História O despertar do desconhecido - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Gay, Lgbtq, Shonei
Visualizações 8
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá. Espero que gostem da minha história. Fiz a um tempo e estou muito feliz de poder compartilhar com vocês. Aproveitem.

Capítulo 1 - O observador


Fanfic / Fanfiction O despertar do desconhecido - Capítulo 1 - O observador

O Inverno sempre foi algo obscuro aos olhos de Tyler. O céu escuro, as chuvas constantes e vazias e a aparência fúnebre traziam uma sensação de conforto para ele, a água é como uma aliada. Sua mãe sempre o elogiava por nunca ter se negado a tomar banho, como faz a maioria das crianças, pelo contrário, era a melhor coisa do dia. Era a criança perfeita. Obediente, correta, educada.

Hoje com 17 anos Tyler sabe que aquela criança não existe mais, mudou sua personalidade completamente. Hoje já é um adolescente bem diferente, mas muito atrente. Seus olhos azuis, seus cabelos pretos e um porte fisico de dar inveja a alguns da mesma idade. Tyler sempre foi meio anti-social, gosta de estar só e devanear em seus próprios mundos.

Havia se mudado a três samanas para a nova cidade, a qual era quase sempre úmida por conta das constantes chuvas. Logo começaria a ir para a escola e provavelmete nada seria diferente. A auto-exclusão era sua característica mais forte. Seus únicos amigos que eram apenas três, Carry, Tommy, e Taylor eram os únicos que ele gostava de ter por perto, apesar de suas diferenças cada um entendia e respeitava o outro. Agora, sozinho ele não teria ninguém, e se fosse para dar início a alguma amizade, nunca teria amigos. Ele apenas fez amizade com Carry e os outros porque eles insistiram muito. Talvez haja alguém na nova escola que possa insistir também. Claro que não seria qualquer um, Tyler é bem inteligente e seletivo, por isso não faz amizade com qualquer um que queira. Talvez esse seja o motivo de ter poucos amigos. Porém poucos bons amigos são melhores que muitos amigos ruins.

- Oi. - A voz feminina soou no quarto de Tyler. -Está acordado? - Era sua mãe.

Tyler respondeu com um movimento preguiçoso na cama.

- Vou na escola ver a questão da sua matrícula. Vou para o trabalho de lá. Tem torrada e geléia na cozinha se quiser. Ah! E daqui a pouco a babá chega, enquanto isso fica de olho na sua irmã. - Nesse momento uma figura pequena passou pela porta e pulou na cama dele. Era Emilly sua irmã de 5 anos.

- Acorda. Acorda. Você dorme muito. - Diz Emilly sacudindo Tyler.

- Já estou indo. Tchau. - Tyler apenas ouve os passos de sua mãe descendo as escadas e passando pela porta. Seu pai havia sido transferido do seu antigo emprego, agora trabalhava em uma empresa de televisao da cidade, era jornalista e sempre saia cedo de casa. Sua mãe havia arranjado um emprego em um departamento de vendas.

- Tudo bem, Tudo bem. Já vou, me espera na cozinha. - Diz Tyler . E a pequena criança apenas balança a cabeça e sai correndo.

Depois de descer foi para a cozinha onde Emilly estava devorando veementemente uma torrada.

- Ei! Coma devagar. Não quero ter o problema de desengasgar você.

- Você não me ajudaria?- pergunta ela interessada.

Tyler simplismente olhou para a menina com aquela cara de sempre. Quero sumir.

- Claro que sim. Agora coma. - disse afinal.

Quando ia começar a comer a torrada, a campainha tocou. Ela tocou duas vezes ainda antes dele abrir a porta.

-Oi. Bom dia - disse uma moça. Tyler a olhou. Parecia ser bem educada, e bem social. Tinha cabelos castanhos, e olhos escuros, e seu sorriso, seu sorriso era lindo. Pensou.

- Olá. Você deve ser a babá.

- Ah sim. Prazer, sou Anna. - disse estendendo a mão. Estava fria.

Após isso Anna entrou e começou a falar algumas coisas sobre a casa e sobre se dar bem. Algo do tipo. Depois começou a conversar com Emilly.

Tyler foi direto pra cozinha. Ainda precisava tomar café. E o fez.

Passou pela sala onde Anna brincava com Emilly e foi direto pro seu quarto.

Ficou deitado na cama como passava a maior parte de seu tempo, e acompanhado de uma música. Sempre Twenty one pilots. Era sua banda favorita.

Já estava se acostumando com seu novo quarto. Era espaçoso e ficava ainda mais vago com as poucas coisas que tinha. Sua cama, uma estante e um Puff em forma de uma mão preta e algumas outras coisas. Estava olhando pro teto procurando algo para pensar...

- Hey! - um grito soou pela janela de Tyler. Era uma voz masculina.

- Levou um tempo até ele decidir ir a janela. A rua de sua casa era bem verde e cheia de árvores, bem estranho pra uma região fria. Lá embaixo do outro lado da rua, estava um garoto e logo mais a frente haviam mais dois. Estavam de skate e segurando outro, provavelmente do outro garoto, que estava gritando para que devolvessem. Provavelmente eram amigos.

- Ah, você precisa andar um pouco Mike.

Mike. Depois disso os dois saíram deslizando no skate e levando o outro com eles.

O tal mike pos a mão na cabeça e respirou.

Provavelmente pensando. Que saco.

Tyler já ia voltar pra sua cama, quando o garoto se virou e rapidamente seus olhares de cruzaram, ficaram se encarando por alguns segundos, até que Tyler baixou a cabeça e voltou pra cama. Perdi tempo. Pensou.

- Mike!

O garoto se virou.

- Hey, o que tá fazendo Aqui? - perguntou uma menina.

- Ah, Oi Kaia. Só estou passando.

- Ah. Então tudo bem... ei te vejo amanhã?

- Claro. - diz o menino com sarcasmo.

- Tudo bem então. Já vou indo.- agora que a viu indo, percebeu que a garota estava de bike.

-Como queria aquela bike agora. Pensou.

Começou a andar. Sabia que tinha um longo caminho até em casa.

Antes de sair olhou para a janela da casa do outro lado da rua. Achou estranho o garoto que o olhou. Quem era?. Pensou. Não lembrava de ter alguém morando lá.

Enquanto caminhava para casa, Mike passou por uma parte da rua que era completamente coberta por árvores de ambos os lados. Tanto que a rua ficava até mais escura.

Era estranho passar por lá a pé, quando estava de skate não percebia os lugares e nem o ambiente ao redor, agora percebia o quão calmo e escuro era aquele lugar. Dava até um pouco de medo.

Quando estava na metade da rua escura, ouviu algo. Eram sons de pneus rodando, pneus de skate. - Será que Lucas trouxe meu skate de volta?. Pensou ele alegre.

Quando olhou para trás havia apenas uma pessoa vindo, e não era nenhum de seus amigos.

Não o conhecia, mas havia o visto há alguns minutos atrás na janela daquela casa.

Estava com um casaco preto e uma calça jeans escura. Tinha posto as mãos nos bolsos do casaco.

Ele olhou para Mike, usava fones de ouvido. Se encararam de novo. Mike sentiu um pouco de desdém em seu olhar. Apesar de estar escuro, haviam feixes de luz que passavam por entre as folhas. Enquanto se olhavam alguns feixes passaram por seu rosto e Mike pode ver que seus olhos eram meio azuis. Ou verdes?

Após isso o garoto virou o rosto e continuou seu caminho.

- Quem é esse cara?.- se perguntou Mike em um tom surpreso.

- Por que aquele cara fica me encarando? - Se perguntou Tyler enquanto descia a rua em seu skate. - Belos amigos ele têm. - Disse.

Tyler havia saído para conhecer o bairro. Emilly provavelmente estava tomando banho agora. Anna estava sendo uma ótima babá. Pensou. Ele passou por algumas casas. Pôde ver que algumas famílias estavam reunidas. Era um dia especial na cidade. Não sabia o porquê. Até o dia de aula foi facultado. Algumas pessoas ficaram em casa e outras foram trabalhar. Tinha alguma coisa a ver com a história da cidade.

Tyler já estava entediado. Parou em um pequeno park que tinha no bairro. Pegou o skate e foi andando até o balanço.

Havia um caminho que cortava o pequeno parque ao meio ligando uma rua a outra. O balanço parecia estar em bom estado. Tyler deixou o skate no chão e sentou. Ficou ali balançando com os pés. O ambiente como sempre muito úmido e cinza. Ficar ali só, era ótimo para pensar e sumir por um tempo.

De repente um grito o assustou e o fez se desequilibrar e quase cair.

Quando voltou ao normal percebeu que tinha alguém vindo pelo parque. Um garoto. De novo.

Aquele mesmo garoto de antes. Tyler deu um leve sorriso depois de pensar que ele andou aquilo tudo a pé. Devia estar com muita raiva dos seus amigos mesmo.

Quando mike viu que tinha alguém no balanço se assustou e parou por um tempo, depois voltou a andar quando percebeu que se tratava do mesmo garoto. Nesse instante Tyler saiu do balanço e foi andando no sentido contrário de Mike. Ambos com as cabeças baixas. Ao se cruzarem os dois se olharam de relance Mike confirmou a cor de seus olhos, eram azuis. Tyler não expressou nada assim como o outro garoto. Após isso continuaram seus caminhos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Irei postar o segundo capítulo logo logo. Obg!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...