1. Spirit Fanfics >
  2. O Contrato >
  3. O banho

História O Contrato - Capítulo 17


Escrita por: e Coldwriter


Notas do Autor


Gente, perdão!

A história ficou parada por minha causa, fiquei doente esses dias e ocupada com os afazeres, contudo, estou de volta!

Estamos, na verdade.

Boa leitura a todos e perdão, novamente!

Capítulo 17 - O banho


Fanfic / Fanfiction O Contrato - Capítulo 17 - O banho

Ótimo, se ele não que colaborar, alguém vai querer.

-Hanna!

-Kelly?

Fechei a porta de casa, ainda surpresa.

-O que está fazendo aqui?

-A nossa chefe nos liberou hoje, mas admito que ela ficou meio...

-Calma, a gaguinha liberou vocês?

-Ela estava a procura de uns livros, não sei ao certo – Kelly continuava a comer – Pelo menos eu peguei o resto do dia de folga. Pensei em irmos comer fora hoje, o que acha?

Então a gaguinha não estava blefando.

-Hanna?

-Oi! – Falei um pouco confusa – O que foi?

-Você ouviu pelo menos o que eu disse?

-Lógico, mas...

Senti meu celular vibrar.

-Hanna?

-Alô?

-É o Nycolas. Venha para a minha casa que precisamos conversar melhor. Venha logo.

-E desde quando eu lhe obedeço? esqueceu que hoje não é sexta?

-Não. Mas venha, estou lhe esperando. O motorista está na sua porta já.

O miserável estava certo mesmo.

-Eu preciso ir – Falei – Se vierem me procurar, diga que estou na cafeteria.

-Mas você...

-Só diga isso, Kelly – Falei sem paciência.

Aproveita e tenta não se engasgar com o cereal.

Entrei no carro e fui em direção à casa do Nycolas.

Ele quer conversar?

Então vamos conversar, mas...

Agora, do meu jeito.

-Como assim? – Nycolas estava ao telefone – Tente contato com ele, de hoje que tento ligar para o Matt e ele não atende. Vamos, Luke, ajude-me!

Eu entrei na sala.

-Hanna...

-Ocupado?

-Matt não me atende e eu estou precisando falar com ele sobre o sumiço desses livros.

-Sei...

-Os que ainda estão em sua posse, mas – Nycolas afrouxa a gravata – Vamos, os entregue.

-Não – Sorri.

-Você sabe que eu vou conseguir esses livros, não sabe?

-Sei sim, mas me diga Nick – Eu peguei os livros para mostra-lo – Você os que realmente?

-Entregue eles para...

-Não, não, não – Sentei-me na grande poltrona – Fique ali perto da lareira, Nick.

Ele me encarou desconfiado.

-Vamos, ou esqueceu que temos um contrato?

Ele ficou ao lado da lareira.

-Ótimo, agora tira a parte de cima – Sorri – Devagar.

-Hanna, o que pensa que está fazendo?

-Usando você, assim como fez comigo – Suspirei – Vamos, tira a parte de cima ou não quer os livros?

Ele sorriu e me obedeceu.

-Agora, tira a parte debaixo – Apontei para as calças.

-Hanna, sabe que eu estou me divertindo também, não sabe?

-Por enquanto – Sorri – Vamos, tire logo!

Ele me obedeceu.

-Agora, a cueca – Sorri – De frente.

Ele me encarou.

-Não há nada aqui que você não tenha visto.

-Tire – Falei seriamente – Ou nada dos seus livros, querido.

Ele tirou e ficou completamente nu na minha frente.

-Ótimo – Encarei-o – Agora, Nycolas, masturbe-se.

-Hanna, eu faço isso quase todo dia.

-Parabéns, então capriche que eu quero ver – Cruzei os braços.

Ele levou a mão para o pênis.

-Você quer realmente ver isso? – Ele sorria, enquanto me encarava.

-Estou aguardando – Sorri maliciosamente – Lembre-se dos livros. Agora, só vai parar quando não aguentar mais, assim como fez comigo.

Depois de chegar ao ápice, Nycolas se sentou no tapete.

Admito, foi excitante.

-Parabéns – Sorri – Seus livros.

-Isso tudo para que eu...

-Percebesse como é se sentir usado, assim como eu me senti.

Ele me encarou por um momento.

-Saiba que eu tenho pena de você, Nycolas – Falei – Como é deprimente: sozinho, solitário e sabendo que, toda pessoa que se aproxima de você, é pelo seu dinheiro e não pelo que, realmente, você representa.

-Nem todo mundo – Ele suspirou – Como você.

-Eu nunca me interessei por você. Estou aqui por causa do dinheiro.

-Mas não deixa de se preocupar comigo – Nycolas falou – Ou está errado?

Eu o encarei.

Senti-o passando a mão pelo meu cabelo.

-Nycolas...

-Eu sei – Ele se afastou – Não podemos...

-E desde quando você quer isso?

-Já estou nu, por que não aproveitar?

-Idiota – Falei.

-Você me ama Hanna, só não admite isso – Nycolas segurou os livros – Porém, saiba que eu lhe beijaria.

-Grande coisa...

-Pois é, vinte centímetros de prazer...

-Nycolas! Não estou falando de... – Fiquei vermelha – Você é insuportável mesmo!

-Espera – Ele segurou minha mão – Passa a noite hoje aqui.

-Hoje não é sexta.

-Eu sei, eu pago o dobro por um mês.

-Você quer saber como eu realmente sou? – Falei decidida.

-Como?

-Venha dormir hoje em uma casa simples e não em uma mansão como essa. Se quiser me conhecer, visite meu mundo primeiro Nycolas.

Ele fez uma cara pensativa.

-Tudo bem, mas só por hoje.

-Só por hoje.

-Aquela miserável vai me pagar – Nycolas me encarou – Mandy Parkson vai me pagar!

Nycolas arrumou duas malas e fomos para o quarto.

Admito que pensei que ele não fosse aceitar.

Porém...

-Venha, vamos – Abri a porta da casa – Vou colocar suas bolsas no sofá e...

Paramos por um momento.

-Você ouviu? – Nycolas me encarou.

-Parece alguém morrendo, não?

-Fique perto de mim – Nycolas me puxou.

Fomos em direção ao barulho, ele estava na cozinha.

-Minha nossa! – Levei as mãos até o rosto – Não acredito!

-Hanna! – Kelly falou nervosa.

Matt e ela estavam transando no chão.

-Meu Deus! – Falei preocupada – O que foi isso?

-Agora eu entendi por que o meu contador não atendia minhas chamadas – Nycolas cruzou os braços – Estava atendendo o chamado de outra pessoa, literalmente.

-Nycolas, não comece, foi você mesmo que disse que eu deveria me divertir mais com outras mulheres.

-Mas com minha melhor amiga? – Falei nervosa.

-E com você também – Nycolas sorriu – Matt é mais pegador que eu.

-Que lindo vocês – Falei com cara de nojo – Kelly!

-Hanna – Ela havia ido se vestir – Juro que não pensei que...

-Essa cena não sairá nunca mais da minha mente, mas por favor... – Falei.

-Tudo bem, sem problemas.

-Vocês podem sabe... eu até apoio.

-Sério?

-Sim. Porém, não deixe eu ver na próxima, obrigada.

-O que o Nycolas veio fazer aqui?

-Ele veio dormir com a gente.

-Posso transar com ele?

-Não! – Falei – Ainda é sua meta de vida isso?

-Quem não quer engravidar de um milionário? – Kelly sorriu.

-Santa paciência...

No final, Kelly convidou Matt para dormir hoje aqui também.

Nycolas se instalou na sala e Matt também.

Depois do janta, conversamos um pouco, então resolvi ir tomar um banho.

-Água fria... – Entrei no chuveiro como uma rainha de escola de samba – Frio...

Depois de cinco minutos, percebi que Nycolas estava me olhando pela porta.

-Que susto... – Senti meu coração parar.

-Está com medo?

-Não – Cruzei os braços – Posso tomar banho em paz?

-Matt está dormindo e Kelly também, então vim averiguar qual barulho era esse.

-Claro...

-É um barulho admirável.

Virei-me.

-A água deve está fria...

Encarei-o.

-O que pensa que está fazendo?! – Perguntei.

-Tirando a roupa.

-Mas...

-Não posso?

-O que pensa que vai fazer Nycolas?

-Vou entrar ai com você.

-Não podemos transar.

-Hanna, você pensa mais em sexo do que eu, percebeu? – Ele sorriu enquanto tirava os sapatos.

-Por que é o que você mais faz por ai e não quero que pense que eu...

Ele abriu a porta de vidro e entrou.

-Não se aproxime – Encostei-me na parede – Ouviu?

-A água está realmente fria – Ele entrava debaixo de chuveiro.

-Se você se aproximar, eu vou gritar...

-Eu ainda não fiz nada, Hanna!

-Está vendo?! – Cruzei os braços.

-Mas, olhe... – Ele me puxou com força e nossos corpos de encontraram – Há outras formas de deixar a água quente.

Filho da...

-Isso é o que? jogo da sedução? teste de fidelidade?

Nycolas me beijou.

-Você sabe que vai ter que pagar a multa, não? – Falei nervosa.

-Para sentir seu coração disparado desse jeito, vale a pena.

Eu o abracei.

-Eu queria muito você agora, Hanna – Ele sussurra em meu ouvido – Como eu jamais quis uma mulher.

-Não – Falei – Não podemos.

-Mas queremos.

-Não. Para você me abandonar no dia seguinte?

-E se eu não lhe abandonar?

Ele me olhou apreensivo.

Alguém bateu na porta.

-Hanna! – Kelly falou – A nossa chefe está ai.

-Mandy...

-Diga que eu estou indo...

-Está bem – Kelly falou e saiu.

-O que essa mulher quer uma hora dessas aqui? – Eu pegava a toalha.

-Não vá atendê-la – Nycolas falou – Fique aqui comigo.

-Espera...

Eu parei por um momento.

-Ela não sabe que você está aqui e nem que eu lhe entreguei os livros.

-Isso é bom? – Nycolas sorriu.

-Se ela pensar que eu ainda estou com os livros...

-O que foi Hanna? o que você vai fazer?


Notas Finais


Eita...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...