1. Spirit Fanfics >
  2. O Destino de Tiffany >
  3. Girl you look tired, take off you shoes now...

História O Destino de Tiffany - Capítulo 1


Escrita por: SeulgiJjang

Notas do Autor


@Djidja me inseriu nessa vida de fazer fanfics de aniversário e bem, aqui estou eu.

Dona Laís Samara, espero que você goste dessa história maluca sobre destinos, pensamentos positivos e o universo - Que particularmente eu acho tudo isso muito a sua cara - cuja mesma eu me inspirei numa reportagem que eu vi há uns bons anos atrás sobre uma moça que escreveu o nome na nota de dinheiros pedindo que seu amor verdadeiro a encontrasse... E encontrou.

Enfim desejo a tu o melhor dia e que essa história te divirta. É noiz, parceirinha!

Ps: Quando aparecer a música Gravity de Antony Lázaro, pela segunda vez, indico que a escutem enquanto estão lendo.

Peço que relevem quaisquer erros e desejo a todos uma boa leitura.

Capítulo 1 - Girl you look tired, take off you shoes now...



Eu sempre tive um carinho muito forte pelas quintas-feiras. Não que elas fossem mais importantes que os outros dias da semana, particularmente eu não gosto muito dos domingos, mas as quintas... As quintas tem suas vantagens. Por exemplo, se houver um feriado na sexta, a probabilidade de enforcar a quinta é gigantesca, coisa que não se faz com a segunda por exemplo. Segundas são complicadas pra todo mundo, mas as quintas não. E bem, foi exatamente numa quinta-feira, mais especificamente as oito da noite que eu tive mais uma das minhas desilusões amorosas.

Primeiro de tudo acho que vocês precisam saber que eu nunca fui muito sortuda para relacionamentos, vejam bem, depois que eu fui traída, trocada por minha vizinha de porta e meu último namorado assumiu sua homossexualidade, as coisas se tornaram um tanto desacreditadas no aspecto amor. Mas eu continuei tentando, certo? Porque sabem, não adianta quebrar a cara uma vez ou duas, tem que dar cabeçada na parede e bem foi o que eu fiz... Não literalmente por favor.


Mas continuando.


Há algumas semanas eu havia conhecido essa garota. Uma jovem professora de balé com um estranho gosto para filmes, cujo a mesma eu apostei algumas fichas para ter um lance. Péssima ideia, cara. Era pra eu ter guardado essas malditas fichas e levado em consideração meu sangue que puxa desfechos amorosos desastrosos. Acham que eu estou exagerando? Então me digam alguém que tenha sido apresentada a esposa de sua ficante? Em um fucking restaurante cinco estrelas onde eu realmente achei que seria pedida em casamento e não convidada para um mena... Enfim, nem preciso dizer o quão pistola eu fiquei, não é?

Eu saí daquele restaurante com a minha cara no chão e fui para o bar onde minhas amigas e eu costumamos nos encontrar. Fiz uma chamada urgente recrutando cada uma delas e assim, a minha pré ressaca começou.

- Como assim a vagabunda era casada? - Jessica pergunta com certa indignação no tom de voz.

- No papel e na igreja - Eu respondo, virando o copo de tequila na boca - E elas têm um cachorro adorável chamado Kuma.

- Mas que vadia! - Sunny esbraveja - Ela ainda te mostrou o cachorro?

- E a casa de praia, acho que elas queriam me comprar com o luxo.

- Onde era a casa de praia? Quer me passar o endereço - Yoona pergunta e todos os olhares se voltam pra ela - Calma gente, eu tô brincando.

- Péssima hora, Im! - Jessica da uma cotovelada na mais nova, antes de se virar para mim - Mas assim Fany-ah... Ao menos você tomou na cara logo no início, imagine se fosse igual o Nick? Três anos de namoro pra depois ele te trocar pelo gostoso do Taecyeon...

Eu faço uma careta e suspiro, aquilo não era nada reconfortante, mesmo que hoje eu seja amiga do casal, até mesmo tendo sido madrinha do casamento dos dois.

- Você é a pior pessoa para confortar alguém, Jessica - Sunny mussita, passando um dos braços por meus ombros.

- Talvez eu só não tenha nascido para isso... - Eu murmuro para mim mesma e vejo minhas amigas franzirem o cenho com aquilo, então trato de me retratar - Relacionamento, talvez eu não tenha nascido pra isso.

- Não seja tão negativa - Sunny aperta nosso contato, beijando-me o topo da cabeça - Talvez não seja o momento certo, só isso... - Ela se afasta para me encarar - Quando for o momento, o destino tratará de te colocar no caminho da pessoa certa.

- Corta essa de pessoa certa! Você não precisa de ninguém pra ser feliz, você é sua própria pessoa certa. - Jessica interrompe a fala da baixinha e recebe um olhar feroz da mesma - O que? Nem adianta me olhar assim, eu estou falando sério.

- Ela fala isso porque tá quase casada com a instrutora de Yoga. - Yoona solta de forma divertida e recebe um olhar feroz da mais velha - O que? Nem adianta me olhar assim, eu estou falando sério. - A mais alta repete a fala da Jung, o que acaba por nos arrancar uma gargalhada.

- Antes que vocês se matem - Sunny tomou a palavra para si - Mais uma rodada de tequila aqui por favor! - Lee pede para um dos garçons, recebendo um assentir de cabeça por parte do mesmo.

Não demorou muito para que a nova rodada de tequila chegasse a mesa e depois dela, mais uma de cerveja e depois da de cerveja, mais uma de alguma bebida aleatória que tinha no cardápio e bem, foi depois dessa que eu parei de contar.

- A conta por favor! - Jessica grita para um dos garçons.

- O que? A conta? Porque? - Questiono indignada.

- Porque vocês são fracas pra bebida e eu não tô afim de lidar com bêbadas hoje.

- Você está equivocada. - Yoona infere com o indicador suspenso - Você só está achando que estamos bêbadas porque você não bebeu nada, se tivesse bebido, estava exatamente como a gente - Jessica franze o cenho para constatação da mais nova, mas não tem tempo de rebater, já que neste momento o garçom se aproxima da mesa entregando-nos a conta.

- Nossa... - Eu murmuro atraindo a atenção de minhas amigas pra mim. - Esse garçom parece tanto com o Brad Pitt.

Jessica arregala os olhos com minha fala e se apressa em pegar o pequeno objeto de couro onde dentro, havia o papel com o total de nossos gastos.

- Vamos pagar logo isso porque a situação está perigosa, aquele cara não tem nada do Brad Pitt.

- Tem sim! - Eu defendo minha opinião.

- Uhum... - Jessica murmura ironica - Identicos, se colocar os dois juntos vai parecer antes e depois das drogas.

O riso estridente de Sunny ecoa pelo local atraindo olhares para nossa mesa e a Jung revira os olhos com aquela exposição desnecessária.

- Okay, vai ficar cinquenta e cinco dólares pra cada. Quem vai passar no cartão? - Nesse momento Sunny e Yoona levantam a mão - Tiffany e eu seremos no dinheiro então?

Eu afirmo com a cabeça e logo pego minha bolsa, abrindo-a e tirando de lá minha carteira. Apesar das vistas embaçadas, eu consigo separar as notas e as ponho sobre a mesa, guardando meus pertences de volta a bolsa. Enquanto espero minhas outras amigas passarem o cartão na máquina trazida pelo Brad Pitt, eu fico observando as notas de cinquenta e cinco dólares a qual eu separei enquanto aleatoriamente repassava a fala de Sunny diversas vezes em minha cabeça.


"Quando for o momento, o destino tratará de te colocar no caminho da pessoa certa."


Eu sempre fui muito cética quanto a isso destino, mas eu já estava tão frustrada - e bêbada - com todas as minhas tentativas de relacionamentos falidas que quando dei por mim, eu já havia pego a nota de cinco e puxado a caneta que Jessica iria usar para assinar a conta.

- Hey! - A Jung reclama. - O que vai fazer?

Ela pergunta e eu apenas estico a nota sobre a mesa, apoiando a caneta sobre a mesma.

- Se essa coisa de destino existe mesmo... - Com a voz embargada, eu murmura ao mesmo tempo em que começo a escrever sobre o papel - O amor da minha vida encontrará essa nota e quando isso acontecer, eu saberei que encontrei a pessoa certa.

Terminando de proferir aquilo, eu finalizou a minha escrita e mostro o resultado a minhas amigas.

- Tiffany? - Yoona pergunta sem entender e eu balanço a cabeça em concordância.

- A pessoa que encontrar essa nota com meu nome, é a pessoa que Genésio colocou no meu caminho.

- Genésio? Quem é Genésio? - Sunny pergunta ainda mais confusa.

- Jesus, eu quis dizer Jesus... Desculpa senhor eu estou muito bêbada. - Digo aquilo olhando pro teto, me sentindo uma blasfemica por ter trocado o nome de JC.

- Vamos lá, Genésio... - Jessica diz já se levantando já mesa - Vamos que eu vou levar vocês pra casa.

- Podemos parar no caminho e comprar um BK? - Yoona pergunta, já em pé e passando uma das mãos sobre a barriga.

- A gente não acabou de comer? - A Jung indaga e vê a mais alta fazer uma cara de desolação - Okay, a gente para no BK.

Dá-se por vencida e passa a nos guiar para o carro do lado de fora do bar.



Alguns meses depois...



Eu não sei porque eu estava fazendo aquilo, sério. Encontro a cegas? De todos os filmes de romance que eu já assisti, as chances de algo como isso dar certo, eram quase nulas, mas Jessica havia insistido tanto que eu não tive outra alternativa a não ser aceitar conhecer a tal melhor amiga veterinária de Yuri. De acordo com Jessica, a amiga de sua namorada era uma garota engraçada e que gostava de assistir filmes de terror, assim como eu. Acho que esse foi o parâmetro que ela usou para encontrar coisas similares comigo.

Até imagino ela falando com a namorada sobre isso.


"Oh, ela gosta de filmes de terror? Perfeita para Tiffany!"


Okay, apesar de eu estar com o pé atrás em relação a isso, lá estava eu terminando de me arrumar. Eu poderia até ter dado uma desculpa, não é? Sei lá, dor de barriga ou uma gripe, mas eu ia me sentir culpada porque a garota aceitou ir me encontrar e assim, eu não queria fazê-la criar uma expectativa e depois não aparecer.

Não que seja isso que esteja passando pela minha cabeça nesse exato momento.

- Espero que ela apareça... - Murmuro para meu reflexo no espelho e dou uma analisada no meu look uma última vez antes de sair. Eu decidi usar algo casual, nada muito exagerado nem nada muito desleixado então optei por um vestido branco com detalhes rosa, um salto - Não muito alto, mas que me dava um ar mais adulto - E uma maquiagem leve, apenas dando ênfase nos meus lábios, com um batom vermelho. Pego minha bolsa, colocando a alça sobre meu ombro e saio do quarto, apagando a luz, sem esquecer de pegar as chaves do carro sobre a mesinha de centro da sala.

Eram cerca de sete e meia quando eu estacionei em frente ao restaurante. O encontro estava marcado para as oito então eu esperei alguns minutos antes de entrar no estabelecimento.

- Eu tenho uma reserva no nome de Jessica Jung. - Informo ao rapaz da recepção e ele abre um sorriso meio animado demais em minha direção.

- Oh, senhora Stephanie, certo? - Afirmo com a cabeça e ele da a volta no balcão indo em minha direção - Sua acompanhante já chegou, a senhora Jung pediu para lhe informar para não se preocupar com o consumo, será tudo por conta dela.

Comprimo os lábios e subo minhas sobrancelhas para aquela novidade e dou um sorrisinho animado. Vantagens de ter uma amiga dona de restaurante é essa.

O engravatado me acompanha até onde seria minha mesa e antes de me deixar, ele aponta na direção de uma jovem de cabelos castanhos. Ela estava de costas e por usar uma peça que tinha abertura nas costas, eu podia ver bem sua pele alva e parte do pescoço. Agradeço ao recepcionista e sigo sozinha até a mesa, uma música calma soava pelo local, eu podia ouvir algumas conversas paralelas e ruídos de garfos passando sobre os pratos, bem como taças chocando-se uma com a outra.

Quando eu me apaixonei, quase como se tivesse sentido a minha presença, meu date se virou em minha direção e quando seus olhos se chocaram com os meus, todos os ruídos que eu escutava ficaram mudos. O único barulho que eu ouvia era a minha própria respiração juntamente as batidas do meu coração. Okay, Jessica acertou muito! Tá, não é como se eu me importasse com beleza, mas assim, a mulher era linda demais e quando ela sorriu pra mim e eu pude notar uma covinha lateral em seu queixo, posso jurar que meu coração deu uma parada.

- Tiffany? - Ela se levanta e eu posso ver certa ansiedade em seu rosto. - Muito prazer eu sou Kim Taeyeon.

Seu jeito era meio tímido e eu achei isso muito fofo. Ela estende sua mão pra mim e eu a seguro, rezando para que ela não repare nos pequenos tremores.

- Isso, Tiffany... - Balanço sua mão e retribuo o sorriso - É um prazer, Taeyeon.

A morena aponta para a cadeira e eu me sento em sua frente. Ela também se senta e me encara em seguida, engolindo a seco e mexendo os dedos das mãos.

- Desculpe, eu estou um pouco nervosa. - Taeyeon confessa e eu acabo por sorrir - É a primeira vez que eu estou fazendo isso então, me desculpe se eu for um tanto tímida no início.

- Tudo bem... - Digo sincera, me ajeitando na cadeira. - Eu também estou nervosa e é minha primeira vez num encontro as cegas também.

- Acho que agora eu entendi o porquê de Yuri não ter me deixado ver nenhuma foto sua.

- E qual o porquê? - Pergunto, franzindo meu cenho para seu comentário.

Taeyeon sorri de canto de boca, brincando agora com a taça de água em sua frente.

- A expectativa.

- E eu supri a sua?

- Pra ser sincera, você ultrapassou. - Ela diz e eu posso ver suas bochechas ficando avermelhadas. - Fico feliz que tenha vindo.

- Eu também fico feliz que tenha vindo, eu achei que você iria me deixar plantada aqui.

- Oh... - A Kim leva uma das mãos ao peito - Jamais faria uma coisa dessas. Até cheguei mais cedo... Por favor, não me acha uma desesperada por isso.

- Não te acharei desesperada se você não me achar também porque assim... - Coço a garganta - Eu cheguei tem uns trinta minutos, mas fiquei no carro até dar oito horas.

- Oh Deus! - Taeyeon gargalha e acabo por rir junto, sua risada me lembrava a risada da minha avó. - Certo, então eu declaro que não somos desesperadas.

- Acho justo.

Eu a olho e meu contato visual é retribuído. Ficamos naquela troca de olhares por alguns segundos até que um garçom se aproxima, entregando a cada uma de nós, um cardápio. Eu faço o meu pedido, Taeyeon faz o dela e quando o garçom nos deixa, iniciamos uma conversa sobre as nossas vidas. Não era apenas em filmes de terror que a gente combinava, ela também era americana com ascendência em asiática e gostava de sorvete de chocolate com menta. Além disso, nós duas gostávamos de Friends, café, bichinhos de estimação - Até pq seria estranho ela não gostar, por conta de sua profissão - cantar e jogar LOL. Apesar de parecer mais nova, Taeyeon tinha 32 anos - Mais velha do que eu quatro anos - e tinha um cachorro chamado Zero.

- Eu não acredito nisso! - A Kim exclama enquanto leva uma das mãos a boca, tentando conter a risada. - E o que você fez?

- Eu disse que não, oras. Seria estranho demais. - Bebo um pouco do meu vinho, a gente já havia jantado e enquanto esperávamos a sobremesa - torta de chocolate com sorvete por cima - Eu narrava a minha última desilusão amorosa para a veterinária. - Você não é casada, não é?

Taeyeon sobe as sobrancelhas, negando a minha pergunta.

- Já fui, mas juro que estou solteira há pelo menos cinco anos.

- E está tudo bem sobre isso?

- Sim... - A Kim afirma com a cabeça - Somos melhores amigas hoje em dia.

A fala de Taeyeon me faz franzir o cenho. Melhores amigas? Será que...

- Yuri? - Pergunto curiosa e a vejo afirmar novamente - Oh God! Como assim?

- Éramos novas demais - Da de ombros rindo sobre aquele fato - Com o tempo percebemos que havíamos nos tornado mais amigas que esposas então, a gente se separou.

- Quanta maturidade. - Brinco e Taeyeon assente sorridente, nesse momento nossas sobremesas chegam e a gente começa a saboreá-las. Conversamos mais um pouco e como não precisamos nos preocupar com a conta, apenas nos ajeitamos e seguimos em direção a saída do restaurante.

- Então... - Ela diz assim que chegamos a calçada. - Eu queria muito te convidar para dar uma volta ou te levar pra ver uma vista legal, mas amanhã eu tenho uma cirurgia logo pela manhã.

- Tudo bem... Eu também trabalho cedo amanhã. - Digo um tanto frustrada, mas então sinto sua mão tocar a minha e uma estranha sensação percorrer meu corpo.

- Mas eu quero te ver de novo! - Ela diz se aproximando - Aqui nesse restaurante ou pra dar uma volta por aí...

- Ou ver uma vista legal. - Completo sua frase e nós duas acabamos por rir.

- Isso... Uma vista legal... - Ela me olha e há tanto carinho em seus olhos que me sinto hipnotizada por eles. Eu fico paralisada quando ela começa a se aproximar, acabando com os poucos centímetros existentes entre a gente. Sinto seu hálito se misturar com o meu e instintivamente, eu fecho os olhos. Eu esperava que o toque de seus lábios fosse nos meus, mas ao invés disso, eles foram certeiros, bem ali, no cantinho da boca. Quando abri os olhos novamente, ela tinha um sorriso maroto no rosto.

- Nos vemos em breve, Fany-ah! - Com um aceno, a Kim se afasta e eu só percebo que ela havia ido embora, quando o táxi parou em sua frente e ela o adentrou.



...



- Eu não sei... - Declaro um tanto duvidosa - Normalmente é nesse momento que as coisas costumam dar errado.

- Mas você não disse que o encontro foi perfeito? - Sunny pergunta, eu e minhas amigas havíamos nos encontrado naquela noite para assistir filme e claro, fofocar.

- E foi! - Suspiro, fazendo um biquinho em seguida - Ela é tão perfeita... Tudo o que eu procurava, tipo... Mais velha, engraçada, gosta praticamente das mesmas coisas que eu - Eu falava aquilo enquanto enumerava nos dedos - E ainda tem um cachorro chamado Zero.

- Eu disse que ela era perfeita pra você. - Jessica aponta o dedo na minha cara, jogando um pouco de pipoca na própria boca.

- É... Mas acho que não vou sair com ela de novo.

- Porque não? - Agora fora a vez de Yoona perguntar, sua indignação era quase palpável.

Dou de ombros - Ah, sei lá... Talvez só não seja pra ser.

Sunny me dá um tapa na minha cabeça e eu a encaro confusa pelo ato.

- Pare de ser pessimista! - Ela voicefera entredentes - Isso só vai atrair negatividade pra algo que nem começou.

- Mas e se não der certo?

- Já disse pra você que se for pra ser, será! - Sunny afirma - Confie mais no universo e deixe que ele se encarregue de fazer seu destino acontecer, você só precisa está aberta pra isso.

- Aberta espiritualmente e fisicamente. - Jessica pisca pra mim e eu coro violentamente com o comentário ambíguo.

Apesar de eu pensar em fazer o que Sunny sempre me dizia, algo em mim insistia em temer deixar que o destino fizesse suas jogadas. É que eu internalizei tanto que eu não servia para me relacionar, por conta das minhas outras experiências, que pra mim, era mais fácil apenas desistir de qualquer oportunidade, sabe? O medo de acabar me frustrando no final, como das outras vezes, era maior do que a vontade de só deixar rolar pra ver no que vai dar.

Mas no caso de Kim Taeyeon eu acabei por quebrar a cara tão bonito e, felizmente, da melhor forma possível. Porque assim, depois daquela noite de filmes com minhas amigas, eu decidi dar uma chance e sair com ela de novo e sabem o que aconteceu depois disso?


Nós saímos de novo.


E de novo.


E de novo.


E de novo...


Em resumo, nós fomos em diversos restaurantes, demos inúmeras voltas, vimos várias vistas legais. Nos beijamos, fizemos amor, tomamos sorvete de chocolate com menta e fizemos amor novamente. Não necessariamente nessa ordem, mas enfim... Vamos dizer que fizemos isso e muitas outras coisas e sabe aquele "é nesse momento que as coisas costuam dar errado" que eu disse? Bem, as coisas deram certo, tão certo que ia completar dois anos na quinta que vem.



...



Quando eu entrei no apartamento de Taeyeon, a luz da sala estava apagada e a única iluminação que me permitia ver, eram as das velas sobre a mesa.

- O que é isso? - Pergunto com um sorriso no rosto enquanto a vejo mexer no som, nesse momento Gravity de Antony Lázaro começa a tocar e eu fecho meus olhos com a melodia porque eu amava aquela música e Taeyeon sabia disso.

- Hoje tem eclipse. - É o que ela diz, indo até a mesa e pegando duas taças de vinho - E é quinta-feira.

Minha boca se abre meio espantada, eu havia esquecido completamente que era o nosso aniversário.

- Amor, eu... - Sinto meu coração apertar e Taeyeon apenas sorri, me estendendo a taça de vinho.

- Está tudo bem, hoje foi um dia cheio.

Ela deixa um beijo na minha bochecha e aponta para o corredor.

- Tem uma banheira com sais relaxantes te esperando.

Suspiro aliviada por ela não ficar chateada com meu esquecimento e puxo seu rosto para selar nossos lábios.

- Eu te amo, sabia?

Ela sorri - Tenho conhecimento sobre isso. - Ela brinca e eu deixo mais alguns beijos em sua boca antes de seguir em direção ao banheiro. Entro na banheira, aproveitando os sais de banho e a água quente, relaxando completamente meu corpo e alguns longos minutos depois, eu volto a sala, vestida com uma das camisas de basquete de Taeyeon. Eu a vejo na cozinha, retirando algo de dentro do forno e vou até o som, busco Gravity novamente na playlist e a coloco pra tocar e é só nesse momento que Taeyeon percebe minha presença.

- Vem aqui... - Eu a chamo e ela dá aquele sorriso torto que eu tanto amava, deixando a travessa de lasanha sobre a bancada da cozinha e caminhando em minha direção. Taeyeon passa suas mãos pela minha cintura, me puxando para perto e eu entrelaço meus braços por seu pescoço. Eu fecho meus olhos quando sinto seus lábios sobre a pele exposta pela camisa folgada ao mesmo tempo em que começamos a dançar pelo espaço da sala.

Seus beijos sobem por meu pescoço até chegarem ao meu rosto.

Uma mordida no queixo e eu mordo meus lábios, ela aperta minha cintura e eu aperto seus ombros e então, sinto sua boca sobre a minha. Era engraçado o fato de que Taeyeon conseguia me acender das formas mais sutis. Seus beijos lentos e, ao mesmo tempo, firmes me instigavam e admito que se ela não tivesse se afastado, eu teria me entregado a ela sem qualquer hesitação.

Nós jantamos a luz de velas, conversando sobre como havia sido nosso dia. Depois de satisfeitas, fomos para a varanda de sua casa, a poltrona acolchoada já estava lá, com um cobertor e alguns travesseiros. Nos sentamos ali, com a garrafa de vinho e enquanto esperávamos pelo eclipse, eu me entreguei a ela. Sem qualquer hesitação.

- Eu te amo... - Digo entre um arfar e outro quando sinto seus dígitos se afundarem em mim, ao mesmo tempo em que atinjo meu ápice. - Eu... Eu te amo.

Sobre seu colo, Taeyeon me apertava contra seu corpo, beijando meu dorso, ora lambendo, ora mordendo, subindo por minha pele, até chegar a minha orelha.

- Casa comigo.

Seu sussurro me faz arrepiar e eu fecho meus olhos, ainda sentindo os espasmos atingirem meu corpo, bem como meu coração acelerar.

- O q-que? - Engolindo a seco, eu a encaro. - O que você disse?

- Casa comigo? - Ela repete, aqueles olhos amendoados invadindo minha alma, como se pudessem me ler. E acredito que realmente eles podiam porque eu apenas sorri e isso foi o suficiente para ela saber que minha resposta era sim.




Quando o eclipse enfim pôde ser visto, Taeyeon e eu não estávamos mais na varanda. A espera nos deu fome então minha noiva pediu pizza. Enquanto ela pagava ao entregador e pegava as duas caixas de pizza - Sim, somos duas esfomeadas - Eu ajeitava a mesa que ainda tinha os pratos da nossa janta, cujo os mesmos a gente ainda não tinha tirado por pura preguiça.

- Me ajuda aqui! - Taeyeon surge na sala com as duas caixas de pizza e um refrigerante, quase sem conseguir segurar direito nenhum dos três itens. Eu corro em sua direção e pego as duas caixas de pizza, levando-as para a mesa. - Olha que engraçado... - Ela diz e eu me viro em sau direção. Taeyeon havia acabado de por a garrafa de refrigerante sobre a mesa e agora mexia no bolso da calça de moletom, tentando tirar algo de lá.

- O que? - Pergunto curiosa e a vejo tirar algumas notas do que provavelmente era o troco da pizza.

- Sobrou dez dólares de troco e o cobrador não tinha os dez inteiros pra me dar, então ele me deu duas de cinco e... - Taeyeon estende uma das notas pra mim - Olha o que tem escrito nessa.

Eu demoro para conseguir ler, porém quando vejo o meu nome ali, escrito com a minha caligrafia - torta de quem havia enchido a cara - a mesma que a dois anos e alguns meses atrás eu havia escrito numa clara frustração amorosa da época e num pedido desesperado para que o destino a devolvesse pra mim, juntamente ao amor da minha vida. O que claramente aconteceu e ela estava ali, bem na minha frente, segurando os cinco dólares com um sorriso inocente sem ter qualquer noção do vulcão que estava prestes a entrar em erupção.

E assim, Taeyeon se assustou quando eu dei um grito e puxei a nota de suas mãos. Ela também ficou um tanto confusa quando eu corri pela sala, indo em direção ao quarto - onde meu celular estava - me apressado em ligar pras minhas amigas numa chamada de vídeo conjunta. E tipo, o desespero e a euforia foram tantas que eu não sabia dizer quem havia gritado mais: eu, Jessica ou Yoona enquanto a pobre da Taeyeon continuava sem entender absolutamente nada, observando da porta do quarto os meus surtos e os das minhas amigas.

Quanto a Sunny, bem, diferente das outras garotas, ela não gritou ou surtou. Na verdade suas palavras foram certeiras e eu apenas revirei meus olhos quando ela as dirigiu a mim.

- Eu avisei pra confiar no universo. - Foi tudo o que ela disse, antes de desligar a chamada e voltar a dormir.

Aff, eu adoro quando ela está certa!


Notas Finais


Besitos en la bundita e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...