História O Cupido - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Lu Han, Personagens Originais
Tags Chanbaek, Hunhan
Visualizações 68
Palavras 1.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo 7


ChanYeol não sabia dizer ao certo quanto tempo estava ali parado, encarando aquela pessoa.

Segundos?! Minutos?! Horas?!

Não fazia ideia, só sabia que era tempo demais. Mas a culpa não era dele, era do rapaz a sua frente que parecia um modelo de tão lindo que era.

O rapaz era vários centímetros mais baixo que ChanYeol. Talvez até menor que BaekHyun!

Seus olhos, grande demais por sinal, eram extremamente lindos e em um tom escuro de castanho. E, olha-lo nos olhos deixava ChanYeol muito constrangido.

Os cabelos eram escuros porém, olhando atentamente, dava para ver algumas mexas espalhadas por sua cabeça, todas na cor rosa.

E o que deixava ChanYeol ainda mais embasbacado era o fato do rapaz estar vestido como um daqueles modelos das revistar. Roupas em tons escuros, contrastando com o tom de pele muito claro.

O rapaz suspirou profundamente, tirando ChanYeol da sua análise sobre o jovem ali na frente e, finalmente, ele voltou a vida real.

-Posso ajudá-lo? -Perguntou em coreano, sem ter noção do que tinha feito.

O rapaz quase se bateu por sua voz ter soado tão estranha. O outro a sua frente apenas assentiu.

-Você é ChanYeol Park? -ChanYeol assentiu, com o cenho franzido. -Bem, eu sou KyungSoo... Irmão do BaekHyun.

A boca de ChanYeol se abriu em surpresa.

Ele não esperava aquela pessoa ali tão cedo. Acreditava que ele chegaria a noite ou até mesmo no dia seguinte, talvez estivesse preocupado demais com o irmão para esperar.

Esperou a semana toda pela chegada dele, agora não sabia o porquê de estar temendo tanto a sua presença.

-Ah, sim. -ChanYeol percebeu que ficou o encarando tempo demais outra vez. -Entre, por favor.

ChanYeol deu passagem e o outro rapaz entrou. Ficaram parados na sala, um encarando o outro sem dizer uma palavra.

Aquilo era constrangedor...

-Onde está BaekHyun? -KyungSoo perguntou, olhando para ChanYeol.

-Ele... Está no meu quarto. -Disse e o viu erguer uma sobrancelha. -Quer dizer... Eu não ia deixar ele no sofá já que ele está doente, achei melhor deixa-lo lá.

KyungSoo assentiu, suavizando suas expressões.

-Eu gostaria de ver o meu irmão. -KyungSoo disse. ChanYeol, que ainda estava espantando com a beleza daquele cara, balançou a cabeça, tentando se focar na situação ali.

-Claro. -Disse animado. -Por aqui.

Os dois foram para o corredor. ChanYeol sentia seu coração acelerar a cada passo que dava.

Tinha que admitir. Estava com medo. Estava com muito medo! E se ele quisesse levar BaekHyun embora?!

Balançou a cabeça e deu leves batidas na porta, abrindo-a e vendo BaekHyun sentado na cama, o olhando com curiosidade.

-Tem visita pra você. -ChanYeol disse com um pequeno sorriso e viu BaekHyun franzir o cenho enquanto se ajeitava na cama.

O mais novo deu alguns passos e abriu mais a porta do quarto, dando passagem para o irmão de BaekHyun entrar.

-Meu... -Seja o que for que BaekHyun iria dizer, tudo ficou preso em sua garganta enquanto ele observava o visitante.

ChanYeol viu o momento em que os olhos de BaekHyun se encheram de lágrimas e um sorriso se abriu em seus lábios.

Aquilo foi o suficiente para KyungSoo correr e praticamente se jogar nos braços de BaekHyun, que o abraçou apertado.

-Olha só como você está... -KyungSoo tocou gentilmente o rosto de BaekHyun quando se separaram. -Está se sentindo bem?

BaekHyun segurou as mãos do irmão e sorriu para ele.

-Estou bem. O ChanYeol está cuidando bem de mim. -Ele olhou para ChanYeol e sorriu, deixando o mais novo constrangido.

-O que aconteceu com você exatamente?

BaekHyun suspirou, cansado.

-Não faço ideia... Eu me sinto extremamente fraco, minhas penas estão caindo e dói demais, Soo...

KyungSoo olhou com pena para as asas do irmão. Estavam tão diferentes de quando às viu nele pela primeira vez...

-Bem... -KyungSoo começou, pegando um pequeno livro de dentro do bolso do casaco que estava usando. -Eu já ouvi muitas coisas sobre isso e tive que fazer minhas pesquisas antes de vir para cá.

-Foi por isso que demorou? -BaekHyun perguntou.

-Exatamente. -KyungSoo disse e começou a folhear o livro.

ChanYeol começou a se sentir desconfortável ali e então, com um pigarro, atraiu a atenção dos outros dois.

-Eu... Acho melhor deixar vocês dois sozinhos...

-Não. -BaekHyun disse, fraco. -Fica...

KyungSoo olhou de BaekHyun para ChanYeol e apenas fez que não com a cabeça, voltando a folhear o livro.

ChanYeol atendeu ao pedido de BaekHyun e entrou no quarto, deixando a porta entreaberta.

Passaram-se cerca de dois minutos e finalmente KyungSoo pareceu achar o que procurava no pequeno livro.

-No livro diz que, muito tempo atrás, a filha de um cúpido estava andando por um campo quando viu uma roseira. Encantada com a beleza das flores, a moça queria levar pelo menos uma delas e então se aproximou para tirar uma das rosas.

-O que isso tem...

-Não me interrompa. -KyungSoo disse e BaekHyun se calou rapidamente. -Voltando. Antes mesmo de tirar a flor, a moça espetou o dedo em um dos espinhos e acabou adoecendo.

KyungSoo fechou o livro e encarou BaekHyun.

Todos no quarto ficaram em silêncio, processando tudo que KyungSoo havia dito.

-Isso... -BaekHyun disse, se ajeitando na cama. -Não faz o menor sentido!

ChanYeol concordou com a cabeça, mas não ousou abrir a boca.

-Como não?! -KyungSoo perguntou.

BaekHyun tomou o livro das mãos do irmão e leu o título.

-Isso é um dos romances do papai! O que isso tem a ver comigo, KyungSoo?

-Leia a parte que está marcada. -Ele disse e BaekHyun abriu o livro, sem realmente estar interessado.

Enquanto ele lia, ChanYeol apenas observava os dois. Eles não se pareciam em nada, mas ao mesmo tempo tinha algo nos dois que dizia claramente que eram parentes.

ChanYeol queria fazer mais perguntas a KyungSoo, saber mais sobre os cúpidos, mas uma exclamação vinda de BaekHyun o chamou a atenção.

-O que foi? -ChanYeol disse, se aproximando da cama e se sentou aos pés de BaekHyun.

-É... É exatamente o que está acontecendo comigo! -BaekHyun disse surpreso, estendendo o livro para ChanYeol.

O rapaz tomou o livro em suas mãos e começou a ler as partes que estavam marcadas com marca-texto rosa.

Tudo que a moça, provavelmente a protagonista da história, estava sentindo, era o que BaekHyun tinha! Todos os sintomas se encaixavam.

Mas aquilo não era uma boa notícia pois, ao pular para o final do livro, ChanYeol viu que a moça não tinha um final feliz e acabava morrendo. Fechou o livro rapidamente e o entregou para KyungSoo.

-O que faremos então? -ChanYeol perguntou, olhando para KyungSoo.

-Eu fiz mais algumas pesquisas e acontece que, uma senhora me disse que, um tratamento com chá de pétalas de rosas brancas irá fazê-lo melhorar.

BaekHyun sorriu, um sorriso verdadeiro finalmente. Ele seria curado!

Mas aquilo não deixou ChanYeol cem por cento satisfeito. Como o que BaekHyun estava sentindo poderia ser curado apenas com chá?!

-E quanto tempo dura esse tratamento? -BaekHyun perguntou, visivelmente animado.

-Cerca de duas ou três semana. -KyungSoo respondeu, contente em ver o irmão sorrir.

-Ouviu isso, ChanYeol?! -BaekHyun olhou animado para o mais novo. -Eu vou ficar bem!

ChanYeol coçou o queixo e se levantou. Mesmo que não estivesse confiando muito naquilo, adoraria tentar apenas para ver BaekHyun feliz.

Estava torcendo internamente para que aquilo fosse real.

-Acho que vou atrás dessas rosas então. Quanto mais cedo começarmos melhor.

Os outros dois assentiram.

Sem esperar resposta, ChanYeol deixou os irmãos e saiu do quarto. Vestiu apenas um casaco e pegou sua carteira antes de sair de casa e ir em direção a uma floricultura ali perto.

Estava achando aquilo fácil demais para o seu gosto. BaekHyun estava horrível, medicamente falando, e um chá iria curá-lo?! Só podia ser coisa de cupido mesmo.

O rapaz também tinha que perguntar em que momento BaekHyun havia tocado em uma roseira. Será que ele já estava doente antes mesmo de se encontrarem?!

Balançou a cabeça e entrou na floricultura. Olhou para as amostras que estavam dispostas em lindos vasos coloridos.

O local tinha um cheiro ótimo, extremamente agradável, porém, não poderia ficar ali curtindo o cheiro das flores pois tinha um trabalho a fazer.

Se adiantou até a atendente da loja.

-Bom dia. -Disse, em francês. -Eu gostaria de uma dúzia de rosas brancas.

ChanYeol não entendeu quando a moça riu.

-Isso é impossível.

-O quê?! Por que?

-A época das rosas é somente entre o mês de agosto e setembro. Não irá achar rosas em fevereiro.

ChanYeol mordeu a língua, se impedindo de falar um palavrão. Sabia que a situação estava fácil demais...

Agradeceu a moça e saiu dali enfurecido. O que faria agora?!

Enquanto voltava para casa, olhava para todas as lojas a sua volta, na esperança de encontrar outra floricultura, talvez aquela moça estivesse mentindo...

Mas, infelizmente, ele não achou nada. Ainda era cedo demais e poucas lojas estavam abertas mas nenhuma era uma floricultura.

Olhava frustrado para os próprios pés quando, de repente, se esbarrou com alguém.

-Me des...

A voz de ChanYeol ficou presa na garganta ao olhar o rosto daquela mulher.

Os olhos negros, claramente ocidentais, deixaram ChanYeol imerso em pensamentos, tentando se lembrar de onde já os tinha visto.

-Olá. -Ele disse em um francês perfeito e atravessou a rua, deixando ChanYeol para trás.

O rapaz observou a moça até que ela virasse uma esquina e desaparecesse. O que lhe chamou a atenção, além de seus olhos, era o fato dela não estar usando nenhuma roupa adequada para o frio que estava fazendo.

Provavelmente iria nevar a qualquer momento e aquela mulher estava apenas usando um vestido de alcinhas...

Dando de ombros, ChanYeol voltou a andar para a sua casa.

Não sabia o que iria fazer, mas daria um jeito e traria aquelas flores para BaekHyun.


Notas Finais


O que acharam?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...