1. Spirit Fanfics >
  2. O Destino.. >
  3. Essa sou eu

História O Destino.. - Capítulo 60


Escrita por: RavinScienc

Capítulo 60 - Essa sou eu


 

 

 - Deveria descansar - Peter diz se aproximando.

 Nós já passamos por uns três vilarejos e avisamos sobre o possível ataque, o próximo destino é o local aonde devo ver a família do Anthony.

 - Eu tô bem - falo e ele respira fundo - Acha que estão vivos? - pergunto assim que sinto a presença do Liebe por perto.

 - Não posso responder essa pergunta - Liebe encosta em uma árvore.

 - Quais as chances? - pergunto pra mim mesma.

 - Baixas - Peter diz e eu o olho - Não vou mentir pra você - ele vira as costas e sai andando.

 - Idiota.. - falo séria e o sigo, Liebe vem atrás.

 - Você está bem? - ele pergunta.

 - Tô e você? - pergunto.

 - Tô bem - ele responde.

 - Até que enfim vocês voltaram - Lídia sorri e me puxa pra perto dela - Toma, come - ela me entrega um pedaço de pão que pegamos no último vilarejo.

 - Obrigada - agradeço.

 - Ainda não nos disse o que conseguiu arrancar daquele cara - Drake diz e eu o olho.

 - Aah.. é - mordo um pedaço do pão.

 - E então? Ele falou algo? - Drake pergunta.

 - Ele falou sobre o William? Qual o plano dele? - Mike pergunta.

 - Ele não falou nada - minto.

 - Impossível.. - Júnior ri.

 - Tem algo de engraçado no que eu disse? - pergunto séria.

 - Vamos manter a calma - Alex diz - Por favor..

 - E sobre aquela escolha.. - João fala me olhando - Algo sobre você ter que decidir.. escolher, sei lá - ele desvia o olhar - Ele estava falando do quê?

 Ignoro a pergunta dele e como o pão, me levanto.

 - Aí.. 

 - Vou ler, não tô acostumada a ficar tendo que ouvir pessoas me fazendo perguntas - falo séria e saio de perto.

 Ando até o Polo e pego o meu livro que Donatella me fez trazer, me afasto um pouco do grupo e sento no chão encostada em uma árvore, faço magia pra gerar uma luz e folheio as páginas até que acho algumas novas, fico surpresa e começo a ler elas.

 Que merda..

 - Para de ler, Hayle.

 Por que? Hélia, isso é..?

 - Pare de ler! - ela joga o livro longe - Não ligue pro que ele diz.

 Os livros nunca mentem, Hélia - vou até o livro.

 - Para de ser teimosa!

 Preciso saber, não vou parar de ler.

 - Não diga que eu não te avisei.

(…)..

 - Hayle - alguém me cutuca e eu abro os olhos - Está na hora de irmos.

 - Tá.. - falo e sinto uma dor de cabeça, me levanto e coloco a mão na cabeça - Merda..

 - Tá tudo bem? - Héctor pergunta.

 - Tá, tá sim - olho pro livro - Vamos?

 - Vamos - ele sorri.

 Nós andamos até os cavalos e já estão todos se preparando.

 - Demorou pra acordar - Ryan sorri e eu devolvo mas logo tiro ele do gosto - Hayle?

 - Merda.. - falo baixo e sinto meu corpo perdendo as forças, minha visão.. - Minha vista..

 - Hayle - alguém me segura antes que eu caia.

 - De novo não - afasto a pessoa e dou de costas em uma árvore, minha respiração tá descontrolada - MERDA! - grito.

 " Faça sua escolha, Hayle "

 " A escolha.. "

" Qual a sua escolha? "

 " Acho que todos sabemos "

 - Para, por favor - aperto meus olhos, essas vozes de novo não.

 - Hayle.. - me afasto e olho rapidamente - Tá tudo bem, sou eu.

 Olho ao redor e todos estão me olhando, respiro fundo e me levanto.

 - Vamos logo - falo montando no cavalo.

 - Não vai dizer o que acon.. - não espero o Pietro terminar e saio na frente.

 - Essas vozes estão me matando, vou ficar na minha por um tempo.

 Fique a vontade, nunca disse que eu precisava de você.

 - Eu não sou a culpada pelas vozes!

  E eu sou? Eu sou a culpada por essas merdas, Hélia?

 - Você não.., o seu destino.

 O meu destino - dou risada baixo - Preciso ver a Frida.

 - Não faça isso.

 Por quê?

 - Você sabe o porquê.

 Depois de um tempo cavalgando, ninguém disse nada e nem perguntaram mas ficaram conversando e cochichando entre si, chegamos bem rápido nessa cidade até, desço do cavalo.

 - Acho que tá tudo bem por aqui - Vick diz.

 - Vamos nos aproximar e fazer o que sempre fazemos - Vitor diz.

 - Vou na frente - saio sem esperar resposta.

 Ando um pouco e estou dentro da cidade, olho ao redor e vejo resquícios do que já aconteceu comigo e com o Anthony. Me aproximo de um banco e sento nele, fico olhando pra fonte e sorrio mas logo o perco quando vejo um rosto familiar se aproximar.

 - Esses olhos - a senhora diz - Hayle Watson?

 - Susan - sorrio, ela abre um sorriso maior ainda e me abraça.

 - Como você está linda.. - ela senta ao meu lado.

 - Você está ainda mais bonita - falo e ela ri.

 - Eu já estou acabada - ela ri - Mas você ainda é jovem, então levante essa cabeça - me arrumo - Isto mesmo.

 - Onde está o Reinaldo? - pergunto.

 - Aquele velho tá fazendo o que sempre faz - ela diz brava - Não deixa um segundo aquela marcenaria.

 - Preciso conversar com vocês dois - falo e ela me olha séria.

 - Anthony não está mais entre nós - ela diz e eu a olho sem entender - O idiota do William veio nos avisar - ela ri em negação - Disse que você o matou.

 - Eu.. - sinto meus olhos marejarem - Desculpa, eu não consegui ajudar ele, ele não me disse o que fazer, ele não me disse nada, eu queria ajudá-lo, queria poder ajudá-lo como ele sempre. - começo a chorar de soluçar e ela me abraça.

 - Você não tem culpa de nada, minha querida - a abraço de volta - Você também é uma vítima, assim como eu, o idiota do Reinaldo e o Anthony.

 - Eu nunca consigo fazer isso - me afasto e a olho nos olhos - Não consigo salvar as pessoas que me ajudam, não consigo..

 - Você não precisa salvar ninguém sozinha e não deve ajudá-los só porque te ajudaram - ela seca algumas lágrimas minhas - Preste atenção, pequena Hayle - eu a olho e ela sorri - Você é uma boa garota, você provavelmente já ajudou essas pessoas mas não acha que tenha sido o suficiente.. algo idiota, devo dizer - ela ri - Mas antes de ajudar alguém, ajude a si mesma.

 - Não preciso de ajuda - falo e ela gargalha.

 - Não fale bobagens, dá pra ver em seus olhos o tanto de ajuda que precisa - ela se levanta - Chame as pessoas que te acompanham, irei fazer uma bela sopa pra está noite fria.

 - Tá bom - sorrio e ela sai andando, me levanto e me aproximo da fonte - Você realmente me perdoa, né? 

 - Você realmente o amava - Gabriel se aproxima depois de um tempo.

 - A questão não é amar - olho pro Gabriel - A questão é a confiança, eu sabia que podia confiar nele de olhos fechados e ele sentia o mesmo por mim, foi isso que me fez gostar dele - abaixo a cabeça.

 - Espero que cheguemos nesse nível de confiança logo, quero saber como é ser tão amado por você - ele me abraça e eu retribuo.

 - Pode chamar os outros? Dona Susan nos chamou pra comer sopa na casa dela - me afasto - Héctor sabe aonde ela mora, espero vocês lá.

 - Tá - ele ri.

(…)..

 Já estamos um tempo na casa da Susan, ela parece bem feliz de ter a casa cheia, cheia até demais.

 - Você mudou bastante, Hayle - olho pra Susan - Não era tão quieta - ela ri amigavelmente.

 - É.. acho que tenho que concordar - forço um sorriso.

 - Como ela era antes? - Lídia pergunta e eu a olho - Esque..

 - Era bem levada - Susan ri e se senta - Amava entrar no meio das florestas e ficar subindo nas árvores junto com o Tony - ela me olha e eu abaixo o olhar - Estava sempre rindo e alegrando todos a sua volta com suas piadas e histórias imprevisíveis - eu a olho, ela sorri pro nada.

 - Estamos falando da mesma Hayle? - Drake pergunta e eu ignoro, Susan ri.

 - Seja lá o que aconteceu - ela pega minhas mãos - Não se esqueça de quem você é.

 - Me lembro da vez que menti pro Tony que eu tinha aprendido a voar - falo e ela ri, acabo rindo.

 - Ele ficou duas semanas tentando voar e quebrou uma perna - Susan ri e eu acompanho.

 - Ele era um idiota, acreditava em mim de olhos fechados - sinto um ódio percorrendo pelo meu corpo.

 - E você também era assim em relação a ele - ela diz e eu a olho - É estranho ver seus olhos tão sem vida.

 - É porque eu não tenho mais.. - falo baixo.

 - O quê? - ela pergunta.

 - Tudo vai voltar ao normal - sorrio - Com licença..

 Me levanto e saio da casa, ando até a fonte, olho pra ela.

 - Não devia ter sido você.. - sinto uma pontada no peito - Não devia..

 - Não pode controlar a morte - Peter.. - Nem o passado e nem o futuro.

 - Cala a boca..

 - Ele morreu, Hayle - sinto minha respiração acelerar - Aceita de uma ve..

 - EU NÃO POSSO! - grito olhando pra ele, me aproximo - Acha que é simples aceitar que as pessoas estão morrendo por minha causa? - ele ri.

 - Você não sabe como está patética - me afasto.

 - Patética? - gargalho olhando pra baixo - Patética - gargalho e levanto a cabeça lentamente pra olhar nos olhos dele.

 - Hayle - escuto Liebe.

 - Patética - começo a andar até o Peter - Então não vai se importar de morrer também, né? - quando vou avançar nele alguém me segura - EM PETER? - fico rindo enquanto tento me soltar - Você não vai se importar se eu te matar, vai?

 - HAYLE!

 MERDA! - começo a sentir uma dor insuportável - HÉLIA!

 - JÁ CHEGA!

 Caio de joelhos no chão e tento controlar minha respiração.

 - Se acalma.

 - Eu tô calma, Hélia - falo e me sento, olho pro Peter - Da próxima vez, eu mato você, idiota.

 - Que porra você fez? - escuto João e Mike perguntar.

 - Você tá bem? - Liebe encosta em mim.

 - Eu não tô conseguindo enxergar muito bem - falo e alguém me abraça.

 - Tá tudo bem..

 - VOCÊ É IDIOTA PORRA? - escuto Liebe.

 - Eu.. - escondo meu rosto no pescoço do Gabriel - Pode me prometer algo?

 - Não vou morrer - ele diz rindo.

 - Preciso que todos fiquem vivos, Gabriel - falo baixo - Me promete que vai fazer o possível pra vocês ficarem.. vivos.

 - Mas e vô..

(…)..

 Acordo com uma puta dor de cabeça, me sento e olho ao redor, só pode ser brincadeira..

 - Aah, você acordou - Susan entra no quarto do Anthony - Seus amigos deixaram você aqui, toma.

 - Não precisava - sorrio.

 - Você desmaiou ontem, é bom comer - ela sai e eu olho o quarto.

 Deixo o mingau de lado e me levanto, começo a ver algumas coisas e acho o diário dele, eu sempre quis ler esse diário mas ele nunca deixava, o abro em uma página aleatória e tem apenas algumas linhas escritas.

 "Um dia vou declarar meu amor por ela, direi como penso nela desde o nascer do sol ao nascer da lua, vou dizer como amo suas histórias ruins e sua risada exagerada, como amo o brilho que aparece em seus olhos toda vez que olha pro céu estrelado, irei relembrá-la do seu sonho quase impossível, irei amalá pra sempre, a minha querida flor"

 Pego uma caneta e escrevo que tive que ir, como o mingau em segundos e saio pela janela.

 - Devo falar?

 Não, não deve.

 Ando até os cavalos e vejo todos conversando, logo notam minha presença e param, ignoro.

 - Tá tudo bem? - Ryan pergunta.

 - Próxima cidade é a da sua.. - olho pro Liebe e paro de falar - Já sabe o que vai fazer?

 - Não, não sei - ele coça a cabeça.

 - Peter - falo e todos me olham - Desculpa por ontem.

 - Desculpa também - ele diz e eu sorrio concordando.

 - Vamos - monto no cavalo - Vick, poupe sua energia - ela arregala os olhos.

 - Tá - ela diz e pisca algumas vezes.

 - O que eu perdi? - Vitor pergunta.

 Saio na frente e Vick vem atrás, logo todos estão perto.

 ~ Flashback on ~

 - Qual seu sonho? - Tony pergunta.

 - Não sei, não tenho um - respondo e ele ri - Idiota..

 - Todo mundo tem um sonho, pensa um pouco - ele me olha.

 - Eu queria poder ajudar as pessoas pra elas não terem medo de mim - falo - E queria ter amigos.

 - Ei! Não sou seu amigo? - ele começa a fazer cócegas em mim.

 - É! - falo rindo e ele para - Mas eu queria mais amigos - me sento - Todos parecem me odiar, até minha própria família.

 - Quando as pessoas conhecerem a verdadeira Hayle - ele me olha e sorri - Todos vão amar você, aí você vai poder ajudar a todos e ter um montão de amigos.

 - É.. talvez você tenha razão - sorrio e ele acompanha.

 - Eu sempre tenho - ele sussura.

 ~ Flashback off ~

 Estamos cavalgando faz um bom tempo, nada do William mas sinto que estão nos observando, escuto um barulho e paro.

 - Demônios - Gabriel diz.

 - Mas por que demoraram tanto? - desço do cavalo e alguns fazem o mesmo.

 - William, talvez - Héctor diz e eu o olho - Ele já tá me dando no saco.

 - Nem me fale - todos dizem.

 - Um.. - falo - Por que ele mandou só um?

 - Acho que descobri - Violet diz e todos se viram.

 - Merda.. - todos dizem, é bem grande, tipo..

 - Essa porra tem cinco metros? - Logan pergunta.

 - Mais! - Júnior diz.

 - Que tal focarmos em matarmos ele? - Ryan diz e eles começam a discutir.

 - Ha.. Hay.. - o demônio anda um pouco - Hayle deve ir até lá..

 - Hayle vai até lá - imito a voz dele e todos me olham, eu dou risada - Tô tentando me comunicar.

 - É um demônio! - Davi diz.

 - Demônio acabou de falar - imito e dou risada.

 - Você tá doente? - Lídia pergunta rindo.

 - Não tô não - sorrio e olho pro demônio - Quem vai matar?

 - EU! - os meninos dizem e começam a discutir, eu me aproximo do demônio.

 Ele da um soco pra tentar me acertar mas eu desvio e corto sua mão fora, subo no seu ombro e ele me olha.

 - Eu sou a Hayle, não pode me matar - falo e olho pra baixo - Mas aquele você pode - aponto pro Peter e sorrio.

 - Haha - Peter diz.

 - Então tá - falo - Vou ma..

 - NÃO! - Drake grita - É meu, é meu.

 - Tá - pulo pra uma árvore.

 Drake sorri e da um belo uivo, ele avança no demônio e por mais difícil que pareça, ele arranca a cabeça do bicho com as mãos.

 - Porra.. - bato palmas e sorrio pra ele - Quando eu tinha treze anos fiz a mesma coisa com um leão gigante - falo andando pelos galhos da árvore.

 - Quê? - todos perguntam.

 - Achei que tinha parado de inventar essas histórias - Héctor ri e eu o olho.

 - Só diz isso porque você sempre foi cagado - dou risada.

 - Vai contar a do pássaro? - ele pergunta rindo.

 - Que pássaro? - Drake pergunta se limpando.

 - Qual era o nome dele mesmo? - Héctor pergunta - Aah é! Sr Popô.

 - Tá de brincadeira? - Mike ri junto dos outros.

 - Quando eu ver ele de novo - me aproximo do corpo do bicho - Vou mandar comer vocês vivos.

 - Aí.. - Lídia diz - Não quero ser comida viva.

 - Não literalmente - Jeniffer diz e nós três rimos.

 - Achou algo? - Gabriel pergunta.

 - Nada - falo e queimo o corpo com minha magia pra não deixar rastro - Podemos continuar.

 - Minha mãe.. - Liebe diz e todos o olham - Será que ela se lembra de mim?

 - Uma vez eu falei com um filhote de lobo que ti..

 - Hayle, não.. - Héctor diz e eu dou de ombros.

 - Quero saber o resto - Ryan ri.

 - Eu também - Logan e Davi dizem.

 Nós continuamos cavalgando enquanto eu invento mil e uma histórias, todos riem e começam a fazer comentários, até agora essa é a "viagem" menos silenciosa, todos riem e conversam entre si.

 - Estão exatamente como você queria.

 Estão assim porque eles querem.

 - E porque você os fez começar a conversar e rirem juntos por causa das histórias ridículas.

 O importante é que estão aprendendo a serem amigos.

 - Acha que eles não vão perceber? 

 Hélia..

 - Tudo bem, só acho que deveria contar pra eles.

 Olho pra todos e os vejo rindo, sorrio com isso.

(…)..

 


Notas Finais


Obrigada por ler ☺️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...