1. Spirit Fanfics >
  2. O Coração de Phoenix >
  3. Precipício

História O Coração de Phoenix - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


O capítulo não está totalmente editado. Podem haver erros de gramática e ortográfia. Boa leitura.

Capítulo 12 - Precipício


A rainha guilda convocou seu lacaio Lorenzo no final da tarde para confiscar por quem ele receberá o documento. Lorenzo se explicou, dizendo que a mesma fora entregue por carteiro adolescente, e que não reparou bem em seu rosto.

- eu não lembro de sua fisionomia, majestade. - Disse ele amedrontado, por que uma das pálpebras da rainha latejou. - so-so só disse. - continuou Lorenzo gaguejando nervoso. - que a encomenda era para alguém do castelo, quando o perguntei. Ele já tinha se retirado quando fui chamar sua atenção.

A rainha guilda saiu resmungando quando deu às costas para o lacaio.

- Incompetente!

E foi á procura de Anquises e d'Aramitz para lhes puxar detalhes importantes. Lorenzo fez sua última reverência e se retirou da sala do trono desconfiado.

Quando a rainha guilda se aproximou dos três homens no pátio do castelo e lhes explicou toda situação, da insígnia e do olho de Ocelo marcado no documento, Órion, junto com Anquises e d'Aramitz foram imediatamente, sob ordens da rainha, investigar o caso. Mais tarde para o espanto e furor da rainha guilda, o lacaio de da princesa Stephanie, Ben o pajem, e os outros se apressaram a trazer as bagagens da princesa da carruagem.

- o que significa isso?

Indagou a rainha guilda arregalando os olhos quando os criados passaram por ela lhes fazendo reverência.

- Significa. - retorquiu a princesa Stephanie otimista. - que estou de volta! Ah - ela contemplou o castelo ensolarado com uma expressão alegre no rosto igual um estudante quando ingressa pela primeira vez na universidade de Oxford.. - lar doce... estou de volta. senti saudades!

- Pois saiba. - retrucou a rainha guilda fria com olhar enojado. - que eu não senti nem um pouco. Poderia ter passado mais algum tempo, não é?

- mal chego e sou obrigada a aturar suas histerias. Me poupe Guilda, vá descontar sua raiva nos seus soldados... como sempre o faz.

- Ainda terá muito tempo para me aturar.

Disse a rainha guilda quando ela e a princesa Stephanie caminhavam lado a lado, agora passando pelo saguão de entrada, e subindo os degraus da escada. - minha querida irmã.

- hum.

- A propósito. - comentou ela docilmente quando contornaram um corredor estreito. Dois sentinelas as acompanhou. - A romina está aqui. - a princesa Stephanie denunciou um olhar de reprovação e travou na frente da soleira das portas duplas. - E é melhor você ir se acostumando, e a trata-la bem... nós duas sabemos do repúdio que sente por ela.

A princesa Stephanie não disse nada durante o discurso de sua irmã, apenas a observou com reprovação ao franzir os lábios de ódio. Porém, mesmo assim, ela não podia contestar, sua irmã estava de mal humor, não sabia porquê. Só soube. E, não queria ter o prazer de estragar seu belo dia, por causa de um simples e incoveniente convidado. Quando as portas se fecharam e elas sumiram, os sentinelas armaram segurança do lado de fora. Eles ouviam suas conversas, mas, eram proibidos de comenta-las com os demais. Alem do mais, já estavam acostumados a presenciar esse tipo de situação. A luz dos janelões, logo, clareou o ambiente; Árion, o leopardo, saiu de algum lugar do enorme quarto da sua dona, que parecia mais uma sala de tão espaçoso. Com duas poltronas de cetim-vermelho uma ao lado da outra, um piano café próximo dos janelões, e uma lareira de permeio ás poltronas que crepitava. Árion se aconchegou mais para cumprimentar sua veterana, e, a princesa Stephanie, retribuiu dando umas acariciadas no seu focinho.

- ... Também senti saudades de você! O que você tem de tão importante para mim, guilda?

A princesa Stephanie encarou a rainha guilda ao se desagachar que admirou seu batom forte no espelho em arco em cima do console da lareira. Ela fez um olhar astuto para a outra guilda que o espelho refletirá, e dele viu sua irmã atrás com ar de preocupação.

- achou mesmo. - invectivou a rainha guilda quando a princesa Stephanie a viu por a mão em um objeto em cima do console. Ela se virou elegantemente devagar fitando a princesa Stephanie com olhos maldosos e penetrantes.

- que iria me ludibriar? - o exemplar do tabuletta tremendo em sua mão esquerda. Os olhos de Stephanie o percorrendo por toda direção em que ele se movimentava, no momento que a rainha guilda se aproximou dela.

- do que está falando Guilda? aonde você está querendo chegar?

- não se faça de ingênua!

A princesa Stephanie sentiu um tabefe no rosto e sua tiara se desprendeu se jogando no tapete. Lágrimas escorriam e manchavam o tapete vinho, e guilda revelava uma feição demoníaca cuja muitos a temiam. Ela fez questão de esfregar o exemplar do tabuletta no rosto da princesa Stephanie que soltou um suspiro embargado, ela olhou bem para o retrato preto e branco de pessoas num gazebo, fotógrafos e colunistas ao lado aglomerados e uma anciã sorridente para ela. E que a reconheceu: Elizabeth Lilian.

- malditos paparazzis. - sussurrou ela dando mais soluços. Mas a rainha guilda não se importou. - Pierre tinha razão, eles destrói suas vidas...

- Ah. - Exclamou a rainha guilda em tom de surpresa e descaramento. - Quer dizer que o Pierre está envolvido nas suas tramóias? humm... Fascinante!

- NO-NAO GUILDA. - Choramingou a princesa Stephanie desatando mais soluços, quando percebeu a intenção da rainha guilda ao jogar o exemplar no soalho e se dirigir as portas. - O-O PIERRE, ELE NÃO TEM NADA HAVER...

Contudo, já era tarde demais, pois que sua irmã já teria atravessado o outro lado. Ela recolheu o tabulleta com firmeza, enxugando seu rosto no antebraço, e ajeitando sua tiara na cabeça, logo parou seus olhos no artigo destacado numa coluna ao lado d fotografia.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Contém aqui o que acharam. Obrigado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...