1. Spirit Fanfics >
  2. O Conto da Duquesa >
  3. Capítulo 44

História O Conto da Duquesa - Capítulo 44


Escrita por:


Capítulo 44 - Capítulo 44


Depois de mais algumas gravações, as meninas finalmente sentiram que o trabalho estava rendendo, mesmo à distância da civilização, por fim, a estratégia da gravadora tinha dado certo.

Então Mary continuou trabalhando na sua ideia primordial, a balada triste e trágica foi ganhando mais forma, até se tornarem mais sólidas. Depois que ela e as companheiras de banda gravaram a primeira parte, ela fez um pequeno anúncio, importante e chocante.

-Bom, pessoal, eu estava pensando numa coisinha peculiar... - ela retorceu as mãos, depois prosseguiu, criando coragem - e se nós colocássemos umas harmonias no meio, estilo ópera?

-Ópera? Sério? Como isso ia encaixar no resto da música? - Dominique questionou primeiro.

-Não se preocupem, ela meio que vai sair um pouco do esperado, mas na minha cabeça faz todo sentido, nós só precisamos tentar pôr em prática pra ver o que vai acontecer - Mary explicou, implorando para que as amigas aceitassem sua ideia.

-Certo, então vamos experimentar, testar pra ver no que vai dar - Chrissie resolveu concordar e apoiá-la - o que acha, Ronnie?

-Vamos nessa então - Veronica deu de ombros, mas estava disposta a concordar.

Mary então sorriu, contente e agradecida pelo apoio delas, e logo em seguida se pôs a apresentar a elas suas ideias, as divisões vocais, letra, melodia e tudo mais. As meninas fizeram sua parte, cantando e tocando até chegarem ao que a vocalista tinha em mente. Depois do trabalho duro, elas tinham chegado a um trabalho do qual se orgulhavam.

Mais uns dias em Rockfield Farm foram suficientes para finalizar o álbum, assim, finalmente elas puderam voltar para casa. "A Night at the Opera" foi lançado para o público e "The Duchess" ouviu a opinião de todos sobre ele.

Para Freddie, Brian, John e Roger, era o melhor trabalho da banda, sem dúvida, sendo inovador e completamente inesperado, de uma boa forma, renovando o quadro musical da época. Para os fãs, Bohemian Rhapsody, a composição peculiar, era um sucesso estrondoso, unindo o melhor de três gêneros, balada, rock e ópera. Para a crítica, a música era uma histeria confusa.

Os críticos podiam ser bem desanimadores ocasionalmente, mas o sucesso que "A Night at the Opera" fez as meninas atingirem era estrondoso. Tanto que, ele começou a reverberar na vida delas feito um verdadeiro trovão numa tempestade.

Chrissie sentiu ser seguida várias vezes na rua, fosse por fãs sensatos ou um pouco mais evasivos, o que chegou a assustá-la. Dominique pareceu chamar mais atenção do que costumava chamar, ainda assim, ela teve mais facilidade de se acostumar com isso do que Veronica. A baixista se sentiu meio sufocada, gostava dos fãs, era grata pela atenção deles e sua admiração, mas ainda se sentia estranha ao autografar discos e outras coisas de devoção dos fãs. Ela precisava respirar, se acalmar e relembrar que no final do dia, era simplesmente Veronica Tetzlaff. Ao ver como a namorada estava, passando por tudo isso, John logo se ofereceu para consolá-la, a relembrando que nenhuma fama ou sucesso a mudariam, ou mudariam o que eles tinham um com o outro.

A repercussão de tudo isso foi ainda mais intensa para Mary. As pessoas, fãs e imprensa, requeriam cada vez mais de sua atenção. Sem querer, ela tinha meio que se tornado a cara da banda, mesmo tendo plena consciência que suas amigas também faziam parte de tudo aquilo.

Ela dava mais entrevistas, autógrafos, participava de programas de TV do que suas amigas. Sua ausência em casa começou a ser notada por seu marido e seu filho. Conrad sentia falta da mãe e Mary fazia o possível para recompensar todo o tempo que estava fora.

Mas infelizmente, isso não era o suficiente no caso de Freddie. Sem querer, ele sentiu que todo o sucesso da esposa esmagaria a família deles. Eles não tinham tempo para conversar e por isso, enquanto continuava cuidando de Conrad, saía com alguns outros amigos. Foi aí que seus sentimentos mudaram e ele fez descobertas sobre si.

No ano seguinte, quando a situação se tornou insustentável, ele fez suas explicações a Mary.

-Algumas coisas aconteceram na sua ausência - disse ele - eu percebi coisas sobre mim... Por mais que eu te ame, não podemos continuar juntos, não daria mais certo... Eu sinto muito...

-Se a culpa foi minha ou da banda, eu... - ela não teve palavras para completar, deixou de pensar nela e considerou algo mais importante - e quanto ao Conrad? Não vou usá-lo para prendê-lo, mas ele ainda precisa do pai.

-Eu sei, não vou me ausentar da vida dele, vou estar sempre ao lado dele, ajudando no que os dois precisarem - afirmou ele.

-Está bem, Freddie - ela se permitiu chorar um pouco - se é isso que você deseja, seja feliz.

-Você também - ele assentiu, se sentindo triste, mas aliviado.

Meses depois, enquanto Mary ainda estava colocando as coisas no lugar, ela soube que Freddie estava namorando um cabeleleiro chamado Jim Beach. Ao menos, ela e Freddie continuavam bons amigos, pelo bem de Conrad.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...