1. Spirit Fanfics >
  2. O conto de uma prostituta >
  3. O destino

História O conto de uma prostituta - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - O destino


Fanfic / Fanfiction O conto de uma prostituta - Capítulo 4 - O destino

 Acordei no dia seguinte com umas 300 ligações da Sabrina , e umas 500 mensagens me pedindo desculpa, conheço a irmã que eu tenho sei que ela não é má pessoa, só precisa de ajuda, de alguém que a escute, porem tudo com ela é sempre intenso, até mesmo nossas brigas.... Resolvi ignorar mais um pouco quando recebi uma ligação de número desconhecido:

-Olá Bom dia!

-Bom dia.

-Eu falo com a Ross?

-Sim, pois não?

-Fiquei interessado nos seus serviços. Está disponível para hoje a noite? Eu pago bem...

-Sim. Que horas?

-As 21:00. Onde encontro você?

-Onde Você quiser...

-Vou te passar as instruções por mensagem, tenha um bom dia!

Fui tomar banho e me passou pela cabeça vários clientes que eu já tinha saído, tantas histórias...

Estava pensativa quando o cliente da noite anterior voltou a minha cabeça, ele era diferente, sabia que não podia me envolver mas ali pareceu muito mais sentimento que diversão. Tomei um susto e saí voada do chuveiro quando ouvi várias batidas na minha porta, tomei um susto quando vi que era a Sabrina com um semblante triste e uma mala na minha porta:

-O que você tá fazendo aqui?

-Eu liguei, mas você nunca atende então eu vim! Resolvi dar um tempo aqui, nao tenho outro lugar pra ir....

-Sem me avisar Sabrina ?

-Você é minha irmã, só tenho você... Pra onde eu iria?

-Entra aí vai!

-O que tem pra comer?

-Olha lá na geladeira.

-Você vai sair?

-Vou, mas vou mais tarde só.

-Me leva?

-Mas nunca, você sabe muito bem onde eu vou... Pode ficar sossegada aqui!

-Eu não sou mais nenhuma criança Luíza, tenho 27 anos!

-Com mentalidade de 6, pode ficar aqui!

-Tá bom então.

-Vou me arrumar. Se quiser pode colocar suas coisas lá no quarto de hóspedes, é la que vc vai ficar...

Acomodei ela e ficamos conversando, arrumando as coisas dela e falando bobagem nem vimos o tempo passar e quando dei por mim Já era quase 20:00 da noite, falei que precisava me arrumar pra sair, ela já sabia pra onde e só me pediu pra tomar cuidado, como sempre...

Coloquei um vestido azul escuro, colado no corpo, um sapato alto prateado e deixei o cabelo solto jogado pro lado, caprichei na Make e fui esperar o cliente na esquina de casa, ele parou de carro, assim que entrei vi que ele estava um pouco mais alterado que o normal, porém resolvi não ligar... Ele não disse uma palavra, achei aquilo muito estranho, mas do nada acelerou o carro e quase capotou em uma curva fechada , me dando um tremendo susto...

-Tá maluco cara? Para com isso agora!

Ele fingiu que não me ouviu e parou em uma Mata escura nem ao menos percebi que estavamos indo sentido aquela mata, me jogou pra fora do carro bruscamente e logo em seguida veio atrás de mim eu estava paralisada , veio brutalmente rasgando minhas roupas com muita violência, ali eu revivi tudo que não queria, aquilo ia acontecer mais uma vez...

Flashes de um passado voltaram a minha mente....

-Para por favor me solta! Para pai por favor.

-Cala a boca sua vadiazinha de merda.

-Por favor pai eu não quero!

...

Enquanto aquele homem vinha pra cima de mim, as cenas dos abusos que vivi na infância voltaram a minha mente. Eu fugi de casa com apenas 16 anos de idade, trazendo comigo a única irmã que eu tinha, e com medo do que podia acontecer caso meu pai não parasse de abusar de mim, como vinha fazendo desde que a minha mãe morreu, quando eu tinha apenas 14 anos de idade. Eu não ia deixar isso acontecer de novo, sou garota de programa Sim, mas jamais vou aceitar ser estuprada de novo aceitei o meu destino...

-Sai de cima de mim seu louco!

Juntei todas as forças que tinha e consegui empurra-lo pra longe, saí correndo e fui tentar entrar no carro, mas ele novamente me agarrou, comecei a me debater e consegui novamente empurra-lo, mas dessa vez pro meio da estrada, bem na hora que o caminhão passou ele foi arremessado longe e o acertou em cheio, o motorista fugiu imediatamente . Fiquei em choque não sabia o que fazer, fui ver se ele ainda estava vivo mas infelizmente ou felizmente não estava... Entrei rápido no carro e saí dirigindo, parei um pouco mais a frente e vi que duas pessoas já haviam parado pra ver o corpo, respirei fundo e segui em frente, direto pra casa, sem saber o que fazer. Assim que cheguei ouvi vozes, imaginei que a Sabrina estivesse vendo TV, mas quando entrei ela estava abraçada com um homem que na hora me pareceu familiar, e só então me toquei quem era.

-Oi Ross, chegou cedo! Deixa eu te apresentar o Harry, meu noivo!

Fiquei sem reação, o noivo da minha irmã era nada mais nada menos que o meu cliente da noite anterior...

Ele fingiu não me conhecer, sendo bem mais natural que eu, que já estava nervosa por ter praticamente matado uma pessoa, agora mais essa, o destino e uma cadela.

-Oi, prazer, muito prazer...

-Prazer é todo meu nome é Harry...

-A gente pediu o jantar, tá afim Ross ?

-Não, tudo que eu quero agora é banho e cama, Boa noite fiquem a vontade.

Fui pro meu quarto ainda sem acreditar, que tinha transado com o noivo da minha irmã e matado alguem na mesma semana. Fui tomar banho, quando meu telefone tocou:

-Boa noite com quem eu falo?

- Ross Hale, quem É?

-Nós achamos um cartão com seus dados no bolso do senhor Isaac Thomas , a senhora o conhece?

-Não, porque?

-Porque ele está morto foi encontrado sozinho em uma estrada nao muito movimentada, e aparentemente não tem ninguém para vir aqui reconhecer o corpo, suspeitamos de atropelamento, mas não descartamos assassinato então ...

MERDA!!

-Não conheço deve ser engano, sou garota de programa, metade da cidade tem meu cartão,até o senhor pode ter....

-Tudo bem, se lembrar de algo me ligue!

E desligaram. Como eu ia imaginar que aquele maluco tinha o meu cartão dentro do bolso. Quando acabei meu banho, coloquei um short folgado sem nada por baixo, um top de renda e me joguei na cama, quando ouvi gritos e discussões na sala da minha casa:

-Anda, quero saber onde você se enfiou ontem Harry...

-Já disse que saí pra beber com uns amigos, não pira Sabrina .

-Se você não me disser agora onde esteve, eu vou quebrar seus ossos no meio, seu idiota imundo.

-Eu já falei, dá pra parar com essa loucura, porra?

-Eu vou descobrir, e quando eu descobrir eu mato você e a piranha, eu sei que tem outra na jogada, seu merdinha...

A Sabrina saiu em direção a porta batendo a mesma apos passar por ela, deixando ele sozinho, fiquei apenas observando quando ele me viu:

-Eu jamais imaginei que você era irmã da Sabrina, porra!

-E eu jamais imaginei que você era noivo dela. Que louco...

-Louco estou eu, te vendo assim tão perto e com essa roupa, me lembro da nossa noite juntos...

Então ele veio como um vulcão em erupção , me prensou na parede quente como o inferno e me beijou, fazendo com que todos os sentimentos da noite passada voltassem a tona puta merda que homem...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...