1. Spirit Fanfics >
  2. O crime em El Paso. >
  3. Truth or Dare?

História O crime em El Paso. - Capítulo 33


Escrita por:


Capítulo 33 - Truth or Dare?


Fanfic / Fanfiction O crime em El Paso. - Capítulo 33 - Truth or Dare?

Estava encarando o teto e pensando sobre todas essas coisas que fodiam a minha mente, até que vejo Ryan acordando ao meu lado.

— Acordou filho da puta? – Brinquei e ele me mostrou o dedo do meio.

— Ai mano, me sinto cansado pra caralho.

O rosto de Ryan estava amassado e inchado, o deixando engraçado.

— E aí, quando iria me contar dos seus rolos com a Rafa?

Ele franziu o cenho e se sentou na cama.

— Que rolo?

— Não precisa mentir pra mim Ryan, não confia mais no seu parceiro não?

— Não estou entendendo, eu não tenho caso nenhum com a Rafa.

— Vai dizer que não foi você que deixou aquele chupão enorme no pescoço dela no dia seguinte da festa?  – Gargalhei ironicamente.

— Não!

Ryan demonstrava confusão no olhar e eu parei de rir.

— Se não foi você que deixou, quem foi?

Encarei o Ryan e ele também me encarou. Pensamos por alguns longos segundos e arregalamos os olhos.

— Será? – Perguntou.

— Caralho, será?

Começamos a rir.

— Por isso a Luna também passou por mim feliz da vida. – Falei, me lembrando.

— Porra, a Luna tá batendo bife?

O jeito que Ryan falou me fez rir.

— Por que ela escondeu isso de nós?

— Talvez por medo da nossa reação, sei lá. – Respondeu, dando de ombros.

— Acho isso besteira, se ela se sente feliz pegando mulher, o que é que tem?

— Também acho. Vou falar com ela depois.

— Acho melhor não, quando ela se sentir segura de falar, ela nos conta.

— Mas fala aí, e você e a Ana?

— O que tem?

— Já resolveram essa situação fodida de vocês?

Ryan se levantou e foi ao banheiro.

— Pra falar a verdade, a gente se pegou novamente.

Ele começou a rir alto e eu revirei os olhos.

— Mano, vocês estão tão fodidos.

— Pare de rir da nossa desgraça.

Ele voltou do banheiro escovando os dentes.

— Mas é sério. Vocês não vão conseguir contar a verdade pra Gabi, o que consequentemente vão ficar com a consciência pesada.

— Ryan, você definitivamente não está ajudando. – Bufei e cocei a nuca.

— Só tô falando a verdade brô – voltou pro banheiro e escutei a torneira da pia sendo ligada – é melhor vocês decidirem o que vão fazer enquanto não estão totalmente apaixonados um pelo outro.

Fiquei calado, refletindo nas palavras de Ryan. Sentia que minha mente ia explodir, e tudo isso por conta daquela loira.

Como eu vou chegar pra Gabi e falar: "Gabi, a partir de hoje a gente não se pega mais, eu estou afim da sua irmã."

Eu me encontro numa situação fodida, como diz Ryan.

...

A noite surgiu, e pela janela do quarto observava o céu estrelado. As ondas do mar estão intensas, assim como a brisa.

Passei a tarde inteira trancado no quarto e pensando sobre o que iria fazer, mas não cheguei a nenhuma conclusão. Decido tomar um banho antes de descer pra sala.

Com as mãos dentro dos bolsos de meu moletom vermelho da nike, descia as escadas e já podia ouvir vozes vindo da sala. Ao entrar no local, vejo todos rindo e conversando. Ryan e Gabi estavam sentados no enorme tapete cinza felpudo, já o resto, no sofá. Ana olhou pra mim assim que dei mais alguns passos e eu a olhei também. Desviamos nossos olhares rapidamente, fazendo-me suspirar.

— E aí mano, de boa? – Ryan sussurrou e eu assenti. Me sentei ao seu lado e mais uma vez olhei pra ela, que observava a Rafa falando. Como pode ser tão linda?

Balancei a cabeça rapidamente, como se pudesse afastar tais pensamentos.

...

Todos estavam bebendo vinho, exceto eu. Depois do dia que fiquei bêbado, quero ficar longe de bebida alcoólica, álcool definitivamente não combina comigo.

Todos riam por besteiras e conversavam sobre assuntos aleatórias. Uns estavam mais alterados que outros, e eu só observava e as vezes ria também.

— Vamos jogar verdade ou desafio? – Gabi perguntou animada e eu já previa a merda que isso daria. Esse jogo pra adultos é uma cilada.

— Vamos! – Todos responderam animados, menos eu, que fiquei calado.

— Vamos pra cozinha. – Luna disse e se levantou do tapete.

— É hoje que tu se fode irmão. – Ryan sussurrou em meu ouvido e gargalhou, dando tapinhas em minhas costas. Neguei com a cabeça e bufei.

Fomos pra cozinha e todos ficaram em pé diante da mesa. No meio dela, Luna colocou a garrafa de vinho vazia e começou a girar.

A ponta da garrafa parou pra Rafa e a Gabi tinha que fazer a pergunta pra ela.

— Verdade ou desafio? – Gabi perguntou sorridente.

— Verdade. – Colocou suas mãos na mesa e encarou a Gabi.

— É verdade que você curte mulheres?

O silêncio tomou conta da cozinha e percebi o nervosismo no olhar da Luna. Qual a necessidade da Gabi perguntar isso? Será que ela já descobriu?

— Verdade. – Rafa respondeu com um sorriso debochado no rosto.

Rafa colocou a garrafa pra girar e quando ela parou, seria a vez da Luna perguntar pro Ryan.

— Ryan, meu queridinho amigo – seu tom sarcástico fez todos rirem – verdade ou desafio?

— Desafio, bebê. – Respondeu em um tom desafiador.

— Eu desafio você a lamber a sola do meu pé esquerdo.

— Eca! – Falei com nojo. Todo mundo começou a rir e dizer o quanto era nojento.

— Eu te odeio sua pirralha. – Ryan resmungou e foi até a Luna. Ela colocou a perna em cima da mesa e Ryan suspirou fundo, tomando coragem pra lamber. Ele chegou perto da sola do pé e encostou a ponta da língua com cara de nojo. Eu não conseguia parar de rir com a cena ridícula.

— Tá bom, tá bom, tá me fazendo cosquinhas. – Luna disse entre risos e Ryan parou, em seguida correu pra pia onde abriu a torneira e lavou a boca.

— Vai ter vingança sua porca. –  Disse ele, ao voltar pra perto da mesa.

— Sem ressentimentos, migo. – Ela debochou.

Ryan girou a garrafa e ficamos esperando por ela parar. A mesma começou a girar lentamente, quase parando, e todos prestavam atenção. Quando ela parou, engoli o seco. O Ryan tinha que perguntar pra Ana.

Merda.

— Verdade ou desafio, Ana?

"Fala verdade, fala verdade, fala verdade." Minha mente grita.

— Desafio.

Porra.

— Eu desafio você a dar um selinho no Justin.

Todo mundo calou a boca. Eu só queria socar a cara do Ryan até quebrar todos os seus dentes. Olhei pra Gabi que deu risada e eu fiquei sem entender nada.

— Vai Ana, é só um selinho. – Gabi incentivou e eu fiquei de queixo caído.

Ana estava do outro lado da mesa, encostada na mesma. Ela deu alguns passos até ficar ao meu lado e eu fiquei surpreso. Talvez seja pelo fato de estar alterada que teve tal atitude.

— Vai gente, se beijem logo. – Luna disse sorridente.

Me virei pra frente dela e encarei seus belos olhos claros. Ela mordiscou rapidamente os lábios, como se estivesse nervosa, e lentamente encostamos nossas bocas. Demos três selinhos e nos encaramos por alguns segundos.

Caralho, eu queria mais. Queria colocar ela em cima dessa mesa e fazer muito mais.

Ela voltou pro seu lugar e o clima ficou estranho. Gabi parecia não estar com ciúmes, o que me surpreendeu, Ryan segurava o riso, Luna estava sorridente, já a Rafa demonstrava confusão no olhar.

— Bom gente, acho que já vou indo. – Falei, pois sabia que essa brincadeira iria ficar pior.

— Eu também. – Ana disse, coçando a nuca. Será que a ficha dela quanto a isso que acabamos de fazer, caiu?

— Então é melhor todo mundo ir dormir. Amanhã é o nosso último dia aqui e temos que aproveitar bastante. Vamos descansar. – Rafa falou e todos concordaram.


Notas Finais


Continua babys?

Comentem o que acharam do trailer lá no YouTube ( eu que fiz, não sou profissional ksksksks) e dêem um like se gostaram! Ah, se increvam no canal também!!! Amo vocês, um super beijo. ♥

Link do trailer: https://youtu.be/mQHKN6H2mAg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...