História O Destino Sempre Muda - '' Carpe Omnia'' - Capítulo 1


Escrita por: e atiradora_s2

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Fred Weasley, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Ronald Weasley, Severo Snape, Theodore Nott
Tags Drama, Harry Potter Escuro, Harry Sombrio, Mãe Bellatrix, Magia Elemental, Pai Voldemort, Politica Pureblood, Realeza Negra, Sane Voldemort, Sangue-puro, Sonserina, Sonserina Harry
Visualizações 158
Palavras 1.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem


(*notas de Noctem31: Não possuo Harry Potter obviamente. Abordaremos sobre abuso e violência, então se você não gostar disso, não leia essa história.)

(*revisado)

Capítulo 1 - Língua das Cobras


Harry Potter, de oito anos, estava trabalhando no jardim, tentando terminar sua longa lista de tarefas para poder comer alguma coisa mais tarde naquela noite. O sol estava quente e ele se sentia fraco e tonto devido á desidratação. Ele sabia que poderia fazer alguma água aparecer se tentasse o suficiente. Mas ele sabia que se fosse pego fazendo qualquer coisa bizarra, seu tio o espancaria novamente. A última vez que seu tio o espancou, ele mal conseguia se mover por uma semana. Felizmente, ele era capaz de se curar mais rapidamente do que a maioria das pessoas.

Harry odiava os Dursleys. Ele era mais esperto que a maioria. Ele sabia que não era normal crianças serem tratadas da mesma maneira com a qual ele era tratado. Dudley sempre recebia o que quisesse, enquanto Harry mal recebia comida suficiente para sobreviver. Dudley tinha até um segundo quarto para acomodar todos os seus brinquedos, enquanto Harry era forçado a dormir no armário embaixo da escada.

Ele queria mais do que qualquer coisa que seus pais não tivessem morrido em um acidente de carro, para que ele não tivesse que viver com sua tia e tio. Ele esperava um dia escapar dos Dursley e se vingar de tudo que eles haviam feito com ele ao longo desses anos. Mas por enquanto ele estava preso. Não havia onde ele pudesse ir porque tinha apenas oito anos de idade. Ele tentou fugir uma vez antes, mas a policia o encontrou e o trouxe de volta para sua tia e tio. Naquela noite, ele recebeu a pior surra que já havia recebido. O braço e a perna estavam quebrados, ele tinha muitos vergões que sangravam nas costas causadas pelo cinto do tio, tinha alguns ferimentos internos e três costelas quebradas, o que tornava difícil respirar. Ele realmente achava que ia morrer naquela noite, mas de alguma forma ele não morreu. Lentamente ao longo das próximas duas semanas seu corpo conseguiu se curar. Esse foi um dos momentos mais miseráveis da sua vida.

 

Ele nunca tinha passado por tanta dor.

 

Pensando naquela época, o ódio de Harry pelos Dursleys cresceu, e seus olhos ardiam de lágrimas. Ele prometeu que algum dia ele retornaria o favor.

 

Harry estava aparando as roseiras quando ouviu uma voz.

‘’. Humanos estúpidos, pensando que podem me manter em uma gaiola. Eles não podem me manter em uma gaiola. Eles não podem me impedir de caçar ratos do lado de fora’’

Harry olhou em volta, tentando ver da onde a voz estava vindo.

De repente ele olhou para baixo e ficou cara a cara com uma linda cobra. A cobra era coberta de escamas pretas brilhantes e tinha olhos vermelhos carmesim. Era fino e tinha apenas cerca de trinta centímetros de comprimento. Ele olhou para a cobra, incrédulo, imaginando se ele realmente acabara de ouvir uma cobra falando.

A cobra parecia  encarar ele, se isso fosse possível para uma cobra, e sibilou: 

"Outro humano estúpido! Talvez eu devesse morder este desde que ele interrompeu minha caçada!"

Os olhos de Harry se arregalaram com isso. Ele realmente ouviu um animal falar. Ele rapidamente percebeu que a cobra estava prestes a mordê-lo, então ele disse:

‘’Por favor, não me morda! Quero dizer que não fiz por mal, e eu sinto muito por interromper sua caçada!’’

Agora a cobra parecia olhar para ele incrédula. Ficou em silêncio por alguns momentos antes de dizer:

‘’Um orador!! Eu nunca encontrei um falante antes! O ultimo falante que existiu era o mestre da minha mãe! Você será meu mestre agora. Eu vou proteger você orador!’’

Harry ficou confuso quando a cobra o chamou de orador. O que a cobra quis dizer com ele era um falante? Ele falava português como todo mundo, não é mesmo?

‘’O que você quer dizer com eu sou um orador?’’ ele perguntou.

A cobra parecia quase tonta de felicidade, neste momento.

‘’ Você fala a língua das cobras! Quase nenhum homem pode falar a língua das cobras!’’

 

Harry começou a dizer que ele falava português, não uma língua de serpente. Mas então ele notou o assobio estranho que saiu de sua boca. Ele ficou ainda mais confuso e perguntou:

"Por que posso falar com você? Parece português quando ouço você fala comigo. Por que não há outras pessoas que podem falar a língua das cobras?’’

A cobra pareceu surpresa por um segundo antes de responder:

‘’ Somente magos muito raros podem falar a língua da serpente! Bruxos que são descendentes de Salazar Slytherin! É um presente muito especial!’’

Harry ficou boquiaberto com a cobra. Ele não pôde evitar. Um bruxo?!? Era isso que ele era?? Ele estava usando magia para fazer coisas estranhas acontecerem??

“Você quer dizer que eu sou um bruxo? Eu posso fazer mágica?’’          

‘’Claro!’’ A serpente respondeu: ‘’Só magos podem ser falantes. Outros humanos sem magia não podem falar a língua das cobras. Você é meu mestre agora, eu ficarei com você para sempre para protege -ló’’.

A mente de Harry estava a um milhão de milhas por horas. Ele era um bruxo! Isso significava que deveria haver outros magos por ai! Ele não era uma aberração como a tia e o tio costumavam dizer a ele! Harry estava cheio de felicidade. Talvez algum dia ele encontrasse uma maneira de escapar e viver com sua própria espécie.

Enquanto Harry estava imaginado as possibilidades, sua tia petúnia gritou da casa:

"GAROTO ENTRE EM CASA E FAÇA O JANTAR !!’’

A felicidade de Harry diminuiu ligeiramente ele olhou para a cobra e disse:

" Minha tia esta me chamando para cozinhar o jantar, eu tenho que ir.’’

A cobra então o surpreendeu envolvendo sua cintura sob sua camisa, para que não pudesse ser vista por sua tia.

A cobra estava com raiva quando ele sibilou:

"Meu mestre cozinhar o jantar para humanos comuns! Isso não é aceitável! Meu mestre não deveria ter que cozinhar para ninguém! Eu estou indo com você, você é meu mestre e eu não vou deixar você.’’

Harry sorriu para a resposta da cobra. Pela primeira vez em sua vida, ele não estava completamente sozinho. Ele então entrou na casa para preparar o jantar para os Dursleys, sentindo-se melhor do que há muito tempo.


Notas Finais


Até a próximo capitulo.

(*Para aqueles que estiverem interessados pelo original: https://archiveofourown.org/works/11360472)

(*A título de curiosidade: como o(a) autor(a) escreveu "snake tongue" preferi deixar "língua das cobras" ao invés de ofidioglossia, que seria referente a parseltongue)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...