História O Desejo do vilão - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Chichi, Goku, Vegeta
Tags Dragonball, Gochi, Vegbul
Visualizações 26
Palavras 1.915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Cronologia


Vegeta estava preocupado com a Bulma, pois já tinham acabado de comer e ela voltou a mexer no computador. A cara dela não era das melhores, estava muito branca e já era a terceira vez que via ela passando a mão na testa e nos olhos. Era visível seu cansaço, tinha que dar um jeito de fazer ela ir se deitar. Mas conhecia a mulher que tinha e se ele falasse ela não ia se deitar.

- Escuta Bulma, eu quero tomar um banho e descansar. Onde vai ser meu quarto? – disse Vegeta como se ele precisasse disso

- AH.. Sim claro, vocês vieram do espaço, deve mesmo estar cansado. Acho melhor eu também ir me deitar um pouco – e deu um meio sorriso pra ele e um pouco sem jeito – Você poderia me ajudar a ir para o quarto?

Ele não respondeu, só se desencostou da mesa e com toda a delicadeza e cuidado do mundo a pegou nos braços. A sentiu quente, bem acima do normal e, agora que estava bem próximo do rosto dela, viu como ela estava abatida e fatigada.

Bulma ficou surpresa com essa atitude dele, o cuidado dele para com ela. Não se lembrava qual foi a última vez que que esteve nos braços de um homem. E que homem! Ergue os braços e os colocou em volta do pescoço dele, agora bem pertinho dele, examinou seu rosto melhor, de traços rústicos, olhos cor de ônix, se perguntou como seria o sorriso dele? Ele era taciturno, bem fechado, diferente do amigo dele que ria e era falante. Que dois exemplares masculinos maravilhosos, eles a intrigava, passou a última meia hora no computador tentando achar quem eram eles e não conseguiu nada. Era como se eles não existissem, mas se eles não eram da terra, a probabilidade deles terem arquivos por aqui eram nulas. Como estava no colo de Vegeta ela aproveitou para lhe fazer perguntas.

- Vocês me falaram que viviam aqui certo? Aonde vocês estavam se vieram com o Jaco? – Perguntou Bulma curiosa

- Estávamos em planeta tentando deter o Freeza, esse aí é um verme maldito que só nos dá problema. Kakaroto e eu fomos lá para detê-lo conseguimos, mas ele conseguiu fazer o seu desejo as super Dragon Ball.

- O desejo dele foi que todos esquecessem da existência de vocês dois? – Perguntou Bulma – Que desejo estranho, tanta coisa para se pedir, e ele pediu isso?!

- Na verdade o pedido dele seria para ser imortal. Como Kakaroto e eu chegamos para impe-lo de fazer esse pedido, ele mudou de estratégia. – disse Vegeta

- Mesmo assim... – disse Bulma sem entender, mas ai ela teve um pensamento – Vocês falaram que eram daqui, que viviam e protegiam a terra, que até eu era casada com você .... Então, ele fez isso não para prejudicar a terra, mas para se vingar de vocês? – Concluiu Bulma

- Sim! TSC... – rosnou Vegeta que com ódio desse pedido de Freeza apertou os braços fazendo Bulma reclamar

- AI, AI! Afrouxa um pouco o aperto, por favor... – Bulma puxou mas os braços em volta do pescoço dele

- AH... ham ham! Esta melhor assim?! Você fica se mexendo, fica quietinha -  disse Vegeta pra ela

- EU TO QUIETA! – Disse bulma brava se mexendo no colo dele – VOCÊ QUE ME APERTOU!

- OLHA AI! É VOCÊ QUE TA SE MEXENDO!! – Exclamou Vegeta – JÁ FALEI PARA FICAR QUIETA, DESSE JEITO VOCÊ VAI MACHUCAR AINDA MAIS ESSA PERNA – Ele viu o rosto dela se contrair pela dor dos movimentos e parou para ajeita-la em seu colo – Perai, assim eu vou te machucar... – a ajeitando – Está melhor assim?

Bulma estava olhando dentro dos olhos dele, como poderia passar de ogro a gentil em questão de segundos? Até cinco segundos atrás eles discutiam e agora ele falava com uma voz, mas baixa e preocupado com a perna dela. Ficou em silencio o encarando e ele voltou a perguntar

- Então, assim esta melhor? – Também olhando para ela. Os dois ficaram se olhando, quando no mesmo corredor aparece o Sr.Briefs 

- Ah vocês estão ai! – disse o Sr.Briefs alheio dos olhares - Seu amigo já está no quarto, vocês dois vão dividi-lo, tem um banheiro privativo lá para os dois. Amanhã vou cadastrar a digital de vocês no sistema, todos aqui têm identificação, em caso de qualquer emergência. Minha filha como está sua perna?

- Ã... Eu to sentindo ela arder agora, mas eu só preciso descansar um pouco. O Vegeta estava me levando para o meu quarto -  disse Bulma

- Eu abro a porta pra você – disse o Sr.Briefs que foi com eles o resto do caminho

Ninguém mas falou nada, foram em silencio até o quarto. OSr.Briefs abriu a porta e Vegeta colocou Bulma com todo cuidado na cama.

- Obrigado! – Agradeceu Bulma

- Obrigado Vegeta, eu estou muito velho para carregar minha menina no colo hihihi – disse o Sr.Briefs que se voltou para Bulma – Minha filha, vou pedir para o Doutor vir aqui ver sua perna, e te medicar. Essa sua febre está me preocupando...

- Não se preocupe papai, eu preciso só de um boa noite de sono – disse Bulma sorrindo pro pai

- Mesmo assim vou pedir para ele vir aqui ver essa perna -  se aproximando dela e dando um beijo em sua testa – Boa noite querida!

- Boa noite papai! – Olhando pra Vegeta -  E... Boa noite. Vegeta!

- Hum... Boa noite Bulma! – disse Vegeta já saindo do quarto

O Sr.Briefs o levou até a porta do quarto, e o agradeceu novamente por ele ter cuidado de Bulma. Entrando no quarto viu Goku já deitado na cama com os braços atrás da cabeça, olhou para o Vegeta e falou

- Adivinha quem era a cozinheira? Era a Chichi!! – Disse Goku como que conversando – Ela ta linda! Tem um filhinho chamado Einstein.... Ela sempre quis colocar esse nome no Gohan, e colocou ele no filho que teve com o Yancha...

- E daí Kakaroto?! O que me importa isso?! Temos que viver aqui por um ano até as super Dragon Ball estarem renovadas. – falou Vegeta puto, queria logo ir pra sua realidade, com sua família, com sua mulher em segurança e seus filhos vivos -  Para você tudo está ótimo, desde que tenha comida seu idiota!

- AH Vegeta, o que você quer que eu faça?! - Exclamou Goku se sentando na cama – Já ta feito cara, e se desesperar não vai ajudar. Temos agora que ajudar a terra nesse momento... Cara, não imaginava que sem a gente por perto a terra ia sofrer tanto. Que loucura né?! Sempre me perguntei se a terra não ficaria melhor sem nossa interferência, mas parece que não. – Olhando para o semblante pensativo de Vegeta, ele o questionou – Porque você está com essa cara? Tudo bem que sua cara normal é essa, mas parece que você está pensando em algo. E algo que não é bom...

- Enquanto você falava esse monte de asneiras, eu tava aqui pensando Kakaroto, se tudo aconteceu mesmo sem você e eu aqui, os androides apareceram depois da minha chegada. Na cronologia dos acontecimentos, onde está o Raditz e o Nappa? E se os androides estão aqui, o Cell pode aparecer a qualquer hora.

- Vixii é verdade! Eu não tinha pensado nisso Vegeta! – Disse Goku ficando em pé de um salto no quarto

- Não me surpreende, você é um idiota!

- Para de ficar me chamando de idiota – Disse Goku com as mãos na cintura olhando enfezado pro Vegeta

- PORQUE VOCÊ É UM IDIOTA!! EM VEZ DE SE PREOCUPAR COM IDIOTICES COMO SUA MULHER, DEVERIA FOCAR NO QUE É IMPORTANTE – Berrou Vegeta

- Hora eu to focado, e você também ficou todo preocupadinho com “sua Bulma” – no “sua Bulma” Goku mudou a voz como se imitando ele – Mas realmente, eu não pensei nessas coisas, pra mim nada disso ia acontecer, já que parece que tudo foi em torno de quando eu conheci a Bulma.

- Sim, mas eu estava com isso na cabeça. Quem recebeu as ordens de vir para cá fui eu, e ocasionalmente Nappa por estar junto veio comigo. A questão é: se eu não recebi essa ordem por não existir, Nappa não a receberia? – indagou Vegeta com uma mão no queixo como se perguntando pra ele mesmo. Olhando para o Goku – Será que Freeza não existe porque você matou ele antes do pedido?

- Sei lá Vegeta, mas ele também apareceu aqui quando o Trunks do futuro matou ele. Então, o que houve com os sayajins e o Freeza? Será que o Cell está por ai esperando para se fundir com os androides? – Goku socando uma mão na outra – Já sei Vegeta, e se nós formos lá no laboratório do Dr.Maki Gero ver se achamos algum indicio do Cell?

- Até que enfim falou algo que preste Kakaroto – Falou Vegeta dando um de seus sorrisos de lado, voltou-se para a cama e deitou. Goku também voltou a se deitar na sua cama.

- Boa noite Vegeta -  disse Goku sem receber resposta

 

O médico tinha acabado de sair do quarto de Bulma, quando Chichi entrou com um copo de chá pra amiga.

- Oi Bulma, como você ta? Eu te trouxe um chazinho para você descansar melhor. – disse Chichi lhe entregando a xícara, e sentando na beira da cama – Sua perna ainda dói? 

- O médico acabou de trocar os curativos, e me medicou, ai amiga, obrigado pelo chá, pela sua cara sei que você quer conversar, mas eu estou mesmo grogue, pelo remédio e pelo cansaço. Me desculpe... – disse Bulma sonolenta

- Não tudo bem, você precisa mesmo descansar, olha só pra você, eu só vim mesmo te entregar o chá e vê se você estava bem - Chichi mentiu, mas sua amiga estava mesmo mal – Amanhã é melhor você tomar seu café no quarto e descansar um pouco mais. Eu vou fazer um café bem reforçado pra você amiga! – e sorriu para Bulma

- Ai obrigado Chichi! Você é um amor! Boa noite – disse Bulma se ajeitando na cama

- Boa noite amiga, durma bem! – Chichi a cobriu melhor e saiu do quarto

Chichi devia muito a Bulma, pois foi graças a ela que o seu Einstein estava a salvo. Não só isso, como o abrigo que também ela e seus pais estavam dando para as pessoas se salvarem dos androides. Chichi suspirou e voltou-se para seu quarto. Abriu a porta e viu seu menino na caminha dele com um livro de ciências nas mãos. Sorriu, pegou o livro e ajeitou as cobertas dele e deu um beijinho na sua testa. Seu filho era a única coisa boa do seu casamento com Yancha, que se mostrou um cretino o tempo todo que estiveram casados. Que Deus a perdoasse por falar mal de morto, mas no final até que Yancha tentou fazer algo bom ao lutar com os androides, mesmo que isso custou a vida dele. Voltou a olhar para seu filho... tão inocente... suspirou.

Foi até uma janela que tinha no quarto, ela sentia falta de olhar para o céu, a janela dava para uma parede de concreto, era um corredor somente para circular o ar. Sentia falta de coisas simples, como olhar para o céu, tomar banho no rio ou na cachoeira, fazer um piquenique... prazeres tão simples que foram tirados por aqueles androides.

Ela se deitou e rezou por um milagre aparecesse na terra.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...