História O Desejo Que Peço - Capítulo 2


Escrita por: e JoAoEstranho

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Barry (Jun), Dawn Hikari, May, Serena
Tags Alolashipping, Amourshipping, Pearlshipping
Visualizações 103
Palavras 2.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olosko, eu não sei não


Xdd aauahauajajauah queijo mt bom

Ent galeris kjjh oi


-q


Bom dia

Capítulo 2 - Prove, Jirachi


Quebra de tempo ou mudança de local = (...) 



(...) 21:39


– A janta já na mesa. - Disse Haine ao me ver entrando em casa, respondi à ela com um "Ok"

Suspirei e segui para a cozinha. Enquanto servia a comida, Dawn passava em minha cabeça, o que será que ela tinha pedido para chorar daquela maneira e sair sem dizer nada..? 

– Por que estou me importando mesmo? - Dei de ombros e segui para sala, onde Haine estava assistindo seus animes

Ao terminar de comer, rapidamente voltei a cozinha com o prato - o deixando na pia. Em seguida subi ao meu quarto, me preparando para o sono profundo

“Eu desejo.. Apenas parar de sofrer, seja qual for a maneira que você encontre.” o desejo que fiz a Jirachi não me deixava dormir e pensava se devia mesmo acreditar naquilo ou só fui um idiota por recorrer ajuda a uma estátua. Mas a cena de Dawn ainda me via a cabeça, ela realmente parecia desesperada em seu desejo.

– Por que ainda estou me importando com isso…? Tsc.. - Fechei os olhos fingindo que não me importava mais.. mas a cada minuto eu via o quão difícil seria para mim dormir naquela noite


(...) No dia seguinte, 6:43


Abri os olhos, mas meu corpo não saia do lugar de tão cansado, meu alarme tocava escandalosamente e minha vontade de ir desligá-lo estava zero

– Você não vai se arrumar não? Falta 15 minutos! - Dizia Haine ao entrar no meu quarto 

– Mais dois minutos, mãe. - Brinquei sarcástico, ela inflou as bochechas irritada

Enfim reuni toda minha força e levantei, indo diretamente ao banho, e a água caindo sobre mim conseguiu trazer de volta os pensamentos que me fizeram ficar acordado por duas horas.. Maldita Dawn. 

Sai do banho e já me vesti - uma calça jeans rasgada e desfiada no joelho esquerdo e meu padrão uniforme da escola. Calcei meu tênis, peguei meus materiais e desci as escadas

– Vá logo! Você está atrasado! - Gritou Haine ao fitar seus olhos em mim

Suspirei pesadamente e sai de casa


(...) 7:12


Finalmente havia chegado na escola, e a hora não se era muito boa para chegar, ainda mais que hoje era aula de História, onde o professor mais rude da escola dava aula. Enfim caminhei até as escadas do edifício e subi em direção a minha sala

No corredor vazio caminhava até dar de encontro com uma garota, já ia seguindo reto quando a mesma me parou

– Ash Ketchum, não é? - Ela sorriu aberto, apenas confirmei com a cabeça - Você foi mudado de sala, a 2-B já não é sua sala. - Ela disse

– Como? - Perguntei confuso, ela riu fraco

– A diretoria avaliou seu desempenho comparado ao dos outros e você está bem acima. - Ela sorriu - E além do mais, temos relato que você sofre bullying nessa sala. - Ela comentou seria 

– Bullying, como assim? - Forcei uma risada distorcida, ela me olhou seriamente

– O que seria isso, então? - Ela pegou meu braço a força apontando para as cicatrizes 

– Qual seu nome? - Suspirei ao perguntar

– Lillie, por que? 

– Ok Lillie.. Eu te peço que não se intrometa na minha vida, por favor. - Estava pronto para receber um xingamento dela, mas ela apenas abaixou a cabeça 

– Me desculpa.. Eu não entendo pessoas como você, então pensei que poderia ajudá-lo em alguma coisa… não entendo como alguém como você consegue ter esses olhos. - Ela disse com uma voz falha parecendo que ia chorar

– Olhos..? - Arqueei a sobrancelha

– Sim, olhos mortos. - Ela disse séria, recuei um pouco sem ter o que dizer

Respirei fundo – Eu agradeço, mas estou tranquilo 

– Tudo bem então, agora deixe me levar até a sua nova sala. - Ela disse num sorriso aberto

– O quê? Eu já disse, estou tranquilo. 

– Isso é ordem da diretoria, não minha.. Não há o que fazer. - Ela sorriu de canto, suspirei pesadamente e a segui sem opções 

Ao chegar na minha nova sala, ela mesma bateu na porta. O professor logo atendeu com um sorriso estampado no rosto

– Oh, entre por favor, estava a sua espera. - Ele dizia me tratando como um aluno novo na escola

Suspirei e entrei na sala e fui bombardeado com olhares, rapidamente já ia me sentando, se o professor não tivesse impedido

– Se apresente, não sabemos quem você é ainda. - Ele disse com seu irritante sorriso

– Certo.. - Murmurei incerto indo até a frente da sala – Ash Ketchum, prazer o meu estar nessa sala. - Disse normalmente, recebendo palminhas em seguida. 

Eles sorriam gentilmente com olhares direcionados a mim, que estranho aquela sensação era - já que na maioria das vezes o desprezo no olhar é meu melhor amigo

– Muito bem, professor Lance, já irei deixar com o senhor. - Disse Lillie, o professor apenas confirmou e ela saiu

– Pode-se sentar Ash, e hoje que temos um novo aluno, podem ficar atoa e conversarem até o final da aula. - Disse ele e todos se animaram

Mas o que? Tudo isso por causa de mim? O que diabos estava acontecendo ali? - pensava enquanto me sentava

– Oi! - Rapidamente uma menina girou a cadeira a minha frente - Eu sou May, é um prazer te conhecer, Ash. - Ela disse gentilmente

– E eu Brendan. - Outro que surgiu do nada - Sou o irmão dela. - Ele disse fazendo reverência 

– Aprecio os nomes de vocês, o prazer é meu. - Disse normalmente quase que automático

– Uau.. - A garota disse

– O português dele é muito nobre. - Completou o garoto e em seguida os dois riram

– Não me bajulem tanto, por favor. - Disse com um sorriso forçado 

– Bajular? Estamos só o elogiando.. Eles não faziam isso na sua sala? - Perguntou Brendan num tom elevado, abaixei a cabeça 

– Erro meu, desculpe. - Disse.. É, eu realmente quase que desperdicei uma chance, eu sou muito idiota

– Educado até demais, isso pode ser sua cova. - Já dizia uma garota sentando-se ao lado de May 

Arqueei uma sobrancelha não entendendo

– Muitas pessoas odeiam isso, o linguajar nobre vai dar inveja aos outros e eles lhe chamarão de falso riquinho. - Explicou ela, num sorriso de canto

– Entendo, mas eu acho que não ligaria para a opinião “deles.” - Os três sorriram

– Você é dos meus, prazer, meu nome é Lyra. – Estendeu a mão para mim, apertei normalmente

De repente senti um tapa na minhas costas, mas não foi forte o suficiente para doer

– FALA CARA que deu dia livre para nós! Mal te conheço, mas já te considero pakas! - Ele dizia animado 

– Não assuste o coitado, Ethan. - Disse Lyra num sorriso sem graça 

– Me desculpe, eu sou meio eufórico, não ligue.- Ele disse com as mãos atrás da nuca enquanto sorria

– Tudo bem, pessoas assim me agradam. - Sorri aberto

– Haa! Chupa! - Ele disse para Lyra, que revirou os olhos em seguida

– Com licença, eu preciso ir ao banheiro. - Me levantei, eles se entreolharam e apenas assentiram

Andando pelo corredor milhares de pensamentos se passavam em minha cabeça. Ao chegar no banheiro rapidamente liguei a torneira e joguei água em meu rosto, e logo as lágrimas se misturavam com a da torneira

Por que eu chorava? Não fazia ideia.. Esse não era o momento que sempre esperei? Ou então eles só estavam sendo falsos para darem a imagem de gentis para não terem má fama… será? 

Então sai do banheiro com uma expressão quase que morta, com aquela ideia tosca na minha cabeça de que eles estavam só forçando uma amizade

– Ei! - Nem vi que havia uma pessoa em minha frente e sem querer a derrubei

– Perdão, não te vi. - Disse estendendo a mão 

– Ainda bem. Se você tivesse visto seria outro caso. - Ela disse ao se levantar 

– Eu não acho que seria babaca a esse ponto. - Suspirei, ela deu de ombros

– Vai saber, tanto idiota nessa escola. - Disse ela se limpando - Olha só, meu short todo sujo! - Exclamou

– Perdão. - Disse novamente 

– Que palavra chata, para de dizer perdão por favor. - Ela disse irritada 

– Perd… - Já iria dizer no automático mas ela me olhou assustadoramente 

– Qual seu nome, perdão-kun? - Sorriu ao me apelidar

– Ash. 

– Sou Aria, foi bom te conhecer, agora me deve uma. - Ela piscou, suspirei num sorriso de canto

– Tudo bem, qualquer dia eu pago. - Falei e me despedi da mesma e fui em direção a sala

Aquela ideia de amigos forçados já não estavam na minha cabeça e sim outra - por que eu nunca encontrei um novo amigo no banheiro e só agora? Pode ser até mais bobo esse pensamento do que o outro, mas é o se passava em minha mente fora do normal

– Ei Ash! Estamos marcando para ir tomar um sorvete hoje a noite, você vem? - Era Ethan, ele disse assim que me viu

– Eu... - Não sabia o que responder, parecia que havia travado

De repente senti mãos suaves tocarem meus lábios e logo em seguida eles serem apertados fazendo formato de peixinho

– Sim, eu vou. - Tentou imitar minha voz ao apertar e desapertar meus lábios - Oi, tudo bem? - Seus cabelos eram longos da cor de mel e seu olhos azuis a destacavam ainda mais

– Tudo.. - Disse meio desconfortável devido a proximidade dela

– E lá vai a Serena roubar o coração do novato. - Ouvi um sussurro de Brendan para May, que soltou risinhos, senti levemente minhas bochechas esquentarem

– Não ouça eles.. São uns bobos. - Enrolou seus braços em meu pescoço, rindo em seguida - A gente poderia brincar depois, o que acha? - Ela sorriu maliciosa em meu ouvido

– Não curto brincadeiras, estou crescido demais para isso. - Disse num pequeno sorriso, tentando disfarçar a vergonha que sentia

– Poxa, é uma pena. - Ela fez um biquinho - Minha favorita é a papai e mamãe. Adoro ela. - Ela disse enquanto me rodeava, os outros apenas seguravam a risada observando a cena

– Gosta? Uma pena que não gosto, terá que arranjar outro papai. - Brinquei, ela riu meiga

– Poxa.. e irmão, quer ser o meu? Eu posso te chamar de onii-chan toda vez que te acordar. - Ela disse com o indicador em seus lábios

– Ah que pena.. Eu já tenho uma irmã. - Sorri aberto. Eles riram não aguentando mais

– Nossa.. Assim você acaba comigo, Ash. - Ela fingiu uma cara triste - Poderia me consolar? - Ela me abraçou de frente, descendo discretamente sua mão a minha calça

– Nossa, eu também odeio abraços. - A afastei de mim antes que ela chegasse ao meu “ponto de apelo”

Eles não aguentaram e caíram na risada, e pela primeira vez eu dei um sorriso verdadeiro. O que estava acontecendo aqui? 

Ela então riu e pareceu aliviada por eu não ter me rendido a suas provocações… Bem previsível, meninas pedindo para ser assediadas só em mangá japonês mesmo. 

– Não me entenda mal, só estou brincando com você. - Serena sorriu meiga - Espero que sejamos amigos. - Ela disse e por fim sorri também 


(...) 13:37


O sinal já havia tocado e eu saia da sala com meus novos amigos - nós riamos e falamos bobagem - e só de pensar que no final do dia eu os veria novamente numa sorveteria me alegrava demais

– Ei Ash! - Ouvi uma voz familiar me chamar, e em seguida lembrando, a culpada pela minha noite perdida 

– Oh Dawn.. Espera, eu já volto.. - Disse a Brendan e May que me acompanhavam

– Me desculpa por ontem, eu estava muito emotiva depois do meu pedido. - Ela disse sem jeito desviando o olhar

– Sem problemas. - Falei normalmente 

– Mas hein.. Você mudou de sala, não é? - Ela sorriu triste

– Sim, a diretoria me mudou por desempenho e… relato… de Bullying… Espera aí.. - Ela sorriu amarelo

– O-O que foi.. Eu fiz o certo.. - Ela disse num sorrisinho sapeca - Mas aí… Acho que seu pedido se realizou. - Ela disse

– Como? 

– Olha pra você, justo no dia seguinte que pediu a Jirachi isso acontece.. - Ela sorriu aberto, então percebi, talvez tudo que tinha acontecido no dia tinha um motivo? Este era Jirachi? 

– Coincidência. - Parte de mim ainda não acreditava

– Coincidência? Então do nada a diretoria resolve olhar teu desempenho depois de dois anos na escola e te mudar de sala, e nessa sala você incrivelmente conseguir amigos… Com certeza foi pura coincidência. - Ela disse sarcástica, desviei o olhar

– Por que está tão brava? 

– Por que você conseguiu o que queria e não está valorizando isso! Enquanto eu já estou perdendo a esperanças des que pedi pela primeira vez! - Ela berrou enquanto lágrimas saiam de seus olhos

– Espera, aquele não foi seu primeiro pedido? - Perguntei surpreso, ela soluçou não respondendo - Dawn.. Seja lá o que você pediu, basta ter paciência.. Você pedir várias pode causar desconfiança na fé. - Tentei consolá-la

– E desde quando você entende disso? - Ela perguntou enxugando as lágrimas - Agora pouco dizia que esses desejo eram coincidência! - Exclamou

– É verdade, mas se você acredita mesmo, essa é a minha dica. - Segurei em seus ombros e a olhei seriamente - Tenha paciência, talvez a escada do seu sucesso tenha vários degraus, mas se você tá querendo recomeçar toda vez.. nunca irá terminar de subir. 

– E-Eu.. Me desculpe.. - Ela voltou a chorar, e confesso que aquele rostinho bonito chorando na minha frente era muito difícil de se ver

– Ei Ash.. Tudo bem com ela? - Perguntou Brendan chegando junto a May. Abracei ela de canto

– Coitada, não é? Já está sentindo minha falta. - Brinquei, ela riu em meio a um soluço

– Idiota. - Me deu um soquinho fraco, os irmãos riram e assim fomos embora junto, cada um pra sua casa

Me perguntei como tamanha intimidade já tinha me tocado a esse ponto… será mesmo que Jirachi existia? Não sei ainda… Isso pode ser apenas uma grande coincidência.. Porém isso está perfeito demais para apenas uma ilusão do mundo… de qualquer modo, apenas tenho uma coisa a dizer


Prove-me do contrário, Jirachi. 



Notas Finais


Oiii gentii


Primeiramente, para os criticos de plantão: Sim, o foco da fic não é a realização do pedido do Ash, e sim desenvolver uma nova fase da vida d um garoto que até a pouco entrava em depressão.. Pode ter sido meio fraca a "depressão" dele, pode eu sei, mas eu pretendo desenvolver ela muito ainda mais pra frente.


Espero que tenham gostado do cap e não agradeçam só a min se gostarem, Jão escreveu quase que metade do capítulo ( corrigindo meus erros e outras coisas também conta ahauay)



Um biscoito d maizena pra cada um e ate a proxima..




Uhu, madrugs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...