História O Cristal - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Jamon, Keroshane, Leiftan, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Visualizações 42
Palavras 1.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - O Julgamento


A escuridão predominava naquela sala bastante húmida e vazia. Alyssa não via a luz do sol há já 5 dias pelas suas contas...maa não tinha como ter certeza disso. A refeição que tomava ali naquele lugar era do mais simples e pobre que havia. De manhã era recorrente lhe ser dado pão duro de dias anteriores e um jarro de água, para meio do dia apenas era depositado mais um pão duro e jarro de água, um queijo cheio de bolor e uma maçã pequena que era o único alimento que era comestível. Eram as únicas refeições que lhe era dadas, no final do dia só lhe era entregue um restante de jarro de água. 

De resto ela não sabia de nada do que se passava no exterior. Quando os guardas da prisão se aproximavam da sua cela ela tentavam comunicar com eles, perguntando o que se passava e se podia ver Miiko. Nenhum deles alguma vez respondeu, estavam claramente sob um voto de silêncio para com ela. Ordens de Miiko com certeza. 

Por um lado, Alyssa se mostrava arrependida de ter falado a verdade para os Guardiões. Ela tinha acabado com a sua vida tanto com a Guarda de Eel tanto com o Homem Mascarado. Mas por outro lado, ela tinha feito a coisa certa. Ela não era capaz de continuar essa farsa com os guardiões que a acolheram bem e que depositavam muita confiança nela. Especialmente Nevra...ele não merecia essa minha máscara...

Tudo o que sabia do exterior era que haveria um julgamento pelos seus atos de traição. E quantos eram afinal? Finalmente, naquela mesma manhã em que Alyssa contemplava a sua cela escura e húmida um ser se aproximou da cela e abriu a porta.

VALKYON- Vamos Alyssa. Está na hora de enfrentar o seu julgamento. - disse sem piedade alguma.

Ela não teve coragem de enfrentar o olhar gélido de Valkyon apenas utilizou as suas funções motoras para se deslocar para fora da cela. Ainda nem se tinha dado conta do seu estado lastimável. O seu vestido estava completamente empoeirado, o seu manto manchado e o seu cabelo sem jeito nenhum. Mas isso não importava na altura. Ela só queria ter uma última oportunidade para provar a sua inocência. E como vou fazer isso mesmo? Afinal...eu sou mesmo culpada de tudo. Pelo menos ela iria tentar apaziguar as coisas, tentar pelo menos não ser condenada à morte.

Entrou na sala do cristal e toda a Guarda de Eel estava presente como nunca antes. Parecia o evento do ano. Todas as Guardas ali reunidas em estratos montados de propósito para o julgamento. Os líderes das Guardas estavam no centro da sala junto ao cristal, sentados em estratos distintos. No entanto a representar a Guarda Reluzente não estava Miiko mas sim um homem loiro de olhos azuis bastante bonito e parecia o único ser da sala sorridente. Quem comandava o julgamento era claro, Miiko.

MIIKO- Guardiões! - todos se levantaram - Estamos aqui reunidos para julgar essa mulher - apontou para Alyssa fazendo com que todos os Guardiões olhassem ela - A acusada é Alyssa da Região da Escuridão, Feiticeira da Sombra. Ela é acusada pelo crime de traição aos guardiões do Cristal. Se aproxime Feiticeira.

Muito calmamente Alyssa começou andando em direção ao estrato mais elevado onde estava uma marca no chão que determinava o ponto onde deveria ficar durantw o julgamento. Durante a sua caminhaca observou cada um dos membros das Guardas de Eel. Uns a olhavam tristemente já a maioria a olhava cheia de raiva e desilusão. Tudoaquilo era um misto de sentimentos. Quando se aproximou do estrato ela olhou os líderes guardiões. Ezarel a olhava com um ar divertido mas ao mesmo tempo muito sério. Nunca o tinha visto tão sério na vida. Já Valkyon permanecia como uma estátua sem transmitir as emoções que sentia sobre Alyssa. Nevra...Nevra a olhava com uma desilusão extrema completamente abatido com o sucedido. Nunca o tinha visto tão sério e melancólico. O outro homem loiro que substitua Miiko entendeu que Alyssa observava os juizes e retribuiu o olhar para Alyssa mas um olhar um tanto diferente...ela poderia jurar que ele lhe piscou o olho.

MIIKO- Alyssa, Feiticeira da Sombra. Você está aqui perante uma acusação de traição para com a Guarda de Eel. - disse se sentando novamente fazendo com que todos os outros o fizessem também - Vamos começar. É verdade que está sob a liderança do Homem Mascarado?

ALYSSA- Estive sob a sua liderança...Já não estou.

MIIKO- Ai sim...E o Homem Mascarado sabe disso? Dessa sua desobediência e descrença? 

ALYSSA- Não tive oportunidade de relatar. Como sabe estive presa nesses dias.

MIIKO- Não seja por isso Alyssa. Eu proponho que escreva uma mensagem para o seu...antigo mestre... - mostrou uma mesa com papel e tinta - Venha e escreva essa suposta verdade.

Sem exitar Alyssa escreveu rapidamente a mensagem. Ela sabia que aquilo era a sua sentença de morte. Que venha o Carrasco. Se aquela mensagem fosse lida pelo Homem Mascarado ele rapidamente enviaria uma equipe especial só para a matar. Mas tinha de se manter fiel a ela mesma. Terminou de escrever e se levantou sempre com a cabeça erguida mostrando confiança e determinação nos seus atos.

MIIKO- Muito bem. Agora leia essa mensagem antes de enviarmos uma ave.

ALYSSA- " Mestre. Alyssa Feiticeira da Sombra lhe escreve para informar da minha derradeira decisão. Não me identifico com a missão que me foi atribuída nem me identifico com a sua causa que julga ser a única e verdadeira. Sei que não vai me perdoar por essa deserção mas não posso continuar a compactuar com atos com que não me identifico. Nunca mais conte comigo."

MIIKO- Muito bem. Kero! - ele se aproximou do estrato - Envie a mensagem através de uma ave...e das mais rápidas e eficientes por favor. - ele abandonou a sala com a mensagem e Miiko continuou - Agora...Os nossos juízes tem perguntas a fazer para esclarecerem as suas duvidas...Ezarel?

EZAREL- Como lider da Guarda Absinto pretendo fazer a seguinte pergunta. Todas as missões que realizou ao nosso serviço o fez verdadeiramente ou apenas para ganhar a nossa confiança?

ALYSSA- As primeiras missões foram para ganhar a vossa confiança admito. Mas as mais recentes foram feitas verdadeiramente.

NEVRA- Isso é mentira! - falou Nevra de repente - Como explica a mentira que nos contou no Bosque Taciturno em relação ao pó negro?

ALYSSA- Eu...tive dúvidas eu não sabia se deveria...

NEVRA- Para mim está claro. Ela é uma traidora!

VALKYON- Ela nos enganou dizendo ter perdido a memória, dizendo ser completamente inocente. Para mim também está claro. Culpada.

EZAREL- Culpada. 

MIIKO- Muito bem então...

XXX- Miiko! Eu ainda não tive oportunidade de falar! - disse o homem loiro - Pelo que sei essa senhorita por mais traidora que fosse...contou toda a verdade para vocês. Não acham que está arrependida dos seus atos?

MIIKO- O que você está falando Leiftan?

LEIFTAN- Além disso ela foi escolhida pelo Cristal. Ela tem a marca. A marca da Salvadora. E no entanto querem condenar à morte a Salvadora do Cristal.

MIIKO- Isso é um erro! Ela queria destruir o cristal antes, não salvá-lo!

LEIFTAN- Não é justo ela ser morta quando nos pode ser util no futuro Miiko. Você quer mesmo desobedecer às vontades do Cristal? - se levantou e ecuou pela sala inteira - Vocês querem todos que a Salvadora morra por ter cometido erros no passado?! Querem nos condenar a todos?! - ninguém comentou nada nem respondeu todos apenas assentiram com a cabeça.

MIIKO- Tudo bem Leiftan...Não vamos matá-la. Alyssa Feiticeira da Sombra você está condenada ao exílio. Nunca mais poderá entar no QG até ordem em contrario. Fim da sessão! 

Os Guardas que a rodeavam a acompanharam até o seu quarto. Ela arrumou todas as suas coisas e partiu. Assim que pisou fora do QG todos a abandonaram ali. Estava completamente sozinha. Pelo menos estava viva. Para onde ela iria ela não saberia dizer. Só conseguia pensar em porque Leiftan a apoiou tanto...E o que significa isso de Salvadora?






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...