História O dia em que tudo mudou - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse Zumbi, Gore
Visualizações 29
Palavras 1.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Especial- 10 favs


Takeshi andava por uma linda casa de madeira que ele conhecia muito bem, era a antiga casa da sua família, os móveis eram simples, mas bem bonitos.


O ambiente era aconchegante e calmo, se o avermelhado deitasse em 1 dos sofás que tinha no canto da casa ele afundaria de tão relaxante que era.


Havia uma porta perto dos sofás, ele caminhou até ela e a abriu, o jovem se deparou com um longo e reto corredor negro, sem nenhuma iluminação.


Decidido a não entrar no corredor ele virou-se para trás e não tinha nenhum sinal da antiga casa, um branco capaz de cegar alguém que acabou de acordar tomava conta de sua visão , não tinha nenhum sinal dos móveis e da casa, era como se tivessem sumido. 


"Sério?" pensou Takeshi com uma gota atrás da cabeça, sem nenhuma opção ele entrou no longo corredor negro, o ar ficava mais pesado a cada passo que ele dava fazendo com que fique difícil de respirar, ele olhou pra trás e apenas a escuridão reinava, com medo de que alguma coisa assustadora apareça na sua frente caso ele pisque, ele parou de fazer o ato.


Ele continuou caminhando mas era como se ele tivesse rodando em círculos, os olhos dele começaram a ficar pesados, como se pesos pequenos tivessem sido colocados em suas pálpebras. 


Ele se rendeu ao peso, ao piscar ele se viu na sua casa "atual".


Ele andou pela casa e olhou pro chão perto do quarto de seus pais, tendo flashbacks de um longo rastro de sangue saindo de dentro.


Ao ir pra cozinha o garoto viu sua mãe cozinhando, sendo ajudada pelo seu pai e sua irmãzinha, um grande sorriso tomou conta do rosto do jovem, um sorriso puro e alegre, um que nunca mais ele poderá dar novamente. 


Ele se aproximou do seu pai e sua irmã e tocou em seus ombros, isso fez com que eles caíssem e revelassem seus estômagos abertos, com as vísceras à mostra. 


A visão fez ele vomitar, o sorriso foi trocado por um rosto aterrorizado, ele recuou e tropeçou em seu próprio pé, a mãe começou a se virar lentamente, lágrimas começaram a sair dos olhos de Akari, ver a sua mãe no estado zumbificado na primeira vez o deixou traumatizado.


A mãe começou a caminhar em direção ao garoto, que com as 2 mãos recuava até bater na parede, ele não conseguia mover-se para a esquerda ou direita, a sensação de não poder se mexer era horrivelmente agonizante. 


Ao chegar perto o suficiente, a zumbi se lançou ficando em cima de Takeshi, ele não tinha força o suficiente para revidar, ele não conseguiria matar a mãe dele novamente, ela começou a devorar o pescoço de Takeshi.


Ele acorda suado, sendo recebido por um abraço quente e acolhedor do Alexandre, pouco a pouco ele vai cedendo e retribui o abraço do jovem amigo.


-Calma, foi só um pesadelo- disse Alexandre, o abraçando carinhosamente, aquela sensação era maravilhosa.


Eles ficaram assim por um tempo até que o Akari se afastou do amigo, com uma expressão curiosa. 


-O que você... estava fazendo na minha cama?- perguntou o garoto, Alexandre se aproximou dele e com o dedão foi secando a região dos olhos de Takeshi, que estavam bem úmidos.


-A uns segundos atrás eu fui acordado por um grito, o seu grito, rapidamente eu sentei na sua cama pra tentar te acordar. Mas no mesmo instante em que eu me sentei, você acordou bruscamente- respondeu Alexandre, as palavras dele eram honestas.


-Me desculpe... por te acordar- disse Takeshi, com a cabeça abaixada, ele foi se deitando lentamente com o auxílio de seu amigo. 


-Não precisa se desculpar, você não tem culpa- respondeu Alexandre, ao se levantar ele sentiu algo puxa-lo, ele olhou pra trás e viu o avermelhado puxando a parte de trás da sua camisa. 


-Se não for pedir muito... você poderia dormir comigo? - perguntou Takeshi, a carinha manhosa que ele fez foi capaz de fazer o amigo desistir no instante em que ele olhou pra trás. 


Takeshi deu um pouco de espaço pro Alexandre que se deitou ao lado dele, o Akari cobriu Alexandre com o cobertor que ele estava usando, como era um pouco grande ele poderia dividir sem causar nenhum problema, o garoto avermelhado se virou pra parede e um silêncio tomou conta do quarto. 


-Se importa se eu te perguntar 3 coisas?- sussurrou Takeshi, escutando um fraco sim de Ale- como você sabia que eu me sentia inútil no momento em que o Reinehr apresentou o Night Demon para o grupo?- perguntou Takeshi, ainda virado para parede.


-Sempre que se sente inútil, você cerra as mãos com força o suficiente pra tremer, essa é uma mania que você tem desde o ensino fundamental- respondeu Alexandre num sussurro, por algum motivo o Ale sussurrando dava arrepios na nuca de Takeshi- quais são as outras?- perguntou o jovem.


-O que é essa coisa dura cutucando meu bumbum?- perguntou o jovem, a pergunta fez o Ale corar ao extremo, e como consequência gaguejar bastante, aquilo fez o avermelhado dar uma pequena risada- tô brincando.


-não faz isso comigo não, pelo amor de Deus- disse Alexandre, dando um soquinho no ombro de Takeshi, que dava pequenas risadas pela gaguejada que o amigo deu- qual é a outra?


-Quando foi que nos afastamos bastante?- perguntou Takeshi, virando-se para o amigo, ficando com os narizes colados, ambos ficaram bastante corados, a pergunta fez o Alexandre pensar um pouco.


- No dia em que tudo mudou, quando o apocalipse zumbi aconteceu... -respondeu Alexandre, com os olhos fechados, ele só conseguia responder isso. 


-Entendo... eu acho que eu nunca agradeci, você sempre esteve presente quando eu precisava, quando eu precisava de ajuda, quando precisava de uma palavra amiga, quando eu passava por momentos difíceis... você sempre estava lá para me dar suporte, você é o melhor amigo que alguém pode ter- disse Takeshi, olhando o amigo que estava surpreso com a declaração do amigo- não, você é algo mais que isso...


-O que você quer dizer com isso? - perguntou Ale, os olhos dele expressavam surpresa.


-O que eu quero dizer... é isso- disse o jovem, que juntou os seus lábios nos do Alexandre que ficou surpreso com o ato, mas ele não tentou se afastar dele, a única vez que Ale pensou ter um beijo de seu amigo foi apenas em sonhos, mas aquela sensação não era nada comparada a um sonho, era mil vezes melhor! 


O beijo foi terminado apenas quando faltou ar para os 2, Takeshi estava bastante corado com a ousadia que acabou de fazer.


-Me desculpe! Me desculpe! Me desculpe!- repetia o avermelhado bastante envergonhado, aquilo fez o Ale rir um pouco. 


-Por quê tá se desculpando? Você só fez algo que eu poderia fazer mais tarde, algo que eu tinha medo- disse Alexandre com um grande sorriso no rosto, quando o ar voltou pro Ale ele quis terminar o que Takeshi começou, ele se aproximou da boca de Akari e o deu um beijo, um beijo que mesclava amor e carinho guardado por anos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...