começou novamente, Ino falou baixinho para mim:

- Você tá bem?

- Sim, estou ótima! - respondi com a voz firme.

- E Kakashi, ele não parece bem!

- Não sei, não estamos mais juntos para saber! - saiu mais grosso do que gostaria.

- Que? Como? Por que? - ela falou um pouco mais alto, mas ainda era no tom normal.

- Ele terminou comigo. - falei ainda num sussurro.

- Que canalha! Depois de tudo que passou, ele deveria te apoiar, não te abandonar! - Apenas dei de ombros.

Pensava igual Ino, ele deveria me dar apoio, carinho, amor, não me abandonar e nem me olhar na cara depois como ele estava fazendo. Baka! Baka! Baka! Mas serei superior, sou uma mulher forte e independente, não preciso de homem nenhum na minha vida!

- Pessoal, silêncio por favor…- Naruto pediu a todos. - A vítima deu queixa, então Deidara está sendo procurado pela polícia! Se alguém tiver alguma informação por favor passem a polícia.

- Me avisem também! - Kakashi falou firme.

- Kakashi, já falamos sobre isso, deixe isso com a polícia! - Naruto falou.

- Foi uma funcionária que foi atacada por outro funcionário dentro desta empresa, é lógico que quero saber de tudo! - falou indignado.

Fiquei confusa, se ele se importa tanto, por que se afastou de mim? Ai, Kakashi, difícil te entender hein…

- Ok. Enfim, avisem a polícia ou avisem a um de nós quatro. - Naruto voltou a falar.

- Por conta disso, ocorrerão mudanças com relação a segurança deste prédio. - Tsunade falava - vou deixar para que Shino, chefe da segurança, explique as mudanças.

- Bom dia pessoal. - Shino, não lembrava que o nome dele era este - bom, como já foi informado, haverão mudanças com relação a segurança no prédio. Primeiramente será instalada câmeras de segurança em todas as salas, corredores, escadas de emergência, refeitório.

- O que? Seremos constantemente vigiados agora? - Tenten questionou.

- É para a segurança de todos. Se já existissem antes este ataque teria sido impedido, pois teríamos visto pelas câmeras. Segundo, serão instalados catracas ao lado da recepção, e todos só poderão passar por elas com crachá, tanto na entrada quanto na saída. Terceiro, não será mais permitido circular pelas dependências da empresa sem o crachá à vista. Por enquanto é isso, mudanças pontuais ocasionalmente poderão ocorrer futuramente, mas todos serão avisados com antecedência. Essas mudanças começam a valer a partir de hoje.

- Só para deixar claro, se algum superior ver alguém sem crachá, foi orientado para que dê advertência, suspensão ou demissão por justa causa, dependendo da reincidência. - Tsunade completou - Considerem-se avisados! Bom dia a todos.

A reunião termina, todos se levantam  e começam a voltar para suas respectivas salas. Kakashi passa por mim sério, não desviou seu olhar nem um milímetro sequer para mim. Ai ai, está se fazendo de difícil, pois bem, eu também sei me fazer de difícil!

A semana seguiu normal, algumas vezes me esquecia do maldito crachá, por sorte nenhum supervisor me pegou, senão era advertência na certa. A semana inteira Kakashi me evitou, falando comigo apenas o extremamente necessário, e eu também não fazia muita questão de o procurar. Às vezes o observava de longe, era difícil não olhar ele.

Sim, eu sou forte, mas não sou de ferro. A noite sempre dormia pensando nele, nos seus toques, seus beijos. Sentia sim sua falta! Mas estava mais tranquila, não sentia raiva dele nem mágoa, apenas saudades.

Já era sexta-feira, quase 22 horas, novamente precisei ficar até mais tarde, Kakashi parou de pegar no meu pé, mas em compensação era trabalho que não acabava mais vindos de Tsunade. Antes de ir embora decidi pegar uma xícara de chá, seguindo até a cozinha percebi que eu era a única no andar, estava tudo apagado, apenas a luz da minha sala, as dos corredores e da cozinha estavam acesas. O silêncio e a escuridão me assustaram um pouco, apressei os passos, ao entrar na cozinha trombo nele, no lindo prateado, que segurava uma xícara em mãos e com nossa batida, caiu café quente na camisa branca dele.

- Ai! Está quente! - ele falou ainda colado a mim.

- Hehe, desculpa Kakashi, não te vi! - mostrei a língua envergonhada por ter trombado nele.

Kakashi apenas ergueu uma sobrancelha, e saiu de perto de mim indo até a pia, pegou um pano na gaveta, o molhou e passou por cima da camisa onde havia caído o café preto, que com certeza estava sem açúcar. Quem toma café sem açúcar ou adoçante?!

- Queimou? - me referi a sua pele.

- Sim, está ardendo. - ele esfregava o pano molhado na camisa.

Vendo que não adiantaria nada, ele começou a desabotoar a camisa. Meus olhos apenas acompanhavam a cena sexy em minha frente. Já estava sem gravata, com o primeiro botão solto e as mangas dobradas até os cotovelos, suas mãos soltaram o segundo, o terceiro. Neste já comecei a ver seu peitoral definido, ah, por que tem que ser tão gostoso? Abriu o quarto, quinto, nisso sua barriga trincada aparecia, quase me fazendo babar, não conseguia tirar meus olhos dele. Puxou o pedaço da camisa de dentro da calça terminado de soltar os botões e tirou a camisa de seu lindo tronco.

Kakashi finalmente me olhou, ficando meio envergonhado com a minha cara.

- Sakura? - ele perguntou coçando a nuca envergonhado.

- Hum? - eu estava quase babando.

Ver esta cena que, aos meus olhos, foi em câmera lenta, me excitou de uma maneira muito gostosa. O que este homem faz comigo senhor?!

- Tudo bem? Não se queimou? - ele perguntou se virando para molhar novamente o pano.

“Seja forte Sakura!”

- Não, estou bem. - meu olhos focaram para o vermelhão que ficou em seu tronco, exatamente onde o café tinha caído - nossa, Kakashi!

Caminhei até ele, pegando o pano de suas mãos, torci um pouco e comecei a passar em sua pele vermelha.

- Ai! - ele resmungava.

- Aguenta, já vai passar!

Molhei novamente o pano, e desta vez tirei apenas o excesso de água, voltei a encostar na área vermelha, algumas gotas desciam pela barriga dele, parando na borda de sua cueca. “Como eu queria ser essas gotinhas!” pensei, ao mesmo tempo que mordia meu lábio inferior.

- Ai! - ele resmungou.

- Melhor? Ainda arde? - voltei a fitá-lo

- Sim, arde. - sua voz estava um pouco rouca, aquele rouquidão que tanto me excitava. - cof, cof. Naquela porta tem um kit de primeiros socorros, veja se não tem uma pomada para queimaduras.

Assenti e fui até o armário, abri e o kit estava ali. Peguei e levei até a pia onde o prateado esperava de pé.

- Vamos ver... gaze, atadura, esparadrapo, pomada para queimaduras! - sorri para ele. - deixa eu ler as instruções: limpar bem o local, ok. Passar a pomada com a ponto dos dedos.

Abri a pomada e apertei um pouco nos meu dedos e comecei a passar em sua queimadura.

- Ai! Cuidado Sakura! - ele reclamou - não é por que está com raiva de mim que precisa descontar assim!

- Raiva? Por que eu estaria com raiva? - sabia muito bem do que ele falava, mas preferi me fazer de desentendida.

- Você sabe, pelo jeito que as coisas terminaram entre nós.- ele falou sem graça.

- Sabe Kakashi….- respirei fundo enquanto colocava algumas gazes em cima da pomada e colava com o esparadrapo - não estou com raiva de você. Magoada fiquei apenas na hora, mas passou. - Ele apenas me fitava enquanto terminava o curativo - fico triste pois não me recordo bem qual foi o nosso último beijo. - por Kami, meu olhos se espantaram com que havia acabado de dizer, por que falei isso?!

- Hum… eu também não consigo lembrar…- ele falou pensativo.

- Quando você sabe que aquele é o último beijo, o de despedida, você capricha para poder lembrar para sempre com carinho. Provavelmente nosso último beijo foi um selinho sem graça, por isso nem prestamos muita atenção no momento. - terminei de guardar as coisas no kit e o guardei no armário onde era o seu lugar.

- Provavelmente…- ele concordou pensativo.

Me virei para ele, que me encarava com um olhar terno. Um silêncio se fez presente entre nós.

- Você quer outro café? Já que eu derramei o seu, hehehe - ri um pouco sem graça, corri até outro armário e me abaixei, ficando com a bunda inclinada para trás, para pegar o pó de café e filtro, antes mesmo da resposta dele.

- Não precisa. - ele se levantou guardando a cadeira no lugar - eu peguei para aguentar mais um pouco, mas agora não dá pra continuar assim e…. - ele apontou a própria roupa, manchada e molhada de café.

Ao se virar em minha direção, Kakashi ficou paralisado. Estranhei seu súbito silêncio, me levantei me virando, percebi que ele encarava minha bunda. Safado!

- Bom, acho que já vou então... - falei constrangida com seu olhar.

- Ah….eu também já viu indo…- pegou sua camisa e a vestiu, sem fechar, deixando ele ainda mais sexy. - até mais, Sakura.

- Até…

Nos encaramos mais um pouco, aquele olhar, conheço muito bem aquele olhar dele, um olhar de quem quer me foder a noite inteira. Em minha cabeça passava todas as nossas cenas de sexo que tivemos, o filho da mãe me deixou excitada com tão pouco. Tenho certeza que meu olhar nele era aquele de predadora. Senti vontade de agarrar ele ali mesmo, mas com muita força de vontade me controlei. “Você é forte, Sakura!” Pensei novamente.

Kakashi, depois de, o que pareceram minutos mas que não passaram de segundos, respirou fundo e saiu da cozinha, me deixando sozinha e excitada. Soltei todo o ar que segurava nos pulmões, precisava relaxar esta noite, nem que fosse sozinha mesmo.


Notas Finais


E aí, o que acharam???
Agradeço mais uma vez os comentários e os favoritos! Vão são meu combustivel, hehehe.
Até a próxima!
Kisu =*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...