1. Spirit Fanfics >
  2. O Coelhão da páscoa - Jeon Jungkook. >
  3. Um encanto de homem.

História O Coelhão da páscoa - Jeon Jungkook. - Capítulo 2


Escrita por: ParkCj

Notas do Autor


Oi bebês!

Pensaram que eu não ia soltar hoje?
Bom, eu também.
Eu passei o dia fora e não tive tempo para escrever e quando quase soltei o capítulo fiz uma grande cagada.
* Quase perdi minha conta aqui *
Eu tive a brilhante idéia de desinstalar o Spirit por ele não estar entrando, o que resultou em um "leve" surto. Eu fiquei desesperada e precisei mexer os palitos.
Depois de longos minutos eu consegui voltar.
Resumindo: eu sou jumenta, mas tá tudo
bem.
Obs: não foi corrigido!

FELIZ PÁSCOAA ❤️🐰

Espero que gostem!
Beijos beijos e uma ótima leitura 💋🌹

Capítulo 2 - Um encanto de homem.


Fanfic / Fanfiction O Coelhão da páscoa - Jeon Jungkook. - Capítulo 2 - Um encanto de homem.



   A noite finalmente ia chegando e com ela o clima de festa também aumentava. A alguns metros do meu apartamento, em uma rua próxima ao centro da cidade um festival de caça aos ovos começará em instantes, juntando todas as pessoas da cidade. O lugar era incrível, sempre bem decorado e com milhares de ovos espalhados pelo campo. 

Ajeitei o meu vestido e apertei os fios do meu cabelo, os deixando mais livres. Caminhei até o andar de baixo e vi o pequeno peludo de longe— ainda sem nome— sentado sobre o chão, mastigando com voracidade sua cenoura. 

— Finalmente podemos ir! — a loira saiu da cozinha, com as mãos sobre a cintura e um olhar entediante. 

Lua era minha melhor amiga. A conheci no festival passado de páscoa, onde ela quase me matou por achar seu ovo. Depois de longos minutos de conversa, descobrimos muitas coisas em comum, uma delas era o amor pelo chocolate. Lua perdeu os pais em um terremoto no Japão, onde uma reunião tinha sido marcada. Ela tinha poucos anos de idade na época e sabia só pouco do que ouviu de seus pais adotivos. Tal quais a trouxe para cá. 

— é seguro deixá-lo sozinho? — a olhei — ele chegou hoje. — deslizei meus dedos sobre seu pelo. ela fez um gesto com as mãos e sorriu negando. — lua, é um presente da minha mãe. Eu sinto como se ela estivesse aqui comigo.— ela mordeu os lábios e pareceu pensar em uma solução inteligente. 

— vamos trancar ele no seu quarto. — puxou o animal de meus braços e subiu as escadas. A segui, vendo a mesma o por em uma caixa aberta no chão, fechando as janelas, as cortinas e depois por último a porta. — daqui, ele não sai. 



~~~~ 


As ruas estavam cheias, era possível achar gente até mesmo de outros países. Lua segurou meus braços e me puxou até uma mesa próxima ao bar, todos estavam mais do que animados, as crianças chegavam a pular de tamanha felicidade, assim como alguns adultos que esperavam a largada também ansiosos. 

— o que acha de participarmos este ano? — lua sugeriu se demostrando bem animada. 

— não acho uma boa idéia. Lua, a caça aos ovos são para as crianças. — sorri vendo a mesma me olhar totalmente entediada. Ela cruzou os braços e rolou os olhos, tentando se contentar com a minha rejeição. — Vamos beber, ok? Estou me sentindo triste, preciso afogar minhas lágrimas em alguma bebida deste bar. — Confessei estendendo o copo mediano na direção da garota, que sem esperar o capturou bebendo rapidamente o resto do líquido. 

— eu aceito. — deixou-o sobre a mesa, fazendo um gesto com as mãos para o garçom que se aproximava. — traga mais duas dessa. — piscou em minha direção. 

Um som agudo ao lado chamou não só a minha atenção e de lua como também a das pessoas ao redor, que taparam os ouvidos pelo agudo irritante. Uma voz grossa tornou meus ouvidos e logo eu levantei meu olhar para ter certeza de quem se tratava, vendo ali, taehyung. O organizador de todo o festival. Meu coração deu leves batidas, e eu precisei cruzar as pernas para conter uma situação constrangedora em ficar as balançando. Meu corpo inteiro se esquentou e eu precisei tomar um gole da bebida ao lado para evitar soltar um gemido de socorro. Ele era mais do que atraente, com o nome de sua família conhecido e também uma fama de invejar. Todas as mulheres da cidade o desejavam, não por seu coração puro como eu, mas sim pelo corpo e pelo dinheiro que tinha. 

Ele não era nenhum tipo de playboy, muito menos um empresário metido á idiota. Ele usava calças de fazendeiro como também adorava seus chapéus compridos de palha. Botinas e um relógio de ouro no pulso. Todos os anos ele fazia o festival pensando nas crianças de rua e nas que viviam em orfanatos pela cidade. Seu coração era puro, e seu olhar carregava gentileza. 

Novamente os trago aqui, para comemorarmos o nosso sexto festival de caça aos ovos! — todos o aplaudiram, sorrindo e soltando assovios em sua direção. — eu fico feliz de ver toda a cidade reunida para a caça aos ovos. Sabemos muito bem pelo o que passamos e pensando justamente nas crianças de ruas e nas órfãs de nossa cidade, nós, os Kim, estamos presenteando todas elas com ovos de todos os tipos para todos os gostos! Se divertam pessoal, a festa é de todos nós! — assim que saiu do palco, uma música alta começou, fazendo assim o local se tornar mais confortável e em clima verdadeiro de festa. 

— como alguém pode ser tão gostoso.. — ouvi a voz baixa de lua dizer. Ela tinha os olhos presos no rapaz, este que conversava animadamente com uma família próxima ao palco. — reparou na marcação da calça? Por Deus! — massageou suas têmporas parecendo querer evitar ou retirar os pensamentos impuros que já a cercavam. 

— deixe de ser tarada lua! Ficou mesmo olhando para o pênis do rapaz? — a perguntei, vendo um sorriso malicioso brotar em seus lábios.— céus. 

— Isso é o de menos. — riu, deixando o copo em suas mãos vazio. — você provavelmente não percebeu ainda que está sendo secada a horas! — na mesma hora eu senti o líquido rasgar minha garganta, e o que restou me fez tossir exageradamente. 

— o que disse? — a olhei, vendo a maior sorrir em negação. 

— olhe em volta, gatinha. — piscou, virando sua cadeira em direção ao barman. 

Levei meu olhar por todos presentes naquele festival, e senti um frio na espinha ao de longe perceber um homem me encarar intensamente. Ele não era velho, muito menos feio. Pelo contrário. Eu não conseguia ver totalmente sua face mas podia o sentir fitar toda a extensão de meu corpo, até voltar aos meus olhos. Assim que viu que eu também agora o olhava, ele decidiu prolongar entre nós a intensidade de nossos olhares, abrindo um mine sorriso ao ver que eu não quebraria aquilo tão cedo. 

— quem é ele? — contorci a boca ciciando discretamente para lua, que abaixou o olhar e sorriu. 

— não conheço. Talvez seja novo na cidade ou até mesmo mais um dos milhares de turistas. — ela virou-se lentamente para o de antes, balançando o corpo em mãos na direção do rapaz. Este que pareceu entender algo e se levantou. 

— que merda ele tá fazendo? — perguntei sentindo meu coração acelerar ao ver que ele caminhava em nossa direção, não deixando de exibir seu sorriso que a cada passo mais próximo se tornava lindo e radiante. 

— horas, está vindo sentar-se conosco. 

Sobressaltei da cadeira e arregalei meus olhos segurando a minha mão que desejava assim como eu, dar belos tapas na cara de lua. Quando decidi á xingar ou tentar me pronunciar a respeito, era tarde. O rapaz já se acomodava na cadeira em frente a minha, sorrindo estranho. 

— Boa noite meninas. Me chamo Jeon Jungkook e vocês? 

Agora eu me concentrava em seu rosto esculpido." Como podia ser tão bonito? " Eu me perguntava em pensamentos. Seus olhos eram pequenos e suas bochechas enormes, não deixando de dar um ar fofo ao rapaz de cabelos negros. Ele tinha os lábios grossos e rosados, sem contar com o sorriso radiante. Chegava á ser estúpido de tão lindo. 

Ótimo, ele era um encanto de homem. 

— me chamo Lua. — a loira tocou as mãos do rapaz e sorriu educadamente. — bom, essa é minha amiga ______. — senti um beliscão ser deixado em meu braço e rapidamente tratei de despertar do transe, não me esquecendo de resmungar pela dor. 

parece perdida cara _____. Algo em mim te deixou assim? 

Eu não sei por que, muito menos como, mas senti um frio enorme me atingir. O tempo estava quente e todos os meu redor entregavam isso. Eu poderia parecer maluca ou até mesmo estar já sentindo o efeito da bebida me atingir, mas por algum motivo totalmente desconhecido eu sentia que conhecia esse garoto de algum lugar. 







 




Notas Finais


O que acharam?
Esse coelhinho é totalmente diferente dos outros, ok? Prepare o coração.
Deixem muitos comentários e favoritem também!
Amo-tes ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...