História O despertar de um casal - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Escolar, Romance Conjugal, Yuri
Visualizações 2
Palavras 1.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Uupp :p.

Capítulo 3 - Acaso part. 00


5 de Dezembro

...Até que meu celular começa a tocar.

[Desconhecido] - Eu atendo - Oi?- Um xiado sai, desligo rapidamente.

Charlotte me olha com espanto - Quem...?

- ...deve ser trote. - "Ou simplesmente algo sobrenatural" Fecho o armário ao acabar de guarda o resto das compras.

18:55

Depois de comermos a pizza juntamente com um refri, " Nada saudável." , decido tomar uma taça de vinho para poder relaxar, tomo simultaneamente com o meu remédio de dor de cabeça. Charlotte me abraça por trás e eu não digo nada. - Você vai vim tomar banho? 

O silêncio ecoa pela cozinha. Assim decido responder carinhosamente  - Vou. - Faço carinho em suas mãos macias.

- Então vem - Ela fala me puxando para acompanhá-la até o banheiro. Bebo  o último gole de vinho e acompanho ansiosamente.

Quando a Charlotte tirou sua blusa de seda preta, meus olhos foi logo para baixo e depois para cima, como se eu estivesse analisando cada curva de seu corpo. Então eu tiro a minha blusa social preta com alguns detalhes azuis. Ela apoiou suas mãos delicadas em minha barriga chapada, me fazendo arrepiar, logo á garro pela cintura com um pouco de força e dou um selinho rápido em seus lábios secos, ela sorri.

Em seguida tirei minha calça jeans preta, Charlotte me olha com safadeza, eu sorrio, tirando sua calçinha de renda. Logo ela a abre o  box rapidamente, entrando sem me esperar, Charlotte  deixa a água morna e quente ao mesmo tempo. Então ela me chama com o seu dedo indicador e eu fico ofegante, entro em seguida, fechando o box sem hesitar. Ficamos abraçadas deixando a água cair em nosso corpo inteiro, sinto suas costas detalhadamente. As vezes eu coloco minha mão em seu bumbum e ela me provocava com suas unhas, me arranhando de leve. Ela sabia como me excitar e eu sabia cada ponto que ela sentia tesão. Nossos corpos estavam espremidos, pude sentir seus seios nós meus. Eu dou pequenos chupões em seu pescoço, aliso sua pernas e coxas, sinto sua respiração aumentar, logo passamos sabonete uma na outra, sentindo os traços de cada uma. 

- Estou cansada - Ela diz me abraçando mais forte e me pressionando para mais perto de seu corpo.

- Eu também -  digo dando um beijo em sua testa. Mas ela coloca suas mãos em meu pescoço, me beijando intensamente. Depois a abraço, me recordando da Isabella.

Pego o shampoo rosa e coloco uma quantidade razoável em meu cabelos vermelhos e curtos. Charlotte demoru mais tempo porque seus cabelos são longos. Finalizo com o condicionador verde, que tem cheiro  de óleo de Argan. Em seguida saio  com a toalha de cor branca e fui até a pia de pedra para escovar os dentes. Quando acabo, cuspo e enxáguo minha boca, depois observo Charlotte um tempão e então solto uma risada ao ver ela ensaboado seus cabelos com o shampoo - Cuidado para não cair em seus olhos.

Ela sorri - E você pode parar de ver minhas pernas.

- Não posso fazer nada se seu corpo é definido.

- Definido? Me sinto gorda! - Ela fala passando o condicionador em seus cabelos longos e pretos.

- Não tá não, você que tá  paranóica!

Quando Charlotte acaba, ela desliga o chuveiro, pegando sua toalha rosa. Vejo assim pela última vez seu corpo, não consigo me conter e sorrio - Vou indo para o quarto.

- Ok.

Escuto ela escovar os dentes, fui pegar água enquanto isso. Depois ela foi para o quarto se vestir. Eu ainda estáva de toalha, então entrei delicadamente sem que ela amedrontasse com a porta do quarto, "preciso lubrificar essa porta." 

Vesti o meu pijama  preto, o da Charlotte era roxo/lilás. Quando vestimos nossos pijamas de seda, demos um beijo de boa noite e apaguei a luz. Rapidamente fomos pegas pelo sono. Dormimos de conchinha.

6 de Dezembro 

10:00

Eu meio que abri os olhos, vi a Charlotte acordada mexendo no celular, mais logo ela cochilava de novo. "Preguiçosa ela? Imagina."

Umas 10:30, espreguiçei, respirei fundo e levantei depois de 5 minutos "Continuo com sono!" - Levanto manhosa e então calço meus chinelos pretos e fui direto para a cozinha. Fiz torradas com geleia de frutas vermelhas e algumas com Nutella. Depois fiz um cappuccino e um café para mim. Coloquei o cappuccino na xícara preferia de Charlotte, era verde claro e tinha um coração nele.

*Bis bis* [Mensagem] - 10:35 - Me encontre hoje às 14:30 para um café, aquele  que sempre tomamos, Cofeen Lays - Offline.

Respondo só um ok e prossigo com minha vida tédiosa. Quando cheguei no quarto eu acordei a Charlotte com um beijo em seu rostinho liso. Ela deu um sorrisinho e começou a bocejar. 

- Não começa! Eu já to com sono! - Brinco e assim riu.

- Olhaaa! - Ela ficou surpresa por ter trago o café da manhã na cama, últimamente somos rígidas para deixar pelo menos a cama livre e limpa, mas hoje é um dia especial e merecemos algo diferente. Ela pegou logo a torrada de chocolate e enfiou tudo de uma vez, eu rio da cara dela, depois ela toma o seu cappuccino morno, estáva no ponto , do jeito que gosta.

Eu peguei uma torrada de chocolate e quando estava quase no final a Charlotte mordeu em minha direção, fazendo sentir seus lábios. O que eu via? Eu via minha mulher em cima de mim só para pegar uma torrada de chocolate!!! Eu sorri maliciosamente e mordendo os meus lábios, eu disse: - Você podia sentar no meu colo.

 Charlotte  me rouba um beijo e então mordo meus lábios, porque eu queria mais que um simples beijo. Quando acabamos de comer eu quis provocar ela  - Mãos ao alto gata, está presa!

Ela colocou a mão na testa para parecer dramática - O que foi que eu fiz dessa vez seu guarda?

- Você não pode me subornar com beijos. - coloquei suas mãos para o alto, espremendo ela na parede.

Estávamos com nossos lábios bem próximos. Eu sentia sua respiração aumentar. Então eu beijava seu pescoço, começei a sorri e dei um selinho longo com uma leve mordida em seu lábio inferior, sabendo que ela ficaria sem ár. Ela fica tímida, mais ainda queria me controlar.




..Continua..


Notas Finais


😏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...