História O Código Luthor - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoas, minha primeira fanfic postada aqui no Spirit, espero que gostem!
Ela é Supercorp, mas não 100% do tempo, então sim, é uma daquelas histórias em que os personagens passam por muita coisa antes de finalmente ficarem juntos e bla bla bla, enfim, paciência.
Boa leitura ;)

Capítulo 1 - O peso de um Sobrenome


Kara Danvers estava particularmente animada com sua primeira semana de trabalho no DEO, embora nada especialmente grande tivesse acontecido. Ela tinha essa visão otimista da organização e do trabalho que eles faziam lá, “salvando” pessoas e aliens e fortalecendo relações extraterrestres. Com ela mesmo sendo de outro planeta, trabalhar ali parecia um sonho.

Bem… apenas parecia, porque depois de uma semana a vida de supergirl parecia um verdadeiro inferno e ela simplesmente não via a hora de voltar a ser apenas Kara Danvers. A última coisa que ela esperava era que Lex Luthor, o maior inimigo do superman, vulgo seu primo, desse as caras por National City uma semana após o súbito aparecimento da supergirl.

As pessoas andavam enlouquecidamente pelo DEO, e Kara podia ouvir os dedos teclando enlouquecidamente por todo o prédio.

– Alex, você poderia me explicar de novo o que tá acontecendo e por que todo mundo está agindo como se fosse o fim do mundo? – Kara seguia sua irmã, tropeçando a cada curva, ainda tentando se acostumar com as enormes botas vermelhas que Winn havia feito pra ela.

– Bem, estão tentando evitar que o mundo realmente acabe. - Alex sequer se virou pra responder, enquanto parava ao lado de Winn, avaliando os grandes telões do departamento. - Já conseguiu alguma coisa, Winn?

- Se fosse qualquer outra pessoa do mundo isso seria bem mais fácil, mas ele não tem fama a toa. - Winn virou-se pras irmãs Danvers frustrado. - Afinal, ele é Lex Luthor. O cara consegue ser invisível quando ele quer. Mas, falando em Luthor… - o rapaz vira-se de novo pra sua tela. - Talvez ele não seja coincidência ele ter aparecido em National City agora.

- Claro que não é coincidência, ele é Lex Luthor! - a agente mais velha gritou, o que fez cara revirar os olhos atrás dela. Afinal, pra el, Lex não passava de um homem, certo, ele era um homem brilhante, poderoso e muito malvado, mas ainda assim, apenas um homem.

Winn limpou a garganta antes de voltar a falar. - De qualquer forma, Lex não foi o único Luthor a chegar na cidade essa semana. - Ele joga pro telão a imagem de uma mulher, pele pálida, cabelos negros e olhos incrivelmente verdes. - Essa é Lena Luthor, irmã mais nova de Lex, e ela acaba de assumir a Luthor-corp e está trabalhando na cede principal aqui em National City.

- Acha que Lex pode estar aqui por causa dela? - A ruiva encarava seriamente a imagem na tela, quase como se odiasse a outra mulher a primeira vista. Ou talvez seja só o fato de ela ser uma Luthor, como Lex.

- Eu não sei, mas, no momento, ela é o mais próximo que temos de uma pista pra achá-lo.

- Certo, vou juntar uma equipe e ir lá interrogá-la.

Alex já estava prestes a se afastar quando Kara chamou a atenção da irmã. - Ei! Não acha que pode ser um pouco assustador pra ela ser interrogada pelo “FBI” na sua primeira semana na cidade?

Alex cruzou os braços e olhou séria para a supergirl. - Você ouviu Winn, ela é nosso único recurso pra tentar achá-lo no momento.

- Talvez esse não seja o jeito certo de fazer isso. - Kara falou, não muito segura.

- Alguma sugestão?

- Eu posso ir… no seu lugar.

- Como pode ser mais confortável pra ela ser interrogada por uma super? Não sei se ouviu o sobrenome dela, mas… - Alex respondeu ironicamente, quando Winn a interrompeu.

- Talvez Kara esteja certa. - Ambas se viraram para o rapaz. - Digo, ela não se sentiria muito confortável sento interrogada por alguém como você… - ele fala se referindo a Alex e recebe um olhar extremamente frio, então trata de se explicar: - quero dizer… desculpe Alex, mas você é a pessoa mais intimidadora que eu conheço, seria uma péssima primeira impressão! Mas Kara? Ela não consegue intimidar um filhote de cachorro abandonado!

- Obrigada, Winn… espera, ei! - Kara põe a mão no peito com sua melhor cara de ofendida.

- Certo, Winslow, e como exatamente isso pode ser bom? Ela nunca falaria nada de útil pra supergirl!

- Talvez não pra supergirl, mas talvez para uma reporter iniciante com carinha de anjo? - Ele encara as duas despretenciosamente. - Talvez esse seja um trabalho pra Kara Danvers?

As irmãs Danvers se encararam por um momento. Talvez o jovem nerd tivesse lá sua razão. Estava na hora de voltar a ser Kara Danvers.

 

*

 

A Luthor mais nova estava sentada atrás da grande mesa do seu escritório quando um furação loiro de olhos azuis cruzou sua porta sem qualquer aviso prévio. A morena franziu a testa, quando sua assistente surgiu logo atrás, falando rapidamente: - Desculpe srt. Luthor, ela simplesmente foi entrando, eu tentei impedir, mas…

- Tudo bem, Jess. - Interrompeu sua assistente, muito curiosa sobre a bela mulher a sua frente. - Pode voltar a seus afazeres.

- Sim srt. Luthor. - A assistente baixou a cabeça e saiu da sala.

- A que devo a visita, senhorita… - Lena interrompe sua própria frase, esperando que a estranha que invadiu sua sala a completasse.

A loira parecia um pouco perdida, com seus olhos azuis revirando por toda a sala, até encontrar os da Luthor, quando ela parece voltar a realidade. - Kara Danvers, reporter da Catco Worldwide media. - Ela dá alguns passos a frente, estendendo a mão para Lena. - Desculpe a súbita invasão, srt. Luthor, eu não esperava que fosse assim, mas sua assistente não me deu passagem e eu realmente precisava falar com você, e…

Kara falava rápido e sem parar, como se nem precisasse tomar fôlego, mas Lena a interrompeu. - Tudo bem, srt, Danvers.

- Kara. - Falou de súbito, fazendo Lena arquear uma sobrancelha. - Me chame apenas de Kara. - Explicou.

- Apenas Kara, então. - Lena sorriu, levantando as mãos como se estivesse se rendendo. - E o que é tão urgente que não te permitiu marcar uma hora, Kara?

Kara limpou a garganta antes de falar: - É sobre seu irmão… Lex Luthor.

Lena inclinou-se para trás na sua cadeira e encarou a loira totalmente sem expressão. Ela cruzou as mãos sobre sua mesa. - Por que não estou surpresa? - Arqueou uma sobrancelha. - Lex é o assunto do momento, cedo ou tarde alguém invadiria meu escritório pra saber sobre ele. - Riu sem qualquer emoção.

Kara abriu a boca e fechou algumas vezes, antes de processar suas próximas palavras. - Srt. Luthor, eu imagino que não seja fácil pra você…

- Ah, você imagina? - Lena a interrompe, fazendo uma cara irônica de inocência. - Sério? Porque eu acho que você não consegue imaginar, Kara. - O nome escorregou de seus lábios como veneno e a morena se levantou de sua cadeira, dando a volva na mesa, ficando bem na frente de Kara. - Eu não faço ideia de como você poderia imaginar como é ser irmã do inimigo público número 1 do país, o maior inimigo do maior herói. Não consegue imaginar como é carregar em suas costas um sobrenome como o meu, como é carregar todos os erros da sua família. Você não faz a mínima ideia de como é ver a pessoa que você mais ama enlouquecer e transformar sua vida, e a do mundo inteiro, num verdadeiro inferno. Então, por favor… - apontou o dedo pra cara da loira – não seja mais uma dessas pessoas que diz que sabe o que eu estou passando, porque você não sabe!

E a sala entrou num silêncio desconfortável. Lena suspirou, sentando-se na beirada da mesa e cruzando os braços enquanto Kara ajeitava seus óculos. Lena não esperava desabafar dessa forma com o primeiro estranho que cruzasse sua porta, mas ela não conseguiu evitar e agora já era muito tarde pra se lamentar. Ela estava carregando muita coisa, a muito tempo, e só precisava de uma pequena faísca pra explodir seus sentimentos. Ela estava totalmente instável, e a culpa era de Lex.

Kara limpou a garganta, chamando novamente a atenção da morena em sua frente. - Desculpe. - falou de cabeça baixa, mas logo levantou os olhos até os de Lena. - Eu realmente não sei como se sente e não queria ser uma das pessoas que finge que entende, não era minha intenção. - Terminou e o ambiente voltou ao silêncio.

- O que você quer saber sobre o meu irmão? - Lena recobrou o assunto, olhando friamente para Kara, mas querendo realmente ajudar.

Kara mais uma vez ajeita os óculos, procurando as palavras certas. - Lex escapou da prisão recentemente e alguns fatos apontam que ele está em National City. Coincidentemente no mesmo período em que você chegou na cidade.

- E você acha que eu tenho algo a ver com a fulga dele. - Lena cortou novamente, fria e cética.

- Talvez ele esteja vindo atrás de você. - Kara tentou concertar. - Ele teria algum motivo pra isso? Na última vez que se viram ele deu algum indício de que…

- A última vez que eu vi Lex, eu estava amarrada numa cadeira, sendo psicologicamente torturada enquanto via o mundo lá fora queimar. Então não, srt. Danvers, ele não me deu nenhum indício, de absolutamente nada! - Lena fala, raiva transparecendo em sua voz.

Kara se encolheu na cadeira em que estava, se sentindo completamente intimidada pela mulher a sua frente. Talvez Winn estivesse errado, talvez fosse melhor alguém realmente intimidador tomar seu lugar nessa missão. Bem, mas cara era uma reporter! Iniciante, mas ainda assim… Ela não desistiria tão fácil.

Respirando fundo, Kara volta a levantar a cabeça e tenta falar o mais firme possível. - Desculpe srt. Luthor, mas meu trabalho é descobrir a verdade e se existir algum motivo para Lex estar planejando algo contra você, eu preciso saber!

- A única coisa com que Lex se importa é poder… ah, e claro, a morte do superman, mas até onde eu sei ele não está mais na Terra, então… - As duas mulheres se encaram por um segundo. - Desculpe srt. Danvers, eu realmente gostaria muito de ajudar, mas lamento não saber nada sobre o paradeiro do meu irmão.

Kara se levanta da cadeira em que estava e respira pesadamente. - Kara, já disse, pode me chamar de Kara. - Fala tristemente e se vira pra ir embora.

Quando estava na metade do caminho até a porta, ela escuta a voz aveludada da Luthor atrás dela. - Kara! - Virou-se e viu Lena retirando um envelope de uma das gavetas de sua mesa. - Tem uma coisa. - Lena andou até ela e mostrou o envelope carimbado em vermelho sangue. - Lex me mandou essa carta a alguns dias. Eu não entendi bem o objetivo dele, mas é tudo o que eu tenho. - Kara olhou para Lena, em seguida para o envelope e o pegou, mas antes que Lena soltasse ela falou: - Eu já fui muito julgada pelo meu sobrenome, e eu sei que minha família já fez coisas horríveis, mas eu não sou como eles. Eu só estou tentando me reconstruir… longe do legado deles. Eu apenas… farei o possível pra ajudar, eu juro.

- Obrigado. - Kara sorriu gentilmente. - Significa muito que esteja disposta a ajudar e eu te desejo boa sorte na sua busca por emancipação, srt. Lu…

- Lena. Me chame de lena. - A Luthor mais nova sorriu tão docemente que por um segundo Kara esqueceu o que estava fazendo.

- Lena. - Kara sorriu abertamente de volta, acenou e cruzou a porta do escritório, passando por uma Jess a encarando com cara de poucos amigos e tomou o elevador.

No elevador, Kara abriu o envelope e retirou de lá um papel amarronzado, com algumas palavras em vermelho brilhante escritas com caligrafia perfeita.

“Cuidado com os supers

Fique de olho na dama

Seja mais esperta, Lena

Isso não é um anagrama”


Notas Finais


Deixem o que acharam. Espero que gostem e até mais ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...