História O Coração de um Espírito - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Hetalia: Axis Powers
Personagens Alemanha, América (Estados Unidos da América), Áustria, Canadá, China, Espanha, França, Germania, Império Romano, Inglaterra, Itália do Norte "Veneziano", Itália do Sul "Romano", Japão, Polônia, Prússia, Rússia, Sacro Império Romano
Visualizações 16
Palavras 932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo! Gente! A quanto tempo! Antes de começar e você querer me xingar por demorar tanto, devo dizer que estou desapontada comigo mesma…
Era pra isso sair domingo! Mas, algumas coisas na minha escola aconteceram e os dias se prolongaram só um pouquinho. ( O que posso dizer? Sou completamente humanas… )
Bem, agora que minhas aulas acabaram eu vou atualizar as histórias com mais frequência. Desculpa o enrolamento, felicidades! Você adquiriu um novo capítulo! (☞ ಠ_ಠ)☞

Capítulo 7 - Interrogatório


Alfred Pov on





No helicóptero do Francis com aquele cara que resgatamos na floresta, atualmente estou IMPLORANDO POR MISERICÓRDIA  dentro de mim. Sinceramente, por que todos sentem medo dele? Por que ele é grande coisa? Quero dizer, medo e paranóia são palavras fracas para descrever o estado psicológico aparente em que o francês de encontra. Gostou das palavras complicadas? (。•̀ᴗ-)✧ As únicas pessoas não incomodadas é eu por não estar entendo o que caralhos tá acontecendo aqui, e o Gilbert que mais feliz não pode tá.







* Quebra de tempo *





Eu não me lembrava do caminho ser tão longo… ainda nem conseguimos VER a base! Enquanto isso eu estava pensando em uma maneira de passar o tempo, e agora estou refletindo novamente sobre esse cara,  particularmente não gosto de julgar um livro pela capa, mas vamos ver esse Super - Assassino - Maléfico ou como o tratam. Nota 1- A cor da pele, dos olhos e dos cabelos é idêntico aos do Ludwig, quem diria não é mesmo? Nota 2- Gilbert está constantemente o abraçando, e é o único que parece ter uma ótima amizade com esse ser, estranho, muito es- espera. Esse aí no chão é o Arthur?


Arthur: Ah! Finalmente chegaram! Já estava pensando que se perderam na floresta ou algo… assim… a - assim…


Apenas deu uma olhada pro francês , e como se fosse telepatia ele recebeu a mensagem e completou com um sério aceno de cabeça e um grave " É ele ". Segundos depois me vejo escoltando esse cara pro porão da base, ele é amarrado no centro da sala e começa um confuso interrogatório.


Arthur: Nome?

???: Germania.


Tanto o Arthur como o Francis tremem, e o sorriso de Gilbert ganha mais brilho.


Arthur: Er… bem, isso não é possível entende? O senhor está dado como morto-

Germania: Querem saber porque eu tô aqui?



Arthur: Poderia dizer?



Germania: Se eu soubesse já teria dito, homens como eu quando ganham missões são diretos sabia?

Arthur: O - okay…?

Francis: Olha, parece que está difícil tanto pra você quanto para nós, então pode facilitar contando tudo o que já passou?


Eu nunca vi o Francis tão bravo e nervoso.


Germania: Ora ora, finalmente alguém aqui é apto pra perguntar… ok, vou contar tudo. Não é revelador, eu apenas acordei amarrado naquele exílio e fiquei por muito tempo.

Francis: Por quanto tempo?

Germania: Se vocês forem mais inteligentes que esse loiro de barba, devem ter pensado que eu não tinha um bom mecanismo pra medir o tempo, mas eu acho que acordei na virada do ano, tinha um baralho de festa no fundo e era uma comemoração grande.


Arthur: Espera, estamos no mês 5.

Germania: E…?

Arthur: Você sobreviveu sem nada por cinco meses?

Germania: Sim, sou forte, por quê?



Arthur: ISSO É MUITO PERIGOSO CONSIDERANDO QUE SEU CORPO NÃO TEM OS MESMOS PODERES DE UM PAÍS/NAÇÃO COMPLETO!

Germania: Mas eu tenho, apenas não é direto.

Francis: Huuuuum, será isso que trouxe ele de volta?

Arthur: Bem pensado.

Germania: Olhe, estamos andando em círculos, existe outra coisa que deseja arrancar de mim?



Francis: Nã-

Arthur: Você… você conhece a Britânia?

Germania: Huh? Ah sim! Aquela mulher nunca teve uma boa participação, até tinha colônias romanas, mas a melhor parte mesmo foi quando a minha filha Anglo - Saxon invadiu… ela… 



Germania: Você era um dos filhos dela não é?

Arthur: Sim…

Germania: Oh querido, você foi tão mencionado nas cartas dela pra mim.

Francis: Espere, quantos filhos tem?

Germania: Bem, na verdade meu povo é uma bagunça, e Germania foi só o nome para o geral de tudo, simplificado obviamente pelos romanos… Eu sou um amontoados de tribos, então… talvez, só um pouco mais de dez?

Francis e Arthur: O QUE-

Germania: É claro, a maioria eu abandonei, então criei apenas cinco ou seis, e apenas dois deles foi concebida de maneira sexual.






Alfred Pov off








Narrador Pov on





Se agitando como uma criança na sala, Alfred levanta seu braço e balança pra chamar a atenção da antiga nação a sua frente.


Alfred: Já que tudo foi descoberto no mundo, países se tornaram inferteis desde as grandes navegações, como funcionava a " gestação " ?

Germania: Ah, bem, geralmente acontecia quando você conquistava um lugar, onde seria o novo país. Como os humanos, você não sabia se estava esperando uma criança ou não, apenas começava a sentir enjôos e só quando vomitava um líquido negro você sabia que teria uma família, tanto nações homens quanto mulheres podiam gerar, e não carregavamos eles na barriga, era mais místico. Já o jeito sexual era quando uma nação homem e mulher, homem e homem ou mulher e mulher, por meio de um ato sexual gerava outra nação, não importava o sexo, pois, 1- Nossos corpos são diferentes dos humanos e 2- Isso era apenas uma representação dos nossos próprios povos se mesclando em um lugar específico. Esse tipo de reprodução na maioria das vezes é falha.

Alfred: Uau, então já passou muito bebê pelo seu braço.

Germania: Eu já disse, a maioria eu abandonei.

Francis: Mentiroso.

Germania: O que disse?

Arthur: D - desculpe ele! Ainda está assustado por ter seu território invadido!-

Francis: Eu sei que você empurrou alguns deles pra fora.-

Arthur: DESCULPE, ELE NÃO DISSE NADA!

Germania: Huh, ok.







* Quebra de tempo *







Germania: Então, aonde vão me deixar?

Gilbert: Minha ca-

Francis: GILBERT! JÁ CONVERSAMOS ISSO!

Gilbert: Sim, ele é meu pai e eu quero o melhor pra ele, foi isso o que eu disse. Ele vai pra minha casa, conversar com meu irmão, brincar com os meus cachorros e comer na minha cozinha como uma família. E antes que você fale alguma coisa eu já estou pegando um helicóptero pra voltar, com lugar apenas pra dois.

Francis: ECOUTER ICI-






Notas Finais


Acabou! Eu não vou demorar muito nessa conclusão, se tiver alguma dúvida me chame.
Nem preciso dizer pra prestar nas partes destaque não é? Elas vão ser importantes para o futuro e teorias, além de ser a visão mais " distorcidas " do que os países estão sentindo, pense nisso.


Tradução:

Francês:

ECOUTER ICI-: OUÇA AQUI-


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...