1. Spirit Fanfics >
  2. O Colégio Interno >
  3. É engraçado ver ela fugindo de mim.

História O Colégio Interno - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - É engraçado ver ela fugindo de mim.


Fanfic / Fanfiction O Colégio Interno - Capítulo 9 - É engraçado ver ela fugindo de mim.

Jully

Lia me arrastou até o refeitório para jantar. Disse que não podia dormi sem comer. Cá estou eu, sentada no meio de Dylan e Louis. Fugindo de Luca? Sim! De Thomas? Mais ainda!

Estava comendo minha comida rápido porque não queria ter que aguentar esse garoto no meu ouvido. 

— Vai se engasgar desse jeito Jully. — olhei para Lia de boca cheia e todos riram. Engoli minha comida e limpei a boca com o guardanapo.

— Nem vou. — digo e ela ri. 

Thomas estava sentado em cima da mesa e me olhava. Luca estava sentado e eu só tinha visão de suas costas. 

Terminei de comer e me levantei.

— Boa noite gente, nos vemos amanhã. — digo e vejo Thomas se levantar também.

Não deixei eles dizerem nada, apenas caminhei para fora do lugar. Notei de canto de olho Thomas vindo na minha direção. É, tomei no cú. 

Quando menos espero sinto algo molhar minha roupa. 

— Ops! — levantei o olhar e vi Clary. Minha roupa estava molhada com suco de uva. Não tinha jeito melhor de fugir de algo. Meus olhos marejaram e olhei para ela. — Ah, a novata vai chorar. — colocou à mão no peito debochada e suas amigas riram. Olhei para Thomas com à vista já embaçada e ele havia parado... Luca estava sentado e apenas me olhava... 

Olhei em volta e algumas pessoas riam. Deixei umas lágrimas caírem e sai correndo do local. 

— Vai tarde! — escuto à voz enjoada dela e continuo correndo. 

Comecei à sorrir assim que cheguei nas escadas. 

— Bando de idiotas. — dou risada e vou andando até o quarto. Forçar um choro é a coisa mais fácil no mundo do teatro, sério, meu dom. 

Entrei no quarto e retirei minha blusa. Procurei meu pijama e vi minha porta se abrir. 

— Amiga você está bem? — olhei para ela. — Belos peitos. — acabei rindo. Eu estava de sutiã ainda. 

— Estou sim, foi fingimento. — digo rindo. 

— Isso tudo foi para fugir do Thomas? — assenti e ela riu. — Jully faz amizade com ele, você é a primeira menina que ele está indo atrás. — revirei os olhos. 

— Está vindo atrás porque menti pra ele. 

— Não é não. — me sentei na cama e retirei os sapatos. — Hoje ele veio falar comigo e com a Lara, por isso perguntamos da tal Beth. — olhei para ela. — Luca estava ao lado. 

— Perguntou algo? 

— Só de onde você vinha. Aí comentamos sobre o fato de você estar olhando para mesa deles... Luca falou com a gente menina. 

— Por que você parece tão surpresa com isso? — se jogou na cama de barriga pra cima.

— Porque o Luca não fala com ninguém. Ele só perguntou onde você estava. — levantei às sobrancelhas surpresa. — Tem noção disso? O Luca, perguntou de você. — fiquei encarando ela...

— Tenho que tomar banho. — digo e entro no banheiro. Liguei o chuveiro e tirei a roupa entrando em seguida. 

Das duas, uma. Ou Luca deve me achar familiar assim como eu no começo. Ou já sabe quem eu sou e está querendo falar comigo. 

Por que não consigo tirar esse menino da cabeça logo deus? Agora só me imagino beijando ele, sua voz no meu ouvido, seu toque... Encostei a testa na parede gelada do banheiro e fechei os olhos. Transei com um garoto na festa, achei que nunca mais ia vê-lo e descubro que ele estuda aqui. Agora eu sei que joguei pedra na cruz. 

Terminei meu banho e me troquei no banheiro. Fiquei me olhando no espelho e soltei meus cabelos que tinha prendido para não molhar. 

Uma coisa é certa, não vou conseguir fugir para sempre. O lado bom é que amanhã é sexta e pelos meus cálculos todos vão para casa no sábado. Assim espero. 

Saio do banheiro e Lia já estava se preparando para entrar. 

Escutei alguém bater desesperada na porta e fui abrir. Lia abriu a porta do banheiro e ficou me olhando. Assim que abri Lara entrou rapidamente.

— Thomas está afim de você. — olhei para ela confusa e Lia se aproximou. 

— De onde tirou isso? — digo e ela se senta na cama de Lia. 

— Domorei para vir porque os meninos ficaram puxando papo, mas cara... Ele deu um show quando você saiu do lugar e Lia foi atrás. 

— E o que ele disse? — disse Lia e eu a olhei. Posso não conhecer ela bem o suficiente, mas sei que sente algo por ele. 

— Aí foi muita coisa. — riu. — Mas disse que você era amiga dele, e se ver Clary se metendo com você de novo vai tomar providências. 

Thomas

Assim que a menina me olhou com os olhos marejados me senti péssimo. Sei que foi culpa de Clary, mas só de ver uma menina chorando... Assim que Lia saiu correndo atrás dela às três dondocas começaram a rir. 

Cerrei os pulsos e fui na direção delas. 

— Eu vou dizer só uma vez. — digo alto e elas me olham. — Se eu descobrir que mexerem com ela, mais uma vez sequer, vou tomar providências. 

— Do que está falando Thomas? — disse Taylor e eu passei a mão no queixo rindo. 

— Vocês não são burras. Ela é minha amiga e não vou deixar vocês mexerem com ela só porque é nova. 

— Está gostando da novata Thomas? — disse Clary com um sorriso. 

— Isso não é problema de vocês. E estão avisadas. — senti uma mão no meu ombro. No mesmo momento vejo Clary arrumar sua postura e passar à mão no cabelo. 

— Oi Luca. — disse sorridente. 

— Vamos embora Thomas. — ignorou Clary e saiu andando. Segui ele e fomos direto ao dormitório. 

Assim que entrei no quarto me joguei na cama. 

— Que garota chata. — digo com a voz abafada pelo cobertor. 

— Mas você está gostando dela? — me viro para olhar Luca. 

— Não cara, te contaria se gostasse. — me sentei na cama. — Só que foi divertido correr atrás dela hoje, é engraçado ver ela fugindo de mim. — digo e ele ri. 

— Pelo visto vai ser difícil falar com ela se você estiver do lado. — Luca disse retirando seu casaco. 

— Você sabe porque Clary fez aquilo cara! Viu como à menina ficou? — digo e ele suspirou. 

— Vi Thomas, o local inteiro viu ela chorando. — me olhou. — Mas se pelo menos descobrir o nome dela pode facilitar. 

— Mano vai ver ela só é parecida com alguém que você já ficou, afinal, você lembraria de ter ficado com alguém né? — assentiu.

— E a boate que vou fica longe daqui. Não deixam qualquer um entrar. — pegou sua roupa. — Quer saber, vou deixar isso pra lá. — disse entrando no banheiro. 

Fiquei um tempo encarando o teto e depois fui procurar uma roupa. 

Tomei meu banho e me joguei na cama. 

Ficamos conversando com às luzes apagadas até pegar no sono... 

Jully

Acordei com um barulho horrível no ouvido. Olhei confusa para os lados e vi Lia se levantando e desligando o despertador. 

— Bom dia. — disse com uma voz rouca e me deitei com tudo na cama.

— Bom dia. — digo cobrindo meu rosto. Alguém bateu na porta e fui me levantar para abrir. — Sim? — digo passando à mão no rosto.

— Bom dia senhorita Collins. — olhei à mulher que estava na minha frente. Ah, deve ser Maria, à inspetora do dormitório feminino... 

— Não tem garoto aqui dentro. — digo e escuto a risada de Lia. 

— Só vim entregar seu uniforme. — me esticou três sacos. — Mas só por garantia vou averiguar o quarto. — segurei o riso. 

— Fica à vontade! — digo abrindo à porta. Me sentei na cama e ela ficou olhando cada canto, até no banheiro entrou. 

— Muito bem. Tenham um bom dia! — disse seguindo para porta. 

— Igualmente. — dissemos juntas e rimos assim que ela fechou à porta. 

Tomei banho e passei uma chapinha no meu cabelo que decidiu acordar rebelde hoje. 

Passei uma maquiagem leve. Só uma base, delineado e um rímel. Olhei para o meu gloss de morango e peguei ele... Fechei os olhos e vi a voz de Luca ecoando na minha cabeça " você é muito gostosa ". Toda vez essa frase maldita percorre meu sonho. Quando me dei conta estava sorrindo olhando para um gloss

Fiquei séria e Lia se sentou ao meu lado. Ela fez à mesma coisa que eu, só não passou delineador. 

Me levantei ainda descalça e ela me olhou. 

— Amiga do céu. — disse de boca aberta. — É nesses horas que meu lado bi se revela. — gargalhei alto. — Olha, na minha opinião, está melhor do que o trio de doidas. — sorri.

— Sabe o que vai ficar ainda melhor? — digo pegando às botas.

— Jully, Jully. — deu risada. 

— Vamos também. — digo me sentando na cama. 

— A não, não é nem por elas, mas me incomoda sabe? — assenti. 

Coloquei minha meia e coloquei à bota. Cara ela é muito confortável. Me olhei no espelho e só ajeitei a gravata. 

— Pode andar com o casaco aberto? — pergunto e ela assente. 

— O que você não pode fazer. Arregaçar às mangas, desabotar os botões da parte de cima da camisa para mostrar decote, isso é advertência na hora. Andar com à gravata frouxa e caso use sapato, à meia tem que estar sempre esticada. — assenti. 

Coloquei minha correntinha dentro da camisa e sorri. É, não vai ser tão ruim isso.

— Que perfume é esse? — Lia pergunta pegando ele. 

— Ah, é um que só eu tenho. — digo e ela ri. — Minha madastra é perfumista, ela fez essa essência e me deu para provar. Eu disse que amei, mas parece que o pessoal lá não curtiu muito. 

— É de que? — disse abrindo e cheirando. 

— Não sei, ela guardou segredo. Aí quando acaba ela faz um novo e me dá. Muita gente pergunta onde vende e eu digo que é exclusivo meu. — rimos. — Pode passar se quiser. 

— Sério? Não vou roubar sua essência? — neguei rindo. Ela espirrou um pouco no pescoço e depois acima do peito. — Jully é uma delícia. — sorri. — Reconheceria você fácil por esse perfume. — rimos. 

— Meus antigos colegas eram assim. — peguei meu gloss. 

— Olha, eu tenho um perfume, mas não é como o seu. — me mostrou. 

— Posso? — ela assentiu. Espirrei um pouco em mim e o cheiro até que é gostoso. — Lia por um dia. — digo.

— Jully por um dia. — diz e rimos. — Vamos? — assenti. Passei meu gloss e saímos do quarto.

Vamos tomar café primeiro e depois voltamos ao quarto para pegar os livros. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...