1. Spirit Fanfics >
  2. O Detetive e o Psicopata >
  3. Capítulo 02

História O Detetive e o Psicopata - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Perdoem minha demora, mas estou com uma certa dúvida se continuo com minhas histórias ou não. Estou muito desanimada com tudo e tentar escrever neste estado emocional é beeem difícil. Quero continuar e ao mesmo tempo não quero, se eu sumir novamente vocês já sabem o por que.

Desculpe o cap pequeno e me desculpe qualquer erro. <3

Capítulo 2 - Capítulo 02


Fanfic / Fanfiction O Detetive e o Psicopata - Capítulo 2 - Capítulo 02

Seul, Coréia do Sul

Departamento de Polícia 

8:48 a.m



- As digitais da cozinheira foram encontradas em uma faca que estava debaixo do colchão e as imagens das câmeras de segurança mostram ela saindo da casa logo depois do assassinato. - Mentia para repórter em minha frente, ao meu lado estava Namjoom. Ele daria entrevista logo depois de mim. - Meus pêsames à família, é horrível quando perdemos algo ou alguém importantes para nós. -

Voltei para minha sala e me distraí com um joguinho no celular. Estava quase me deitando na cadeira quando meu celular saiu do jogo e o despertador começou a tocar indicando o horário do meu remédio, me levantei e fui tomar o comprimido, mesmo não adiantando muito eu escolho tomar, vai que efeitos do mesmo possam me controlar um pouco...Quem eu quero enganar? É inútil! Voltei para minha cadeira e comecei a procurar por uma nova vítima, tinham muitos homens riquinhos e velhos em sites de relacionamentos, isso facilita muito meu trabalho, uso um perfil com um nome fake para enganar os babacas. Lee Chul, quarenta e oito anos, conta bancária bem gordinha, corretor de imóveis...Patético! Mandei uma mensagem para o velhote que respondeu quase de imediato, fui direto ao dizer que eu só queria apenas uma noite de prazer, ao menos para mim vai ser uma noite de prazer mas para ele vai ser uma noite de dor, sofrimento e muita tortura! Só de pensar no sangue dele escorrendo e sujando tudo ao redor, deixando tudo manchado de vermelho me causa uma excitação imensa, isso vai ser tão divertido! As horas se passaram e eu fui até o local marcado, um barzinho simples e calmo, o clima era tranquilo e ele até tinha uma conversa legal, uma dose, duas doses, três...as coisas esquentaram quando entramos no carro, sua mão apertava minha coxa e eu fingia estar gostando de tudo aquilo, sua casa não era tão grande, tinha apenas um andar isso facilitara ainda mais o meu trabalho. Fiz um mapa com os olhos enquanto ele ia até o sofá já desabotoando sua calça, sorri para ele e me sentei eu seu colo começando um leve rebolado, aos poucos fui descendo de seu colo ficando de joelhos em sua frente e aproveitando a posição prendi seus dois pés com uma algema que estava escondida em minhas roupas, ele me olhou confuso e eu continuei sorrindo, tirei mais uma algema das minhas roupas e prendi seus braços. Coloquei minhas luvas e andei pela casa do homem ouvindo ele me gritar meio desesperado, eu apenas conseguia rir da situação, achei uma tesoura no escritório e voltei para onde ele estava, quando viu a tesoura em minhas mãos seus olhos se arregalaram.

- O-O que você pensa que está fazendo?! Me solta! - Sim! Era essa expressão! O medo aos poucos consumia seu olhar, o suor do nervosismo escorria por sua teste e eu podia jurar ouvir o seu coração disparado -

- Eu vou ter uma noite de prazer...Eu disse que teria isso mas, eu não disse o mesmo 'pra você! Senhor Lee! Não se mecha ou será muito, muito pior! - Usei a tesoura para cortar suas roupas e ao ver seu abdômen desnudo passei o metal frio por ele, seu corpo se arrepiou e eu o encarei nos olhos, estavam marejados e ele suspirava pesado enquanto tremia. - Está com medo? Quer que eu pare?

- Não sei o que deu em você! Por que está fazendo isso?! Qual é o seu problema?! - Gritou e sua voz falhou por um breve instante. -

- Qual é o meu problema?! Qual...é o meu problema?! Vou te dizer qual é! - Enfiei a tesoura em sua barriga e ele gritou pela dor, seu sangue sujou imediatamente minhas luvas pela profundidade do corte, ao sentir aquele líquido quente meu sorriso foi inevitável, seus gemidos de dor eram altos assim como seus pedidos de socorro. Usei parte de sua camiseta cortada para tapar sua boca, tirei a tesoura de sua ferida e passei o objeto sujo em seu rosto, fiz sinal de silêncio e continuei com cortes pelo corpo do homem. Seus gritos abafados adentravam os meus ouvidos, o sangue escorria sujando o sofá e o chão daquela casa, o cheiro da morte estava próximo, Tão satisfatório! Mas ainda não havia acabado..! - Me diga, quanto é mil menos sete! Responda!

- 993! - Disse com dificuldade pela dor e pelo pedaço de pano em sua boca, queria mantê-lo consciente e esse era um bom método. -

- Continue contando de trás 'pra frente! - Ele recusou e então enfiei a tesoura com força em sua perna e então ele continuou a contagem. Cortei sua calça e sua cueca deixando deu membro exposto, ele começou a se debater quando coloquei sua genitália entre as duas lâminas cortantes. Tirei o pano da boca dele e sorri voltando a segurar a tesoura. -

- Não faça isso! Por favor... Eu faço qualquer coisa! Qualquer...- Seu grito foi alto, talvez fora ouvido por toda rua, peguei o pedaço decepado de seu corpo e o coloquei em sua boca. -

- Tchau, Sr. Lee... Foi um prazer matar você!

Tirei as algemas do corpo do homem e as guardei depois tirei uma das luvas e a coloquei em meu bolso junto ao celular do mesmo, abri a porta e saí da casa, tirei a outra luva e coloquei uma máscara que escondia meu sorriso de satisfação, minhas roupas estavam um pouco sujas de sangue mas nada que uma lavagem não resolva. Depois de uma hora caminhando cheguei em casa, tirei minhas roupas e as coloquei na máquina de lavar, fui para o banheiro e tomei um banho quente, logo depois fui me deitar já que teria um longo dia de trabalho amanhã.


     Estou satisfeito! Posso dormir em paz...


Notas Finais


Bjos e até o próximo, eu acho...'–' <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...