História O destino ou escolhas - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias A Rainha Vermelha, A Seleção
Personagens Personagens Originais
Visualizações 10
Palavras 987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Poesias, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ahhh estou apaixonada...
😍😍😄

Capítulo 20 - Meu melhor...


Fanfic / Fanfiction O destino ou escolhas - Capítulo 20 - Meu melhor...

Depois do delicioso jantar, todas retornamos aos nossos quartos. Eu me sentia exausta. Quando vi de longe uma figura que por mim, era muito bem conhecida. Ele estava fazendo ronda no mesmo corredor que ficava meu quarto. Quando nos vimos, trocamos sorrisos, e ele mordeu os lábios, indicando que me encontraria. Fiz o mesmo. Eu sabia que as regras não permitiam contar o direto com os guardas, mais o que eu poderia fazer?! Aquele guarda era especial para mim. 

Entrei em meu quarto e minhas damas estavam lá, me aguardando. Nessa noite eu não queria que nenhuma ficasse  velando meu sono. O que ajudou a dispensa-las foi o fato da ronda dos guardas. Quando fosse dia de ronda, a criadas não eram obrigadas a ficarem. 

Assim que me ajudaram a me arrumar para dormir, elas se retiraram. 

Eu estava com sono, mais não pretendia dormir. Uma visita viria aquela noite. 

Era por volta das 1:00 da madrugada, quando ouvi três batidas rápidas seguida de duas lentas na porta. Fui até a porta e fiz o mesmo. E abri a porta. 

Eu o encarava seria, e ele estendia os braços indicando querer um abraço. 

-- Nem ouse me abraçar Gab! - falei tentando me manter firme.

Ele fez cara de cão sem dono e entrou no meu quarto, e me abraçou.

-- Eii!!! - eu questionei. - Quem te deu autorização para me abracar? 

-- desde quando eu preciso da sua autorização para fazer alguma coisa?! - ele falou, brincalhão.

-- Desde sempre. Eu sou a dona do navio. - falei, cheia de mim. Lembrando de  uma brincadeira que tínhamos quando crianças. - Mais agora é sério. É arriscado você entrar assim, podem achar coisa onde não tem. - estava preocupada.

-- Até que ocorra alguma troca, levara uma hora. Então, não se preocupe. 

Me tranquilizei, mas não ao ponto de ficar relachada. 

-- Então... você por aqui!? - Ele falou, surpreso. 

-- Pois é... uma longa história. Mas estou mais surpresa com você! Onde, como e QUANDO você parar aqui!!!? - falei rápidamente, querendo uma resposta.

-- Longa história. - Ele falou tranquilamente.

-- Quando foi que isso aconteceu? - insisti.

-- Tem um mês. - Ele falou meio receoso pela minha reação.

-- UM MÊS!!!? - falei mais alto do que deveria. - e quando você pretendia me contar? Você mentiu para mim quando disse que iria visitar sua tia doente, não é mesmo? - falei, o fuzilando com o olhar.

-- Desculpa Liz... Eu não sabia se isso iria dar certo. Primeiro eu tive que passar por um treinamento, para ver se eu suportaria o trampo. E... aqui estou!! 

-- Bom saber. - cruzei os braços. - Eu gostaria de saber como você pretendia me avisar, caso eu não estivesse aqui. - eu estava com raiva dele. Mais não ao ponto de o criticar. Eu sabia que desde pequeno esse era o sonho dele. 

Gabriel e eu fomos criados juntos. A família dele é muito amiga da minha. Quando éramos mais jovens, tínhamos uma quedinha, um pelo outro. Ele foi meu primeiro beijo, chegamos a ter um rápido relacionamento. Mais não deu muito certo, não conseguimos agir como dois namorados. E isso foi bom, assim descobrimos que nossa relação se baseia apenas de carinho e amor de irmãos. Ele era um quatro, e cuidava da Fazenda da família. Agora que é um soldado, é um Dois.

-- Eu pretendia te avisar. Mais aí você apareceu aqui... O que facilitou. E toda aquela história de "esse povo da realeza são tudo fresco. Só se importam com o próprio umbigo..." E tudo mais. - Ele perguntou. Me encarando.

-- Fui precionada a entrar aqui pela Jack. - falei, e vi um sorriso bobo nascer no rosto do Gab. Ele tinha uma paixão platônica pela Jack. Mais nunca daria certo, ela o via apenas como um irmão mais novo. - tá... disfarça esse sorrisinho bobo Gab. Tenha respeito pela sua esposa. - Nossa amizade era tão bonita, e sincera, que dizíamos que éramos casados. Até que nosso amor verdadeiro aparecesse. 

-- Ihh!! Desculpa minha esposa linda, dona de todos os meus sorrisos... 

-- Tá tá. - o interrompi. - continuando... como você sabe, minha vó está muito doente. - Ele assentiu. - Eu sei que eu não sou assim... normalmente. Mais as garotas da Seleção ganham um benefício, só por fazer parte. E... lá em casa, não tínhamos muitas opções. Então eu me inscrevi... e aqui estou!!! - disse, dando um sorriso amarelo.

-- Você sabia que poderia me pedir ajuda, né Liz. - Ele disse. 

-- Eu sei... Mais... - não finalizei. E ele me encarou.

-- Você está gostando do príncipe, Liz?!! - ele pareceu surpreso. 

-- Eu não posso dizer que estou gostando dele, assim... Mais ele é alguém, muito diferente do que eu imaginei. Ele me disse que me deixaria aqui até a Elite. E que me ajudaria. E além do mais, eu não poderia passar a vida te pedindo ajuda, eu pedi mais do que a conta. - eu estava envergonhada e ele percebeu.

Quando dei por mim, Gabriel estava me envolvendo em um abraço aconchegado. Como só ele sabia me dar, em momentos como esse. Ele foi um dos que mais me ajudou a superar minha depressão, após a morte dos meus pais. Lágrimas rolaram pelo meu rosto. Eu estava tão feliz por ele estar ali, que nem me importava com mais nada, ele é e será, sempre meu melhor. E eu serei á melhor dele. Nos entendíamos como ninguém puderia imaginar. 

O tempo passou e ele me contou algumas coisas que ele fez no acampamento de treinamento. Até que deu a hora dele se retirar. 

-- Vou fazer o possível para nós falar novamente. Quando eu tiver um tempo, eu apareço, ok!! - Ele me garantiu. 

-- Ok! - falei, lhe dando um último abraço. E ele saiu, fechando a porta atrás de si.

Eu estava contente, por ter um pedacinho de casa, aqui, ao lado. 





Notas Finais


Um amigo desses... Onde eu encontro...
Please tell me 🙆💑


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...