1. Spirit Fanfics >
  2. O Clandestino >
  3. Capítulo Dois: Helena

História O Clandestino - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


N.T--Potato Ceci: Voltamos com mais um capítulo dessa história! Espero que vocês gostem! Boa leitura😗✌🏼

Capítulo 2 - Capítulo Dois: Helena


Fanfic / Fanfiction O Clandestino - Capítulo 2 - Capítulo Dois: Helena

Todas se abraçaram e depois subiram uma escada que levava à porta da boate. O segurança era o mesmo de sempre, Daniel, um homem de 39 anos que tinha a cara mais assustadora do mundo, mas com as meninas ele era sempre educado, afinal já as considerava da casa. Ele estava na frente da porta, então cumprimentou:

- Oi, Dani, como vai?

--Estamos aqui de novo, para beber! - Helena virou para suas amigas,gritaram juntas e sorriram.

- Hum, que bom. O senhor Rodolfo estava achando que vocês não iriam vir mais.-- Ele disse sem mexer um fio de cabelo.

- Ah, sentiu saudades da gente.-Helena diz, mas, quando ia continuar foi interrompida por Alice que gritou:
-Principalmente minha, eu sei que ele não vive sem mim!

Todas sabiam o quanto Alice gostava de Rodolfo, mas era um amor impossível, já que ele estava comprometido, Helena sabia que seria difícil Alice aceitar que nunca iria ficar com ele, conhecia o jeito da amiga e sabia que Alice não iria dessistir do rapaz. Para mudar de assunto, Helena pediu para ele deixar que elas entrassem, Daniel puxou a pequenina porta de ferro, que estava escrito em vermelho: Fogo Azul.

Então elas entraram.
O lugar era muito grande, mas, conforme a noite caía, ficava pequeno com tanta gente que entrava, deixando o lugar quente, mas, pelo incrível que pareça, era essa hora que as meninas mais gostavam, diziam que era quando a festa começava de verdade. Helena se sentou junto com as outras em uma mesa perto do meio da boate, era a mesa favorita delas. Daniela estava animada pela noite, queria esquecer um pouco sua família, e principalmente Arthur, seu namorado que a grande maioria das vezes parecia mais um inimigo. Alice perguntou a todas:
-O que vamos beber hoje? - esticou o braço, para chamar o garçom.

- Ah, uísque?- Perguntou Bianca.

- Não, tem que ser algo especial, afinal temos que comemorar! - Alice disse alegre.

-Comemorar o que?--As outras perguntaram.

-O Milan: terminou a faculdade de Medicina! --Alice exclamou abraçando Bianca, mãe do Milan.

-Meu Deus, que incrível!--Helena exclamou indo abraçar sua amiga.

Todas ficaram muito contentes com a novidade, abraçaram Bianca, brincaram com ela e fizeram piadas de Milan, mas não para humilhá-lo, e sim elogiar o menino que sempre foi muito inteligente. O garçom chega, cortando o assunto e perguntando:
"o que desejam?" Helena olha para ele e responde:

-Primeiramente: Boa noite, Enzo. Esqueceu os bons modos? - Questionou com um ar de riso.

- Não, é que hoje está muito cheio, eu estou dizendo essa frase tantas vezes hoje que agora, esqueço de dizer outras coisas.-- explica um pouco envergonhado.-- Peço desculpas.- Disse, curvando as costas. Enzo era japonês, por isso tinha hábitos diferentes, como pedir desculpas curvando as costas.

- Ei, Enzo não seja bobo, a Helena 'tá zoando com sua cara. --Natália disse rindo dele.

-Ai, Enzo...Você é engraçado. Toda vez que fica assim, sempre cai.--Bianca começou a rir.

- Ah, digam-me o que vocês vão querer, e parem de me zoar. -- Ele estava sério, havia visto que Rodolfo, seu chefe,que o olhava seriamente. Como sempre, com um olhar que dizia " tempo é dinheiro" .

-Calma... Vamos querer um champagne para nós, a melhor garrafa, e também um espumante, para começarmos a noite. -- Helena pediu.

-Uau, a noite promete. Vou buscá-los.- Enzo anotou tudo no celular e saiu, com seus patins roller pretos com o desenho da boate.

Helena olhava o celular com frequência, estava esperando a resposta de seu namorado. Todas estavam percebendo que ela não tirava os olhos do celular, então, Natália esperou com que ela ficasse distraída e pegou o celular, viu as mensagens e ainda leu em voz alta, lógico: Já estavam todas bêbadas, pelo menos Natália estava, que depois de ler disse:

- Que linda, quer estar perto do Boy. --E mostrou a tela do celular para as outras.

Na verdade, Helena não queria estar perto do Arthur, afinal não gostava dele, mas sabia que se o Arthur fosse, com certeza traria Fernando e era esse que ela gostaria de estar perto. Mesmo ele sendo o noivo de sua irmã, a garota não conseguia parar de pensar nele, a verdade é que ela gostava de Fernando há anos, mas nunca pôde contar a ninguém, e isso a destruia por dentro. Pegou o celular da mão de sua irmã e disse alterada:

-Cuida da sua vida! Se eu quero ficar perto ou não do meu namorado, o problema é meu! -- Bebeu outro copo de uísque em uma golada, ela estava nervosa com o comentário das amigas. Natália disse:

-Calma, estávamos brincando. Não fique assim.- Ela se virou para Alice e pegou outro copo de bebida.

Passado algum tempo, todas conversavam, (na verdade, gritavam). Elas estavam todas bêbadas e não sabiam muito o que estavam fazendo. Até que dois homens muito bem vestidos, com ares arrogantes, e um jeito sorrateiro de andar. O mais alto, tinha os olhos escuros, com uma barba bem feita. O outro usava uma camisa azul clara, com uma calça preta, tinha o cabelo castanho e um sorriso que de longe podia se ver a inocência que carregava. Fernando, o mais alto, se aproximou da mesa e gritou:

- Olhem: minhas meninas favoritas! -- Deu um selinho em Natália.

- Oi, Nando,Thur. --Elas disseram, sorrindo para os dois.

- Oi, amor tudo bem?--Arthur deu um beijo em Helena.

-Sim, tudo bem. Você não ia trabalhar hoje? --Helena perguntou, olhando para o celular.

- Não, eu quero ficar com você, minha ruivinha.-- Ele deu outro beijo nela e sentou ao seu lado.

- Hum, que bom. --A garota sorriu, mas não era um sorriso sincero; era o máximo que ela podia fazer.

-Bom, o que vocês estão comemorando? --Fernando perguntou passando o braço por cima dos ombros de Natália.

-Estamos comemorando a formatura do Milan e meu primeiro dia de gravação na novela. -- Natália respondeu.

- Hum, que ótimo! Mas isso não está te cansando muito? - Ele perguntou.

- Estou ótima. --Ela disse, entre um gole e outro do seu espumante.

Eles dois também começaram a beber, ficando extremamente bêbados, as meninas que já estavam bêbadas antes, agora, estavam ainda piores. Nessa boate havia um largo corredor, com três pequenos banheiros, um era unissex e os outros dois eram divididos um para homens e outro para mulheres. Fernando se levantou e disse que iria ao banheiro, conseguiu ir, mesmo perambulando. Estava demorando para voltar, então, Helena sem pensar duas vezes se levantou e foi atrás dele, não avisou à ninguém onde iria, sabia que se falasse algo, poderia soar estranho.

Andou pelo corredor meio bamba, mas, sabia o que estava fazendo, ao chegar na porta do banheiro feminino, viu Fernando olhando para o teto e rindo, e disse preocupada:

-Nando, o que você tá fazendo aí? Você disse que ia no banheiro. - Ela falava assim, mas pensava em como poderia seduzí- lo.

- Eu...esqueci. Mas não fiz nas calças, eu tô limpinho. -- Fernando disse e riu.

- Eu sei. -- Ela o levantou e o encostou na parede para arrumar sua roupa que estava toda abarrotada, mas quando levantou o rosto e viu o quão perto estava da boca que ela desejou a vida inteira, não pensou duas vezes em dizer duas palavras que mudariam tudo:

-Me beija.

Ele ficou surpreso com aquilo que ela havia dito, mas não iria desobedecer, afinal, ele queria beijá-la também. Não porque gostava dela, mas porque estava bêbado, querendo se divertir e sabia que Natália não iria com ele para cama, no fundo Fernando sempre soube que ela gostava dele, mas nunca imaginou que ela falaria ou demonstraria isso.

Os dois se aproximaram cada vez mais um do outro até que seus lábios se tocaram, o beijo era intenso, e não existiam pausas. Ela passava a mão com paixão em seus cabelos escuros, e ele a pegava no colo, virando para o banheiro, ela com uma mão abriu a porta e os dois entraram, Fernando a colocara sobre a pia e continuaram a se beijar. Seu cabelo estava todo bagunçado, a blusa social que Helena usava estava sendo desabotoada entre um beijo e outro, e a de Fernando tinha sido arrancada de sua corpo por Helena, que agora, se mostrava loucamente apaixonada.

Estava tudo indo bem, para os dois novos amantes, mas eles se esqueceram que o banheiro era um lugar que todos entravam e eles não tinham trancado a porta, e em um momento, eles escutaram uma voz e assustados se viram para a porta,a pessoa que estava ali era nada menos, nada mais do que a Natália. Helena não sabia o que fazer então colocou a blusa para cobrir seu sutiã preto e pulou da pia, indo em direção à sua irmã, que estava parada na frente da porta do banheiro, desesperada ela começou a se explicar:

-Nati, não é o que você está pensando, estávamos conversando...--Ela é interrompida por Natália.- Conversando? No banheiro feminino? Sem as roupas? Faça- me o favor, eu não nasci ontem, vocês estavam juntos, como você pôde fazer uma coisa dessas Helena! Como você pôde?!

- Eu não queria, mas você sabe que quando bebemos fazemos coisas erradas! Eu não queria. Você sabe mais que ninguém que quando bebemos ficamos loucos! -- Ela grita no mesmo tom que Natália.

-É diferente, eu não deitei com o namorado da minha irmã, eu não seria capaz nem se usasse drogas de deitar com o Arthur, sei me controlar! Mas você, na primeira chance que teve, se entregou para o meu namorado! --Gritava triste, de um jeito que logo começou à chamar a atenção das pessoas.

- Ei, calma, Nati! Vamos conversar, estávamos bêbados! Foi um deslize, não vai acontecer de novo.- Fernando se aproxima dela, diz passando a mão no rosto dela.

-Me solta, seu nojento, para mim não importa se vai ou não acontecer de novo, por que meu namorado você não é mais! Seu cafajeste! - Ela disse retirando raivosamente a mão que estava em seu rosto.

-Nati, vamos conversar, sempre nos desculpamos. Somos irmãs! - Helena implora.

-Não. Agora é diferente, com licença! Eu não quero falar sobre isso! Você é minha irmã e errou! Seus traíras! --Natália saiu do banheiro indo em direção à porta da saída, com os olhos cheios de raiva, que logo conheceram a forma de lágrimas, quais tentava esconder com as mangas da blusa.


Notas Finais


Obrigada por lerem e espero que tenham gostado! Até o próximo capítulo!💫❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...