1. Spirit Fanfics >
  2. O dia a dia dos Yamada's >
  3. Kaminari Denki, quem você é de verdade?

História O dia a dia dos Yamada's - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Kaminari Denki, quem você é de verdade?


Fanfic / Fanfiction O dia a dia dos Yamada's - Capítulo 8 - Kaminari Denki, quem você é de verdade?

Estava tudo bem, estava tudo perfeito, até uma ligação se fazer presente no celular do loiro.

"Pai"

Hitoshi viu Denki arregalar os olhos e engolir o seco.

O loiro parecia ter travado no lugar quando ergueu o celular até a orelha.

- Pai? Tudo bem? - A voz saiu falhada pelo celular e Hitoshi não ouviu a resposta, apenas uma confirmação de Denki.

- Certo, pai, eu não demoro. - Falou calmamente e respirou fundo, e então, sorriu para Hitoshi e o arroexeado achou aquilo muito estranho.

Parecia que Denki estava entrando em um papel.

- Desenbucha! - Não esperou o loiro falar e já se pronunciou, essa era uma das maiores qualidades, oi talvez defeitos de Hitoshi, depende do ponto de vista, ele era um bom observador e mentir para ele era complicado.

- Como assim, Toshi? - Talvez se fizesse a egípcia poderia escapar da situação.

- Qual o lance com tua família? - Denki engoliu em seco e não se permitiu chorar, apertou o braço de Hitoshi e o arrastou a uma rua deserta.

- Marketing. - A resposta foi curta e Hitoshi tremeu ao ouvi-la, nada de bom poderia vir depois disso.

- Você sabe o famoso consultório de psicologia daqui da cidade? Aquele prédio branco e e alto, com janelas e muitas flores?! - O arroxeado concordou, seus pais já haviam lhe levado lá uma vez.

- Meus pais são os donos. - Hitoshi arregalou os olhos, Denki já tinha lhe dito que queria fazer psicologia, agora podia entender o motivo.

- Você é da família Senju? - Não sabia dessa parte do sobrenome do loiro e ele concordou.

- Sou Denki Kaminari, sobrenome da minha mãe, mas o do meu pai é "Senju", como foi ele que fundou o consultório manteve como Senju, minha mãe não trabalha por isso não se separa dele, ela diz que quer manter nosso padrão de vida. - Era muita informação de uma vez, mas Hitoshi estava genuinamente preocupado, portanto tudo que ele tivesse que absorver ele faria.

- Ela é ótima, mas meu pai é um bosta, ele quer que eu faça psicologia e não pode nem sonhar que eu sou Pan, não me leve a mal, eu gosto de psicologia, mas eu não quero ser como ele, não quero tratar mal as pessoas e fingir ser uma boa pessoa apenas para ganhar dinheiro embasado do sofrimento alheio, entupindo todos de remédios que ele não poderia vender! - As peças de encaixaram na mente de Hitoshi que respirou fundo.

- Não sei como ajudar com tudo isso, mas sempre que precisar eu estou aqui! - Ele sorriu doce para o loiro que sentiu todas as lágrimas deslizarem pela bochecha.

 

                                   ~ . . . ~

 

- Mãe, pai, eu sou homossexual! - Assim que colocou os pés em casa ele anunciou para os mais velhos sentados no sofá, seu pai levantou e sua mãe respirou fundo.

- Eu não criei filho meu para ser viado, não! - Ele iria avançar sobre o loiro mas a mulher o segurou.

- E criou filho para ser corrupto? Vender o quê não poderia? Drogar as pessoas e fingir felicidade?! - Ralhou e então sentiu um tapa forte contra sua face.

- Chega! - E então a cena que Denki sempre sonhou em ver estava se realizando na sua frente.

- Eu quero divórcio e mais ainda, eu vou te denunciar para a polícia! - E lá estava a loira, enfrentando o marido com tudo, soltando o braço do mais velho e indo para perto de seu filho.

- Eu e Denki vamos dormir na casa da minha mãe! Espero que esteja pronto para ser preso! - Não precisou de mais nada, a mulher sumiu junto ao filho, deixando o ex marido atônito para trás.

 

                                  ~ . . . ~

 

Denki ligou para o namorado que não hesitou em ir de encontro a si e então ouviu toda a história.

Consolou o menor e o abraçou, dizendo que assim seria melhor.

 

                                    ~ . . . ~

 

Denki engoliu em seco quando viu que estava sendo seguido por três homens, com no mínimo, três vezes sua altura e peso, de forma despertada mandou mensagem para Hitoshi lhe explicando a situação.

Apenas desejando que seu príncipe encantado aparecesse.

De repente seu corpo foi jogado contra a parede por um dos homens e que não tardou a lhe dar um soco forte contra a face, Denki sentiu o corpo amolecer.

- Sua putinha, seu pai vai em cana por culpa sua e da vagabunda da tua mãe! Já que a gente não pode impedir a gente vai te dar um lição! - Fechou os olhos e tremeu ao ouvir a voz grave transbordando raiva do homem e se encolheu quando o viu erguer o punho.

Não sentiu nada e então, ergueu seu rosto.

Ali estava Hitoshi, dando um soco no rosto do homem.

Ao seu lado Shoto o acompanhava segurando o corpo do homem enquanto Hitoshi socava sua face.

Ali atrás Sero e Kirishima lidavam com outro homem e então, Mina e Katsuki com o último.

Kirishima desviou do ataque do homem e Sero que deu um mata leão, o ruivo socou a barriga dele com força e então ele caiu no chão.

Hitoshi ainda socava a face do homem que já estava desfigurada, e Shoto não precisava mais o segurar, ele já estava caindo no chão.

Mina deu uma bicuda no saco do homem que gemeu, a rosada riu e lhe deu um soco no olho.

- Vagabunda! - O homem ralhou e Mina não consigou desviar do soco do homem em seu estômago, ela iria avançar contra ele mas Katsuki foi mais rápido, lhe acertando um chuto no rosto que fez com que o mesmo batesse a cabeça na parede.

- Vagabunda é tua mãe, aquela prostituta que eu comi semana passada! - Ashido respondeu e deu mais um chute no homem.

Não que ela achasse realmente ofensivo, mas se divertiu em responder.

Hitoshi abaixou ao lado de Denki e todos os olharam.

- Desculpe, coloquei vocês em perigo. - Ele parecia realmente constrangido pela situação e o arroexeado lhe abraçou.

- Relaxe, a gente curte um pouquinho de adrenalina. - Ashido respondeu e puxou de seu bolso uma garrafinha de uma bebida barata e jogou para Denki que sorriu agradecendo.

- Oe, Pikachu, a gente é o perigo! - Katsuki respondeu e todos presentes riram da falta de noção do loiro.

E foi assim que Kaminari Denki se juntou ao Bakusquad.

 

                                  ~ . . . ~

 

Em média de três meses depois foi ao tribunal, apenas para ver seu pai sendo condenado e preso.

Agora, morava com sua avó, enquanto sua mãe juntava dinheiro trabalhando em uma lanchonete, e não demoraria muito para que comprassem a casa, afinal, a indenização e a pensão de seu pai eram boas.

Embora ambos os loiros preferissem continuar com a avó ao invés de aceitar o dinheiro sujo dele.

Não estava feliz pela prisão do pai, mas sim, aliviado.

Agora está a livre para ser quem realmente era, e junto a ele, estava Hitoshi e agora seus novos amigos.

 

 

 


Notas Finais


Um capítulo com um pouquinho de drama para vocês, mas relaxem, provavelmente vai ser só esse, aí a gente volta com a comédia e amores.

Beixinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...