1. Spirit Fanfics >
  2. O Despertar do Amor >
  3. No Calor de Seus Braços

História O Despertar do Amor - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - No Calor de Seus Braços


Foi com alivio que Karin retornara para sua casa, naquele fim de madrugada. Apesar do forte abalo emocional que sofrera, ela fizera questão de voltar ao batente, e ao menos compensar um pouco do estrago que sua mãe havia feito em uma noite que tinha tudo para ser um sucesso.

Foi difícil olhar para sua mãe, que como sempre a ignorou e agiu como se nada tivesse acontecido. Orochimaru Kusanagi por sua vez, também continuara lá, até o fim da noite, mesmo que sua esposa tenha ido embora, aparentemente humilhada.

Sua atitude não poderia ser mais estranha, e aquilo serviu para que Karin criasse uma forte antipatia com relação ao homem.

Mas, cansada de pensar naquela merda toda, ela apenas levara suas duas mãos a cabeça, e gemera em protesto.

— Minha cabeça parece que vai explodir. – Karin gemeu chorosa, sentindo muito falta de Mei naquele momento.

Queria muito que a mulher aparecesse por ali, com seus carinhos e sua massagem milagrosa, que sempre lhe tirava qualquer dor.

— Vou preparar um chá, para você. – Naruto disse um pouco aturdido, ele sempre foi muito ruim como consolador.

Tanto que Sakura o expulsava de perto, quando ela estava triste ou aborrecida. Porque ela dizia que ele a deixava mais deprimida, porque no máximo que ele fazia era sentar de seu lado e chorar junto, porque ele não suportava vê-la daquele jeito.

Mas, os anos lhe trouxeram um tipo de maturidade, que Naruto não sabia dar nome. Mas, ele sentia-se mais apto a lidar com aquele tipo de coisa, por isto ele caminhou até a cozinha, tentando lembrar a receita que sua mãe sempre usava naquelas ocasiões.

— Não gosto de chá, me deixa com gases. – Karin disse com tristeza, escondendo o rosto em uma almofada.

Ela nem se preocupou com o que tinha dito, pois tinha coisas mais sérias para se preocupar, do que impressionar certo loiro, que sofria mudanças bruscas de humor.

Mas, logo Naruto retornou com uma caneca fumegante, depois de ir em seu apartamento catar os ingredientes.

— Aqui, querida. Você precisa. – Naruto disse alcançando aquilo para Karin que fez um bico manhoso, antes de pegar a bebida.

— Amargo. – Ela fez uma careta engraçada, quando sorveu um gole, entre um sopro e outro.

— Os melhores remédios, são amargos, não? – Naruto sentou-se no aparador, olhando diretamente para Karin, que continuava sentada, olhando para a caneca, parecendo tão tristonha, que aquilo cortou o coração do Uzumaki que queria saber o que dizer para consolá-la.

Mas, suas habilidades embora tivessem se aperfeiçoado com o tempo, não o tornavam melhor naquele tipo de situação.

— Se seguirmos essa lógica, as coisas ruins são boas? – Karin perguntou entre uma fungada e outra, tentando o seu melhor para não chorar na frente dele. Mas, quando deu por si, as lágrimas pingavam no chão, e para sua surpresa Naruto, não parecia importar-se com isto, já que ele própria já tinha desabado na frente dela, uma vez.

— Eu queria saber o que lhe dizer, gata. Mas, não sei. – Naruto na ausência das palavras bonitas, preferira tentar ser sincero.

— Gata é? – Karin perguntou dando um sorriso de canto, entre as lágrimas.

— Confesso que fica mais gata quando sorri. – Ele disse deslizando sua mão pelo rosto da jovem, que sentiu seu peito aquecer, com aquelas palavras.

Seus olhos rubros, cruzaram-se com seus orbes cor de safira, e um ficou hipnotizado no olhar do outro, e como se houvesse um imã invisível, seus rostos foram se atraindo na direção um do outro.

E, eles só entenderam o que estava prestes a acontecer, quando enfim aconteceu... Seus lábios tornaram-se apenas um, o toque suave causara um reboliço em seus corações que dispararam em um ritmo alucinado.

Separaram-se quase um minuto depois, chocados com o que havia acontecido.

Naruto ainda mais do que Karin. Ela que havia saído recentemente de um relacionamento longo, que havia terminado da pior maneira possível, parecia mais aberta a um novo do que ele... Que já tinha perdido sua amada há muito tempo, e essa não mais voltaria.

Sabendo do risco de Naruto, sair por aquela porta, e deixa-la no vácuo novamente, Karin deixou a xícara de lado, e aproximara-se de Naruto, que se retesou por um momento quando ela segurou com força sua camisa, e o puxou em direção a seus lábios o beijando ainda com mais vontade.

Sua língua pedira passagem. E, Naruto lhe dera embora um pouco hesitante.

Mas, bastara o encontro íntimo de suas línguas, para que uma explosão de desejo, levasse embora toda a racionalidade do rapaz, que grudara suas duas mãos no corpo delicada de Karin que fechou os olhos, deliciando-se quando seus corpos se grudaram, entrando em pura sinergia.

Interromperam o momentaneamente o beijo, apenas para tomar um breve fôlego, mas logo recomeçaram mais uma vez ainda com mais intensidade, não demorou para que a masculinidade de Naruto ficasse tesa.

Sentindo-se culpado por isto, Naruto tentou afastar, Karin, mas ela o puxou ainda para mais perto, aprofundando o beijo e deslizando suas mãos por baixo da camisa do rapaz, que estremeceu com o toque ousado de sua vizinha.

— Karin, eu... – Naruto, porém não estava certo se aquilo era correto, porém Karin estava determinada.

Ela queria o Naruto naquele instante, as contestações, que ficassem para depois.

— Não me negue isto, por favor. – Karin pediu um tanto chorosa, afundando o rosto no peito de Naruto, que se deu por vencido.

Ele ergueu, Karin pela cintura e a beijou novamente, tentando tirar de sua mente que a primeira vez que ele havia feito sexo, e também a última havia sido com Sakura, pouco antes de ela morrer.

Ou seja, Naruto era um tanto inexperiente nessas coisas.

...

Uma vez que chegaram ao quarto, Naruto colocara Karin sobre a cama, que soltou um gemidinho cheia de expectativa.

Nem por um momento a ruiva, arredara o olho do rosto do Naruto, estava fazendo uma expressão tão sexy, e convidativa que o loiro se sentiu o cara mais sortudo do mundo por ter aquela mulher todinha para si.

Naruto aproximou seu rosto para beijar Karin, mas com um sorriso sacana ela repeliu o toque do rapaz, usando seus pés para empurrá-lo um pouco para longe.

Surpreso com isto, ela a encarou um pouco incerto sobre o que fazer, mas então a garota continuou lhe sorrindo, enquanto levava as mãos para os botões da camisa que usava.

Ela ainda estava com o uniforme de trabalho, o que pareceu uma combinação ainda mais sexy para o Naruto, ainda mais com aqueles cabelos caindo revoltosos por sobre os ombros, e o brilho de luxuria em seus olhos rubros.

— Você quer que eu tire, Naruto-kun? – Ela perguntou em um tom doce, mas havia um brilho brincalhão em seus olhos.

— Sim, por favor. – Naruto pediu com a boca seca, ainda incerto das regras do jogo que Karin estava elaborando naquele momento.

Mas, a surpresa naquele momento lhe parecia tão irresistível quanto o resto.

— Quantos botões? – Karin perguntou jogando os quadris, empinando sua bunda ao máximo para o rapaz, como que lhe oferecendo uma degustação de tudo o que ele poderia ter, se ele desse as respostas certas.

— Todos. – Ele pediu com a voz embargada de tesão, sentindo seu membro, que pouco conhecia sobre os prazeres carnais, doer de tanto desejo.

— Que garotinho impaciente. – Um sorriso lindo brincou nos lábios da garota, que olhara sem nenhum pudor para o pênis de Naruto ainda encoberto pela calça.

Com agilidade ela foi abrindo, botão por botão da camisa, até que o sutiã branco foi se revelando, cobrindo os seios graúdos, mas não exageradamente.

Naquele momento, ela apenas se deliciara com o efeito do olhar dele sobre sua pele.

— Você quer que eu tire a camisa? – Karin perguntou com a voz rouca de tesão, ela gostava de brincar e provocar seus amantes.

Quer dizer, o único que ela tivera fora Suigetsu, mas ele foi um excelente professor, aquele sacana. Por que se tinha uma coisa que aquele cretino, sabia fazer era f**** uma mulher, no bom e no mal sentido.

— Quero que tire tudo. – A voz mais determinada de Naruto, pegou Karin de surpresa, e aquilo aumentou ainda mais o seu tesão de fazer o melhor strip-tease de todos.

Com um movimento brusco e inesperado, ela tirara seus ombros, de dentro do tecido da camisa, mas depois seus movimentos tornaram-se lentos, e ela foi deslizando a mão pela barriga em direção aos seios, o circundara com os dedos, fazendo com que o mamilo marcasse o tecido de algodão.

Depois vagarosamente ela foi girando o próprio corpo, em uma dança lenta, porém sensual. Já que dava uma visão ainda mais privilegiada do corpo sexy da mulher que sabia fazer cada movimento para ressaltar seu corpo sexy.

Então, quando Naruto perdia-se pela linha de sua coxa, fascinado pelo empinar de sua bunda, Karin abrira o sutiã em um movimento novamente inesperado, revelando assim seus dois seios, com os bicos mais escuros que a pele, o que os tornava ainda mais apetitosos para o Naruto que já não aguentava mais ficar só como expectador.

— Posso tocá-los? – Ele pediu com a voz embargada de desejo, e Karin que estava em pé na cama, o segurou pelos ombros olhando demoradamente nos olhos, a expectativa da resposta o deixou ainda mais cheio de tesão, mesmo que no fim do caminho um não, pudesse fazê-lo cair dentro de um balde de gelo.

Mas, esse não foi o caso, já que Karin estava ansiosa pelo seu toque mais do que tudo.

— Quero que os toque com a boca. – O tom imperativo, pegou Naruto desprevenido, mais uma vez.

Mas, aquilo não o fez recuar pelo contrário. Obedientemente colocara as duas mãos para trás, e absorvera o mamilo, apenas com seus lábios, deslizando sem querer seu dente pela pele sensível, aquilo desagradou a Karin por um instante:

— Por favor, sem os dentes. – Ela pediu, e ele obedeceu, sendo mais cuidadoso, em suas investidas sobre a pele sensível, da ruiva, que fechou os olhos se deixando levar pela carícia, que se espalhou na região da barriga.

Indo em direção a pelve ainda encoberta pelo tecido, as mãos curiosas de Naruto, sedentas por alcança-lo, varreram a pele de sua bunda, de suas coxas, deslizando com mais força sobre a vagina, molhada da mulher que apreciou a pressão de seus dedos, naquela região, apesar do tecido ainda impedir um contato mais direto.

— Tira a camisa. – Ela ordenou, mas Naruto não o fez, apenas o olhou com um brilho em seus olhos azuis, que era único.

— Tira você. – Ele provocou, e Karin deu uma gargalhada baixa, deixando para depois tudo que deu errado naquele dia. E, aproveitando as coisas boas da vida.

Sem, se fazer de rogada, ela puxara os botões da camisa, extasiando-se com a visão do dorso do rapaz, que apesar de não ser musculoso, tinha seus encantos, diante dos olhos da ruiva que aproximou seus lábios do peito de Naruto e começando pelas axilas, indo na direção dos mamilos, até a barriga, ela o presenteara com uma deliciosa sessão de beijos, mas quando sua língua tocou sua pele, sem nenhum aviso prévio, Naruto estremeceu de prazer.

E a medida que ia descendo, Karin tocara o cós da calça do loiro, e com um movimento um tanto desajeitado, ela abrira a braguilha, e arriara a calça, até que ele ficasse só de cueca diante de seus olhos. Naruto depois de se livrar das calças, ficou ali parado a espera do que Karin iria fazer, já que ele não tinha muitas ideias quanto a isto.

Talvez até tivesse, mas lhe faltava desenvoltura, e percebendo isto, Karin pacientemente lhe tirou a cueca, quase ficando vesga diante do tamanho da ereção de Naruto.

Sem se fazer de rogada, ela logo levara seus lábios até a masculinidade de seu parceiro, o surpreendendo com sua ousadia.

A língua dela circundara vagarosamente a glande, indo em direção a base, até voltar para a ponta, que ela percebeu que causavam ainda mais sensações em seu parceiro, que fechara os olhos, a medida que dizia palavras desconexas.

 — Chupa mais, linda... – Karin escutara aquilo com divertimento, ainda mais ao notar o quão ele ficava vermelho, provavelmente achando que iria desagradá-la, de alguma maneira.

Mas, ela gostava de homem com a língua solta durante a cama, por isso quanto mais ele pedia, e mais obscenidades ele falava, mais intensa ela tornava-se em suas carícias, até que quando menos esperavam, a boca dela havia engolindo o membro de Naruto, levando-o até a garganta, e retornando até a ponta, onde sua língua circundara com suavidade.

Naruto gemia em alto e bom, som, enquanto Karin continuava chupando-o, deixando-o ainda mais cheio de tesão, quase a ponto de explodir, entre seus lábios.

— Não goze ainda.... – Ela pediu uma tarefa hercúlea para o rapaz, que estava no limiar de seu desejo.

Então engatinhando pela cama, indo até o criado-mudo, ela catara algumas camisinhas que ela sempre mantinha consigo, então as alcançou para Naruto, que fez um biquinho de aborrecimento, mas, bastara ver Karin tirando as calças, e lhe desse uma visão privilegiada, de sua intimidade encharcando o tecido branco da calcinha que ela usava.

Então ela entreabrira as pernas e com a expressão mais sexy que ele já tivera o prazer de vir, ela pedira com a voz manhosa:

— Quero que me f***.... – Ela pediu de um jeito sacana, e Naruto não esperou ela pedir duas vezes, já estando em seu limite, ele puxara-a pelas pernas e acomodara-se entre suas pernas um tanto desajeitadamente, mas com alguma ajuda de Karin ele investira dentro dela sem maiores problemas, iniciando assim um vai e vem, suave.

A jovem fechara os olhos deliciando-se com a sensação de tê-lo dentro de si, ao mesmo tempo que sentia-se protegida, debaixo de seu corpo largo, ela fechara os olhos, gemendo baixo, a medida que ele a penetrava, cada vez com mais profundidade, mas por medo de machucá-la, ele não aumentara o ritmo de imediato, até que Karin tramou suas coxas em torno, de seus quadris e pedira para que ele fizesse isso.

 — Mais rápido, Naruto. – Ela pediu ao pé de seu ouvido, dando-lhe uma mordidinha no lóbulo de sua orelha, e ele novamente a obedeceu. Fazendo sua amante estremecer e gemer de prazer.

E, suas bocas se encontraram novamente, pouco antes de ele começar a ofegar, anunciando com isto que ele não iria demorar a gozar, já que estava fazendo o seu melhor para não chegar ao ápice antes da hora, mas dali ele não conseguiria mais adiar, e assim ele explodiu pela primeira vez nos braços dela. Deixando-se cair sobre o corpo quente e suado dela.

Seus seios macios, servindo de travesseiro, e seu cheiro o embriagando de muitas maneiras.

— Arigatou... – Ele disse com a voz rouca, sentindo-se um pouco envergonhado também, mas a risada dela, o deixou totalmente a vontade.

— Eu que agradeço. – Ela disse, percebendo que estar com o Naruto daquela maneira melhorou e muito o seu dia.

Havia algo de especial no calor de seus braços, algo que ela não sabia o que era, mas queria repetir mais vezes para saber. Mas, isso ficava para outra hora, ela pensou ao sentir-se sonolenta.

E, percebendo isto, ele e abraçou de conchinha e enroscados um no outro eles dormiram juntos pela primeira vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...