1. Spirit Fanfics >
  2. O Clube de Atividades Para Ômegas >
  3. Stealth mode não é a melhor opção.

História O Clube de Atividades Para Ômegas - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Finalmente consegui postar esse capítulo!!! Preciso ir dormir agora pq estou morrendo de sono.

Converso mais com vocês nas notas finais.

Boa leitura ;)

Capítulo 8 - Stealth mode não é a melhor opção.


 Jungwoo despertou sentindo dois pesos distintos em cima de si, logo reconhecendo ser Minho e Eunsang, que provavelmente haviam ido às escondidas para sua cama no meio da noite. Não se incomodava. Quando eram pequenos, Jungwoo sempre conseguia convencer os pais a deixarem que os três irmãos dormissem juntos na mesma cama e isso acabou virando um costume. Por mais que cada um tivesse seu respectivo quarto, no final sempre acabavam dormindo amontoados na cama de casal do irmão mais velho. 

 

 Não demorou a acordar os mais novos, que se levantaram muito mais animados do que era costume, fazendo com que o ômega ruivo risse baixo. Sabia que toda aquela animação se devia ao fato de que Eunsang e Minho estavam participando do primeiro ano de festival deles no ensino médio. Jisung provavelmente estaria do primeiro jeito. Já se preparava para mais tarde precisar consolar os irmãos, quando estes descobrissem que o festival poderia ser muito mais estressante do que aparentava. 

 

 Desceu as escadas após ter vestido seu uniforme, indo em direção a cozinha e encontrando seu pai ômega montando alguns sanduíches, que aparentemente seriam o café da manhã daquele dia. Havia também uma jarra de vidro contendo o que parecia ser suco de uva e cinco copos em cima da mesa ao invés de quatro. Jungwoo logo abriu um sorriso ao constar que aquilo significava que o pai alfa estaria em casa naquele dia. 

 

 Eunhae e Serim haviam se conhecido na faculdade, eram o casal que a maioria dos amigos pensavam que não durariam muito mais que três meses. Serim era um ômega de temperamento explosivo, e Eunhae um alfa de coração mole que não sabia lidar muito bem com o humor oscilante de namorado, porém com os anos de convivência havia pegado o jeito. No fim, o ômega se formara em nutrição, o alfa em história, e ambos agora poderiam começar a pensar no próximo grande passo de suas vidas. Bem, isso se no dia da festa formatura, Serim não tivesse passado mal e descoberto que estava grávido, fazendo o casal mudar muitos de seus planos. 

 

 - Appa! - Jungwoo exclamou, rindo alto ao ver Serim dar um leve pulo pelo susto. - O pai já está aqui? 

 

 - Faz isso de novo e eu faço você conhecer São Pedro mais cedo. - O ômega mais velho falou ao se virar para o filho, que apenas deu um sorrisinho debochado em direção ao outro. - Está no banheiro. Ele vai passar essas duas próximas semanas com a gente. 

 

 Por mais que tivesse se formado em história e esperava dar aulas, Eunhae acabou se interessando em seguir carreira como militar. Havia se tornado tenente a pouco tempo e por conta do trabalho não era fácil tê-lo em casa.  

 

 Passos apressados e o som de risadas e conversas altas se fez presente. Minho adentrou correndo a cozinha e atrás dele vinha Eunhae, que carregava Eunsang em suas costas. O alfa deixou o filho mais novo sentado em cima do balção de mármore que ficava no centro da cozinha, indo até o marido e depositando um breve selar nos lábios rosados do ômega. 

 

 - Essa semana é o festival da escola de vocês? - Eunhae perguntou aos filhos, enquanto ajudava Serim a colocar os pratos com os sanduíches na mesa, sorrindo ao vê-los assentir. - Então parece que eu escolhi o momento certo parar tirar essas mini férias. O que vão fazer? 

 

 - O meu clube se juntou com o de literatura. - Eunsang falou animado. - Eles escreveram algumas peças e nós vamos encenar. O clube de moda nos ajudou com os figurinos. 

 

 - Eu e mais algumas pessoas da minha sala organizamos um show de talentos. - Minho disse após engolir um pedaço do sanduíche. - Vai aconteceu no último dia do festival. Vocês vão ir assistir, né? Eu vou dançar. 

 

 - Vou estar ocupado com as atividades no clube. Vou ficar responsável pela cafeteria com o Taeyong. - O alfa mais novo franziu as sobrancelhas em uma expressão emburrada após a fala do irmão mais velho. - Não me olhe assim. Mesmo se eu quisesse trocar o meu dia, duvido muito que Jaemin ou Jisung cederiam o lugar deles. 

 

 - Uma cafeteria? Acho que vamos passar bastante tempo no seu clube, Woo. - Eunhae riu levemente. 

 

 - O appa e o Sangie estão convidados, mas vocês dois não podem entrar. - Jungwoo apontou para os dois alfas presentes na mesa.  

 

 - Por que não? 

 

 - É o conceito, pai. - Minho respondeu. - É proibido a entrada de alfas e betas na sala do clube do Woo.  

 

 Comeram em meio a conversas e risadas. Quando terminaram, Eunhae e Serim foram lavar a louça, enquanto os filhos subiram para seus respectivos quartos para arrumar suas coisas para aquele dia.  

 

 Jungwoo ajudou Eunsang a colocar seus figurinos na mochila que uma forma que não amassasse o tecido, também prometendo auxiliar o mais novo com a maquiagem do personagem que ele iria interpretar naquele dia: um elfo. Depois foi ao quarto de Minho, que havia pedido a ajuda para o irmão na noite anterior. O grupo responsável pela organização do show de talentos decidira entregar lembrancinhas para todos que participariam. Seria uma pequena caixinha vermelha com uma fita branca em cima, um bombom de chocolate dentro. Minho ficara encarregado de levar as lembrancinhas e Jungwoo fora o ajudar a organiza-las. 

 

 Apenas conseguiu ir arrumar suas próprias coisas quando Serim já estava gritando para que se apressassem. Taeyong pedira para que levasse uma troca de roupa, já que iriam no mercado após o festival para poderem comprar os ingredientes dos doces que fariam para vender no terceiro dia. O irmão de Doyoung havia autorizado os ômegas a usarem a cozinha da cafeteria, já que ele iria buscar os pais em sua cidade natal e daria o dia de folga para seus funcionários. 

 

 Colocou uma camiseta azul com várias estampas de nuvens espalhadas e um short branco em sua mochila. Deixou todos os cadernos e o exemplar de Objetos Cortantes em cima de sua escrivaninha. Arrumou a alça da mochila em um dos ombros, saindo do quarto e andando pelo corredor enquanto checava as mensagens no grupo do clube. Quando uma notificação de que alguém havia o mandado mensagem apareceu, fazendo com que Jungwoo travasse em frente a escada ao ler o conteúdo. 

 

 Lucassss 

 Jungwoo, precisamos conversar. 

 

 

 

 

 

 O barulho das cadeiras sendo arrastadas pelo assoalho incomodavam os ouvidos de Yuta. Ele e Doyoung estavam arrumando a sala do clube para receberem os visitantes. Em cima da mesa já estavam todos os ingredientes que precisariam para fazer o spray de pimenta, juntamente a vários borrifadores vazios. Jisung e Jaemin também já haviam chegado, porém eles teriam que apresentar o trabalho de artes naquele dia, então apenas passaram no clube para cumprimentarem o Kim e o Nakamoto.  

 

 Doyoung sugerira quando estavam discutindo sobre a oficina no dia anterior que ambos usassem roupas combinando, decidiram por usarem bermudas pretas e camisetas brancas, com direito a aventais por cima apenas para dar um “charme a mais”. Os outros que não estariam fazendo nada naquele dia deveriam usar o uniforme tradicional de acordo com a direção. 

 

 Estava terminando de empilhar a última cadeira quando sentiu um par de braços enlaçarem sua cintura, sorrindo ao sentir o aroma característico de Sungwoon, se virando e encarando os olhos cor de chocolate quase encobertos pela franja longa e escura. Bagunçou um pouco os fios pretos do menor, rindo ao ouvir um resmungo baixo vindo dele. 

 

 - O que está fazendo aqui? Essa escola é para estudantes do ensino médio. - Falou se referindo a baixa estatura de Sungwoon e as feições infantis. 

 

 - Você é um chato, Yuta! - O garoto exclamou, soltando o japonês para em seguida bater fraco em seu peito e cruzar os braços em frente ao corpo. - Eu venho todo feliz fazer uma visita para você e é assim que sou tratado? 

 

 - Sou um chato e mesmo assim você gosta de mim. - Sorriu ao ouvir o Song murmurar um “exibido”, curvando levemente o corpo para frente para que pudesse alcançar os lábios do baixinho com os seus. - Obrigado por vir me visitar. 

 

 - Você quer sair na quinta depois do festival? - O ômega do primeiro ano perguntou, voltando a se agarrar ao japonês. - Podemos ir naquela lanchonete temática. Eles vão fazer a noite do terror. 

 

 - Por que não podemos ir hoje? - Yuta perguntou inclinando levemente a cabeça para o lado. 

 

 - Primeiramente, eu estou sem grana. Secundariamente, eu vou estar atolado de trabalho no concelho durante esses três dias e tenho certeza que o Hyuck não vai deixar eu furar. - Sungwoon riu apontando para a porta do clube, onde a figura do segundo coordenador financeiro da escola estava observando juntamente com Doyoung a cena entre os dois ômegas. 

 

 Lee Donghyuck, ou Haechan, estava na mesma caixinha que Na Jaemin naquela escola. Com olhares tortos o seguindo e até mesmo alguns odiosos por não se encaixar nos padrões de sabe-se lá quem. Donghyuck era um alfa, porém seu cheiro era deveras mais suave se comparado com os de outros alfas, algo como amendoim. Além de que o Lee adorava as roupas que eram produzidas e taxadas como de ômegas. Naquele dia, ele usava a saia branca do uniforme do primeiro ano. 

 

 - Ele é tão inteligente, não é? - O alfa falou em um tom irônico. - Vamos logo, Sungwoon. Se a Yerin voltar e não estivermos na sala, nós estaremos mortos. 

 

 - Já vou, já vou. - Sungwoon se virou para Yuta, deixando um último selar nos lábios alheios. - Eu volto de conseguir fugir de lá. - Piscou para o japonês antes de se virar e ir até o alfa, os dois se despedindo de Doyoung antes de irem. 

 

 - Vocês são fofos juntos. - O Kim falou sorrindo leve para o Nakamoto, que sorriu largo antes de responder. 

 

 - Nós somos, né? - Yuta questionou retoricamente, voltando a arrumar as cadeiras após rir levemente do revirar de olhos do outro ômega. 

 

 Doyoung se virou para poder fechar a porta, seu corpo paralisando por alguns segundos ao se deparar com a figura de Chittaphon encostada na patente, usando uma saia plissada preta e um cropped rosa claro, que deixava a vista o piercing que enfeitava o umbigo do tailandês. Nos pés, um vans branco, a meia com estampas de gatinhos cobria a canela. A falta do uniforme fez com que o Kim franzisse levemente as sobrancelhas, desejando que suas hipóteses estivessem erradas. 

 

 - Chowon contou na diretoria que eu o agredi. Estou suspenso por essa semana. - O sorriso de Chittaphon deixava claro que ele não se sentia nem um pouco afetado pelo acontecimento, ao contrário de Doyoung, que exibia uma expressão indignada em seu rosto. - Pelo menos estou livre desse festival chato e consegui fazê-lo ser expulso. 

 

 - Sério? - A indignação deu lugar a surpresa ao ouvir as palavras do outro. - Eles realmente fizeram isso? 

 

 A surpresa de Doyoung não era exagero. A direção da Neo School nunca foi de se importar muito com o que acontecia entre os alunos. Em seu primeiro ano, o Kim acompanhou o caso de uma garota de sua sala que começou a ser perseguida por um alfa do terceiro ano. No fim, a resolução da escola fora transferir e menina para outra unidade e deixar o rapaz sem qualquer punição. Doyoung passou o resto do ano com medo de andar sozinho pelos corredores. Para sua sorte, tinha Taeyong sempre perto de si. 

 

 - A casa de Sicheng é lotada de câmeras de segurança. - Chittaphon começou a explicar. Nesse ponto, Yuta já havia se aproximado para ouvir. - Eu pedi a ele para ver as gravações do dia da festa e o momento do assédio estava lá. Ameacei espalhar o vídeo e fazer um escândalo se eles não dessem a devida punição para aquele filho da puta. 

 

 - A partir de hoje você se tornou o meu ídolo. - Yuta comentou. Chittaphon soltou uma risada anasalada.  

 

 - Obrigado, docinho. - O tailandês piscou um dos olhos para o japonês. - Bem, eu não posso participar do festival, mas isso não me impede de ficar aqui com vocês, certo? - Adentrou completamente a sala, se jogando em um dos pufes ali presente. 

 

 - Claro, mas... achei que você iria preferir ficar com Dojin. - Doyoung disse. 

 

 - Ele é do clube de taekwondo e todo mundo sabe que única pessoa que presta naquele lugar além dele é o Lee Hoseok. - O Leechaiyapornkul apoiou as mãos unidas no meio de suas coxas. - Enfim, o que vão fazer hoje? Sinceramente, eu não prestei muita atenção na reunião de vocês ontem. 

 

 - Nós vamos ensinar ômegas a fazer um spray de pimenta e ensinar alguns truques de auto defesa. - O Kim apontou para as coisas na mesa. - Eu tive essa ideia depois do que aconteceu na festa. Fico feliz que você esteja aqui para assistir. 

 

 - Fico honrado por ter te inspirado, por mais que fosse naquele tipo de situação. - Chittaphon sorriu leve em direção ao outro ômega, que retribuiu ouvindo o barulho do sino tocando, anunciando o início das atividades. - Vai começar. Boa sorte para vocês. 

 

 

 

 

 

 Faziam algumas horas desde que o festival tivera início e Taeyong já havia perdido as contas de quantas pessoas entraram e saíram da sala do clube. Estava ficando de guarda na porta e barrava qualquer alfa ou beta que tentasse dar uma de engraçadinho e entrar sem permissão. Era o único dos membros do clube fazendo o trabalho de segurança. Doyoung e Yuta estavam apresentando, Jungwoo tinha se enfornado dentro da sala e não saia por nada, usando de desculpa que estava fazendo companhia para Chittaphon. Jisung e Jaemin tinham um trabalho de artes para apresentar na quadra interna. O Lee já estava ficando de saco de cheio de não ter com quem conversar para passar o tempo. 

 

 Correndo pelos corredores, Dahyun e Somi riam se dirigindo até a última sala que visitariam naquele dia. Sua seguia as netas com o neto mais velho ao seu lado, estranhando a maneira como Jaehyun parecia ansioso demais para chegar ao fim do corredor, porém logo se distraia com as duas garotinhas.  

 

 Somi fora a primeira a reconhecer a figura de Taeyong parada em frente ao clube, com a camisa branca e o short preto que compunha o uniforme de verão. Correu disparada em direção ao ômega, logo sendo imitada por Dahyun ao que está notara para onde a irmã estava indo. As meninas se penduraram as pernas do Lee, o qual se assustou inicialmente, mas ao digerir o que acontecia sorriu em direção as pequenas, se abaixando para ficar na mesma altura destas. 

 

 - Você estuda aqui também, oppa? - Dahyun perguntou animada. 

 

 - Sim! Este é o meu clube. - O ômega respondeu na mesma animação, indicando o interior da sala com o polegar. 

 

 - Nós vamos assistir uma apresentação sua? - Dessa vez fora Somi que questionou Taeyong, os dedinhos brincando com os cabelos rosados do ômega. 

 

 - Hum... Hoje não. Eu estou apenas de guarda. - Falou vendo as duas meninas murcharem. - Mas se vocês aparecerem na quinta prometo que vão ter cookies deliciosos esperando. 

 

 - Eu gosto dos de avelã! - A pequena alfa exclamou, o sorriso banquela voltando a aparecer. - A Dae gosta de cookies de aveia. Eu a acho estranha por isso, mas não conta para ela. - Somi “cochichou” para Taeyong, porém todos que estavam por perto conseguiram ouvir o que a menina falou. 

 

 - Ei! Eu ouvi tudo. Vovó! - Dahyun se virou para Sua, que observava a interação das netas com aquele ômega desconhecido com uma expressão confusa em seu rosto. 

 

 - Não implique com sua irmã, Somi. - A mulher repreendeu a mais nova, focando sua atenção no de cabelos rosados. - Eu te conheço, querido? - Perguntou com um pequeno sorriso no rosto. 

 

 Taeyong se levantou não sabendo como deveria responder à pergunta da mais velha. Por alguns segundos seus olhos se encontraram com os semelhantes de Jaehyun, que o encarava com uma expressão um tanto desesperada. Pensou um pouco, tentado achar alguma desculpa para dar a avó do alfa, quando a voz de Somi se fez presente. 

 

 - O Jae oppa levou ele para casa no dia que foi para aquela festa na casa da Linlinie. Ele dormiu no quarto do oppa. - No momento em que ouvira as palavras da menininha, Sua encarou Jaehyun pelo canto dos olhos. - Ele ajudou eu e a Dae com a lição de artes. 

 

 - Não foi isso, vovó. Um amigo meu acabou dormindo lá em casa. Elas devem estar confundindo. - O alfa tentava contornar a situação. 

 

 - Quem está confundindo é você. - Dahyun cruzou os bracinhos em frente ao peito encarando Jaehyun, que apenas naquele momento lamentou ter uma irmãzinha tão esperta. -  Você não tem nenhum amigo de cabelo rosa.  

 

 - Em casa a gente conversa, Jaehyun. - A mulher resolveu acalmar a situação antes que os netos começassem a discutir de verdade. - Meu nome é Sua, sou avó do Jaehyun e dessas duas encrenqueirinhas. - Sua sorriu para o ômega, que até então apenas observava a situação.  

 

 - Muito prazer, eu sou Taeyong... um conhecido do Jaehyun. - Se apresentou após hesitar um pouco, retribuindo o sorriso da mais velha. 

 

 A mulher logo adentrou a sala com as duas garotinhas em seu encalço. Jaehyun deu uma última olhada para Taeyong antes de tentar seguir atrás de Sua, porém teve o braço do ômega impedindo sua passagem. 

 

 - Você fica. - O rosado apontou para o chão como se indicasse o local do qual Jaehyun deveria permanecer, recebendo um olhar confuso e um tanto indignado do alfa. - Tá me olhando assim por que? Sabe que é proibido a entrada de alfas. 

 

 - A Somi entrou e ela é alfa! - Jaehyun indagou. 

 

 - Ela é criança, você não. - Taeyong cruzou os braços em frente ao corpo, uma expressão vitoriosa tomando seu rosto ao ver o do alfa se contorcendo em uma de insatisfação, contudo entrou em alerta ao ver um sorriso nascer nos lábios alheios. 

 

 - Bem, já que eu não posso entrar, vou ficar aqui te fazendo companhia. - Se aproximou do ômega, que arqueou uma das sobrancelhas e deu um pequeno passo para trás ao notar a aproximação. - Eu posso, anjinho? - Jaehyun sussurrou com a voz rouca rente ao ouvido alheio, observando o corpo do Lee retesar. 

 

 - Eu deveria ter jogado você na frente de um carro ao invés de te ajudar. - O ômega bradou empurrando o outro pelos ombros, ouvindo-o rir. - Pode ficar, não me importo. - Falou por fim, se virando para receber duas garotas que haviam acabado de se aproximar. 

 

 Os minutos foram passando e o silêncio havia se instalado entre Jaehyun e Taeyong, que continuava a impedir a entrada de alfas e betas enquanto por algumas vezes observava pelos cantos de seus olhos o Jung encostado na parede e mexendo em seu celular. 

 

 Não entendia muito bem o motivo pelo qual o alfa decidira ficar ao seu redor. Até o dia da festa eles mal se conheciam e provavelmente o único “vinculo” que tinham era o fato de Jaemin estar andando com Taeyong agora. 

 

 Jaehyun subitamente ergueu a cabeça em direção a Taeyong, que por alguns segundos sentiu-se envergonhado ao ser pego observando o alfa, porém a sua vergonha deu lugar a confusão ao constatar que o Jung não olhava diretamente para si, mas sim para algo ou alguém que estava para trás do ômega. Ele parecia minimamente curioso por mais que sua expressão estivesse séria e isso acabou por despertar a curiosidade do Lee, que virou a cabeça para onde o Jung encarava, um sorriso abrindo em seus lábios ao reconhecer a figura alta atrás de si. 

 

 - Johnny! - Exclamou não demorando a se jogar em cima do alfa, o qual teve que ser rápido ao segurar o corpo de Taeyong para que ele não acabasse indo ao chão. - Você voltou! 

 

 - Não, baixinho, ainda estou lá em Chicago. - O recém chegado disse em um tom irônico, o sorriso aumentando ao ver uma feição emburrada se projetar no rosto do Lee, com direito a sobrancelhas franzidas e um biquinho nos lábios. Bagunçou levemente os fios rosados. - Quando eu fui embora o seu cabelo não estava dessa cor. 

 

 - Se você tivesse alguma rede social iria saber que eu tinha pintado. - Taeyong reclamou virando o rosto para o lado.  

 

 Qualquer um que visse a cena de longe provavelmente acharia que tratava de um casal, porém ambos Taeyong e Johnny nunca conseguiriam se ver de outra forma que não fosse a de amizade. Eram amigos de infância. Sempre havia sido Doyoung e Taeyong... e John, Johnny, Youngho ou qualquer outro nome que o alfa tivesse. O Seo ainda se lembrava de quando havia recém chegado na Coreia e fora recepcionado por um ômega tagarela e outro mais quietinho.  

 

 Jaehyun observava os dois, sentindo um pequeno incomodo ao ver como Taeyong parecia à vontade perto daquele cara, contudo era evasivo consigo. Seria mentira se dissesse que seu orgulho não havia sido nem um pouco ferido. O famoso ego dos alfas, tão frágil quanto vidro. 

 

 - Quem é esse, anjinho? - Perguntou em um tom alto o suficiente para chamar a atenção dos dois, que o encararam. Taeyong com uma expressão raivosa, e Youngho com uma confusa. 

 

 - Não te interessa. - O ômega respondera com uma birra aparente. - E eu já falei para parar de me chamar assim! 

 

 - Mas combina tanto com você, anjinho. - Jaehyun sorriu, seus olhos se fechando e as covinhas aparecendo em suas bochechas.  

 

 - Seo John. - O tom de Johnny, antes descontraído e amigável ao falar com Taeyong, agora estava sério. - Amigo do Tae. E você seria? 

 

 - Jung Jaehyun. - Respondeu sem tirar o sorriso do rosto, os olhos de abrindo para observar o rosto de ambos a sua frente. - Eu acho que vocês deveriam se afastar um pouco. Sabe, estamos em ambiente escolar.  

 

 As bochechas do ômega se avermelharam ao ouvir as palavras do Jung. Estava com as pernas enlaçadas na cintura de John, este que tinha as mãos segurando suas pernas. Se remexeu levemente em um pedido mudo para que o alfa o soltasse. Ainda envergonhado, ficou em silêncio ao lado da porta do clube, olhando para o interior da sala. Em algum momento, seus olhos se encontraram com os de Chittpahon, que estanhou a vermelhidão do rosto alheio e decidiu ir ver o que se passava.  

 

 - O que aconteceu? Seu rosto está parecendo a bunda de um orangotango. - O tailandês perguntou colocando uma das mãos na testa do Lee para checar sua temperatura. Notou que havia mais duas pessoas ali. Reconhecendo Jaehyun e o cumprimentando com um aceno de cabeça, para então focar sua atenção no outro. - Você não estuda aqui, né? 

 

 - Não, sou da escola do lado. - Youngho voltou a sorrir ao falar com o ômega desconhecido para si, decidindo ignorar Jaehyun naquele momento. - Me chamo Seo John, mas pode me chamar de Johnny. 

 

 - Chittaphon e você não vai querer ouvir meu sobrenome. - Sorriu pequeno para o maior. - Bem, vou levar esse aqui para tomar um ar. Você. - Apontou para Jaehyun, que ainda escarava Johnny. - Não deixa nenhuma alfa ou beta entrar.  

 

 E saiu arrastando Taeyong pelo pulso, deixando para trás os dois alfas. Youngho voltou a sustentar o olhar de Jaehyun. Não havia simpatizado com o Jung. A provocação que ele fizera a Taeyong já o havia dado motivos pra desgostar do outro alfa. 

 

 

 

 

 

 Com certeza agir no modo stealth não era para Jungwoo. Ele não aguentava mais se esgueirar pelos corredores. Não que fosse extremamente necessário se esconder, porém não estava preparado para enfrentar Yukhei cara a cara. Se sentia extremamente pequeno, por mais que tivesse os seus um e oitenta de altura. 

 

 Estava quase alcançando a saída da escola, já até conseguia ver sua família, porém seus planos de fugir imune foram pelos ares ao dar de cara com quem ele menos queria ver naquele momento.  

 

 - Eu falei que nós precisávamos conversar. - Yukhei o encarou com os braços cruzados. 

 

 - Falou é? - E Jungwoo decidira se fazer se tonto, se arrependendo ao ver a expressão chateada que tomou conta do rosto do alfa. 

 

 - Por que está fugindo de mim? Eu fiz alguma coisa que te chateou? - O Wong questionou. 

 

 - Não. Você não fez nada. - O ruivo mordeu o lábio inferior. - Eu só estou nervoso. Não achei que você fosse ficar atrás de mim depois de sábado.  

 

 - Como eu poderia não ficar atrás de você? - O alfa respirou fundo antes de continuar. - O esperei tanto por aquele momento, então como eu poderia não ficar atrás de vocês depois daquilo? 

 

 Jungwoo provavelmente tinha um enorme ponto de interrogação em cima de sua cabeça. Um sorriso bobo nasceu inconscientemente em seus lábios e ele abaixou o olhar, fingindo ter algo muito interessante nos seus tênis brancos, além deles precisarem de uma boa limpeza. Não esperava por aquilo. Puta merda, ele realmente não esperava por aquilo. 

 

 - Caralho. - Falou voltando seu olhar para Yukhei, que o encarava esperando uma resposta mais coerente. - Você por acaso não estaria se declarando para mim, né? Isso é com certeza coisa da minha cabeça. 

 

 - Bem, talvez seja. Quero dizer, que se você aceitar, nós podemos tentar alguma coisa. - Coçou a nuca com uma das mãos. - Mas se sua resposta for não, podemos fingir que isso foi uma ilusão.  

 

 - Eu prefiro a primeira opção. - Sorriu, as bochechas adquirindo um tom rosado igualmente as do alfa, se aproximando e deixando um selar no rosto deste. - Podemos passar um tempo juntos amanhã? Minha família está me esperando. 

 

 - Claro! Tudo o que você quiser! 

 

 Yukhei não se segurou e abraçou Jungwoo com força, enlaçando seus braços na cintura e o levantando um pouco do chão, juntando seus lábios ao do outro em um selinho casto antes de o deixar ir.  

 

 Estava indo em direção ao carro com sua família, quando sentiu seu pai alfa pegar em seu braço. Jungwoo virou o rosto, encontrando Eunhae o olhando com um sorriso ladino. 

 

 - Eu vi o que aconteceu? - Sussurrou para que apenas o filho mais velho ouvisse. - Sorte sua que eu consegui distrair aqueles dois. - Indicou Eunsang e Serim com o queixo. - Quero conhecer aquele rapaz depois. Entendido? 

 

  


Notas Finais


Então? O que acharam? Comentem para eu poder saber rsrs
Johnny e Haechan apareceram. O que acharam deles nessa pequena (bem pequena no caso do Chan) prévia?

Gente, eu estou como adm geral de um projeto para o novo grupo da starship, o Cravity. Pois é galera, o grupo mal debutou e já temos projetinho. Deem uma olhada aqui: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/cravityz

Os questionamentos que ficam são: Eunsang e Serim irão surtar ao descobrir que o Jungwoo agora tem um rolinho? O Johnny e o Jaehyun vão cair na porrada? Ou será que o Taeyong quebra o Jaehyun primeiro? Tudo isso nos próximos capítulos (que eu vou tentar não atrasar k).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...