História O destino predestinado - Capítulo 76


Escrita por:

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Chrollo Lucilfer, Feitan, Gon Freecss, Hisoka, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight, Maha Zoldyck, Personagens Originais
Tags Gon, Hunterxhunter, Hxh, Killua, Killua Zoldyck, Killugon, Kurapika, Leopika, Romance
Visualizações 137
Palavras 1.222
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 76 - E a guerra começa


Fanfic / Fanfiction O destino predestinado - Capítulo 76 - E a guerra começa

*Autora on*

       Na casa do Zoldyck, mais especificamente no porão, uma sala de reunião com uma grande mesa estava a espera dos membros da família Zoldyck e mais outras pessoas que estavam por perto. Os primeiros a chegar foram Kurapika e Alluka logo seguidos de Illumi, Gon e Hisoka.

Alluka: Gon, o que faz aqui?

Gon: Eu estava na casa do Illumi quando ele recebeu a mensagem e ele simplesmente me deixou ir.

Illumi: Você me seguiu até aqui.

Gon: Dá no mesmo.

Alluka: Vocês sabem por que estamos aqui?

Gon: O Killua, Alluka, ele foi raptado.

Alluka: Por quem?

XXXXX: Pela Trupe fantasma.

Kurapika: O que?

        Silva, Kikyo, Zeno e Maha entram pela porta pesada.

Alluka: Papai.

Silva: Filha. O que esse pessoal faz aqui? Era para serem somente os Zoldycks.

Gon: Eu não posso deixar o Killua assim sem fazer nada.

Kurapika: E eu estou acompanhando a minha namora... A Alluka, além de eu ter uma rixa com a trupe.

Hisoka: E eu gosto de matar pessoas.

Kikyo: Você era da trupe senhor, o que faz aqui?

XXXXXXX: Pessoas que já foram da trupe podem ser de ajuda nisso.

       Uma garota com corpo de forma de violão abre a porta com um certo ex-aranha atrás dela: eram Kalluto e Feitan.

Kikyo: Kalluto, minha filha! Você está linda!

       Kikyo foi abraçar a filha que ela tanto amava, e então ela viu Feitan atrás dela.

Kikyo: O que ele faz com você?

Kalluto: Ele é meu parceiro, mamãe.

Kikyo: Um aranha? Você poderia ter feito tão melhor, querida.

Kalluto: O que? Sabia que ele é o melhor namorado de todos e...

       Feitan arregalou os olhos: era a primeira vez que ela o chamará de namorado.

Kalluto: E ele me deixa livre para tomar minhas próprias decisões diferente de você...

       Em outro canto:

Zeno: E você, Illumi? Tinha um futuro promissor na carreira Zoldyck e decidiu trocar tudo por esse... Palhaço.

Illumi: Eu ainda continuo o melhor e não depende de quem eu ando com...

       Em outro canto:

Silva: Agora que eu vi, você não era o tal namorado da filha do Nostrade?

Kurapika: Sim, mas...

Silva: E agora está namorando minha filha?

Kurapika: Sim, senhor.

Silva: Qual é o seu problema em querer garotas de pais poderosos? É para esconder o seu pequeno ego?

Alluka: Papai!

       A sala entrou em um barulho alto de discussões: os velhos Zoldycks contra os novos e seus parceiros. E Gon no meio da mesa respirando pesado para conter sua raiva até que ele não conseguiu e bateu na mesa tão forte que a partiu em duas e calou a sala.

Gon: Eu não estou a fim de ficar ouvindo as suas discórdias familiares!! O Killua está em perigo e temos que salva-lo o mais rápido possível! E se vocês forem continuar assim, me digam onde ele está que eu vou lá eu mesmo!

       A sala voltou ao silencio, ninguém sabia o que responder até que o silencio é quebrado com o som da porta se abrindo e Milluki aparecendo com um saco de batatas em mãos.

*Killua on*

         Eu estava adormecido com meus braços e pernas ainda presos e os choques em meus pés quando alguém abriu a porta e desligou os choques. Esse rosto não me é estranho... Era o Omokage, irmão de Retz. Mas o que ele fazia aqui? O que ele queria comigo?

Omokage: Você não tem noção do quanto eu estou com vontade de te matar aqui e agora.

Killua: O que?

Omokage: Não se faça de bobo, Zoldyck. Eu sei que você foi o que causou o incêndio que causou a morte de minha irmã.

Killua: Não sei quem te disse isso, mas você está atrás do cara errado, porque não fui eu que causei o incêndio.

Omokage: Mentira!

         Ele me deu um tapa cheio de ódio fazendo-me cuspir sangue, mas ainda não senti dor forte.

Omokage: Admita que você pôs fogo em minha casa que foi você que matou Retz.

Killua: Olha, eu já matei muitos admito, mas a Retz não foi uma delas. Ela era minha amiga e eu nunca faria isso.

Omokage: Mentira!

        Ele me soca no estomago e depois bem no saco. Ele me surra com ódio e eu não posso fazer nada, se não eles vão atrás do meu amado, se é que eu tenho o direito de chama-lo assim...

*Alluka on*

        Depois de todos se acalmarem começamos a discutir sobre o que fazer, Feitan e Hisoka tem noção de vários esconderijos em que a trupe costumava se encontrar se bem que era provável que eles mudaram de lugar. Decidimos nos dividir em trios para ir aos esconderijos ditos e ver se achamos algo de ajuda. Eu queria ir junto de Kurapika e Gon, mas papai ordenou que eu fosse com Illumi e Kalluto.

        Nosso destino era um armazém perto do porto, chegamos de metro e Kalluto consegue destrancar a porta e entramos. Trocamos olhares e nos dividimos. Fui percorrendo os corredores de armas quando ouvi um barulho: eles estão aqui posso sentir. Agacho-me e vou de fininho andando para frente e então eu os vejo. Um homem de cabelos pretos longos, uma mulher segurando uma arma que parece mais um aspirador e um cara vestindo uma roupa egípcia. Faço sinal e Illumi e Kalluto vem até onde estou ficamos quietos para escutar a conversa deles.

Nobunaga: Precisamos esvaziar esse armazém antes que alguém chegue antes e pegue tudo.

Shizuku: Por que o chefe está com tanta pressa para fazer isso?

Nobunaga: Aparentemente ex-aranhas estão com relações fortes com os Zoldycks e assim que eles se reunirem é capaz deles virem aos nossos esconderijos para ver se nos acham.

Phinks: Os idiotas do Feitan e do Hisoka. Eu fico feliz que eles tenham saído, eles eram um peso morto para a facção e com eles do outro lado faz a família Zoldyck mais fraca e nos dá vantagem. Além do cabelo ridículo do Hisoka, e o mal gosto do Feitan.

      Ainda bem que são o Illumi e a Kalluto que estão aqui, se fossem outras pessoas ouvindo disso sobre seus namorados eles estariam...

Kalluto: Prepare-se para problemas.

Illumi: Problemas em dobro.

Kalluto: Vocês mexeram com os Zoldycks errados.

     O-Q-U-E? Droga. Agora que eles decidem ser sensíveis pelos os outros? Acho que não tenho opção e me junto a eles. Saco os meus sais (arma japonesa), e Kalluto com um nunchaku e Illumi com um Daito (arma japonesa).

Nobunaga: Olha o que temos aqui.

Phinks: Se vocês querem briga é o que terão.

Nobunaga: Vamos logo acabar com isso.

       Ele saca sua Katana e vem em nossa direção, mas Illumi o interrompe com o sua arma. Kalluto vai em cima da mulher do aspirador e o egípcio vem ao meu encontro, aparentemente querendo lutar com os punhos.

Phinks: O que? Você não é boa o suficiente sem suas armas?

Alluka: Se você insiste.

     Guardo-as em meus compartimentos e mostro os punhos.

Alluka: Eu aviso que você irá se arrepender.

     Sinto como se Nanika estivesse sobre o controle novamente. Parto para cima dele e um combate mano-a-mano se inicia. Não havia se passado dois minutos que escutamos o barulho de carros da policia e todos saímos correndo. Nós três perdemos a visão deles com a confusão. Deu somente para ouvir uma voz familiar ao fundo.

Kaito: Parados! Policia!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...