1. Spirit Fanfics >
  2. O crime em El Paso. >
  3. Routine resumes.

História O crime em El Paso. - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Sei que estão ansiosos pro Justin e a Aninha ficarem juntos, mas tenham calma, isso irá acontecer no momento certo. Eu também estou ansiosaaaa.


◾◾◾◾◾◾◾◾

Ótima leitura! ♥🌸

Capítulo 15 - Routine resumes.


Ana Stewart.

Estava tão gostoso o lugar em que estou dormindo que não queria acordar tão cedo...

Até que abro os olhos e percebo que estou no banheiro e deitada no peitoral do Justin.

— Justin? – Pensei alto, e levantei do seu peito rapidamente.

Ele se mexeu até que abriu os olhos, se assustando em seguida.

— O que está fazendo aqui?

Revirei os olhos.

— Eu que pergunto, o que estamos fazendo aqui?

Parei pra pensar e comecei a lembrar que a gente ficou sentados no chão, esperando alguém abrir a porta, então devemos ter caído no sono.

— Que horas são?

— E por acaso eu tenho cara de relógio? – Me levantei e comecei a bater na porta. – ABRAM AQUI, VOCÊS MORRERAM?

— Todo mundo deve estar dormindo – ele se levantou – vou ter que arrombar.

Justin ficou de costas pra mim, e eu pude perceber seus músculos definidos. Não posso ser hipócrita em dizer que ele não é gostoso.

Afastei tais pensamentos rapidamente.

— Se afasta. – Avisou e assim fiz.

Justin começou a arrombar a porta com os pés, até que finalmente a porta caiu ao chão.

— Oh glória. – Falei.

— Amém irmã.

Acabei rindo e ele também.

— Agora sai que preciso mijar. 

Fiz careta e saí do banheiro. Não acredito que passei a noite inteira presa com ele.

Abri a porta do "meu" quarto, e Gabi estava dormindo feito pedra. O que eu vou dizer pra ela? Que passei a noite inteira trancada com o cara que ela pega, no banheiro? Isso seria meio estranho. Fechei a porta e voltei pro banheiro, vendo Justin lavando o rosto na pia.

— Justin?

Ele suspendeu as sobrancelhas.

— Que é?

— Não conta pra Gabi que passamos a noite trancados no banheiro, tenho medo dela pensar besteira.

— Tranquilo.

— Sobre a porta o que diremos?

— Deixa comigo.

Dei de ombros e voltei pro quarto. Fui pro banheiro e entrei dentro do box. Liguei o chuveiro e em seguida senti a água fria tocando na minha pele quente.

Quando terminei, coloquei um short de pano mole e uma regata preta. Limpei meu rosto com demaquilante, tirando todos vestígios da maquiagem de ontem. Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo e acabei de me arrumar.

Estava deitada na cama e mexendo no celular, até que Gabi acordou.

— Bom dia. – disse sonolenta – nossa, que dor de cabeça.

— Quer remédio?

— Com certeza.

Peguei um remédio na minha bolsa e a garrafinha de água e dei pra ela.

— Obrigada. Onde você estava ontem? Você sumiu.

Ela tomou o remédio.

— E-eu nem me lembro. – cocei a nuca – Vamos tomar café?

— Vou tomar um banho antes, pode ir.

— Tá bom.

Me levantei e saí do quarto. Estava agoniada por ter mentido pra ela, mas eu não fiz nada de errado, certo?

Entrei na cozinha e a única pessoa  presente era o Justin, pra minha infelicidade. Em seu prato continha dois mistos, ele devorava o terceiro.

Passei por ele e abri a geladeira, procurando por algo que matasse a minha fome, mas não tinha nada do meu agrado. Bufei, e quando ia voltando pro quarto ele me chama.

— Que foi?

— Senta aí e come um misto.

Ele apontou pro misto em seu prato.

— Não precisa.

— Para de frescura e vem logo comer que sei que está com fome.

Franzi o cenho e acabei soltando um riso. Eu estava mesmo com fome.

Me sentei e peguei um misto de seu prato.

— Não tá com veneno não né? – Provoquei.

— Engraçadinha. – Falou de boca cheia.

— Mal educado. – Mordi um pedaço do misto.

— Folgada.

O misto estava até gostoso.

— Bom dia... Vocês? – Ryan apareceu na cozinha e nos olhou de cenho franzido – vocês não se odiavam até ontem? – Deu risada.

— Ainda se odiamos. – Falamos em coro.

Ryan negou com a cabeça e foi até a geladeira, onde pegou a jarra de água.

— Onde estavam ontem a noite? De repente os dois sumiram.

Engoli o seco e olhei pro Justin, que me tranquilizou com o olhar.

— Eu bebi demais e acabei dormindo atrás da casa.

Ryan gargalhou.

— E você Ana?

— Eu acabei ficando presa no banheiro e tive que arrombar a porta.

— Oh meu Deus, sério? – Ryan perguntou com pena.

— Sim. – Entortei a boca.

— Me desculpe por isso, eu devia ter concertado aquela porta.

— Com certeza. – Justin retrucou.

— A culpa não é sua. – Sorri gentilmente e acabei de comer o misto.

Observei que Justin revirou os olhos e eu não entendi o porquê. Levei o prato até a pia onde lavei, e após dei um beijo no rosto do Ryan, que sorriu. Saí da cozinha e fui pra frente da piscina, observando que o sol não iria aparecer hoje. As nuvens estavam se formando pra chover, justo hoje que vamos embora.

Justin Bieber.

Estava sentado no sofá, até que Luna apareceu e se jogou ao meu lado.

— Pode me dizer onde o senhor estava ontem, Justin Bieber?

— Onde mais eu estaria? Na festa ué.

— Justin, você pode enganar a qualquer um, menos a mim. Engraçado que a Ana também sumiu, que coincidência né?

Luna era muito esperta e ela me conhecia muito bem pra saber quando eu estava mentindo. Bufei, sabendo que não tinha jeito a não ser contar toda a verdade.

— Essa situação é muito estranha – gargalhou – tenho certeza que no fundo vocês sentem alguma atração um pelo outro. – Disse após eu contar o que aconteceu.

— Você endoidou foi? Nunca que sentiria atração por aquela insuportável, não viaja.

— Justin, onde existe ódio, existe amor.

— Por isso não queria te contar, sabia que iria começar a me infernizar.

— Não sei porque está mentindo pra si mesmo, mas tudo bem. – Ela se levantou. – Vou logo arrumar minhas coisas e você deveria fazer o mesmo.

— Daqui a pouco eu vou.

Luna saiu da sala, me deixando sozinho e em paz.

Eu jamais sentiria algum tipo de sentimento por aquela patricinha. Isso estava fora de cogitação.

...

Todos estavam presentes na sala, assistindo "As branquelas" e comendo pipoca. São quatro horas da tarde, e às cinco a gente vai embora.

— Ai gente, não queria ir embora. – Ângela comentou. Eu também não queria pra falar a verdade.

— Nem eu. – Todos responderam em coro, incluindo eu.

— Devemos marcar de vim aqui mais vezes. – Luna sugeriu.

— Podem deixar comigo. – Ryan falou de boca cheia.

Quando o filme acabou, todos pegaram suas mochilas e colocaram nos carros.

— Vou sentir saudades. – Gabi disse, me dando selinhos em seguida. Estou encostado no meu carro, e ela em minha frente.

— Eu também morena.

— Adorei passar o final de semana contigo.

Sorri e a beijei.

Ela me abraçou e entrou no seu carro. Ana estava se despedindo do Ryan com beijos e abraços e após ele sair, me olhou de relance e também entrou no carro.

— Desse jeito as pessoas vão perceber em. – Luna apareceu do meu lado e eu franzi o cenho.

— Perceber o quê?

— Precisa mesmo eu dizer?

Ignorei e abri a porta do passageiro. Entrei e me joguei no banco. Luna se sentou no da frente e Ryan também entrou, ocupando seu espaço no banco do motorista.

O carro da Gabi tomou partida e depois o da Ângela também. O último foi o de Ryan.

E a rotina iria começar novamente. Pensei.

 


Notas Finais


O que estão achando? Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...