História O cupido da minha irmã - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Irmã, Jin, Jungkook, Magia, Taehyung
Visualizações 57
Palavras 1.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola pessoinhas

Espero que estejam gostando e muito obrigada pelos favoritos e comentários <3

Bjinhos

Capítulo 4 - 04


Mal consegui dormir depois de tanto stress. Minha mente apenas pensava nela e no que eu faria para mantê-la longe de mim. ____ sempre fora aquela mulher inalcançável. No escritório é muito respeitada e eu a admiro muito mas.. gostar? Eu nunca gostei dela, não no jeito amoroso.

 

Ela é minha chefe, eu a vejo apenas como isso.

 

Em casa, durante toda a manhã eu me senti mal. O cupido não estava ali. Não estava no quarto de Zoe, nem na sala, nem no carro. Eu não sinto a falta dele nem nada, por um momento me senti aliviado mas.. ele teria ido mais cedo para a escola dela?

 

No trabalho eu tentei ao máximo fugir de qualquer pessoa do sexo feminino. Entrei no banheiro tantas vezes que devem pensar que estou com problema intestinal. ____ também não apareceu por aqui, e se apareceu não fez questão de me ver. Ótimo, é isso que eu quero.

 

Quando olhei para o relógio e percebi que faltavam apenas 10 minutos para o fim do expediente eu comecei a suar. Baguncei meu cabelo, afrouxei a gravata e diminui o ar. Está tão quente assim?

 

Qual foi a última vez que eu sai com alguém? Talvez a 2 anos? Não lembro. O que eu devo fazer? Dar o fora nela não seria muito mais fácil? Mas ela é minha chefe.

 

As luzes do escritório começaram a se apagar. Meu coração batia cada vez mais rápido. Peguei minhas coisas e sai da sala examinando se havia alguém por ali.

 

Barra limpa.

 

Corri até o elevador e agradeci aos céus por até então não tê-la encontrado. De repente o elevador parou em um andar. Quarto andar, mais especificadamente. A porta se abriu e ela estava ela. Estava ao telefone. Não me viu ao entrar.

 

Segurei minha respiração e depois a soltei lentamente. Seu cabelo estava brilhoso novamente. Ela estava com uma roupa um pouco mais informal, acredito que seja para nosso encontro. Espera, encontro? Isso não é um encontro, Jungkook. Isso é seu caminho para morte mental.

 

- Esses idiotas - ____ resmungou e eu arregalei um pouco meus olhos. Ela nunca diz essas coisas. Nunca. Ao ouvir minha respiração ( eu acho ) ela se virou e se espantou ao me ver. Nós dois, sozinhos, num elevador lerdo. – Oi – ela sorriu tímida.

 

Ela está tímida? Não, não pode ser.

 

- Oi – sorri de lado.

 

- Me desculpe por não ter te visto eu.. estava resolvendo uma coisa e..

 

- Está tudo bem – a interrompi. De certa forma, eu queria que ela tivesse me ignorado. COMO SEMPRE FAZIA.

 

- Então.. o que acha de irmos num cinema? – ela perguntou e eu me engasguei com minha própria saliva. Ela quer ir num lugar escurinho comigo?

 

- Iriamos ver o que? – perguntei até que curioso.

 

- Star Wars? – ela sorriu e depois mordeu o lábio um pouco esperançosa esperando que eu não a zoasse. Eu sei disso por que faço isso.

 

Por um momento eu não tive palavras. Minha boca até mesmo secou de tanto tempo que ficou aberta. Ela realmente... NÃO, ISSO TUDO É MENTIRA JUNGKOOK. Eu não posso me deixar levar.

 

- Eu adoraria mas não tenho muito tempo – inventei uma desculpa e olhei o relógio – Que tal o bar que tem aqui em frente? – eu sou ridiculamente romântico não?

 

- Ah.. claro – ela desviou o olhar e as portas se abriram – Você pode esperar por mim na porta? Vou pegar uma sacola com o porteiro.

 

- Tudo bem – assenti e vi ela se distanciar enquanto eu ia para a porta.

 

Ah, estou nervoso.

 

(...)

 

Quando entramos no bar eu me arrependi profundamente. Estava lotado. LOTADO. E eu odeio lugar com muita gente. É como se todos aqui tomassem o meu ar.

 

Sentamos na mesa perto da janela e onde as pessoas não esbarrassem a cada 2 segundos. Alguns caras derrubaram um pouco de cerveja em mim mas eu decidi relevar.

 

- Você não parece estar muito contente – ela comentou me olhando fixamente.

 

- Eu estou contente – limpei minha garganta – É só que.. eu não gosto muito de lugares cheio de pessoas e suor e..

 

- Podemos ir embora se quiser – ela estava quase se levantando – Eu não importo para onde vamos contanto que que eu esteja com você – ela franziu um pouco o cenho após dizer isso.

 

Eu não dei tempo de meu coração reagir. Sua reação só me mostrou algo que eu já esperava. As palavras, as ações. Não é ela. Isso tudo não é algo que ela faria. É como se outra pessoa habitasse seu corpo.

 

- Jungkook..

 

- Vamos sair – me levantei e joguei o dinheiro na mesa. Agarrei uma de suas mãos e a puxei para longe de toda aquela multidão.

 

Quando passamos pela porta eu senti que podia respirar novamente. Que sensação ótima. Fui mexer no meu cabelo mas notei que minha mão ainda estava ocupada segurando a de ____.

 

Ela estava fitando nossas mãos. Parecia pensar. Quando tentei soltá-la, ela não deixou e começou a me puxar. Perguntei para onde estávamos indo mas ela não me respondeu.

 

Entramos num prédio e ela basicamente me jogou no elevador. Estava começando a ficar assustado quando as portas se abriram no 2 andar. _____ segurou a gola de minha blusa e me arrastou para o corredor.

 

- _____ o que você... – fui interrompido por seus lábios. Eu arregalei meus olhos e acho que perdi o senso de qualquer movimento. Ela me beijou de um jeito tão delicado tão doce que eu acabei relaxando.

 

Minha mente começou a gritar “PARE SEU NERD ESTÚPIDO” mas eu não consegui resistir. Passei minha mão por sua nuca e lambi seu lábio fazendo nosso beijo se aprofundar ainda mais. É bom, na verdade é muito bom. Já tem tanto tempo desde que eu fiz isso.

 

Me arrepiei quando senti suas unhas passearem por minha barriga. Deus, que mulher.

 

Mas foi nesse instante em que eu acordei. Estamos num corredor, ela é minha chefe, ela está enfeitiçada, isso tudo não deveria estar acontecendo. Abri meus olhos e um pouco mais atrás notei a presença daquele ser branco.

 

- Não.. – ela disse quando me separei de seus lábios.

 

- Me desculpe ___, isso é errado – segurei seus ombros. Seus olhos estavam começando a ficar tristes – Somos colegas de trabalho e..

 

- Eu não importo, estou apaixonada por você – prendi minha respiração – Desde quando chegou, sempre admirei o jeito que você faz seu trabalho e adoro como afrouxa a gravata. Como mexe no cabelo quando está nervoso ou quando me pede para sair mais cedo pois tem algum compromisso com a sua irmã. Eu gosto de tudo em você, JungKook.

 

- Isso é mentira – tentei me controlar e sai de perto dela – Essa não é você ____! Você foi atingida por um cupido, você não gosta de mim. Trabalhamos a 3 anos juntos, você não percebe como é estranho gostar de mim só agora?

 

- Eu sempre gostei de você, Jungkook – ela parecia confusa – O fato de você acreditar em cupidos me faz apenas te querer mais.

 

- Não, isso é loucura – baguncei meu cabelo e olhei para o cupido – Isso é culpa sua – apontei. – Eu te disse para não interferir na minha vida.

 

- Com quem está falando, Jungkook? - ___ se encolheu um pouco.

 

- Com Jin – bufei.

 

- Você finalmente disse meu nome – cupido riu e cruzou os braços – Você parecia estar gostando do beijo.

 

- É claro que eu gostei do beijo – quase gritei – Mas isso é errado, não vê que está brincando com os sentimentos dela? Eu nunca vou ser capaz de amá-la. – parei no mesmo instante.

 

O cupido ficou pálido. Hesitante olhei para _____. Sua boca estava entreaberta e ela já não tinha aquele brilho nos olhos quando me olhava.

 

- ______ eu..

 

- Não diga mais nada – ela levantou o dedo – Eu não quero te deixar mais estressado a ponto de falar com seres imaginários – virou-se e começou a ir em direção a uma porta. Antes de abri-la ela se virou para mim – Seja lá quem for que você está conversando, não o culpe por seus erros. Você quem machucou meus sentimentos.

 

O barulho da porta se batendo foi alto. Eu fechei meus olhos e bati minha cabeça na parede repetidas vezes.

 

- Isso tudo é sua culpa – disse ao cupido que caminhava até mim.

 

Ele respirou fundo e negou com a cabeça.

 

- Eu nunca afirmei – disse.

 

- Do que está falando? – perguntei ainda irritado.

 

- Eu nunca afirmei que tinha a acertado com uma flecha.


Notas Finais


Vish, e agora hein?

O clima no trabalho vai estar ÓTIMO

Zoe ainda não está apaixonada..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...