1. Spirit Fanfics >
  2. O Código (INTERATIVA) >
  3. QU4R70 - Érebo

História O Código (INTERATIVA) - Capítulo 18


Escrita por: e lunawilliams


Notas do Autor


Olá agentes 🕵️‍♂️🕵️‍♀️

Pois é, eu demorei dessa vez, postando o capitulo no domingão, me desculpem, tivemos alguns problemas técnicos, literalmente.

Mas aqui estamos e pelo título do capítulo vocês devem saber de quem vamos falar nesse aqui né?
Fiquem bem atentos aos detalhes e, caso eu esteja falando abobrinha, por favor, me avisem, porque eu realmente não sou muito familiarizada com esses assuntos.

Ademais, boa leitura!
..
..
..

Capítulo 18 - QU4R70 - Érebo


…TeleCom posts on…

Luna respondeu a uma enquete de @jimilindaoadams: Sem ressentimentos, mas meu preferido é o Érebo kkk não fica triste não MK

…TeleCom posts off...



{ Toronto, Canadá - 3 de julho - 10:30 } 


O jovem garoto de cabelos castanhos caminhava pelo gramado de sua escola, rumo às arquibancadas.

A maioria dos alunos estavam aproveitando suas férias em qualquer acampamento ou coisa do tipo, então a escola estava praticamente vazia, se não fosse pelos funcionários e alguns alunos que recuperavam suas notas. Mas Michael não fazia parte de nenhum desses grupos, então por que o jovem estava na escola em plena época de férias?

A verdade era que o garoto e alguns outros colegas estavam "dobrando" os estudos. No caso do Hacker, o objetivo era terminar o último ano escolar o mais rápido possível e, logo em seguida, se mudar definitivamente para a Sede da agência de espiões.

Pensar nisso tudo, no que havia acontecido com eles nos últimos anos, tudo isso pareceria loucura aos ouvidos de outras pessoas, mas era a realidade, era sua história.

Esses pensamentos passavam pela mente de Michael, enquanto o jovem subia pelas escadas, carregando o notebook em um dos braços e segurando seu costumeiro e, talvez sua marca registrada, o cappuccino.

Tendo ele chegado a um local que considerasse confortável e mais afastado, espantou de sua mente os pensamentos que lhe haviam entretido até  agora e se concentrou na tela no aparelho que carregava consigo, afinal, tinha trabalho a fazer.

A tela se abriu em uma paisagem, na tela normal de bloqueio de qualquer computador que se vê por aí. Ele digitou a senha, algo como um nome ou talvez "senha", não era possível distinguir pois havia sido muito rápido, mas o computador foi desbloqueado.

Michael bebeu mais um gole de sua bebida, depositando o copo ao seu lado, na arquibancada mesmo e desviou seu olhar para o local ao seu redor.

Não havia ninguém, a não ser uma senhora de meia idade que limpava o jardim, varrendo algumas folhas e galhos que ali estavam, mas esta estava há alguns bons metros dele, então o moreno julgou que estava seguro.

Olhou para o céu, levantando a cabeça um pouco. Seus olhos arderam no começo, pela claridade do sol de verão, mas logo pode observar o imenso azul que o cobria, pintado com algumas nuvens, que o fazia ficar ainda mais bonito. Não viu nada que pudesse ser considerado suspeito e, após sentir uma brisa leve que vinha do leste, voltou a se concentrar no trabalho que tinha que fazer.

O garoto então abriu um programa onde digitou alguma coisa, parecia ser um código ou algo nesse estilo. Alguns milésimos de segundo se passaram e a tela ficou completamente preta. Uma das teclas se levantou, revelando uma pequena câmera da onde um scanner saiu, indo em direção ao olho do rapaz.

Após ler sua retina, a câmera voltou a ser apenas a tecla "F7" do teclado e, na tela apareceram alguns números, que foram se decodificando até formar a frase: digite sua senha.

Dessa vez havia sido algo mais elaborado e isso era possível concluir pela movimentação de suas mãos pelo teclado, alternando de letras para números, além dos sinais de pontuação. Ao terminar ele confirmou e a tela voltou a ser apenas um breu. Michael voltou a tomar da bebida que estava a seu lado, sentindo o vapor atingir seu rosto ao aproximar o copo de sua boca.

Ao retornar seu olhar para o computador a inscrição Bem vindo MK podia ser observada. O plano de fundo então mudou para uma imagem do mar e o céu estrelado, vista do litoral da ilha da OEI.

Assim que os programas terminaram de carregar uma espécie de sombra surgiu no canto inferior direito da tela e aos poucos foi tomando forma humanoide, como se formasse um corpo.

- Olá Érebo! - o jovem falou, depois de engolir um pouco de cappuccino.

- Olá MK! - a voz computadorizada falou, parecendo feliz por reencontrar o garoto.

Ele acessou sua conta da OEI, fazendo com que Érebo recebesse as últimas informações e atualizações da empresa. A IA Érebo havia sido desenvolvida pelo próprio garoto e era uma das únicas a serem usadas pela OEI, o que poderia ser motivo de orgulho para ambos. 

- Novas missões foram adicionadas por - ele parou por alguns segundos, como se processasse os dados mais recentes - MissionsOEI, mais precisamente por Robert Patterson. Se o Robert manda…

- A gente obedece. - Michael completou, rindo ao se lembrar que havia programado Érebo para falar essa frase quando o nome de Robert fosse cifado, incentivado por Luna.

- Kih, kih, kih. - Erebo completou, rindo.

- O que foi isso, Érebo? - o garoto perguntou, bocejando pela falta de sono e indo para a página onde a programação de Érebo estava, para tentar descobrir o que estava acontecendo, qual era o motivo da risada diferente que ele havia apresentado.

- Me desculpe, eu estive buscando diferentes fontes relacionadas ao nome Érebo e acabei por encontrar esse estilo de risada em uma história. Devo excluir de meu histórico? - a voz eletrônica perguntou, agora menos animada que antes.

- Não, eu achei até bem criativo. - Michael falou, terminando de analisar o sistema de segurança da IA - Mas vamos ao trabalho. - ele completou, com a voz mais séria, porém, demonstrando um pouco de animação, costumeira de todas as vezes que fazia seu trabalho, ou era convocado para uma missão. No caso, os dois aconteciam simultaneamente.

- Estou esperando por suas ordens. - Érebo disse, confirmando estar preparado.

- Quais são as especificações dessa missão? - Michael perguntou, bocejando novamente.

- Segundo o arquivo enviado - ele pausou a fala novamente, analisando as informações que possuía - foram detectados circulação de informação na DarkWeb entre computadores da BeckerCompany e da FoodCompany, na sede EUA e na filial do Brasil, respectivamente. Nosso trabalho é descobrir exatamente o que foi transferido de um lugar para o outro.

- Os web-bots não devem ter conseguido, de novo. - ele falou, passando mentalmente os processos de criação que haviam sido feitos para a fabricação dos robôs conectados e tentando descobrir onde a equipe poderia ter errado, afinal, ele fazia parte daquele trabalho - Ok Érebo, vá p…

- O sistema já se encontra na Dark Web, seguindo os passos seguidos nas missões anteriores.

Michael sorriu, mesmo que inconscientemente, ver que Érebo progredia era algo muito gratificante e motivador.

- Ótimo. Busque em seu histórico por códigos. - o moreno falou, engolindo mais um gole do cappuccino que agora já estava na metade.

- Processando - a IA respondeu, enquanto o garoto procurava uma maneira de encontrar o local onde as mensagens entre empresas circulava.

- Os dados foram encontrados. O que devo fazer agora? - Érebo respondeu.

- Estarei mandando para você a mensagem criptografada,  acho que você já sabe o que fazer, certo? - o moreno disse  um pouco devagar, como se arrastasse a voz, pois estava concentrado na busca por essas informações.

- Sim. - a IA confirmou - Estou baixando as informações necessárias. 

- Perfeito! - Michael falou, tanto pela afirmação de Érebo quanto por ter conseguido encontrar o local na rede onde a troca de mensagens acontecia.

Ele quebrou alguns códigos de segurança, estavam até bem fáceis de serem destruídos, talvez fácil até demais, ele pensou desconfiado. Mas continuou, chegando ao seu destino. A conversa entre as duas empresas acontecia em uma espécie de chat, mas era incrivelmente simples. 

Por mais que as mensagens estivessem criptografadas, o conteúdo era fácil de ser descoberto, um hacker iniciante na OEI com um conhecimento básico de códigos conseguiria descobrir. 

Isso lhe fez refletir sobre duas coisas: primeiro, os web-bots estavam realmente necessitando de uma  reformulação e, dessa vez, ele pediria para fazê-la sozinho, trabalhava melhor solitário; e a segunda, será mesmo que o Becker estava por trás dessa circulação? O sistema de segurança que protegia a conversa não fazia o estilo dos trabalhos que foram comprovados ter relação direta com Ethan, isso tudo era, no mínimo, estranho e mereceria a atenção da OEI, em breve.

O garoto copiou as mensagens de ambas as empresas, comprovou que não havia nenhuma ameaça e mandou para Érebo.

- Iniciar descripitografia. - Michael ordenou a Érebo  que, instantaneamente, ao ouvir a voz do garoto, começou a executar a tarefa.

O que antes eram apenas alguns símbolos começaram a sofrer alterações. Letras se transformavam em números e vice-versa. A, g, l as letras mudavam em milésimos de segundos, sendo difícil acompanhar com os olhos mais de um algarismo - mesmo um já dava um nó na cabeça de qualquer pessoa que não estivesse preparada.

Cada uma das mensagens tinha uma pequena página específica para si e o sistema de Érebo descriptografava todas, ao mesmo tempo. Michael auxiliava e aproveitava a oportunidade de ver o desenvolvimento de Érebo durante missões neste estilo.

Em alguns poucos minutos tudo estava pronto, as mensagens haviam sido totalmente descriptografadas e podiam ser visualizadas como um chat normal, em um aplicativo normal e comum.

As mensagens que estavam ali realmente chamavam atenção, eram objetivas e falavam sobre dados bancários. Pareciam falar de desvios entre as empresas, mas a intuição de Michael dizia que havia alguma coisa a mais, e ele estava certa.

- Michael, acabo de encontrar um link escondido entre as mensagens, devo abri-lo?

- Eu sabia, não Érebo, mande os dados para mim e fique atento com a nossa segurança.

- Copiado. - Érebo respondeu, abrindo o link escondido que havia encontrado e desaparecendo da tela, algo comum quando a atenção da máquina iria para o sistema de segurança que protegia Michael.

- Vamos ver o que temos aqui. - ao abrir o link, uma foto de Érebo apareceu junto com um aviso, desenvolvido por ele para links de risco.

Michael ativou um antivírus desenvolvido por Jimi, que era usado por quase todos os hackers da OEI. Ele criava uma espécie de armadura que, além de proteger o usuário, tornava-se um "espelho" para os vírus com que tinha contato, fazendo com que o efeito fosse usado no responsável pela ameaça - um verdadeiro justiceiro.

Ele acessou o local e acabou encontrando algo muito interessante: um submundo inteiro, algo como uma DarkWeb dentro da própria DarkWeb. Era uma rede inteira de dados, mas ele não se aprofundar ia nisso, não naquele momento. 

Sua consciência falou mais alto, talvez um aviso divino, pois seria descoberto rapidamente da maneira como estava. Mas isso não seria esquecido, não se dependesse da OEI, principalmente tendo a Becker envolvida nisso, ele pensou.

- Michael, está tudo bem? - Érebo retornou a tela principal, tendo notado a falta de frequência do companheiro.

-Sim Érebo, não poderia estar melhor. Prepare uma mensagem resposta para a OEI.

- A missão foi concluída? - a IA perguntou.

- Muito mais que isso, Érebo. Vamos dar mais trabalho a OEI. - ele copiou algumas coisas e digitou outras no campo de mensagens diretas para a direção da OEI, explicando tudo que estava acontecendo.

- Não estou entendendo. - Érebo perguntou, não compreendendo.

O sinal tocou, lembrando aos poucos que lá estavam que o momento de intervalo entre as aulas havia acabado.

- Você vai Érebo, mas em breve. Agora, preciso que você envie essa mensagem e limpe o nosso histórico de buscas hoje. Você sabe o que fazer, sim?

- Sim, conte comigo.

- Ótimo e eu me vou. O trabalho me espera, o outro trabalho. - Michael falou, com a voz meio desanimada, fechando o notebook e descendo as escadas, rumo ao interior do colégio novamente.

Esses próximos meses seriam muito trabalhosos, mas recompensados, afinal, se tudo desse certo, no Natal ele já estaria definitivamente em meio aos agentes na Sede e era isso que lhe motivava.



Notas Finais


Tivemos uma mudança no estilo do código, acho que vocês viram que o l-l foi substituído por U mesmo, porque eu acho que tava muito parecido com H kkkk

Outra coisa: foi feita uma referência na história de Etérea, uma fic que me marcou muito e que eu tenho um carinho muito grande, então, caso se interessem, o link estará aqui em baixo.
Etérea: https://www.spiritfanfiction.com/historia/eterea-reino-da-magia-interativa-18567146


Tenham uma boa semana e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...