1. Spirit Fanfics >
  2. O Destino do Amor (TaeKook) >
  3. Déjà vu: um táxi, por favor!

História O Destino do Amor (TaeKook) - Capítulo 9


Escrita por: myuniversetk

Capítulo 9 - Déjà vu: um táxi, por favor!


Quando os membros voltaram para Seul após o encontro na Grécia, Tae e Jungkook  fizeram muitos planos.  Na verdade, eles refizeram seus planos. Tanto o fato do Jin ter perdido sua mãe repentinamente, como as demais perdas de parentes e amigos do Tae, provocaram nele mais do que medo, provocaram uma certeza de que a vida pode ser cruelmente breve e o destino pode surpreender como se fosse um andarilho à procura de suas rotas e que muitas vezes deixa as feridas expostas e marcas profundas.

Os desejos navegam na mesma costa do inevitável, entretanto tem o poder do silêncio, das forças que a nossa razão agoniza para compreender. Assim, Tae e Jeon decidiram  que eles mesmos escolheriam seus caminhos para tentar alcançar a felicidade.

Quando Taehyung propôs ao Jeon antecipar seus planos para comprarem finalmente a casa com a qual tanto sonhavam para morar e saírem da banda para seguirem em carreira solo, eles estavam tentando evitar a escuridão do inevitável, tomando as rédeas de suas próprias vidas.

Eles acreditavam que desta forma, poderiam enxergar mais de perto as terras que a vista muitas vezes não consegue perceber.  Eles pressentiram que as sombras dos dias podem andar de mãos dadas com a claridade de um céu estrelado e com o sofrimento de quem desperdiça tempo e, portanto, a própria felicidade.

A viagem para a Grécia além de ter trazido reflexões tão profundas, também os presenteou com momentos românticos e inesquecíveis.

Mas, o inevitável está em todos os lugares. Até mesmo em um paradisíaco resort na costa grega.

Após alguns anos, depois da primeira viagem, Tae e Jungkook retornaram à Grécia logo depois da última tour mundial da banda, quando ambos decidiram sair do grupo.

Entretanto, houve uma inusitada coincidência que os levou ao disband: todos os membros estavam cansados. Mentalmente e fisicamente.  Não apenas eles. E, em comum acordo, decidiram por um ponto final nas atividades do grupo enquanto banda e todos, individualmente, prosseguiram em projetos solo na carreira artística.

  Apenas Jin foi para a dramaturgia, quase que imediatamente após o fim da banda,  em razão de sua ida ao exército que estava próxima,  fazendo com que ele gravasse seu primeiro dorama em seguida ao disband.  Além disso, ele continuou  compondo algumas osts para os dramas nos quais atuava e para outros também.

Namjoon,  além de compositor, continuou como cantor solo mas em projetos mais modestos e  já que não queria tours grandes, decidiu participar em festivais em que pudesse mostrar sua música, além de montar algumas galerias de arte pela Ásia.

Os demais membros continuaram em carreira solo e estão na indústria musical do mundo todo.

Além da carreira solo como idol, Tae fez algumas participações na dramaturgia também, já que sempre foi um dos seus sonhos e já havia participado de um seriado em 2016.

Porém a música sempre esteve em primeiro plano em sua carreira artística, assim como para Jungkook.

A  notícia do disband  que chocou o mundo, levou cada componente a seguir sua própria rota. Considerado um escândalo, o disband gerou uma  pergunta que ninguém conseguia responder: por que no auge da fama, a  banda decidiu  pelo fim,  exatamente quando o grupo vivenciava o mais alto status na indústria  musical?

Muitas questões ficaram sem respostas. Talvez nem os próprios membros soubessem de todas as razões que os levaram a tomar esta decisão.

Porém, Tae e Jungkook tinham uma motivação  muito clara e consciente para sair do grupo que era viver, pela primeira vez, o relacionamento deles sem precisarem estar  fugindo das  lentes das câmeras, do escrutínio da sociedade que esperava um passo em falso para cancelá-los, pelo menos uma grande parte dela,  e a razão principal: viver em liberdade, onde, como e da forma que desejassem.

  Ou seja, a resposta para a pergunta sobre porque deram disband,  aponta para a necessidade de terem  uma saúde mental boa, preservada do excesso de estresse, de regras massacrantes da indústria musical coreana e da falta de liberdade que os impediam de ser felizes.

 Então para comemorar a nova vida, Tae e Jeon resolveram fazer uma viagem especial, passando suas férias em alguns lugares belos e que tivessem uma ligação preciosa com eles.

Escolheram Malta, Suécia, Paris, Londres, Grécia e por fim, Coréia, mais exatamente a ilha de Jeju.

 E resolveram começar voltando à Grécia, já que foi lá, onde três anos atrás, eles decidiram dar um novo rumo às suas vidas quando voltassem para a Coréia.

Além de comprar objetos de decoração, inclusive a maravilhosa mesa preta, ou quase preta de mármore, lindos vasos gregos, aparelhos de jantar, entre outros objetos na Grécia, eles queriam agora uma viagem plena de diversão, sem estresse, só com amor e paz!

Paz? Sem estresse?

É o que eles mais queriam no paraíso grego, hospedados em um resort para milionários, com piscina de borda infinita, sensação de vida eterna, amor, sol, verão e um déjà vu para emocionar.

Vejamos... lembram da  terrível ameaça quando Tae e Jeon curtiam o sol de verão na praia e o Tae o avisou para ele não se mexer porque algo ruim se aproximava?

Então....

Voltemos um pouco para este  momento em que Tae, muito preocupado, pede  ao Jeon, para que ele não se mexa e em seguida, sugere para saírem dali rapidamente.

-Tae, você diz para eu não me mexer, depois fala para gente correr e ainda continua aí como uma estátua, sem me dizer nada, o que é pra fazer e por que?? Pergunta Jeon, sem entender a atitude de Tae.

-Jeon, aja naturalmente, ok?  - Diz Tae.

-O que??? Do que você está falando? - Jeon esta cada vez mais confuso.

-Jeon, veja como este lugar é lindo, estamos de férias, estamos livres, a vida é bela.... –Jeon o interrompe, cada vez mais ansioso.

-O que??

Tae continua:

-Jeon, prometa que você vai tomar com calma o que está prestes a acontecer, ok? Fique tranquilo, nós nos amamos e tudo passa na vida, certo? - Tae parece preparar Jeon para algo realmente ruim.

-Quero saber o que pode ser tão terrível assim! – Insiste Jeon.

Depois de tanto arrodeio por parte de Tae para que  Jeon mantenha a calma, ele volta-se para  trás e finalmente fica sabendo o que está acontecendo e realmente  não gosta nem um pouco do que vê:  os amigos de sempre do Tae!!  Sim, o famoso WOOGA estava bem na mira deles! Ou seria o contrário?

Coincidências! Será? O destino e suas brincadeiras estranhas...

 Novamente Tae e Jeon são surpreendidos por amigos na Grécia!  E enquanto eles avaliam quais as chances disso acontecer duas vezes,  o grupo de amigos caminha em direção a eles para os cumprimentar.

E não, não dá pra saber se isto terminará bem, sem estresse, com paz!

 -Mas que coincidência maravilhosaaaaa, amigos!!!

-Que felicidade vê-los aqui!

-Nossas férias não poderiam ser mais perfeitas!

-O universo nos reuniu outra vez!

-Só pra que nossas férias sejam maravilhosas, vocês estão aqui também? Como isso é possível???

 Sim,  esse é o Wooga em pessoa, aliás, em cinco pessoas, o famoso quinteto de migos  fofos do Tae!

É necessário falar sobre a comoção física, cerebral e emocional pela qual Tae e Jungkook passam agora??? Especialmente Jungkook?

-Oláaa!!! Que coisa boa! - Cumprimento do Tae para seus amigos.

Jungkook está quase  paralisado, tentando escolher entre alucinação, azar,  karma ou.... algo que fere as leis jurídicas  humanas...

Kim Taehyung está tentando achar o famoso buraco sob a terra para cravar seu rosto e sua alma.

Enquanto os dois não se decidem por nenhuma dessas opções e nem encontram uma solução para esta que não, não é uma feliz coincidência, o jeito é socializar... ou pelo menos fingir que a coincidência do encontro é maravilhosa.

-Que alegria, vê-los aqui também, não é Jeon? - Tae, pobre Tae, tentando a paz!

Jeon, no modus pedra/ódio  olha para o grupo e para Tae e volta a olhar outra vez para o grupo Wooga tentando vocalizar e assimilar esta experiência surreal.

- Olá! - Isso foi tudo o que saiu de sua boca. E foi muito!

Podemos considerar que isso foi muito sim, porque até chegar a este estágio de amistosidade, Jungkook/Jeon  passou por maus momentos com Tae que aprecia demais seus amigos fofos o que sempre gerou conflito entre eles.

-Vão ficar neste hotel mesmo? - Pergunta Tae.

-Simmmmm!!! Não é  incrível?? - Eles respondem.

-Nós ainda não sabemos se vamos ficar aqui.... chegamos há dois dias.... não é Jeon? –Tae responde e olha para Jeon, esperando um pouco de socialização.

-É. - Resposta do jeon.

-Ah, mas podemos marcar uma partida de vôlei de praia, jogar, ir para as piscinas, jantar, enfim.... muitas coisas! Claro, sem atrapalhar vocês, claro! - Esse é o Wooga entusiasmado.

-Não, não, de jeito nenhum vocês nos atrapalhariam!  Não é, Jeon? - Tae ainda procurando um sinal de vida social no Jeon.

É. – Responde Jeon.

O Wooga não quer atrapalhar a estada de Jeon e Tae no hotel... conseguirão?

-Imagina, vai ser legal demais, temos muito tempo! Estamos de férias prolongadas, não é Jeon?-Tae é realmente insistente.

-Sim. - Resposta de Jeon.

-Podemos marcar para jantar mais tarde? Vamos por o papo em dia e queremos  saber de todas as novidades, combinado? - Sugere Tae, tentando sair do momento um tanto constrangedor.

Jantar combinado, jogos programados, Tae e Jeon se dirigem para sua suíte. Tae cantarolando, construindo um clima ameno, leve, na esperança de  que tudo fique bem após o choque do encontro com os amigos.

Jeon calado, apressado e visivelmente irritado, caminha na frente de Tae para pegar o elevador e ir para a suíte. Tudo que ele quer é sumir dali.

-O que você quer fazer antes do jantar, Jeon? - Pergunta Tae.

-Nada. - Resposta do Jeon.

-Vai dormir? Está cansado? - Pergunta Tae.

-Não. – Hum....está difícil dialogar com o belo Jeon.

Ele entram no elevador, em silêncio. Tae tenta ver  a expressão do olhar de Jeon, escondido sob as lentes escuras de seus óculos de sol. Mas nem é necessário procurar já que seu rosto com traços bonitos está comprimido e seu sorriso escondido em algum lugar de sua alma.

Já na suíte...

 -Você pode me explicar o que significa isso, Tae??  Que diabos esse quinteto da amizade dos infernos está fazendo aqui, no mesmo hotel que a gente?? Isso é um déjá vu, uma alucinação  ou o quê?   Por que tenho que viver isso outra vez|? – Ele pergunta para Tae.

-Por que  você sempre acha que eu tenho a ver com tudo que acontece no universo, Jeon? De novo, eu não sei!  E por favor, não é o fim do mundo, não é? - Diz Tae.

-Tae, não tinha como esses seus miguinhos saberem que estamos aqui!  Outro In the soop?  Você está se sentindo solitário comigo? - Pergunta jeon.

-Jeon, não me faça rir...  eu não divulgo pacotes turísticos e não sei porque eles vieram pra cá também, ok?

 Eu sei que isso lhe irrita e eu também estou triste porque sei que pode estragar nossos dias aqui, mas... por que não tentamos não deixar isso nos afetar? Estou com você e não com eles! Eles devem ter os planos deles assim como temos os nossos, não somos obrigados a interagir com eles o tempo todo, Jeon! Por favor, deixe isso pra lá. – Responde Tae.

Tae abre o armário do quarto e olha as roupas nos cabides para escolher alguma para vestir.

 -Qual a nossa programação para a tarde? - Pergunta Tae, tentando eliminar o estresse desse encontro.

-Não sei, a borboleta social aqui é você! -  Responde ironicamente Jeon.

-Você vai ficar assim? Vai mesmo estragar nosso dia? - Pergunta Tae.

-Vou tomar banho. - Diz Jeon, secamente,  e entra no banheiro.

A relação entre os amigos do Tae e Jungkook sempre foi delicada e algumas vezes ocasionou transtornos sérios entre eles.

Tae, sempre sociável, extrovertido, gosta de sair, fazer amigos, gosta de experiências novas, é expansivo, tem uma dinâmica de relacionamento voltada para compartilhar as experiências com outras pessoas, e este modo de ser o levou a fazer muitos amigos pela vida.

 Amizades duradouras que o Tae sempre fez absoluta questão de preservar. Mas, para Jeon, essas amizades nunca fizeram falta para eles.

 Alíás, ele tenta ser incluído nestas relações, mas nem sempre se sente confortável, especialmente em uma viagem de férias como esta.

 Jungkook é introvertido, mais fechado, muito seletivo, não gosta muito de sair. Prefere ver as coisas pela internet, viver seu mundo, sua privacidade de forma muito exclusiva. Para ele sua felicidade é Tae, a música e a realização de seus sonhos  compartilhados com Tae.

Personalidades diferentes, mas que  se completam  no afeto, no amor incondicional. Ou quase incondicional...

Almas gêmeas que se encontraram porque o destino assim o quis e o amor os uniu.  Nada entre eles é coincidência, segundo eles mesmos.

Jeon sai do banheiro, e ainda calado, começa a se vestir.

-Onde nós iremos? - Pergunta Tae.

-Vou ver um negócio. Volto já.- Responde Jeon.

-Sozinho??? Por que? Jeon, por favor, por que está com raiva de mim? Você continua me culpando por termos encontrado algumas pessoas aqui? Isto é ridículo! - Diz Tae, bem irritado.

-Sou ridículo? Antissocial?  Esquisito?  Seus amigos perfeitos estão por perto, por que você não vai até eles? - Pergunta Jeon enquanto termina de se vestir.

-Não acredito no que está acontecendo... Jeon, isso não tem graça, Volte para o que estávamos vivendo. Estou me cansando e não estou disposto a ficar assistindo a um Jeon de 17 anos cheio de ciúmes infundados! – Tae começa a perder a paciência com Jeon.

-Há cinco adultos em algumas suítes neste resort bem mais velhos do que eu e super maduros e fofos.  E tenho certeza que é só você estalar os dedos que eles vêm correndo pra você! Ou será que é você que corre atrás deles?  - Pergunta Jeon muito, muito irritado.

-Jeon, você não é assim. Faz muito tempo desde que você teve uma crise de ciúmes dessas. Nos últimos tempos convivemos bem com nossos amigos, os meus e os seus... por que está assim hoje? - Pergunta Tae, tentando trazer a paz outra vez.

-Volto já. - Responde Jeon e sai do quarto.

Tae fica desolado e se perguntando para onde terá ido Jeon. Esta não é uma atitude corrente na vida deles e as poucas vezes em que Jeon agiu assim, segundo ele mesmo, foi para evitar maiores problemas. Especialmente quando ele, no fundo, sabe que não tem razão.

E sim, desta vez, Jeon está plenamente consciente que está errado mas não está conseguindo controlar seu mau humor e por isso resolveu sair um pouco para se acalmar.

Jeon sai do hotel e caminha um pouco pela praia. Pensa no que acabou de acontecer e sabe que foi muito ríspido com o Tae. Ainda assim, está muito chateado e resolve andar para se tranquilizar.

-Odeio esses caras! -  Diz para si mesmo.

-Tanto lugar no mundo e eles vem pra cá! Nunca mais venho para Grécia com o Tae! Sério.... é muita falta de sorte. – Conclui Jeon.

O grupo de amigos do Tae ao longo do tempo solidificou com ele uma bonita amizade. Por algum tempo Tae os manteve afastados depois de alguns problemas com Jeon que nunca gostou da grande importância que eles tinham para o Tae.

Esse impasse na relação deles foi parcialmente resolvido quando, com o passar dos anos, eles amadureceram, seu relacionamento ficou mais estável e Jeon também construiu algumas amizades significantes para ele.

Entretanto, depois da tamanha coincidência que foi encontrar o grupo no mesmo hotel que eles, Jeon ficou inseguro, temendo que a atenção do Tae pudesse ser dividida com seus amigos.

Assim, o  Jeon possessivo entrou em ação outra vez e não conseguiu conter suas emoções.

Jeon caminha pela praia  por algum tempo, tentando por os pensamentos em ordem.

-Por acaso não tenho o direito de não gostar deles? Tae sempre parece encantado quando eles estão por perto. Ele também não gosta muito dos meus amigos. - Reflete Jeon.

De fato, Tae também não gosta muito dos amigos do Jeon. Não são muitos. Mas, definitivamente, o Tae também não gosta muito deles.

-Um bando de oferecidos que ficam se jogando pra você! Pelo menos os meus amigos só querem ser amigos mesmo.  Quanto aos seus, só sabem falar com você ajeitando seu cabelo, tocando em você e você faz de conta que não percebe nada. 

Esse foi Tae, quando durante uma premiação de fim de ano na Coreia,  há alguns anos, ele  quase quebra o dedo do BamBam, membro de outra banda de kpop,  porque ele cumprimentou Jeon efusivamente, abraçando-o, o que deixou Tae absolutamente furioso e Tae tratou de deixá-lo bem longe do espaço físico do Jeon retirando suas mãos dos ombros do Jeon, quase deixando o BamBam  sem um dos dedos.

Esse e outros episódios de ciúmes dos dois quase levaram ao fim a relação deles, que precisaram amadurecer para tornar a relação estável e tranquila.

Porém, recaídas acontecem... principalmente quando se trata do Wooga que são pessoas  muito queridas pelo Tae.

Após algumas reflexões, Jeon conclui que realmente exagerou em sua reação porque  não há como responsabilizar o Tae  pelo fato de  seus amigos estarem hospedados no mesmo local que eles.

Ele percebe que tudo o que conseguiu foi perder um tempo precioso com seu belo Taehyung e resolve voltar.

Antes de ir, resolve  comprar algo para levar para o Tae. Vai então até a avenida para pegar um táxi.

 Quer ir para algum shopping ou loja comprar algo especial para ele.

-Sou um tolo mesmo. E sim, acho que me comportei como um adolescente de 17 anos ou menos. Droga! Jungkook se ressente da própria atitude.

E ele decide telefonar para Tae, que certamente está triste com tudo isso e preocupado com ele.

Jeon então procura por seu celular em seu bolso e não o encontra.

-Onde está meu celular? – Ele percebe que deixou seu telefone no hotel ou o perdeu.

-Essa não! Acho que deixei no hotel.  Não existem  táxis nesta cidade? - Jeon já está tentando pegar um táxi, em vão, há alguns minutos, já que  nenhum parou para ele.

-O jeito é caminhar até algum shopping. -  Jeon, guiado por um mapa da cidade, tenta encontrar um shopping,  joalheria  ou loja, enquanto procura  pegar  um táxi.

De repente, percebe que se distanciou bastante do hotel.

-Sou uma anta mesmo, como fui deixar o celular no quarto? – Ele se pergunta.

-Táxi! Táxi! Finalmente um!  - Um automóvel parou e Jeon fez menção para entrar mas o motorista falou algo ininteligível para ele, já que o mesmo  falava grego, e jeon com seu inglês, mesmo  que agora seja  muito bom, não conseguiu se comunicar com o motorista do táxi.

Tudo o que entendeu foi que o táxi não ia levá-lo e  o motorista fechou a porta antes que ele pudesse entrar.

-Se não pretendia me levar, por que parou? - Jeon está começando  a ficar preocupado já que anoiteceu e ele nem consegue um  táxi, nem chega ao seu destino e nem sabe onde está. - Ele sempre foi ruim em orientação espacial.

-Acho que já passei por esta rua há meia hora! - Ele olha em volta e vê que voltou ao mesmo lugar onde esteve alguns minutos atrás. – Na verdade, ele parece estar andando em círculos.

-Tudo por causa daqueles malditos migos do Tae!!! - Esbraveja Jeon no momento em que começa a chover torrencialmente.

-Chuva??? Como assim??? Depois de um dia ensolarado?  Era só o que me faltava! Como vou entrar em alguma joalheira ou loja neste estado?

Jeon está basicamente ensopado, tentando desesperadamente encontrar um táxi.

Táxii!!! – Um táxi finalmente parou e ele corre para alcançá-lo, mas o casal que deixaria o veículo, aparentemente desiste de descer e prossegue no automóvel, provavelmente impedidos pela tempestade.

-Nunca vi um dia tão ruim! Quero só ver o que mais vai me acontecer! – Uma premonição?

Jeon não precisou esperar muito porque toma uma banho após a passagem de outro automóvel que passa em alta velocidade mesmo sob uma chuva torrencial,  deixando-o encharcado e sujo.

Ele passa as mãos pela sua roupa,  que está colada ao seu corpo, o que o  deixa com muito frio.

-Como um dia que começou tão bom ficou assim? O que mais falta me acontecer??? - Pergunta-se Jeon. A resposta veio em seguida.

-Jungkook! Jungkook!! Nós vimos o que lhe aconteceu! Venha com a gente! - Simmmm, Wooga também está lá,  no meio de uma avenida, debaixo de uma tempestade, convidando  Jeon para dividir seus guarda-chuvas com ele!

-Será que no inferno chove?  -  Jeon pergunta para si mesmo em voz alta ao avistar os amigos do Tae.

Sem tempo para reposta, Jeon é acolhido pelo quinteto de migos do Tae que o abraçam bem juntinho de seus corpos para que eles seis possam dividir os três  guarda-chuvas que eles levam. e consigam atravessar a avenida no meio do trânsito caótico para entrar no shopping que está... bem na frente deles!!!

Sim!  O shopping procurando pelo Jeon estava ali, o tempo todo.

Eis o mistério da vida!!

Destino, destino, velho e sábio capitão, você é literalmente, o “mandachuva”!

-Nossa, você  vai pegar um resfriado se não se aquecer rápido.- Diz um dos amigos.

-Pegue esse casaco. Eles abrem uma sacola e retiram dela um casaco novinho em folha que tinham acabado de comprar e o agasalham com ele.

-Vá ao banheiro rápido e se troque, senão vai adoecer. Vista essa blusa também. – Jeon também ganhou uma blusa pra tirar a que vestia e estava toda ensopada.

Eles estão mesmo preocupados com a saúde do Jeon

Jeon troca de roupa no banheiro enquanto olha-se no espelho.

-Não acredito nisso. Sério.... o Tae vai rir por uns mil anos da minha cara. Que ódio.... nem posso ter mais raiva deles  depois disso. - Pois é... Jeon... depois de tudo isso acho que você foi arrebatado também pela amizade do quinteto de migos fofos  do Tae.

-Sente-se, você precisa de algo quente. Um chocolate? - Eles perguntam.

-Sim, por favor. Como pode chover tanto depois de um dia tão quente e ensolarado? –Pergunta Jeon para os rapazes.

-Isso não é comum aqui em Atenas, ainda mais no mês de julho. Deve ter sido algum fenômeno meteorológico inusitado. –Responde um dos amigos.

--É verdade, vi algo sobre isso na internet. E tinha previsão pra chuvas hoje, por isso saímos de guarda-chuva porque queríamos andar um pouco a pé  pra conhecer a cidade. - Outro amigo responde.

-Ah.... o Tae ficou no hotel. Ele deve estar preocupado. Posso enviar uma mensagem pra ele ou telefonar? Deixei meu celular no hotel...- Jeon sente-se desconfortável por não ter conseguido falar com Tae e sabe que ele está preocupado com sua ausência.

-Claro, claro! Aqui está. – Eles lhe entregam um celular e evidentemente, sabem que algo aconteceu por ele estar ali, sozinho.

-Obrigado. Responde Jeon enquanto os amigos saem um pouco pra lhe dar privacidade.

Jeon  liga para Tae e explica que está bem e que voltará logo para o hotel. Explica que está com o wooga o que surpreende bastante o Tae.

- Como assim??? Você está com seus inimigos números 1, 2, 3, 4 e 5??? - Pergunta Tae, surpreso.

-Sim. Está tudo bem, quando chegar, eu explico o que houve. -  Jeon desliga e finalmente fica tranquilo.

Uma tempestade na cidade, dois corações em saudades, alguns arrependimentos em pauta, um amor em alta.

Jungkook consegue não um, mas dois táxis através do serviço de táxi via aplicativo de celular, só possível com... o wooga!!

Jeon,  agora de corpo e  mente aquecidos,  sentiu  pela primeira vez o acolhimento do wooga.

O inevitável estava apenas esperando a oportunidade para chegar e dizer “olá”!

 Talvez  ninguém consiga evitar o destino. E se conseguir,  “a punição dos dias”  os esperará logo ali, em uma avenida, no meio do oceano, ou em uma noite sem táxi.

Quem poderá controlar essas vias invisíveis da linha da vida?

De volta ao hotel, Jungkook  é recebido como sempre pelo Tae:

Com amor e alegria.

-Fiquei com muito medo hoje quando você  saiu de repente. Não faça mais isso, Jeon! - Pede Tae.

-Não farei. Me perdoe. - Responde Jeon

-Quase não acreditei quando os vi chegar juntos de táxi. - Diz Tae, rindo.

-Pode rir, eu mereço. -  Responde Jeon.

-O nome disso é castigo, Jeon! - Diz Tae.

-Sou uma anta, mesmo! Me perdoe...- Jeon finalmente está em seu estado natural de ternura com Tae.

-Você é apenas um homem apaixonado por mim, que sou o mais belo de todos os deuses! - Responde Tae.

-Quanta humildade! Mas é verdade. Você é o mais belo mesmo! Sempre lhe disse isso. Temos um jantar marcado pra hoje, esqueceu? - Diz Jeon.

-Jeon, nunca se esqueça que eu não procuro outra estória de amor. Eu já tenho a minha escrita. Nós escrevemos ela todos os dias. É você quem diz pra confiarmos um no outro, não é? -Pergunta Tae.

-Eu sei. Nunca esquecerei. - Responde Jeon.

-Foi você mesmo que convidou o “quinteto dos infernos” para jantarmos juntos? - Pergunta Tae, absolutamente feliz  com o desfecho da estória.

-Sim. Pode rir de minha cara.  Eu mereço. Mas não fique de profundo e maduro não, porque você também  tem seus arrebatos de ciúmes  também.-  Diz Jeon

-Tudo bem. Mas eu não sou doido como você, Jeon. Eu sempre tenho razão quando “caçam” você. - Responde Tae.

-Mas pra falar a verdade,  eu nem sei o que teria acontecido hoje sem eles pra me ajudar.  Sem celular,  meu inglês não funcionou, descobri que os táxis gregos me odeiam, mas seus anjos mandaram toda essa chuva pra me salvar. - Responde Jeon.

-E meus “migos”! -Esse foi o IN THE RAIN - GRÉCIA!  - Diz Tae.

Enquanto terminam de se vestir para jantar, algo chama a atenção de Jeon:

-Tae, por que será que sempre andamos em sete?

-Em sete?  Pergunta Tae, sem entender por um momento, mas rapidamente faz as contas.

-É verdade, Jeon! Assim como na banda, nós e os cinco do wooga formamos sete pessoas. Curioso, não é? - Responde Tae.

-Venha, vamos tirar uma self. – Convida Jeon.

-Tae, como alguém pode ser tão lindo assim como você? - Pergunta Jeon, envolvendo Tae com um abraço enquanto tiram uma foto.

-Não sei, diga-me você! - Responde Tae, agora muito feliz.

-Você continua acreditando em destino, Jeon?  - Pergunta Tae, que ficou curioso com as coincidências do número sete.

-Tanto quanto acredito que não há coincidências. Apenas linhas marcadas que o capitão  destino joga para que possamos entrelaçar. - Responde Jeon.

-Você sabe que dia é hoje, Jeon?  - Pergunta Tae, em tom sério.

-Não, qual é? - Responde Jeon.

-Hoje é sete de julho. 07 do 07. - Responde Tae.

-Sério? Será coincidência? O que será que o capitão (destino) está aprontando?  - Pergunta  Jeon, sorridente,  enquanto Tae o abraça pela cintura e os dois descem para jantar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...