História O Cupido - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Lu Han, Personagens Originais
Tags Chanbaek, Hunhan
Visualizações 38
Palavras 4.501
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei mas tô aqui rsrs
Um dos capítulos que mais amei escrever ♡
Boa leitura

Capítulo 4 - Capítulo 4


Já havia se passado uma semana desde que ChanYeol decidiu acolher BaekHyun em sua casa.

Com o tempo ele percebeu que o mais velho, mesmo sendo falante demais, era fácil de lidar. BaekHyun não era tão chato assim comparado ao dia em que se conheceram, eles agora até conversavam como dois adultos normais!

Mas a presença dele estava deixando ChanYeol um pouco… Incomodado.

Quer dizer, quando estavam apenas os dois tudo bem, mas quando os amigos de ChanYeol estava por perto, tudo mudava.

Eveline havia chamado ChanYeol para outra festa e, para não deixar BaekHyun sozinho, o chamou para ir com ele.

E quando os amigos de ChanYeol viram BaekHyun, eles praticamente pularam em cima do rapaz. Eram elogios pela cor do seu cabelo, ou por ele parecer ser tão jovem e eles nem se importavam com a “corcunda” do rapaz, apenas ficaram encantados toda vez que viam BaekHyun.

ChanYeol não queria admitir mas ele, aos vinte e quatro anos de idade, estava tendo um ataque de ciúmes.

Fora isso, a convivência com BaekHyun até que estava tolerável.

Ou quase isso.

-BaekHyun! -ChanYeol gritou ao passar pela porta de entrada, com um cesto de roupas em baixo do braço.

-O que foi? -BaekHyun perguntou assustado, vindo da cozinha.

-Não vem com essa cara de cachorrinho perdido não! Olha isso!

ChanYeol ergueu uma camiseta do cesto e mostrou para BaekHyun. A peça, que antes era branca, estava com um tom claro de rosa.

O outro fez uma expressão culpada.

-Sabe o que aconteceu?! Você não prestou atenção na hora de colocar a roupa na máquina e uma meia sua foi junto! Agora todas as minhas roupas brancas estão rosa!

BaekHyun nunca vira ChanYeol tão nervoso. Agora ele se sentia envergonhado e não sabia o que fazer.

-Desculpa...

ChanYeol fechou os olhos e respirou fundo. Estava estressado demais e não queria ficar muito tempo perto do mais velho pois temia que, com qualquer coisa que BaekHyun falasse, ChanYeol lhe daria um soco.

Apenas negou com a cabeça, pegou o cesto e rumou a passos pesados para o seu quarto.

-Mais alguns dias... Mais alguns dias... -ChanYeol repetia aquele mantra em voz baixa.

Só mais alguns dias e ficaria livre daquele problema chamado BaekHyun Byun e finalmente poderia ficar em paz.

Separou suas roupas e as arrumou direitinho em seus devidos lugares. As suas roupas antigas que agora eram de BaekHyun, ele apenas dobrou e deixou em cima da sua cama, BaekHyun as pegaria depois.

Um pouco mais relaxado, ChanYeol saiu do quarto e seguiu para a cozinha. Estranhou BaekHyun estar ali, ele sempre ficava na sala vendo tevê e só ia até a cozinha quando ChanYeol o chamava.

ChanYeol esperou ver qualquer coisa ali, até mesmo um alienígena, mas quando viu sua cozinha brilhando de tão limpa ele quase caiu para trás.

BaekHyun não era bagunceiro, mas também não era tão organizado. E nessa única semana em que ele estava ali, ChanYeol não o viu entrar na cozinha sem que ele o chamasse.

E ver que BaekHyun havia arrumado o cômodo tão bem deixou ChanYeol um pouco chocado.

O mais velho estava terminando de limpar a pia quando ChanYeol pigarreou e o assustou.

BaekHyun se virou rapidamente na direção de ChanYeol e colocou a mão no peito.

-Me assustou...

ChanYeol adentrou a cozinha e olhou tudo com atenção. O chão estava extremamente limpo, a louça estava tão bem lavada que ChanYeol conseguia ver seu reflexo ali.

-Você... -ChanYeol não conseguiu terminar a frase.

BaekHyun sorriu sem graça.

-Eu vi que você tinha saído e não podia deixar tudo pra você fazer, então...

-Bem... Obrigado. -ChanYeol sorriu. -Eu nunca mais havia limpado essa cozinha dessa forma. Quase não tenho tempo.

BaekHyun assentiu e os dois ficaram em um silêncio constrangedor.

ChanYeol estava muito envergonhado. Havia brigado com o outro, sem um motivo muito extremo, e agora estava se sentindo um babaca já que o outro estava tão preocupado em lhe ajudar.

O rapaz coçou a nuca e se virou para o mais velho.

-Me desculpe. -Começou. -E-eu não deveria ter gritado com você e...

-Tudo bem, ChanYeol. -BaekHyun sorriu. -Não é a primeira vez que alguém se irrita comigo assim.

ChanYeol olhou assustado para BaekHyun ao ouvir o tom triste em sua voz. Não tinha intenção de magoar o outro, mas pelo visto não tinha conseguido.

Sem dizer nenhuma palavra, BaekHyun caminhou até a mesa de jantar e puxou uma cadeira para se sentar, depois fez um sinal para que ChanYeol se sentasse ao seu lado.

ChanYeol andou até a cadeira ao lado de BaekHyun de forma hesitante.

-Sei que não gosta de mim. -BaekHyun começou, mas antes que ele desse continuidade, ChanYeol fez que não.

-Não é isso, BaekHyun... Eu apenas estou com a cabeça cheia de problemas e acabei por desconta-los em alguém inocente. Me desculpa.

BaekHyun sorriu, mas ChanYeol percebeu que ele não estava sorrindo verdadeiramente.

Uma semana com o outro e ele já conhecia sua forma de sorrir?!

-Pode até ser que você não me odeie, mas que você sente repulsa pela minha presença, ah, você sente.

-P-por que pensa assim?

ChanYeol não gostava daquele tipo de conversa, principalmente com pessoas quase desconhecidas. Diálogos tristes não eram o seu forte pois ele sempre acabava dizendo algo que piorava a situação, mesmo que fosse sem querer.

Porém, naquela hora ele não estava ligando muito, queria apenas saber o que se passava na cabeça do mais velho para que estivesse tão abatido naquele dia.

Viu BaekHyun morder o lábio e desviar o olhar para as próprias mãos apoiadas na mesa. Achou que ele não ia dizer, mas ficou calado quando BaekHyun suspirou e começou a falar.

-Digamos que... Digamos que eu não tenha saído do jeito que meu pai queria, entende?!

ChanYeol franziu o cenho e negou levemente.

-Os filhos do Cupido têm apenas uma função nesse mundo: juntar casais. Eles são imunes a qualquer tipo de sentimento romântico e isso impede que arrumem namorados e tampouco se casem.

-Espera. -ChanYeol pediu e BaekHyun se calou. -Vocês?! Um dos símbolos do dia mais romântico do ano, não podem namorar?

ChanYeol achava que era uma piada, mas ao ver a face seria de BaekHyun, tratou de interromper o sorriso que se formava em seu rosto e deixou o mais velho continuar.

-Parece uma piada, mas é a mais pura verdade. Segundo o meu pai, isso evita a “distração” no nosso trabalho.

-Isso é cruel... Mas o que isso tem a ver com você?

E mais uma vez BaekHyun suspirou de tristeza. Aquela era o que?! A décima vez que ele fazia aquilo?!

-Eu nasci diferente dos meus irmãos homens. Todos eles nasceram altos, fortes e eu... -Ele olhou para o próprio corpo. -Essa piada que está na sua frente.

ChanYeol não disse nada, sabia que o outro tinha muito para falar ainda.

-E, antes disso tudo, eu vivia perguntando pra minha mãe quando eu iria me casar. Ela dizia que tudo tinha o seu tempo, mas a conversa com meu pai foi outra...

“Ele entrou no meu quarto, um dia antes do meu primeiro dia de trabalho, e conversou comigo, contou sobre as regras que eu tinha que seguir.

“Eu o enfrentei e disse que era injusto eu juntar casais todos os anos e passar o resto da minha vida só... Eu não queria aquilo para a minha vida.”

ChanYeol começou a se preocupar quando ouviu um soluço vindo de BaekHyun.

Ele estava chorando.

-Ele nunca havia falado comigo direito, e a primeira vez que o fez foi pra dizer que eu era um idiota sonhador e que precisava acordar pra vida.

Aquela era a parte da conversa que ChanYeol não sabia o que fazer. Abraçava BaekHyun?! Dizia para ele esquecer aquilo?! Era tanta coisa idiota que ele pensava que se sentia muito mal por ver o outro daquele jeito e não poder fazer nada.

Antes que ele pudesse falar algo, BaekHyun ergueu a cabeça e respirou fundo.

-Depois desse dia, ele nunca mais foi o mesmo. Vivia dizendo que essa história não poderia se repetir e que ele só não me dava uma lição porque não podia perder mais um filho...

-O que quer dizer?! -ChanYeol perguntou, de cenho franzido. -Ele perdeu um filho?

-Não sei de nada dessa história. E toda vez que pergunto a alguém sobre isso eles me ignoram.

Voltaram a ficar em silêncio enquanto ChanYeol absorvia toda aquela informação e BaekHyun se acalmava.

ChanYeol ficou aliviado ao ver que BaekHyun não chorava mais. Não entendia, mas no seu íntimo, não gostava de ver o mais velho chorar, mesmo que aquela fosse a primeira vez o vendo daquela forma.

-Mas então... -ChanYeol disse, tentando quebrar aquele clima estranho. -Você já se apaixonou por alguém, não é?! Ela era bonita?!

O sorriso que BaekHyun deu, automaticamente fez ChanYeol sorrir também.

-Já me apaixonei sim, vezes demais para alguém como eu. -BaekHyun riu. -E, sim, ele era lindo. O homem mais bonito que eu já tinha visto.

ChanYeol demorou um pouco para assimilar o que BaekHyun havia dito. E, quando o fez, se engasgou com o ar.

-V-você é gay?

-Pra quê o espanto?! -BaekHyun riu.

O rapaz se recompôs e olhou timidamente para o mais velho.

-Sinto muito... Fiquei surpreso. -ChanYeol passou as mãos pelos cabelos. -Mas não pense que eu sou preconceituoso, viu?!

BaekHyun riu mais uma vez e assentiu.

-Eu sei, ChanYeol. E sei que você é gay também.

Mais um susto. E dessa vez, ChanYeol quase caiu da cadeira quando BaekHyun falou aquilo tão naturalmente.

Ele não se lembrava de ter dito aquilo para BaekHyun...

-E... Posso saber como sabe disso?

BaekHyun se levantou e foi até a pia enquanto era seguido pelos olhos de ChanYeol. Pegou um copo, o encheu com água e o bebeu, voltando a se sentar ao lado do mais novo.

ChanYeol estava nervoso com todo aquele suspense.

-Eu sei que você é gay porque eu vi seu nome em uma das listas que o meu pai fez.

O silêncio reinou mais uma vez enquanto ChanYeol processava a notícia.

Então aquilo significava...

-Eu também vou ser flechado? -Perguntou assustado e sua expressão fez BaekHyun rir.

-Vai sim. Um dos meus irmãos irá fazer esse trabalho.

-Mas não era você o responsável por essa região?

-Assim... -BaekHyun coçou a nuca e riu sem graça. -Meu pai acha que eu não sou competente o suficiente e dividiu a minha lista.

ChanYeol encarava BaekHyun em silêncio. Sua mente estava um caos naquele momento e não era por toda aquela história de cúpido.

O rapaz estava assustado com o fato de que teria que casar e formar uma família em um futuro próximo. E aquilo o deixava inquieto pois nunca pensou em casar.

-M-mas... -ChanYeol pigarreou, chamando a atenção de BaekHyun. -Mas você não disse que os casais que são flechado vão ter um filho que vão mudar alguma coisa?

-Sim.

-E você não percebeu nada de estranho em mim?!

-Não. -BaekHyun deu de ombros e ChanYeol revirou os olhos.

-Eu sou gay, BaekHyun. Gosto de homens. E, que eu saiba, dois homens não têm filhos.

Dessa vez foi BaekHyun quem revirou os olhos.

-Sim, você é gay e não estéril. -O mais velho se levantou, deixando a cozinha logo depois.

ChanYeol continuou sentado, de boca aberta enquanto se imaginava casado e com um filho.

Aquilo era estranho... Estranho demais.

ChanYeol se sentia animado naquele dia.

Era seu dia de folga e havia recebido um convite de seus amigos para uma festa.

Não era muito o seu estilo sair em dias de folga, principalmente quando estava frio, mas ele estava realmente interessado naquela festa. E nem se importou quando chamaram BaekHyun para se juntar a eles.

Depois que teve aquela conversa com o mais velho, ChanYeol se sentiu culpado em como havia o tratado, então decidiu que faria o possível para que BaekHyun se sentisse confortável em sua presença.

Os dois andavam lado a lado na calçada, indo em direção ao bar onde seria a tal festa.

-Seus amigos gostam muito de se divertir. -BaekHyun comentou com um sorriso, quebrando o silêncio entre eles.

ChanYeol assentiu e sorriu também.

-Não sei como eles aguentam isso toda semana.

Mais uns instantes de sorriso e novamente ficaram em silêncio. Mesmo já se conhecendo a um tempo consideravelmente bom, BaekHyun e ChanYeol ainda se sentiam desconfortáveis ao iniciar uma conversa um com o outro.

E, por mais incrível que pareça, aquilo era muito difícil para o falante BaekHyun. Ele nunca havia conhecido alguém como ChanYeol, reservado e quieto demais, era difícil achar sobre o que conversar e o resultado disso eram horas de um silêncio sufocante.

-Então... -ChanYeol começou, surpreendendo BaekHyun. -Você tem muitos amigos na Coreia?

ChanYeol olhou BaekHyun pelo canto do olho e viu o mesmo se encolher no grande casaco que usava.

-Eu tinha muitos amigos antes disso começar. -BaekHyun disse, apontando para as asas escondidas debaixo do casaco. -Mas quando eu comecei o meu trabalho, tive que me afastar de todos para que não vissem a mudança na cor dos meus cabelos ou dos meus olhos. Mesmo assim, quando tudo isso acaba e eu volto ao normal, eu tento entrar em contato mas eles não ficam muito animados.

Mesmo com um sorriso no rosto, ChanYeol pôde notar que BaekHyun não estava muito feliz com aquilo. E ele ainda achava que ele tinha uma vida boa...

ChanYeol não decidiu prolongar o assunto ao ver como BaekHyun havia ficado, então apenas se contentou em ficar calado e deu graças a Deus quando chegaram ao bar.

Quando entraram, rapidamente localizaram a mesa abarrotada de gente conversando alto por conta do volume da música. ChanYeol e BaekHyun se aproximaram da mesa e foram recebidos com abraços e beijos no rosto.

Sentaram um ao lado do outro, assim que tiveram espaço, e logo conseguiram se incluir na conversa.

Tudo estava bem naquela noite. ChanYeol não estava preocupado com o trabalho, nem com o ar condicionado do seu apartamento que ainda estava quebrado. Naquele momento ele era apenas um homem se divertindo com os amigos.

E nada mais importava.

Depois de alguns minutos de conversa, ChanYeol finalmente percebeu que faltava alguém ali.

-Onde está Jean? -Ele gritou para um colega ao seu lado.

-Disse que vem um pouco mais tarde. Estava ocupado com não sei o que. -Respondeu num grito também.

ChanYeol estranhou aquele fato pois Jean nunca se atrasava, nem quando se tratava de festas assim. Ele devia estar fazendo algo muito importante mesmo.

Todos estavam entretidos novamente quando, de repente, Eveline parou de falar e olhou para a entrada do local com um sorriso imenso. Na mesma hora todos ali se viraram para ver para quem ela sorria e ChanYeol se engasgou com a cerveja.

Finalmente Jean havia chegado. E ele não estava sozinho.

De mãos dadas com Lorran, Jean se aproximou timidamente da mesa e se sentou numa cadeira vazia.

-Bem... Por essa eu não esperava. -Eveline disse, alto o suficiente para que eles pudessem ouvir.

-Finalmente, Lorran! -Alguém gritou, fazendo todos os colegas rirem, até mesmo o envergonhado Jean.

-Acho que ele não iria largar do meu pé, então... -Jean disse sorrindo enquanto dava de ombros.

E ChanYeol assistia tudo aquilo de boca aberta. Estava feliz pelos dos, lógico, mas o que aconteceu com o Jean que detestava Lorran de uns dias atrás?!

Na mesma hora a mente do rapaz teve um estalo e ele olhou para BaekHyun, que tomava sua cerveja alheio a qualquer assunto no momento. ChanYeol cutucou seu braço e ele o olhou.

-Você tem algo a ver com isso, não tem?!

BaekHyun olhou para os recém chegados e sorriu.

-Eles estavam na minha lista. -BaekHyun comentou enquanto via a face surpresa de ChanYeol. -Me desculpe por não ter contado, mas eu prefiro manter a minha lista em segredo.

ChanYeol não respondeu, apenas riu e negou com a cabeça. BaekHyun era impossível...

E, sem mais surpresas, a festa finalmente pôde começar.

-Aí... ChanYeol... -BaekHyun disse entre suspiros enquanto sentia as mãos de ChanYeol segurando com força em seus ombros e o obrigando a virar se costas.

-Fale baixo. -ChanYeol riu. -Eu tenho vizinhos, sabia?!

Os dois estavam extremamente embriagados, mas quem estava em pior estado era BaekHyun que se apoiou em ChanYeol durante todo o caminho até a casa do mais novo.

Já passava da meia noite, era para os dois estarem dormindo e se preparando para os sintomas da ressaca, mas graças a um problema que ocorreu quando ainda estavam no bar, os dois estavam ali, no sofá.

BaekHyun havia sido chamado por um grupo de garotas para dançar na pequena pista de dança do local. Ele nem se importou que havia tomado cerveja demais, só queria se divertir.

ChanYeol não o impediu pois estava feliz em ver o mais velho tão animado. Porém, as coisas pioraram quando uma música eletrônica começou e todos começaram a pular, inclusive BaekHyun.

E não deu outra.

O mais velho tropeçou nos próprios pés e caiu. De costas no chão.

ChanYeol rapidamente foi até ele e viu a cara de dor dele.

E aquele era o motivo de estarem ali, no sofá, àquela hora da noite.

-Consegue mexe-la? -Perguntou ao tirar as ataduras.

Meio grogue, BaekHyun forçou suas asas a se mexerem. A asa direita se abriu normalmente, já a outra lhe causou dor ao tentar imitar o movimento da direita.

-Dói. -Disse simples e soluçou.

ChanYeol riu -acreditava que estava feliz daquela forma por causa da bebida. Apenas mexeu para ver se o osso continuava no lugar e voltou a enfaixar a asa junto ao corpo de BaekHyun.

-Você vai ficar bem logo, não se preocupe. -Deu um tapinha no ombro do outro e se acomodou no sofá.

BaekHyun se virou para ele enquanto vestia a camisa e sorriu com gratidão.

Os dois se encararam em silêncio e, sem motivo algum, começaram a gargalhar, como se um deles tivesse contado a melhor piada do dia.

O primeiro a sentir os efeitos da ressaca foi ChanYeol. Sua cabeça começou a latejar e isso foi o suficiente para fazê-lo parar de rir.

-Acho que vou dormir. -Ele disse e BaekHyun apenas riu, assentindo. -Vai ficar bem?

Mais uma vez BaekHyun assentiu e se ajoelhou no sofá, ficando mais perto de ChanYeol.

-Obrigado por… -BaekHyun franziu o cenho, estava tão bêbado que não se lembrava de algumas palavras. -... Tudo.

ChanYeol riu e estava prestes a se levantar quando percebeu BaekHyun se aproximando mais de si. Esqueceu completamente da dor de cabeça quando sentiu o hálito do outro. Tinha cheiro de morango e uísque.

Num ato muito impensado, BaekHyun se inclinou e selou os lábios de ChanYeol o deixando paralisado.

A mente de ChanYeol não estava funcionando direito naquele momento. Tudo havia congelado ao seu redor.

Ele continuou de olhos abertos e viu que o que estava acontecendo era real. BaekHyun estava mesmo lhe beijando.

Mas da mesma forma que começou -rápido demais-, o contato entre os lábios teve fim.

Os olhos cor-de-rosa de BaekHyun estavam arregalados e os de ChanYeol não estavam diferentes.

Ficaram se encarando daquela forma, os dois sem nenhum pensamento em especial na cabeça. Estavam apenas… Surpresos.

-A-acho… Acho que vou dormir agora. -BaekHyun disse olhando para o chão.

ChanYeol praticamente pulou do sofá para longe do outro.

-E-eu também… É… -Não disse mais nada, acabou por andar apressado até o quarto e se trancar lá dentro.

Ele se sentia tonto, mas tinha certeza que não era por conta da bebida. Seu coração batia tão rápido que ele acreditava que morreria a qualquer momento.

ChanYeol fechou os olhos e respirou fundo.

-Onde eu 'tava com a cabeça?!...

Passou a mão pelos cabelos e depois caminhou até a cama, se jogando na mesma.

Agora era impossível dormir com aquele acontecimento passando a cada segundo em sua cabeça.

ChanYeol, definitivamente, estava ferrado.

No dia seguinte, ChanYeol acordou com uma dor de cabeça infernal.

Porém, antes mesmo que se levantasse para procurar por um remédio, se lembrou do que havia acontecido no seu sofá na madrugada anterior.

E aquilo fez sua cabeça latejar dolorosamente.

BaekHyun havia lhe beijado! Por que?!

Os dois haviam bebido muito naquele bar, BaekHyun até mais que ele, mas aquilo não justificava um beijo daquele, assim, do nada!

Ou justificava?!

BaekHyun se lembraria de tudo quando acordasse?! E se ele achasse que ChanYeol foi quem iniciou tudo?!

O rapaz deitou na cama e cobriu sua cabeça com o travesseiro.

Será que ele estava exagerando?! Afinal, foi apenas um beijo, não é?!

E BaekHyun nem era tão bonito assim! Aqueles olhos brilhantes não deixavam ChanYeol abalado, a voz suave dele não fazia ChanYeol suspirar e, claro, aquela pele linda, definitivamente, não deixava ChanYeol com vontade de toca-lo.

Então por que todo aquele drama?!

Decidido, ChanYeol se levantou da cama e caminhou para fora do quarto.

Iria esquecer aquilo pois não havia significado nada para ele, e acreditava que para BaekHyun também não. Era o que ele esperava.

Passou pela sala e suspirou aliviado ao ver que BaekHyun estava dormindo. Viu o cenho franzido do mais velho e pensou que ele acordaria com uma dor de cabeça mil vezes pior do que a sua.

Parou de olhar para BaekHyun e seguiu para a cozinha, onde acreditava ter uma cartela de analgésico.

Enquanto preparava um café forte, tomou um dos comprimidos da cartela e comeu alguma coisa para não ficar com dor no estômago.

ChanYeol nem sabia porque estava fazendo tudo com tanta pressa. Estava cansado, obviamente, mas não entendia o motivo de estar correndo com aquelas tarefas se não tinha nada para fazer.

Talvez ele estivesse fingindo...

Não, bobagem. Ele queria apenas voltar a dormir.

Colocou o café na garrafa e pegou a cartela de comprimidos. Iria deixar em cima da mesa para que BaekHyun achasse com facilidade.

Ao se virar para pôr as coisas onde queria, viu BaekHyun adentrando o cômodo e sua respiração ficou presa na garganta.

Por que estava se sentindo tão envergonhado?!

BaekHyun, que estava com um cara terrível, quase caiu para trás ao ver ChanYeol completamente parado ali, no meio da cozinha.

Os dois desviaram o olhar para outro lugar, ambos com vergonha de se encararem, mas com mais vergonha ainda de admitirem isso.

ChanYeol caminhou até a mesa e deixou a garrafa e os comprimidos ali.

-Fiz café... -Disse, sua voz soando rouca demais. -E tem um remédio pra dor. -Ele apontou para a própria cabeça, que ainda latejava.

Viu BaekHyun assentir enquanto mordia os lábios.

-Obrigado.

Ah, por que aquele clima estranho?!

-Eu... -ChanYeol começou, ganhando a atenção de BaekHyun. -Ainda estou com dor de cabeça. Acho que vou voltar pra cama.

A boca de BaekHyun se abriu mas nada saiu dela. ChanYeol se perguntou se ele iria dizer algo...

BaekHyun se afastou do batente, dando espaço para ChanYeol passar, mas antes que o mais novo saísse do cômodo, BaekHyun o chamou.

-Sim?!

BaekHyun cruzou os braços e franziu o cenho. Era difícil falar, mas tinha que dizer senão iriam ficar naquele clima estranho por muito tempo. E ele não queria isso.

-Sobre... Ontem. -BaekHyun começou e viu as bochechas de ChanYeol corarem. Aquilo era um sinal de que ele não havia imaginado ou sonhado com o beijo. -Eu só quero dizer que... Aquilo não significou nada, entende?! Eu estava bêbado e agi por impulso. Me desculpa...

ChanYeol demorou um tempo para assimilar as palavras. Não entendeu a dor que sentiu no peito ao ouvir aquilo. Mas... Era aquilo que ele estava esperando! Por que estava... Decepcionado?!

Assentiu e deu o seu melhor sorriso para o outro.

-Claro, sem problemas. Não significou nada pra mim também. -Riu e BaekHyun o acompanhou. -Você nem faz o meu tipo!

Assim que ChanYeol disse aquela frase, o sorriso de BaekHyun murchou, mas ele não deixou ChanYeol perceber e apenas assentiu.

-Vou... Tomar café agora. -BaekHyun disse, indo em direção a garrafa.

-Tudo bem e eu... Vou pro meu quarto.

ChanYeol nem esperou BaekHyun responder, se virou e caminhou rapidamente para o quarto.

Sentia seu coração acelerado e sua cabeça latejando. Agora que tudo havia sido esclarecido, era apenas questão de tempo para tudo voltar ao normal entre os dois.

Uma pena que o coração de ChanYeol não conseguia entender aquilo...

ChanYeol só voltou a sair do quarto quando ouviu a porta da sala bater, e isso era por volta das doze horas.

Ouviu seu estômago roncar e foi para a cozinha afim de preparar o almoço. Porém, para a sua surpresa, havia panelas sobre o fogão, cheias de comida.

Viu um pequeno bilhete na porta da geladeira e o pegou.

“Coma. Voltarei tarde.

BaekHyun”

Suspirou e não pôde evitar o pequeno sorriso que surgiu em sua face.

Sem demora, se adiantou e colocou seu almoço, apreciando calmamente o gosto da comida. BaekHyun tinha uma boa mão para a cozinha, pensou ChanYeol.

Não deixou que sua mente vagasse para os acontecimentos que o deixaram inquieto o dia todo, iria apenas aproveitar o almoço que o seu colega havia feito.

O dia estava ótimo para ChanYeol. Ele comeu, descansou e ainda teve tempo de arrumar as partituras que levaria para a aula da segunda.

Tinha feito tudo e quando a tarde chegou, optou por ver um filme, coisa que não fazia a meses já que andava muito ocupado.

Ele só viu que o tempo passou ao ver BaekHyun entrar pela porta. O mesmo estava tremendo e encharcado, ChanYeol nem percebeu que estava chovendo.

-Ca-caramba… -BaekHyun disse enquanto deixava seu arco e sua aljava no canto da porta.

-Vou buscar uma toalha. -ChanYeol se levantou rapidamente e caminhou até seu quarto para pegar a toalha.

Ele não queria admitir, mas estava fazendo de tudo para ficar o mais longe possível de BaekHyun.

Voltou para a sala com a toalha em mãos e a entregou para BaekHyun, sem olhá-lo nos olhos, e voltou para o sofá.

ChanYeol tentava prestar atenção no filme que estava quase acabando, mas a presença de BaekHyun ali o estava deixando um pouco… Desconfortável.

Ele não iria dizer que iria esquecer aquele beijo tão rapidamente. Claro, não havia significado nada para ele, mas que o tinha pegado de surpresa, com certeza tinha.

Um espirro vindo de BaekHyun tirou a atenção de ChanYeol do filme.

-Droga… -BaekHyun estava sentado no chão, tirando os sapatos. -Acho que vou ficar resfriado.

ChanYeol assentiu.

-Onde estava não tinha nenhum lugar para você se abrigar? -ChanYeol perguntou, tentando deixar o clima mais brando.

BaekHyun negou e espirrou mais uma vez.

-A chuva começou quando eu estava vindo. Não tive nem tempo de pensar.

-É melhor ir tomar um banho e colocar roupas secas.

BaekHyun assentiu e se levantou do chão, indo para o banheiro.

ChanYeol afundou no sofá e colocou uma mão no peito, sentindo o coração bater de forma estranha.

Só conhecia BaekHyun a uma semana, não poderia estar sentindo algo por ele… Poderia?!

Respirou fundo e balançou a cabeça negativamente.

Não, aquilo era apenas coisa da sua cabeça.

ChanYeol, definitivamente, não estava se apaixonando por BaekHyun.


Notas Finais


O que acharam?!
Comentem e até o próximo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...