1. Spirit Fanfics >
  2. O cupido de mau humor >
  3. Preparativos

História O cupido de mau humor - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


DEMOREI? ATE DEMAIS KK :( tava com saudades de vcs afe
esse capitulo aq eh algo mais desenvolvendo a relação dos dois e tal...acho q a partir desse a relaçao deles vai aumentar e pa 😳 vcs vao ver

E TAMBEM!!*!**! como eu ja tenho a base de alguns capitulos prontas ...acho q essa estória n vai chegar aos 20 capituloss hmm nao sei mt bem. se houver alguma mudança eu aviso vcs♡

boa leitura! 💕 espero que esteja agradável de ler.

Capítulo 3 - Preparativos


Kageyama observou o estado de Hinata. Apesar do ruivo só ter dado uma cortada, ele já estava ofegante, porém acompanhado de um sorriso gigante.

Tobio pôde perceber que Shouyou podia pular mais alto se sentisse necessidade, e claro que isso deixou Kageyama perplexo. Olhou para os companheiros do time de Hinata, a procura de supresa em seus rostos, mas tudo que encontrou foi admiração. Era como se Shouyou fosse mais uma de suas motivações para trabalharem duro.

Outra coisa que chamou a atenção do maior foi em como o ruivo o olhou depois. Ele não estava zombando, estava o olhando de uma forma que deixava Kageyama desconcertado por completo.

Tobio geralmente não tinha problemas para entender o que as pessoas estavam sentindo – uma das vantagens de ser cupido –, porém naquele momento não entendeu quais emoções Hinata transmitia. Era algo literalmente novo para ele.

O seu sorriso era grande, e suas mãos afobadas balançavam tentando demonstrar para os mais velhos como tinha sido a sensação de cortar a bola de Kageyama, esse que só estava observando a cena de longe, com uma icônica cara de paisagem.

– Gostou da sensação? Quer mais dela ou nem? – Tanaka questionou, se aproximando do maior.

– Não sei...Ainda estou pensando – Kageyama pôs sua mão em seu queixo. Digna posição de uma análise.

– É tão difícil assim?

– Não sei dizer.

– Bro, você tinha uma cara de que ia decidir isso tão rápido – Nishinoya reclamou, se sentando no banco acompanhado de Tanaka.

– Não se sinta pressionado, Kageyama – Hinata sorriu, colocando sua mão nas costas do moreno e batendo levemente, como um certo carinho.

Tobio viu que o sorriso medonho do menor dizia pelas entrelinhas: "Ou participa do time ou eu te mato".

Kageyama arqueou suas sobrancelhas. Ele não ficou com medo, até porque Hinata tinha meio metro (brincadeiras a parte, devia ser mais que meio metro) e tinha uma carinha de que não machucava nem uma formiga.

– Vou participar sim – Apesar de Tobio ainda querer provocar, e ver até aonde a paciência de Hinata conseguia chegar, ele queria ir ao refeitório o mais rápido possível.

Para Kageyama, a melhor coisa que a terra tinha a oferecer era as diversas opções de comidas. Tobio se sentia em um paraíso quando via tanta comida em tão pouco espaço.

E deveria ser por isso que o maior estava tão ansioso para dar uma passada no refeitório. Ele se perguntava quais comidas poderiam ter por lá.

Kageyama torcia pra que tivesse onigiris – já que fazia tempo que não comia eles –, ou alguma torta de morango. Hm, só de pensar nas opções de comidas, a barriga de Tobio roncava.

– Sério?! Decisão certa, cara! – Depois da pequena comemoração de Nishinoya, tudo o que foi escutado por toda quadra foram os gritos escandalosos vindo da parte de Tanaka e Noya. Claro que não duraram por muito tempo, já que Daichi estava por perto.

– Sabia que você ia aceitar. Ninguém resiste aos meus charmes – Shouyou zombou, recebendo apenas o silêncio de Kageyama em resposta, o que deixou o ruivo desacreditado porque jurava que o maior ia começar uma briga só com essa provocação boba.

– Só aceitei pra terminar logo essa palhaçada. Imagina ter que continuar aturando vocês.

– Mas agora você vai ter que aguentar todo dia – Hinata riu, o que resultou em uma carranca de Kageyama.

"Pior que essa porra é verdade", o maior pensou, emburrado, porque não podia discordar do ruivo já que aquilo era um fato.

– A gente pode ir pro refeitório agora ou tá' difícil? – Indagou, já sem paciência.

– Pra ser sincero, acho que todos os lanches que têm lá já devem ter acabado.

– Ué...Todos...Lá não é pago?

– Sim, é pago. Mas aqui tem pessoas esfomeadas e ricas também. Eles acabam comprando tudo.

– Arrgh, isso é culpa sua, tampinha! – Hinata já estava com todos os xingamentos prontos, e com o apelido "arranha-céu" na ponta da língua para chamar Tobio, isso caso o maior não tivesse saído da quadra com passos fortes e em uma rapidez extraordinária.

Se isso fosse um desenho, o ruivo tinha total certeza que o rosto de Kageyama ia estar que nem uma pimenta e ia sair fumaça das suas orelhas. "Ia ficar igualzinho ao pica-pau surtando", Hinata ria com o pensamento bobo que tinha.

Shouyou até enrolaria pra ficar mais tempo na quadra, talvez pra treinar suas recepções – já que Nishinoya vivia reclamando do quanto elas estavam ruins –, porém iria acompanhar Tobio por medo do que o cupido poderia fazer se andasse sozinho.

Quando chegou no refeitório, viu que Kageyama estava parado em frente a uma máquina de doces vazia, que na verdade era pra estar cheia deles.

– Tava' com tanta fome assim? – Hinata perguntou, já ao lado do maior.

– Vai tomar no cu – O maior respondeu, sem nenhuma hesitação em xingar o ruivo.

– Não quer escutar sobre a cafeteria que vende tortas de morango, chocolate e mais sabores?

– Você tá' me enganan-

– Não, seu tapado. Tô' falando a verdade. Você acredita nela se quiser – Interrompeu o moreno, saindo correndo depois de ter falado aquilo. Hinata só conhecia Kageyama a um dia e já sabia que o maior poderia realmente bater nele caso quisesse.

O caminho para a cafeteria foi cansativo, apesar dela só estar a duas quadras de distância da escola. Ambos foram correndo o caminho inteiro: Shouyou pra não passar o risco de ser agredido, e Kageyama corria porque pensava que estavam em uma competição.

– Não valeu! Você começou a correr primeiro – Tobio já se pronunciava, acompanhando Hinata pra dentro do estabelecimento.

O local não estava tão cheio. O maior até que achou agradável a sensação que as paredes claras, e as plantas ao lado das mesas lhe passavam. Com certeza, era um lugar que deveria ser cheio durante as manhãs.

– Isso era uma competição? – Shouyou indagou, confuso. – Eu achava que você queria me bater.

– Quem disse que eu não quero? – Sorriu medonho, tentativa de fazer Hinata recuar, e talvez parar um pouco com as provocações. O pior de tudo era que acabou funcionando. – Se não tiver torta de morango, cê' vai ver o que é bom pra tosse.

Shouyou franziu o cenho. Ele não sabia se ria – da expressão de mãe que Kageyama tinha usado –, ou se ficava com medo do sorriso pertubador que o maior deu.

Depois dos pedidos chegarem, Kageyama comia com afobaçao, o que resultou em risadinhas vindo de Hinata. O moreno fazia caras e boca a cada colherada que ele dava na torta.

Por outro lado, Shouyou havia pedido um crepe de chocolate acompanhado de um Bubble Tea. O ruivo não comia com tanta pressa, já que curtia mais apreciar cada pedacinho.

– Será se seria legal dar algum doce com a cartinha?

– Acho que sim. Eu curtiria algo assim.

Hinata arqueou suas sobrancelhas e cerrou o cenho, em sinal de dúvida. Apesar de Kageyama ser um cupido, Shouyou não sabia se podia confiar tanto nele. Estava óbvio que o maior curtia comer, e era justamente isso que deixava o menor confuso. Ele não sabia se Yachi gostaria de algo assim também.

– Têm as coisas preparadas? – Kageyama perguntou, com as bochechas cheias da torta.

– Não – Hinata choramingou. Ele temia que se as coisas continuassem assim, o fracasso ia ser grande.

– Sabe do que ela gosta?

– Eu não curtia ficar seguindo ela, até porque isso não é algo que deve se fazer – Shouyou alternava entre tomar sua bebida e choramingar.

– Assim fica foda, hein – Kageyama só não jogava uma cadeira na cabeça do ruivo, pois estava ocupado se deliciando com a torta. – Compra algo que você acha que combina com ela, tonto.

Hinata decidiu seguir o conselho de Tobio, assim comprando quatro Daifukus, todos tinham morangos como recheio.

Shouyou gostava de como eles eram doces e fofos, ele podia se lembrar claramente da timidez e delicadeza de Yachi.

No momento que chegaram em casa, o relógio mostrava que eram três horas da tarde. Hinata nem ficou chocado com o horário, era o esperado, porque haviam passado em várias papelarias a procura de papéis e enfeites boiolas, de acordo com Tobio.

Passaram mais uma hora preparando a carta, e outros detalhes. Claro que os murmuros de Kageyama xingando o menor não pararam por um segundo, e até que Hinata se divertia com os apelidos criativos que saiam da boca do maior.

Hoje tinha sido um dia e tanto. Shouyou não gostava de admitir, mas gostou da companhia de Kageyama em seu dia.

O ruivo torcia pra que tudo desse certo amanhã.


Notas Finais


onigiri eh um bolinho de arroz com alga seca e daifuku eh um bolinho que pode vir recheadinho de morangos, chocolate etc
espero que voces tenham gostado 😳


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...