História O despertar - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Amor, Magia, Ódio, Reinos, Rivalidade Entre Irmãos, Romance, Triângulo Amoroso
Visualizações 39
Palavras 2.075
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Adultério, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá amores! Desculpa o atraso, tentei fazer esse capítulo pelo notbook, porém deu merda e perdi uma Boa parte do capítulo, então tive que descrever! Fiz pelo celular, então se tiver algum errinho... perdão! Queria cumprir o prazo... enfim.. Boa leitura!

Capítulo 40 - Você é uma garota má


Frio, era a única coisa que sentia. 
Eu ouvia tudo o que me diziam, mas nao conseguia me concentra, era impossivel fazer isso. Mesmo que Tales me cutucasse ou ate mesmo Andres me encarasse, nada conseguia me trazer ao mundo real, eu nao queria ver o que estava em minha frente, nao me importava com a maldita estratégia. 
Estávamos em Montana, um reino frio e conhecido pelos seus penhascos, era próximo de Nevada, por isso os ventos violentos e intensos. 
Fazia quase um mês que não via o Dario, pelo menos em carne e osso, mas em meus sonhos eu o via diariamente. Sei que é egoísmo meu, mas queria perturba-lo da mesma forma que ele, me alegra pensar que possa estar igual ou ate pior que eu. Deveria ter vergonha de confessar, porem a minha dor nao me fazia pensar. 
-O que esta acontecendo? -Tales me analisou apos a reuniao com as irmas, que eram de forma conjunta a rainha daquele reino. 
Era interessante a forma de governar, se Onix tivesse seguido esse modelo, sera que Arthur seria o monstro que é? 
Porque era quase obvio a obsessao de Arthur pelo trono, como nao vi isso antes? 
-O que? -perguntei o vendo olhar para o ceu. 
Tales tinha a idade do meu pai, me lembrava ate ele em alguns momentos.
-Algo me diz, que essa desordem em seus pensamentos, tem haver com o garoto de Onix. -disse direto como sempre. -Suponho que essa desordem não esta apenas em sua mente, seu coraçao tambem. 
-E dai? -perguntei o vendo me encarar. 
-Melanie... 
-Eu sei o que voce esta pensando, sim eu tinha um caso com ele. -confessei olhando o vale em nossa frente. -Eu apenas mudei de ideia. 
-Quando voce disse que nao queria se tornar rainha, se referia...
-A ficar com ele. -falei olhando em seus olhos. -Eu apenas mudei de ideia quando me dei conta que pessoas ainda morreriam, e agora...-engoli em seco e olhei para os meus pes. -Quero que sinta a minha falta, tanto que seja quase insuportável, tanto que largue tudo por mim. Porem eu sei, Dario nunca faria isso, nao por nao desejar, mas por nao ter deixado essa escolha a ele.
-Esse tipo de dor...demora algum tempo para se acostumar, pois não passa.  -disse olhando para mim. 
-Vou dar uma volta, esse assunto  me deixou tensa. -falei o vendo concorda. 
-Não  confie em seus ouvidos. -disse se virando para ir de volta ao castelo. Ignorei o que havia dito. 
Caminhei ate senti as minhas pernas tremerem, me sentei em baixo de uma arvore.
Mesmo estando em uma floresta, nao conseguia ouvir nada alem do vento.
 -Melanie. -ouvi a voz de Dario. 
Arregalei os olhos e me levantei. 
-Dario? -chamei sentindo o meu coraçao vacilar. 
-Melanie. -ouvir novamente. -Venha ao meu encontro. 
Segui em frente sentindo a minha vista embasar, eram lagrima descontroladas. Eu não conseguia acreditar. 
-Cade voce? -falei olhando ao redor, estava quase no final da floresta. 
-Esta quase, mais um pouco Mel, e seremos apenas eu e voce. -disse me fazendo correr mais rapido. 
Porem senti alguem segurando o meu braço. 
Olhei para tras e notei que era o Felipe. 
-Eu tenho que...
-Dario nao esta aqui, olhe para frente. -disse apontando para frente. 
Olhei para frente e notei que estava na beirada de um penhasco. 
-Eu...-senti ele me puxar para tras. -Jurava que... 
-Eu sei. -disse calmamente. -Nao confie em seus ouvidos, esse lugar gosta de nos pegar peças...
-Poderia ser ele. -sussurrei. 
-Vamos sair daqui. -disse segurando em meu ombro. 
O segui, ele ia em minha frente, eu tinha algumas duvidas que me consumiam. 
-Desde de quando gosta da Troia? -perguntei o vendo me olhar de canto. 
-Mas que...
-Qual é, eu vi o jeito que olha pra ela. -provoquei. 
-Desde sempre, desde que estava com Dario...desde que aquela maluc me derrubou da arvore quando tinhamos 11 anos. -disse dando um sorriso se lembrando de quando eram crianças.  -Nao temos uma relaçao solida igual voce e o Dario, nos tratamos como inimigos, mas a amo como se isso tivesse vindo de outra vida. Talvez seja o meu karma. 
Dei um sorriso com o seu comentário quase cômico. 
-E o que faz para conseguir dormi a noite? -perguntei o vendo me olhar. 
-Quem disse que estou dormindo, Melanie? -confessou com um triste sorriso. -Esse é o pior castigo, eu a enganei. Menti. A usei. O meu castigo é ficar longe dela. 
Apenas o olhei, parecia sofrer mais do que queria admitir. 
-Obrigada. -falei o vendo dar nos ombros. 
-Imagina, alteza. -piscou tentando parecer calmo, mas sabia que isso era mentira. 
A culpa o destruía, pensei que estava sozinha, mas Felipe estava na mesma ou quase pior que eu. 

Dario. 

Sabia do que tratava aquela reunião da Coroa, preferia nao ir, mas nao daria esse gostinho a Melanie. Queria me visse, olhasse em meus olhos e repetisse o que escreveu naquela maldita carta, mas desta vez me encarando! 
Me sentei em meu lugar no conselho, era uma sala em forma de retângulo, as cadeiras eram bosta uma na frente da outra, eram feitas de madeira negra e cada uma tinha o nome do reino. O reino de Oliviar ficava a minha frente. no meio havia os elementos representados por pedras com  o símbolo do maior grau de dominação. 
Os demais entraram na sala, menos a Melanie. coloquei a mao no queixo de um jeito pensativo, sabia que a sua posse seria hoje, nao tinha motivo dessa reunião. Fazia quase um mês! 
-O que seria a pauta da reunião? -perguntei impaciente. 
-Uma votação, se aceitaremos ou nao a nossa rainha de Oliviar, achei que ja sabiai. -disse Edgar, o cunhado de Rubi. 
-Apenas uma leve desconfiança. -falei vendo ele dar um leve sorriso. 
-Sei porque a escondeu. -sussurrou. -A garota conseguiu domar aqueles selvagens, uma habilidade que nenhum daqui possui. 
-Eu nao a escondi, estava a protegendo. -corregi o vendo dar nos ombros. 
Olhei a porta se abrir, Melanie estava como imagine, calça jeans e uma camisa qualquer. Porem notei que havia cortado o cabelo. Estava dez centímetros abaixo do ombro. Ela olhou para todos antes de parar em mim, um olhar fixo e ate mesmo doloroso. 
-Como foi o reino de Nevada que pediu a reunião, Edgar, poderia começar. -disse Helena uma das gêmeas de Montana. 
- Alguns dos reinos ja a conhece. -disse se levantando. -Tirana. -apontou para o senhor yago, o mais velho do grupo com seus 50 anos. -Nevada. Trancoso. -apontou para o cunhado. -Montana e o não menos importante, Onix. -apontou para mim. -Devo a minha vida e a vida da minha esposa a ela, conseguiu impedir um atentado aos nossos reinos. 
-Não consigo confiar em alguém de Oliviar. -disse o rei Magnus, tô Reino de Sumária. Um lugar com desertos ao redor, quase impossível de se chegar a pé. 
-Fui criada em Ônix, o seu argumento não tem validade. -disse Melanie, de forma direta. 
Magnus era o mais velho daquela assembleia, aproximadamente 59 anos. 
Seus olhos eram de um tom de mel e jurei senti a terra treme quando se levantou para encara-la. 
-Vocês não tem leis! -gritou, como se pensasse que a assustaria. 
As colunas tremeram com a sua voz, um dos melhores dominadores de terra que conheço, porém, sabia que aquele surto não faria Melanie recuar. 
-Porque não precisamos. -cruzou os braços o desafiando. 
-Você é apenas uma garota, acha que esse bando de selvagens obedecerão a uma menina qualquer? -debochou. 
-É o senhor é apenas um velho. -Melanie debochou. 
-Como ousa...
-Escuta vovó, o grande erro de todos vocês é pensar que devem ser obedecidos. -disse calmamente. -O medo não trás respeito, e sim revolta. Quantas rebeliões já tiveram que controlar? E para isso, tirarão milhares de vidas. -Melanie seu um sorriso sarcástico. -Ah espera, São vidas de comuns, segundo vocês, não valem nada! 
Melanie estava desafiando os Reis presentes. 
-Realmente não valem. -Magnus voltou a se sentar. 
-É esse é o nosso diferencial. Eu não sabia que Oliviar o que vale é a voz do rei, que todos são iguais perante ao rei. Por isso, quando o meu avô morreu...o senhor o conheceu, não é mesmo? -Melanie o olhou com sarcasmo. -tio avó! -Ela piscou é soltou um suspiro. -O Reino ficou sem voz e as rebeliões começaram, queriam a rainha, a única filha do rei Marcus.  Porém a minha mãe morreu. -Melanie olhou fixamente para Magnus. -Voce era contra isso, por esse motivo, se casou com a herdeira de Sumária. 
-É o que você tem haver com isso? -perguntou irritado. 
-Nada. -deu nos ombros. -Mas já se questionou quantos atentados já sofreu. O seu povo te odeia. Oliviar não precisa de leis, pois o povo respeita o rei. E quando digo o povo, me refiro a legítimos e comuns.
Poderia tenta odiar a Melanie, porém quando mais a olhava, mas admirava. 
 Todos a olhavam, sabia que estavam analisando cada comentário dela. 
Me lembrei quando disse essas verdades pela primeira vez, eu a olhava e tentava saber que prazer que tinha em bater de frente comigo, mas no fundo sempre soube que tinha razão. 
Melanie notou o meu olhar fixo no dela, uma corrente de energia percorreu o meu corpo, quase como um arrepio. Ela era a minha condutora e sabia que também sentiu a corrente, pois passou a mão no braço para disfarçar. Dei um meio sorriso sabendo que eram o Unidos pelo um laço invisível. 
-Por mim tanto faz o que essa garota se torne. -disse Magnus. 
A votação começou, o último a votar era Ônix, vi em seus olhos um brilho calmo, porém encantador. Ela implorava um voto de forma silenciosa, porém não tinha esperança, talvez pensasse que o meu ódio teria retornado, no entanto estava enganada. Eu nunca a odiei, no fundo sempre a admirei e essa admiração e o incômodo se tornou algo maior que esses reinos todos, eu a amo. 
-Tanto faz. -falei de forma fria a vendo engoli em seco. 
Após a votação, fui na frente. A assembleia acontecia sempre no templo dos elementos próximo ao Reino de Montana. 
Entrei em um dos corredores principal e entrei em uma sala dos anciões. Vi o vulto de Melanie que seguia o homem que suponho ser um dos seus rebeldes. 
A peguei pela cintura e tampei a sua boca. 
A levei até aquele cômodo e prensei o seu corpo contra a porta.
-Repeti o que você disse naquela maldita carta! -falei a vendo arregalar os olhos. 
Havia surpresa e medo naqueles lindos olhos. A respiração está acelerada fazendo com que seu peito encostasse ao meu. Melanie abri os lábios, mas logo os fechou, engoli em seco enquanto desviava o olhar pra os meus lábios. 
-Não consegue. -concluir.
Diminui o espaço entre nós, ela colocou a mão em meu tórax para me afastar, porém aproveitei a sua distração e a beijei. 
Melanie correspondeu de forma urgente, sua mão me puxava para mais perto. Sua uma das minhas mãos para o seu seio a fazendo gemer em meus lábios. 
-Dário. -gemeu e mordeu  os meus lábios. 
-Eu preciso de você. -sussurrei. -Agora.
Ela olhou em meus olhos, não sabia se ela estava entendendo do que me referia até que a vi abri o botão da sua calça e a abaixar. 
-Eu também. -sussurrou com as minhas chamas refletida em seus olhos. 
 A virei de Costa e abaixei a minha calça o suficiente. A penetrar sem dó, notei que conteve o gemido... meus movimentos eram rápidos e fortes, em pouco tempo senti o líquido do gozo de Melanie, a segurei e a penetrei pela última vez, fechei os olhos me sentindo aliviado. 
-Você é uma garota má. -sussurrei aí pe do seu ouvido. 
Ela soltou um riso baixo. A vi colocar a calça enquanto fechava a minha.
-Tenho que ir. -sussurrou. -Eu te amo. 
Disse antes de sair da sala. 
-Eu sei. -falei encarando a porta. 
Encontrei Melanie do lado de fora. 
-Acabei me perdendo tentando achar um banheiro. -mentiu para um dos seus rebeldes. 
Percebi o olhar de Felipe em mim, ele deu um leve sorriso desconfiando do que realmente aconteceu. 
-Vamos, temos que ir para Oliviar e organizar a sua coroação. -disse o rebelde indo em sua frente. 
-Banheiro? Eu já usei essa desculpa. -Felipe disse. 
Melanie olhou para trás e me viu. O vento fez o seu cabelo voar para trás, ela não sorriu, apenas me olhou e seguiu o seu caminho.


Notas Finais


Bom gente, espero que gostem!
Temos pelo menos (em media) 10 capítulos pela frente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...