1. Spirit Fanfics >
  2. O Desencontro >
  3. O Sorriso

História O Desencontro - Capítulo 7


Escrita por: pessoa_do_universo

Notas do Autor


Oi! Só vim falar que esse capítulo se passa um pouco depois do capítulo anterior e é narrado pela Marinette.

Capítulo 7 - O Sorriso


Fanfic / Fanfiction O Desencontro - Capítulo 7 - O Sorriso

Não conseguia acreditar! Ele me beijou, como isso é possível? Será que os meus confusos sentimentos são correspondidos? Não, isso não é possível ele ama outra, foi o que ele me disse quando eu era Ladybug, e não possível que ela seja eu. Eu queria continuar beijando-o, mas fiquei tão assustada e sem jeito que o empurrei para longe, não sabia como reagir, não estava esperando isso.

O empurrei com tanta força que ele chegou a cai. Sua face assustada estava vermelha de vergonha, como eu pude deixar isso acontecer? Ele se levantou calmamente, mas os seus olhos continuavam voltados para o chão. Devagar ele se dirigiu para o meu sofá e ali se sentou, pôs as mãos na cabeça e continuou sem olhar em meus olhos ou me dirigir a palavra. Talvez eu o tenha magoado, talvez aquele beijo tenha sido sem querer e eu é que estou fantasiando algo que eu desejo do fundo do meu coração e que nunca vai acontecer.

Eu também me levantei e me sentei na minha cadeira do outo lado da sala, estava meio tonta e sem ar, não sabia o que fazer ou como agir, porque, apesar de eu ter um grande crush nele, ele é o meu melhor amigo e talvez ele queira que continuemos assim. Será que foi tudo um acidente e aquele beijo nunca deveria ter existido? Eu só sei que eu estou envergonhada pelos meus atos, pois, afinal, eu gostei do beijo. Seja como for, tendo sido um acidente ou amor eu só sei que tenho que falar com ele.

Mesmo sabendo que era o certo a se fazer, eu não consegui, tinha muita vergonha, tinha medo de ser rejeitada outra vez. E lá ficamos nós, durante minutos sem conta sem falar uma única palavra, sem pronunciar um único som. O que eu mais temia estava acontecendo, o meu amor por ele estava estragando a nossa amizade, estava nos separando. Não! Eu não vou deixar que isso acabe assim! Tenho que fazer algo:

‒Cat Noir, eu… - Comecei a falar quando fui interrompida por um certo gato.

‒Não precisa de dizer nada. Eu sei que não deveria ter feito aquilo…, é que eu não consegui evitar. E… e se você quiser continuar sendo só minha amiga está tudo bem, só me promete que não vai se afastar de mim, ok? – Disse o garoto em um tom triste com as lagrimas começando a escorrer pela face. Eu caminhei em sua direção e sentei ao seu lado.

Isso é o que eu mais temo, gatinho. – Disse eu passando a mão por sua face e limpando as suas lagrimas. Ele encostou a cabeça no meu ombro e fechou os olhos, estava tão calmo.

‒Obrigada por entender os meus sentimentos por você. – Disse ele sorrindo. E foi nessa hora que eu entendi: Ele gosta de mim!

‒Sentimentos?! Oque?! Então você realmente gosta de mim! – Gritei eu tão alto que acho que os meus pais ouviram.

‒S-sim. – Disse ele meio sem jeito. Eu encostei a cabeça nos joelhos e comecei a rir e chorar, tudo ao mesmo tempo, nem sabia direito o que sentir – Porque você está rindo?

‒É que, todas essas noites eu fiquei acordada pensando que eu não podia gostar de você, pois só me via como amiga. Porém esse tempo todo você estava gostando de mim! Como eu pude ser tão idiota ao ponto de não entender isso antes! – Disse eu levantando a cabeça.

‒Ha, ha, ha…, espera oque?! Você gosta de mim?! – Ao ouvi-lo pronunciar essas palavras me dei conta do que tinha feito, eu disse para ele o que eu sinto!

‒Bem, acontece que… - Eu estava dizendo quando de repente ele se levantou me pegou no colo e começou a rodar comigo no ar.

‒Hoje é o dia mais feliz da minha vida! – Disse ele rindo, chorando, me abraçando, tudo junto e misturado. Ele tinha um sorriso do tamanho do mundo no rosto, era tão bonito e engraçado vê-lo assim. E foi aí que ele me beijou novamente, mas desta vez eu não recuei.

Se passou algum tempo desde esse dia, nós dois nos tornamos namorados, mas infelizmente eu não posso contar para ninguém, afinal ele é um super-herói. Já faz algum tempo que eu estou tentando arranjar coragem para lhe contar que eu sou a Ladybug, mas não consigo, a algum tempo atras ele andava muito bravo com a Ladybug, e não o culpo, eu o rejeitei tantas vezes, e agora que nós começamos a nos dar bem novamente…, eu só não quero que ele pense que eu estou brincando com os seus sentimentos.

Mas os meus problemas não abrangem apenas o meu namorado, agora o Adrian anda muito estranho também, eu queria poder dizer que já não gosto dele, mas assim eu estaria mentindo, pois, mesmo namorando o Cat Noir continuo tendo sentimentos pelo Adrian. Apesar disso eu consegui parar de gaguejar toda vez que falo com ele, na minha opinião é um começo. O estranho é que agora ele anda querendo ficar perto de mim.

Nunca pensei que o Adrian querer estar comigo pudesse ser algo ruim, mas agora que eu estou com o Chat tornou-se tudo mais complicado. Mas não é o momento de ficar pensando no Adrian, eu tenho problemas maiores como Ladybug. Depois de pensar muito decidi que eu realmente tinha que contar a minha verdadeira identidade para o Chat, não aguento mentir mais, quero poder estar ao lado dele como Marinette e Ladybug.

Eu combinei de nos encontrarmos nos esgotos de Paris, e eu sei que não é o lugar mais romântico d mundo, mas é o mais seguro. Eu irei me revelar hoje, na verdade já estou a caminho, não espero que nada aconteça, nem vou obrigá-lo a revelar a sua, porem eu tenho que o fazer, mesmo que isso me custe a pessoa mais incrível do planeta, será muito pior se eu lhe disser mais tarde.

Ao chegar lá vi que o Cat Noir já estava me esperando, ele tinha aquele jeitinho de gato e já começou fazendo piadas. Eu amei vê-lo assim, como costumava ser, era bom que eu aproveitasse isso enquanto dura, porque eu não sei como ele iria reagir quando lhe contasse, e queria aproveitar cada minuto enquanto o tinha assim. Eu tenho que me concentrar! O me objetivo é dizer-lhe que eu sou a Ladybug:

‒Chat, preciso de te falar uma coisa muito importante.

‒Não importa o que for nós podemos lidar com isso juntos! – Disse ele preocupado, porem com aquele lindo sorriso no rosto.

‒Você tem que parar de dizer coisas dessas, se não eu irei me distrair e vou perder a coragem para te contar o que eu estou prestes a dizer! – Disse eu envergonhada.

‒Mas oque foi? – Disse Chat com um ar mais sério.

‒Nós já somos parceiro há muito tempo e acho que você tem o direito de saber. Eu confio plenamente em você. – Disse eu sem sorrir.

‒Ladybug, o que foi? Você já está começando a me assustar. – Disse o garoto colocando a mão no meu ombro.

‒Eu tenho que te falar quem eu sou!! – Gritei eu.

‒Mas… e o Hawkmoth? – Perguntou ele se afastando.

‒Você é mais importante para mim e não quero que você pense que eu estava mentindo para você! – Disse eu me desfazendo em lagrimas.

‒Mas…

‒Tikki destransformar! – Ao pronunciar essas palavras soube que estava pondo em causa todo o meu relacionamento de amizade e amor com ele. Ao ver que eu sou ele ficou paralisado, eu também não soube o que fazer, e por isso ficamos nós os dois apenas olhando um para outro.

‒Marinette?! – Disse ele surpreso.

‒Desculpa, eu deveria ter te falado mais cedo. Eu só não queria te perder ou pior, que você pensasse que eu estou brincando com os seus sentimentos. E se você quiser sair e nunca mais falar comigo eu vou entender. – Disse eu já me preparando para ir.

‒Não! Espera! – Disse ele me puxando de volta.

‒Cat Noir… - E quando eu ia pedir novamente desculpas ele me interrompeu com um beijo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...