História O destino predestinado - Capítulo 87


Escrita por:

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Chrollo Lucilfer, Feitan, Gon Freecss, Hisoka, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight, Maha Zoldyck, Personagens Originais
Tags Gon, Hunterxhunter, Hxh, Killua, Killua Zoldyck, Killugon, Kurapika, Leopika, Romance
Visualizações 149
Palavras 1.129
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 87 - Somos hunters!


Fanfic / Fanfiction O destino predestinado - Capítulo 87 - Somos hunters!

*Gon on*

         O resto do fim de semana foi maravilhoso, quando voltamos teve toda uma celebração ao nosso noivado. No dia seguinte Kill me acorda dizendo que conseguiu uma missão Hunter para nós dois. Eu fiquei tão feliz, fazia muito tempo que não conseguíamos uma missão para nós dois. Ela é em outra cidade então estamos no trem agora e o meu noivo dorme em meu ombro tranquilamente. Iriamos trabalhar juntamente a uma mulher chamada Komugi que era uma Hunter especialista no que iriamos fazer.

        Nossa missão era simples em primeira vista. Iriamos atrás do líder de uma gangue mafiosa chamada quimera. Pela informação que temos o líder mora em uma mansão de difícil alcance e nosso trabalho seria achar o local e prender Meruem, o líder. O trem parou e pegamos um Uber até o local que Komugi mandou para nos encontrarmos.

        Fomos até uma casa onde uma mulher aparentemente de nossa idade de cabelos brancos que nem de Killua nos esperava. Ela nos deu mais algumas informações e armas também e então partimos.

*Meruem on*

        Estava em meu escritório assinando alguns papeis sem muito motivo quando um dos meus subordinados, Pouf, entra no local.

Meruem: O que foi?

Pouf: Meu senhor, sinto em lhe informar que a associação mandou um grupo de três pessoas para vir atrás do senhor.

Meruem: Livre-se deles.

Pouf: Eu só precisava de sua ordem, senhor.

*Pouf on*

        Saio do escritório e vou ao encontro de Youpi e Pitou. Logo depois da escola ter terminado nós acabamos nos envolvendo com esse grupo por não ter mais opção, já que não conseguimos ir para a faculdade ou coisa do gênero, e nós acabamos por aprender a amar trabalhar para o senhor Meruem e ser uma quimera.

Youpi: Podemos ir?

Pouf: Não tão rápido. Eles são hunters devem ser poderosos. Devemos bolar um plano. O que sabemos sobre eles?

Pitou: Das informações que tiramos do nosso informante não sabemos muito. Só que são três pessoas... Um casal quase casando e mais uma pessoa.

Pouf: Já sei o que fazer então.

*Killua on*

        Andamos o dia todo e já podemos ver o local de onde estamos. Montamos um acampamento para passar a noite e de manha iriamos andar desde cedo. Eu termino de montar as duas barracas, Gon está terminando a comida e Komugi foi buscar água. Escuto um grito. Gon! Vou até a fogueira e vejo Gon a salvo e suspiro de alivio, mas...

Killua: Komugi!

        Vamos até o rio e já é tarde, eles levaram a Komugi.

Killua: Devem ter sido os subordinados do Meruem. Temos que ir atrás deles e salvar Komugi. Não a tempo para dormir.

Gon: Hai!

*Komugi on*

         Acordo em uma cela empoeirada. Como eu pude me deixar ser pega assim?! Não estou presa a nada seria fácil fugir, então a porta de abre e um cara de cabelos loiros e pele arroxeada aparece.

Pouf: Acho melhor você não tentar nada. Se não iremos atrás do seu querido amor.

Komugi: Vocês não ousariam ir atrás do totó!

Pouf: Totó? Que tipo de nome é esse?

Komugi: Não fui eu que escolhi o nome do meu cachorro, ok?

Pouf: C-Cachorro? E quanto ao seu namorado Hunter?

Komugi: Haha! Você é comediante, por acaso? Eu só consigo pegar é gripe, isso sim!

        Asso o nariz lembrando que quase sempre estou gripada. Esse meu sistema imunológico realmente não presta...

Pouf: Não minta! Sabemos que do grupo de Hunter que veio foi um casal e mais um.

Komugi: Estamos no século vinte e um, querido! Você ainda acha que um casal é um homem e uma mulher?

Pouf sussurrando: Merda! Lá se vai à chantagem perfeita e agora que eles sabem que sabemos deles eles devem estar com a guarda altíssima...

        Vejo o cara fazer um drama na porta sobre o seu plano falho quando uma mulher de cara de gata aparece atrás dele.

Pitou: Você raptou a pessoa errada, Pouf!

Pouf: Você também não ajudou em nada!

         Os dois saíram discutindo e eu fiquei quieta esperando a chance perfeita para fugir, ainda precisávamos ir atrás de Meruem.

*Meruem on*

          Joguei-me no sofá entediado. Lembro-me do que Pouf disse e vou até o calabouço para ver a nossa refém. Abro a porta e vejo uma mulher de cabelos brancos e um buraco na parede.

Komugi: Não é o que parece.

         Uma risada sai de minha boca. Quanto tempo faz que eu não rio?

Meruem: Você também deve estar entediada. Quer jogar algo?

Komugi: O que?

Meruem: Vou refazer a frase. Ou você joga e me ajuda a matar o meu tedio ou morre.

Komugi: Eu sempre gostei de Gungi.

Meruem: Eu devo ter um lá em cima, siga-me.

           Subo as escadas com a garota atrás de mim. Isso pode ser divertido.

*Killua on*

          Alcançamos a mansão quando o Sol nascia e entramos pela porta dos fundos.

Gon sussurrando: E agora?

           É então que vejo um varal cheio de roupas de serviçais.

Killua: Tive uma ideia.

           Após vestir uma blusa engomada e uma calça apertada já estou pronto, viro e dou de cara com o meu moreno vestindo um vestido de empregada e seguro meu nariz impedindo que o sangue caísse.

Killua: P-Por que isso?

Gon: Não tinha outra opção...

Killua: Eu vou atrás do Meruem e você de Komugi, assim que encontra-la veja se ela está bem e vá para a entrada do local que eu cuidarei do cara.

Gon: Por que você tem que ficar com a parte legal?

Killua: Por que eu disse primeiro, obvio.

Gon: Ok... Vejo-te mais tarde, querido.

Killua: Até, amor.

         Dou-lhe um beijo na testa e cada um vai a uma direção. Onde será que aquele cara está? E para que uma casa com tantos quartos se ele mora sozinho?

*Gon on*

          Se eu fosse uma prisioneira onde eu estaria? No calabouço no porão! Obvio! Que nem na casa onde o Kill foi criado. Acho as escadas e vou até lá, mas não encontro Komugi em nenhuma das celas. Espero que ela esteja bem...

XXXXX: Hey! O que faz aqui?!

            Congelei no ato.

Gon: E-Eu sou novo por aqui... E me disseram para limpar todos os cantos e...

          Fui me virando devagar. Tive um treco ao ver minha antiga colega de classe, Pitou. A filha da puta que roubou um beijo do MEU Kill. Encosto em meus bolsos para pegar a arma quando lembro que eu a deixei na minha outra roupa. Merda! Se bem que eu gostaria muito bem que dar uma surra nela e... Espera um pouco, eu não preciso ir para a violência era só ir na conversa...

Pitou: Ora, ora, ora. Se não é o ex da senhora Mahina. Como vai o seu namoradinho? Ainda lembro-me daqueles lábios doces dele.

            Eu tenho que mata-la.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...