1. Spirit Fanfics >
  2. O Crush da Faculdade >
  3. House Party

História O Crush da Faculdade - Capítulo 1


Escrita por: histae

Notas do Autor


Olá!
Originalmente escrita em 2019, decidi reescrever a fanfic para acrescentar detalhes e também para corrigir alguns erros ortográficos. Quando publiquei essa fanfic, eu tinha em mente que ela fosse apenas uma one-shot, mas depois de tantos pedidos de leitoras para uma continuação eu fiz. E depois que conclui ela eu me apeguei muito ao plot, então agora eu venho trazer uma versão melhorada dela.

Espero que gostem!

Capítulo 1 - House Party


Fanfic / Fanfiction O Crush da Faculdade - Capítulo 1 - House Party

Tudo bem que eu tenha visto ele só algumas vezes aqui na faculdade, mas não tem problema se por acaso a gente ficar, tem? 

Namjoon é o tipo de homem que você se derrete ao perceber cada qualidade que ele tem. – e quanta qualidade… – O cara é alto, tem um corpo bonito e levemente trabalhado, tem covinhas e um sorriso fofo apesar de parecer um ator pornô. – Pediria desculpas se ele achasse que isso é uma ofensa. – 

Quando eu cheguei a faculdade, já vim ciente de que eu teria crush em vários rapazes, mas nunca passou pela minha cabeça que eu teria a chance de ficar com um deles. Eu não era do tipo que partia para cima, somente ficava comentando com algumas amigas e imaginando em minha cabecinha fértil as mil e uma maneiras como pegaria o "felizardo" que mexeu com meu psicológico e com meus hormônios. Mas, desta vez aconteceu.

Sim, e por incrível que pareça, não poderia ser mais clichê pois isso aconteceu em uma House party. Sabe como foder a vida de alguém? Isso mesmo, em um rolê. Um rolê que no primeiro momento pode parecer inofensivo. Você só vai beber para liberar um pouco do estresse, fofocar com suas amigas e paquerar uns caras gatinhos, sem pretensão de realmente ficar com eles. 

Mas lá estava eu, com um vestido preto acima do joelho e meio decotado, cabelos encaracolados graças ao babyliss –que peguei emprestado da minha irmã.– e um copo de uma batida de frutas com whisky. 

Depois de um tempo dançando, cansada de tentar baixar o vestido que insistia em subir até ficar acima das minhas coxas, vi Namjoon de longe, sorri ao perceber que o rapaz mordia o lábio inferior todas as vezes em que seu olhar percorreu todo meu corpo em menos de cinco segundos. Ele tinha gostado do que havia visto e eu não estava criando expectativas para uma foda, mas confesso que já não sabia se tinha apenas bebido a batida de frutas, pois eu também estava gostando do que estava vendo, não há nada mais gostoso do que se sentir desejada, admirada e o essencial agora, era deixar que tudo fluísse de modo leve, satisfatório e muito safado.

Namjoon pegou um copo de bebida e veio em minha direção com um sorriso ladino no rosto, galanteador passou a mão por seus cabelos e logo falou:

– Então, você veio mesmo? – ele mordeu os lábios, aproximando-se de mim.

– Claro que vim, garotas só querem se divertir no fim de semana. – respondi rente ao ouvido dele, mordendo o lóbulo alheio.

– Já que você está animada, vamos para um lugar mais reservado... – sussurrou Namjoon em meu ouvido e eu apenas o segui, ele havia segurado minha mão e estava me guiando pela casa do dono da festa, que possivelmente seria seu amigo. – Este é o melhor quarto da casa e adivinha quem vai transar pra caralho nele hoje?

– Nós dois? – falei me jogando na cama e começando a levantar a barra do meu vestido, fazendo o maior trancar a porta e praticamente correr em minha direção.

– Bingo! – ele respondeu tirando a calça e se aproximando de mim, começando a beijar meus lábios com intensidade.

Namjoon começou a passar a mão pelas minhas coxas, indo até minha calcinha, massageando minha intimidade. Eu encarei o maior com um sorriso malicioso no rosto, contorcendo meu corpo de modo que os toques do homem fossem ainda mais prazerosos. Ele se aproximou mais, beijando meus lábios enquanto roçava seu volume em minha coxa, minha pele arrepiou, Namjoon separou-se e pegou a barra do meu vestido outra vez o tirando de meu corpo, ele levou sua mão até um de meus seios segurando firme a carne sensível da região, me fazendo gemer:

– Ah, Namjoon… Não seja tão malvado comigo… – ele sorriu malicioso percebendo minha provocação. 

Eu sabia que este era só o começo, meu coração bateu mais forte quando ele retirou o meu sutiã com voracidade, parando por alguns segundos para apreciar as aréolas dos meus seios, percebi o membro já ereto em baixo de suas roupas pulsar e eu desejei chupá-lo com tanto gosto que quase rasguei as calças que ele ainda usava, balancei meus seios fartos e bicudinhos, o convidando para mamar por alguns minutinhos. O maior sem mais delongas, caiu de boca em um dos meus mamilos e começou a sugá-lo com tanta intensidade que eu achei que gozaria naquele mesmo instante, segurei nos ombros  largos do maior começando a gemer um pouco mais alto pois aquilo me deixava muito excitada, apesar da música que tocava lá fora, no meio de tanta festa, garotas gostosas, dança e álcool; em nenhum momento ele tirou os olhos de mim. Isso me deixa louca. Aquilo foi a prova de que ele desejava o meu corpo a mais tempo do que eu suspeitava. E eu iria me aproveitar disso para brincar um pouco com o tesão deste homem. Com o autocontrole dele.

Ao parar de chupar meu seio, ele sentou na cama e fez sinal me chamando para ir até ele, eu fui de quatro, engatinhando e empinando bem a minha bunda para mostrá-lo que eu seria a cadela dele naquela noite. Me sentando no colo do maior e infelizmente, ainda de calcinha, roçando minha intimidade úmida contra sua masculinidade volumosa, senti o exato momento em que seu cacete pulsou, cravei minhas unhas em suas costas ainda protegidas pela camisa e pergunto manhosa:

– Precisa de alguma coisa, Namjunnie? – sorri maliciosa e o maior retribuiu o sorriso. 

– Eu quero que você me chupe! – ele falou segurando meu cabelo com um pouco de força, eu mordi meu lábio inferior, me levantando sobre os joelhos e esfregando os seios no rosto do maior, depois desço até sua virilha, fico de quatro empinando o bumbum.

– É assim que você quer? – perguntei com tom sexy e ele assentiu.

Comecei a abrir o zíper de sua calça, mas ele estava afoito, seu cacete estava tão duro que estava começando a ficar apertado ali, ele levantou e por um momento tive que segurar um gemido, o jeito imponente como ele se encontrava naquele momento, arrancando as calças de sua pele me levou a loucura, arfei pesado e abri a boquinha colocando a língua para fora, Namjoon que estava cheio de tesão, levou minhas mãos até a barra da cueca e ordenou: 

– Tire e faça seu trabalho como uma boa garota. – aquela voz grossa e arrastada fez a minha pele estremecer e ao tirar sua cueca, sem muitas enrolações, vejo o membro ereto e seguro o mesmo com uma mão começando a passar a língua no mesmo. Ouvindo-o gemer e jogar a cabeça para trás, se deleitando no puro prazer em que a minha boquinha agora lhe proporcionava.

Aos poucos, começo a colocar o pênis dele dentro de minha boca sugando o máximo que posso, enquanto massageava o restante da extensão que não conseguia enfiar dentro da minha boquinha, já que era tão pequena em comparação ao tamanho do cacete dele, fazendo o maior urrar de tesão, eu sabia que seu ponto mais sensível era a glande avermelhada, ao qual eu dava uma atenção maior ao chupar como pirulito. Ele estava no ápice e me avisou que gozaria, abri a boca fazendo cara de safada sem parar de masturbá-lo e logo senti o leitinho quente do mais alto invadir minha boca e algumas gotas salpicam pelos meus seios e escorrem. 

Ele sorri, mas ainda não está satisfeito, para ser sincera isso me alivia, pois eu também não estou satisfeita. O maior me pega no colo e abaixa minha calcinha, me leva até uma das paredes do quarto e me põe de pé lá, ele se ajoelha como um bom súdito em respeito a sua rainha e apoia uma de minhas coxas em seu ombro começando a beijar minha feminilidade úmida, eu sorri maravilhada com a cena e gemi, começando a rebolar bem lentamente contra o rosto de Namjoon. Logo a língua dele começou a deslizar pelo meu clitóris de forma precisa, arrancando gemidos mais intensos de minhas cordas vocais, estava manhosa e repleta de prazer, sabia que se ele continuasse assim, eu gozaria em seus lábios e porra... Era difícil achar um homem que fizesse um boquete tão gostoso assim em mulheres, eu tinha tirado sorte grande apesar de ter transado poucas vezes apesar de tudo. 

– Isso, Namjunnie! Continue assim, você tem uma boquinha e uma língua tão ágil... – gemi manhosa, apertando os fios de cabelo dele entre os meus dedinhos finos.

Ele enfiou dois dedos dentro de mim e começou a sugar meu clitóris de uma maneira absurda, eu chegava a ver estrelas. O barulho de sucção começou a ficar intensa e eu comecei a perder o restinho de sanidade mental que ainda tinha, passando de gemidos controlados, para gemidos altos. Ele riu e começou a se masturbar sem interromper o oral que fazia em minha buceta, eu gemi e em pouco tempo senti meu primeiro orgasmo fazer o meu corpo inteiro tremer e minhas perninhas falharem levemente. Me acariciei, começando pelos seios até descer pela cintura e o puxar pelos cabelos alheios. Ele não havia percebido que eu tinha gozado, então puxei seus fios e vi o rostinho dele todo meladinha com meu lubrificante natural. Sorri, admirando a imagem e falei com a voz rouca e manhosa:

— Hora de me foder, gracinha...

Sem perder tempo ele retira a minha coxa de seu ombro e levanta, me roubando um beijo lento, intenso, com direito a língua duelando para demonstrar quem fazia a massagem mais gostosa em quem, ele encaixa a glande em minha entrada, arfou e cravo as unhas em suas costas o sentindo roçar seu membro em minha intimidade já úmida, até demais.

Eu sinto um tesão imenso ao ver que ele estava me provocando, apoio meus braços em volta do pescoço dele, que me suspendia do chão enquanto me prensava na parede, ele penetrou todo seu membro dentro de mim, me fazendo gemer alto. Nossos olhares intensos se cruzaram, eu rebolei duas vezes e fui interrompida. 

Pois ele começou a estocar tão forte e tão gostoso que eu tive a certeza que aquela transa, era a melhor que eu já tinha feito.

Começamos a nos beijar de novo, com desejo e intensidade, mas apesar de estar bêbada, eu sentia que um alerta vermelho piscava la no fundo da minha consciência, arranhei as costas do maior com mais força quando lembrei e sussurrei no ouvido dele:

– Esquecemos da camisinha... Precisamos usar...

Ele sorriu e me colocou no chão, foi até a gaveta e tirou uma camisinha, colocando a mesma em si… eu fui até a cama e me deitei nela, abrindo minhas pernas, o chamando com o dedo indicador. O rosto dele estava de uma forma tão sexy... eu sabia que ele me desejava, Namjoon veio por cima, se encaixando entre minhas pernas, começando a me foder novamente e com muita força. Seus olhar sempre se cruzando com o meu enquanto seus quadris fortes se chocavam contra os meus, alguns beijos intensos, chupões marcados em ambos, gemidos e eu acabei gozando e depois de alguns minutos ele também. Se não fosse pelo barulho da festa, nós iríamos dormir juntos e suados, porém assim que acabamos de foder. Nos vestimos e saímos dali.

Por ter sido uma foda tão intensa e gostosa eu me perguntava: Será que eu teria outra transa tão gostosa quanto essa? Ou melhor, será que eu teria outros encontros como esses com NamJoon?


Notas Finais


Ps: nesse capítulo eles esqueceram a camisinha – mas só porque isso é uma fanfic – na vida real, jamais esqueçam! Evita bebês e doenças sexualmente transmissíveis.

Espero que vocês tenham gostado! Vou dar o meu melhor para deixar essa fanfic ainda mais gostosa do que a versão antiga, um beijo e até os próximos capítulos ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...