1. Spirit Fanfics >
  2. O Consílio Dos Deuses >
  3. Na sombra de Apolo

História O Consílio Dos Deuses - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Na sombra de Apolo


Fanfic / Fanfiction O Consílio Dos Deuses - Capítulo 7 - Na sombra de Apolo

Quando Hoseok despertou, todos os residentes da sua casa já tinham saído para cumprir a  rtina.

Ao descer as escadas e se deparar com a casa totalmente sozinha, um sorriso surge no seu rosto. Há algum tempo que não estava assim sozinho, há algum tempo que não tinha a possibilidade de passar um dia à sua vontade, fazendo tudo o quisesse.

Ainda com as suas roupas de dormir, o jovem dirige-se à cozinha, tirando algumas coisas para comer, enquanto pensava de que maneira iria organizar o seu dia, de forma a aproveitá-lo ao máximo. Antes que pudesse sair desta divisão, Hoseok depara-se com um papel caído no chão, onde estão escritas as palavras “Jantar em casa da Artémis, chega a horas.” seguidas de um desenho de um coração por cima das palavras “Adoro-te” escritas com na letra da sua mãe.

Hoseok suspira, este jantar vinha um pouco contra os seus planos, mas talvez fosse bom, há algum tempo que não estava com a sua tia Artémis e o seu primo Namjoon. Aliás, apesar de serem irmãos gémeos e da proximidade que sempre tiveram, o seu pai, nos últimos tempos, andava um pouco mais distante da sua tia, por isso, este jantar seria uma boa maneira de relembrar algumas memórias.

Uma vez que este “evento” lhe iria roubar algum do tempo livre, Hoseok decide apressar-se a cumprir tudo o que desejava cumprir. A primeira ideia que tem em mente era um passeio pela cidade. Já há algum tempo que não tirava inspiração da cidade para alguma das suas histórias, por isso hoje seria um bom dia para isso.

O rapaz volta a subir as escadas, regressando ao seu quarto. Troca as suas roupas, vestindo algo confortável e, assim que se despacha, sai de casa.

Os raios de Sol acertam-lhe passando a sensação de que este emana um brilho próprio, algo que não seria surpreendente vindo do filho de Apolo. Todos já esperavam que este jovem fosse capaz dos encadear, tanto pela sua beleza como pela sua grande personalidade, que tal como o pai, conseguia conquistar o coração e a confiança de qualquer um.

Ser filho de um Deus podia não ser uma tarefa fácil no geral, pois todas as pessoas da cidade esperam que o filho seja tão bem ou melhor sucedido que os pais, seguindo os seus passos ou criando feitos ainda maiores que possam orgulhar toda uma nação. Mas ser filho do Apolo era uma tarefa ainda mais complicada, uma vez que este Deus era quase tão respeitado como Zeus. Qualquer erro, por mais pequeno e insignificante que fosse, podia ser uma tempestade na reputação do seu pai, por esse motivo Hoseok escolhia tentar ficar em casa, o mais resguardado possível, tal como fazia o seu irmão Órfeu, que só abandonava a casa quando era convidado para ir tocar ou recitar alguma das suas poesias à população. Quando isto não acontecia, estava confinado às paredes da sua casa e ao seu irmão, que parecia odiar.

Tendo tudo isto em conta, o passo que Hoseok estava a dar era algo bastante arriscado. Podia não estar proibido de sair de casa, mas ele sentia que a sua obrigação era esta, para que tudo corresse bem com o seu pai. Mas hoje não, hoje ele iria aproveitar o dia, iria tirar este dia apenas para si, por isso decidiu vestir uma capa comprida por cima das suas roupas, colocando o capuz que tapava uma boa parte do seu rosto. Ao sair assim, seria muito mais difícil para a população reconhece-lo.

Assim que coloca o capuz, todo este brilho que o cercava parece desaparecer e o jovem pode, finalmente, começar o seu percurso.

Os seus passos são lentos e calmos, permitindo-lhe ter uma visão da cidade que era raramente retida pelos olhares rotineiros dos que por ali passavam. Passavam por ele todo o tipo de pessoas, desde simples habitantes até alguns mensageiros do Monte Olimpo, mensageiros que, para surpresa do rapaz, eram bastantes. A cada passo que dava, pelo menos um mensageiro diferente surgia no seu campo de visão e todo este ambiente parecia conferir à cidade uma agitação maior que o normal.

Os mensageiros paravam perto de grupos de jovens, falando com eles durante alguns segundos e, logo depois, afastavam-se com sorrisos no rosto. Intrigado pelo que estava a acontecer, Hoseok dirige-se a pequeno grupo de jovens.

- “Passa-se alguma coisa? Por que é que andam tantos mensageiros pelas ruas?” – os jovens olham Hoseok de alto a baixo, intrigados pela figura que surgira à sua frente.

- “Parece que vão criar um conselho para os jovens.” – um dos rapazes do grupo responde.

- “Um conselho?”

- “Sim, pelo que o mensageiro nos estava a dizer qualquer jovem pode inscrever-se.” – outro dos rapazes afirma. – “Ele até nos deu este papel.” – este estica uma folha na direção de Hoseok. – “Se quiseres fica com ele, nós não estamos interessados.”

O semideus não responde, agarra no papel e passa, rapidamente, os olhos por ele.

- “Obrigado.” – Hoseok eleva a sua face, fitando os rapazes com um sorriso.

Rapidamente afasta-se dos jovens, não tirando os olhos da folha que tinha em suas mãos. Se o Monte Olimpo ia mesmo criar este conselho, por que motivo o seu pai não lhe tinha dito nada? Por que é que lhe tinham escondido isto?

Hoseok para. Observa a cidade ao seu redor antes de voltar a fixar o seu olhar sobre aquele papel. A proposta contida naquela simples folha agradava-o e estava decidido a inscrever-se. Estava cansado de viver na sombra do seu pai e do seu irmão, estava na hora de fazer algo por si mesmo, algo da qual pudesse tirar proveito e pela qual pudesse ser reconhecido, sem estar associado diretamente à sua família. Queria provar do que era capaz, tanto aos seus pais, ao seu irmão, aos conhecidos, mas também a si próprio.

Antes de voltar para casa, o rapaz dirige-se decididamente ao conselho dos Deuses do Olimpo. Uma pequena fila de jovens já se encontrava junto à pequena bancada onde seriam entregue os documentos. A vez de Hoseok não demorou muito tempo e, alguns minutos depois, este já se encontrava fora do edifício com o documento nas suas mãos, pronto para tratar de tudo hoje, já que não tinha ninguém em casa a quem dar justificações.

Hoseok tinha a certeza de que esta era a escolha mais acertada e, independentemente do resultado, já se sentia orgulhoso por ter tido a coragem de tomar esta decisão.


Notas Finais


P.S.: Esta história é apenas baseada em alguns factos da mitologia grega, nem tudo o que será descrito corresponde totalmente à realidade histórica deste tema.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...