História O dia de amanhã - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 6
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Me empolguei na hora de escrever e já acabei mais um capitulo!
Segue ai algumas revelações e contextos pra entenderem melhor.

Estou fazendo uma linha do tempo e logo vou colocar para vocês com algumas datas importantes que estão surgindo! Veja nas notas finais!

Capítulo 3 - É verdade


Novos exames foram feitos, mas nada que explicasse os desmaios e os sintomas que ela dizia sentir.

[Mellgy]

- Senhorita, qual seu nome completo? - Perguntou o policial que investigava o meu caso. Além dele, alguns médicos e enfermeiros estavam na sala para tentar entender o meu problema.

- Mellgy Zeit Aiken.

- Sua idade?

- 21

- Do que você se lembra?

Agora é a hora que as coisas se complicam, até eu mesma não sei ao certo o que aconteceu, se eu mesma não acredito, por que esse policial acreditaria?

- Bom… Me lembro de estar na sacada do meu apartamento, teve uma explosão no prédio da frente, vi algumas luzes, ouvi um barulho que me deixou com dor de cabeça e em seguida um raio que saiu do prédio me atingiu...Foi tudo muito rápido. Ah, esse prédio é do governo... - Acho melhor não falar nada sobre isso de eu não ser desse ano. As vezes foi só um engano, não é possível que eu esteja em 2018.

- Onde você mora? Vamos procurar saber sobre essa explosão que você disse. Assim que tivermos algo te informamos.

- Moro na periferia de Mischung.

- Onde fica isso? - Questionou o policial quando o médico o interrompeu.

- Você está precisando descansar, acabou de voltar de um desmaio e teve um início de convulsão. Policial, peço por favor que pare as perguntas por enquanto.

O policial assentiu, agradeceu as informações e saiu. Foi seguido pelos outros que estavam na sala, ficando somente um médico e a enfermeira do dia que acordei.

- Você disse que seu sobrenome é Aiken? - Disse o médico com tom curioso.

- Sim, por quê?

- Qual seu parentesco com o Dr. Robert Aiken? Não é um sobrenome comum.

- Não tenho certeza, já ouvi esse nome mas eu não sei o que ele é meu. - Fiquei receosa de dizer a verdade, achei melhor omitir a informação.

- Hm tudo bem então, tente descansar, como não achamos nada nos seus exames vamos te dar alta essa tarde.

Seria estranho demais dizer que o Dr. Robert Aiken é meu bisavó. E isso só prova ainda mais que eu estou realmente ferrada. O que tinha naquele maldito raio verde que fez vir para 2018?

[...]

Após receber alta, João veio até o quarto me buscar. Ele ficou completamente vermelho quando me viu, não entendi o motivo, mas logo passou.

- Oi Mel, como você está?

- Estou melhor, eles não conseguiram descobrir o que tenho então resolveram me dar alta. - Reparei algo que ele carregava - O que é? - Apontei para as várias bolsas que o rapaz segurava.

- Ah.. são roupas novas pra você! As suas estavam bem detonadas quando te encontrei, então achei que você iria precisa.. Não sabia ao certo seu estilo por isso comprei algumas peças diferentes para você escolher, pode trocar depois caso não goste. - Disse colocando tudo em cima da cama.

Tinha algumas roupas extremamente coloridas, justas e de materiais esquisitos e outras mais simples e confortáveis. Escolhi uma calça jeans (realmente essa peça nunca sai de moda), uma blusa cor azul escuro um pouco maior que o meu tamanho e uma sandália sem salto que deixava meus pés respirarem. Fiquei constrangida ao ver que ele também trouxe alguns sutiãs e calcinhas, incrivelmente do tamanho certo. Peguei as roupas e fui ao banheiro para me trocar.

[João]

Algumas horas antes…

Me ligaram do hospital e disseram que dariam alta para a Mel. Lembrei que ela estava sem roupas e precisaria de algo para sair do hospital, então fui em algumas lojas femininas e acabei comprando mais do que deveria, já que não fazia ideia do estilo dela.

Hm, essa calcinha parece com a do sonho, acho que vou comprar mais algumas coisas, ela também deve precisar disso.

[...]

Ao chegar no hospital fui ao quarto dela, e lá estava, linda como sempre. Fiquei vermelho igual a um pimentão quando me lembrei do sonho da noite anterior.

- Oi Mel, como você está?

- Estou melhor, eles não conseguiram descobrir o que tenho então resolveram me dar alta. O que é? - apontou para as sacolas que eu segurava.

- Ah.. são roupas novas pra você! As suas estavam bem detonadas quando te encontrei, então achei que você iria precisa.. Não sabia ao certo seu estilo por isso comprei algumas peças diferentes para você escolher, pode trocar depois caso não goste. - Disse colocando tudo em cima da cama.

Ela escolheu as peças mais simples que eu trouxe e foi em direção ao banheiro para se trocar. Acabou esquecendo de fechar completamente a porta. - Droga eu não vou resistir… - Dei dois passos discretos e silenciosos para trás que me deram visão para o interior do banheiro. Pude vê-la se despir pelo reflexo no espelho. - Ah isso é errado, mas ela…- Ela estava de costas para o espelho e em alguns momentos pude ver o contorno de seu seio, as costas, e um pouco de sua bunda. Eu estava começando a ficar exitado. Ela já estava acabando de se trocar, voltei rapidamente para onde eu estava como se nada tivesse acontecido.

[Mellgy]

- As roupas serviram? - Perguntou enquanto eu saia do banheiro.

- Sim, você acertou no tamanho! - Sorri, mas pude notar um volume incomum em sua calça, será que ele estava me espiando? Hm acho que ele não faria isso..

- Você já tem pra onde ir?

- Ah.. sobre isso, acho que não tenho mais minha casa… estou desabrigada. A propósito, em que cidade estamos?

Eu precisava saber, já que pelos livros de história muita coisa tinha mudado depois de 10 anos de guerra entre 2040 e 2050 e da elevação do mar em 2055 (efeito estufa) que causou a união de diversas cidades da Alemanha em uma só, a megalópole Mischung.

- Em Hamburgo.

- Droga, então é de verdade… - Deixei escapar meu pensamento em voz alta, quando percebi levei a mão a boca rapidamente e arregalei os olhos.

- O que é de verdade? - Disse João confuso.

- Olha, você não acreditaria, nem eu mesma estou acreditando no que aconteceu. Mas acho que eu moro naquele lugar onde você me encontrou, só que, não nesse ano..

- Que, como assim não nesse ano? - Que começou a achar graça mas vendo minha cara de séria logo parou - Pera, tá falando sério?

- Sim…- contei a ele sobre a sacada, o apartamento, a explosão, chiado, luzes, dor de cabeça e finalmente o raio. - Em que ano estamos? Nunca pensei que faria essa pergunta..

- An.. 2018. - Falou ainda confuso e provavelmente pensando que eu estava zoando com sua cara.

- Eu era pra estar em 2089...

- QUE? Eu não vou deixar os médicos te darem alta, você só pode estar maluca…

- Sem dúvidas eu estou confusa, mas não quero ficar mais nesse hospital! Além de ser ultrapassado, eu não aguento mais ficar deitada e presa nesse quarto sendo interrogada sobre coisas que não posso responder. - Eu estava tão frustrada que acabei me exaltando.

- Tá calma... Tudo bem! Tem um apartamento que minha família não usa no centro da cidade, está até mobiliado, você pode ficar lá até darmos um jeito. Lá tem uma ótima vista, só deve estar um pouco empoeirado, mas te ajudo a limpar. Fica a apenas um quarteirão de onde moro. Eu estava pensando em me mudar pra lá, quem sabe nós podemos dividi-lo?

- É até que não é má ideia, já que não conheço muita coisa daqui, vou precisar de ajuda...

[...]

Guardei minhas coisas em uma das bolsas que ele trouxe e fomos saindo do hospital, era 17h. Chegando na porta de saída, eu pude ver..

O céu azul.

O sol começando a se pôr.

Permiti que uma lágrima escorresse...

Achei que nunca teria a chance de ver isso.


Notas Finais


Então João e Mel vão morar juntos?
O que será que vai acontecer? Aceito dicas, comentem pls ;)

Sobre a linha do tempo, devo colocar nas notas finais mais ou menos assim:

|1995
|Nascimento de João
-
|2018
|Ano atual
-
|2040 à 2050
|Guerra
-
|2055
|Elevação do mar (devo explicar mais pra frente)
-
|2089
|Ano em que Mellgy diz que deveria estar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...