História O diabo mora ao lado - Jeon Jungkook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ação, Argentina, Brasil, Brigas, Drama, Jackson, Jackson Wang, Jeon Jungkook, Jungkook, Mãe, Nova York, Pai, Viagem
Visualizações 79
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de tudo, esta é a antiga história "A nova babá " , por ser minha primeira história aqui no site, optei por reescreve-la depois de um tempo, pois ela estava toda fora das regras do site, e minha escrita daquela época me dava vergonha, sendo assim sejam bem vindos a nova era de "A nova babá " ㅡ contém os mesmos personagens e o mesmo contexto, mas agora algumas coisas mudam ㅡ trailer sai amanhã no canal "Projeto Steel Wing", NÃO PERCAM!

ㅡ Capítulo betado
ㅡ S/N aqui esta com o nome de Lauren, mas se preferir, pode colocar o seu.

Capítulo 1 - Boate


Fanfic / Fanfiction O diabo mora ao lado - Jeon Jungkook - Capítulo 1 - Boate


 ㅡ Se você for, se esqueça que tem família!




 Essas foram as últimas palavras de minha mãe após eu sair de casa puxando minha mala. Não me arrependo em nenhum momento de ter decidido morar em Luxemburgo. A vida para cá anda me testando, me colocando a todo custo contra a parede, tentando, de todas as formas, acabar com minhas forças. E não posso negar que ela está conseguindo.


 De um tempo para cá, ando tendo brigas repentinas com minha mãe, as quais eu nunca pensei em ter um dia. Por mais que ela nunca tenha me demonstrado afeto ou qualquer coisa parecida, eu era muito apegada a ela e recentemente estou sentindo nojo dos meus próprios sentimentos.


 Não quero mais lembrar do passado, e do que ela me fez. Quero focar em meu futuro que agora está na oportunidade de trabalho que recebi nos Estados Unidos.  


E lá estava eu, criando coragem para entrar dentro daquele imenso avião. Nunca me imaginei saindo do Brasil, em especial, indo para um país tão oposto ao meu. Luxemburgo era meu tão distinguido destino. 


  Após passar pelo detector de metais, passei pela enorme porta de embarque para vôos internacionais.  Com a pequena bolsa que carregava, andei com muito receio até o avião. Após adentrar o mesmo, peguei o pequeno papel onde estava anotado o número da minha poltrona. Feito isso, fui até ela e me sentei, prestando atenção em todos que se sentavam ao meu redor.




  [...]




  Nascida e criada no Brasil, sempre fui o tipo de pessoa que não acredita em palavras como "Não desejo nada em troca" ou "Pode confiar".  Brasileiros, ao ver das pessoas do exterior, são como burros, e isso era ótimo. Acreditando em tais tolices, claramente não seria difícil conseguir algo por lá. 


 Agradeci ao taxista, o pagando em seguida. O senhor já de idade saiu do carro em um ato de cavalheirismo e pegou minhas malas. Novamente me agradeceu por ter lhe dado alguns trocados a mais e eu apenas sorri amigavelmente o vendo adentrar em seu carro e sair correndo para pegar outra pessoa no aeroporto. 


 Respirei fundo, me virando para olhar meu novo lar, a casa em que iria morar por um curto ou longo período.  Olhei para a moradia ao lado da minha e sem perceber, comecei a fitar o homem de costas. Seu corpo era um pouco malhado e era, em alguns pontos, tatuados. O homem se encontrava apenas com uma calça jeans e pelo o que observei o mesmo estava descalço, cuidando das flores na frente de sua casa. 


 Fiquei vermelha e envergonhada quando me dei conta de que ele também me encarava. Logo tratei de abaixar minha cabeça e pegar minhas coisas, me dirigindo à porta de minha moradia.




   [...]



 ㅡ A senhorita não irá se arrepender. ㅡ O som da voz calma da secretária soou do outro lado da linha.


 ㅡ Também acredito nisso, senhora  ㅡ respondi confiante, umedecendo meus lábios e me jogando na pequena cama de solteiro.


ㅡ Então eu a aguardo às dez horas amanhã, peço para que não se atrase, pois a maquiagem é um pouco demorada.  


 ㅡ Tudo bem, estarei aí pontualmente ㅡ falei por fim encerrando a chamada.


A campainha foi tocada, me fazendo levantar da cama em um pulo. Me dirigi até a porta e quase caí no chão quando minha amiga pulou em meu colo.


   ㅡ LAUREENN! ㅡ Apertou meu pescoço ainda mais. 


ㅡ Estou ficando sem ar. ㅡ Custei a dizer ㅡ Sai, sai! ㅡ ordenei a empurrando. 


  ㅡ Há quanto tempo não nos vemos — falou, me largando e saindo de perto da porta, assim, então, consegui a fechar. 


  ㅡ Há muito ㅡ confessei ㅡ, mas não precisa me matar desse jeito. ㅡ A repreendi, passando a mão em meu pescoço que claramente se encontrava vermelho.


 ㅡ Precisamos comemorar. ㅡ Nicole parecia estar bastante animada, tanto que me dava até medo do que a mesma estava por aprontar.


  Nicole Kidman é minha melhor amiga desde o colegial. Nos distanciamos após a loira ter conseguido passar em uma prova e ganhar uma bolsa em uma faculdade aqui em Luxemburgo, tendo também incluídos no pacote aulas de inglês, pois a coitada — assim como eu na época — só sabia o básico do básico. 


 ㅡ Fico feliz em vê-la. ㅡ Soltei e a mesma sorriu, se jogando no sofá ainda empacotado.


  ㅡ Você continua com a mesma preguiça de sempre ㅡ esbravejou e arremessou em minha direção uma das almofadas que se encontrava ao seu lado.


  ㅡ Faço de suas palavras, as minhas. ㅡ Me joguei no sofá do seu lado. 


ㅡ Te dou uma  hora para se arrumar, vamos sair. ㅡ Sorriu ladina. ㅡ Preciso te apresentar meu namorado, ele é barman em uma boate e por isso… ㅡ sorriu sapeca e me jogou um olhar travesso ㅡ conseguimos entrar de graça.




  [...]




  ㅡ O som está muito alto, o cheiro de perfume está me embriagando, esse tanto de pessoas está me dando pânico, o pessoal se comendo me dá enjôo. — Tive de gritar para minha amiga, isso devido ao fato da música estar muito alta, e somente com gritos ela conseguiria, talvez, me ouvir direito. 


  ㅡ Larga de frescura. ㅡ Ela gritou de volta rente ao meu ouvido, me puxando para o balcão, e quando olhei para seu rosto, ela sorria. Com certeza havia encontrado o que procurava.


ㅡ Oi amor ㅡ Um dos barmans falou se aproximando de nós e sorrindo gentilmente. ㅡ Olá  ㅡ Olhou para mim.


  ㅡ Oi ㅡ respondi um pouco incomodada. Não gosto de locais muito cheios.


 ㅡ Amor, esta é a Lauren, minha melhor amiga. ㅡ Nicole começou e nós apertamos nossas mãos. ㅡ E Lauren, este é o Bryan, meu namorado.




   [...]


  


 Eu estava debruçada sobre o balcão daquela boate, encarava as garrafas de uísque, já vazias, enquanto cogitava cada passo que daria amanhã. Estava bêbada o suficiente para subir naquele balcão e dar o maior show, ou talvez começar a chorar e dividir minhas mágoas com os outros bêbados ao meu lado. Sinceramente, eu não sabia como voltaria para minha casa naquele estado. Talvez eu tentaria pegar um táxi, isso se sequer eu conseguisse segurar meu celular com as duas mãos; mas no final das contas, havia conseguido o que queria: beber até que o álcool dominasse minha mente e até que eu não fosse mais capaz de lembrar das brigas com minha mãe antes de vir para este país. Nicole havia ido ao banheiro e com certeza não voltaria muito cedo, pois cheguei a observar que seu namorado também não se encontrava trabalhando no outro lado do balcão. Safadinhos!



  ㅡ Para uma jovem, até que você bebe bem.


   






Notas Finais


Ai poxa gente, demorei tanto pra criar um começo diferente daquele e este esta mil vezes melhor que aquele, por mais que não aparente, socorro .

bom é isto...

Betagem mais que maravilhosa por @mochiy_ amor da minha vida todinha ❤💕💗💜💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...