1. Spirit Fanfics >
  2. O Diabo mora ao Lado >
  3. O Hetero que supostamente eu namoro

História O Diabo mora ao Lado - Capítulo 2


Escrita por: Looui

Notas do Autor


Bom dia meus anjos, ou boa noite dependendo do horário (conheço vocês safadinhos) como prometido, mais uma atualizaçãozinha, espero muito que gostem e favoritem, é o único apoio que eu tenho na plataforma! Bom capítulo! ❤

Capítulo 2 - O Hetero que supostamente eu namoro


Fanfic / Fanfiction O Diabo mora ao Lado - Capítulo 2 - O Hetero que supostamente eu namoro

Como eu poderia começar a semana se tem um homem de mais ou menos 1,74 de altura na minha cozinha assaltando a minha imaculada geladeira?

Era sempre assim, esse folgado do caralho levanta de manhã, com a desculpinha malandra de que não tem tal coisa na casa dele e vem aqui fuçar a geladeira. Maldita idéia a minha de dar a chave reserva do meu apartamento pra ele depois que eu caí e bati a cabeça no banheiro, eu queria mais segurança, não um anão loiro roubando a minha comida, com o pretexto de "não queria te acordar".

Claro que eu não reclamava tanto ou impunha regras pra que isso não acontecesse porque sinceramente, ver esse homem só de samba canção ou calça moletom andando pela minha casa é um pecado capital.

Bom vamos começar do início antes que eu perca o fio da meada.

Depois que Jimin se mudou pro apê ao lado do meu, eu tive que aguentar as coisas de hetero dele, e gente vocês me desculpem mas não há gostosura em um homem que me faça suporta-lo, falo isso até sobre o Namjoon, gente o que ele tem de gostoso ele tem de grudento, mesmo depois dos foras que eu dei após algumas ficadas aqui em casa, ele continua arrastando asinha pro meu lado. E vocês devem imaginar que um cara tão hetero top quanto o Jimin uma hora perceberia a minha pocquice, porque Deus do céu, se há uma coisa que eu não sou de negar é a minha homossexualidade, oh glória é só eu ver um tanquinho que o junior começa a cantar. Gosto de todo tipo de homem, seja os gordinhos, os branquelos, os negrões, os meninos trans, se é homem eu to dentro… Literalmente. Então é de se esperar que o gaydar apitasse, por umas duas semanas eu até escapei do radar dele, mas foi o Taehyung voltar de viagem que a cobra começou a fumar. Gente aquele menino voltou com um fogo que só Deus, e era hora chorava por causa da família, hora querendo aquilo que começa com S e termina com dor sabe? Ele aparecia quase todo dia na minha casa, Jimin até pensou que era meu amigo só, até o bendito vir pedir cafezinho emprestado no meio do bem gostoso. Fui emprestar o bendito café todo acabado, cabelo bagunçado, pescoço roxo, boca vermelha… Enfim, depois disso começaram as perguntas.

"Ele vai vir sempre aqui?"

"Ele é bem estranho né?"

"Isso é normal de vocês?"

"O que vocês tavam fazendo outro dia?" 

"Jungkook… Você é gay…?"

E foi quando essa pergunta veio que eu entrei em um questionamento… Eu assumo a minha viadagem ou desconverso? 

Meu bem vocês acham mesmo que eu ia negar? Fui criado pela madame Xandra Milandra Joaquina do Pau Oco Jaqueline do Salto 15, e como a minha mãe da noite sempre me disse, ergue a cabeça viadinho se não a peruca cai, jamais que eu ia negar que eu sou frutinha.

Falei mesmo.

ㅡ sou gay sim, algum problema?! ㅡ o menino entrou em colapso, ele travou, minha nossa fiquei com medo até, ele tava paralisado, não sabia se chamava um médico ou um TI porque deu erro 404.

ㅡ e… Eu não esperava por isso! Porque não me avisou antes pelo menos? E-eu vou à sua casa todo dia cara! ㅡ ele tava se achando o pau de ouro né.

ㅡ meu bem, você não é tudo isso não! ㅡ ele era sim, mas eu não ia dizer ㅡ pode andar nu na minha casa que a última coisa que meu pau vai fazer é levantar! ㅡ ele abriu a boca incrédulo, me olhou por uns instantes antes de falar.

ㅡ ta me chamando de feio? Acha que eu não sou bom o suficiente pra você? ㅡ acho que é mais que suficiente.

ㅡ acho, tem que comer muito arroz com feijão pra fazer meu tipo! Além do mais, eu gosto dos mais altos ㅡ menti, é óbvio que eu tava com uma quedinha pelo baixinho da bunda enorme.

ㅡ e porque não? Gosta dos que te tratem igual mocinha é? Dá atrás então? ㅡ que audácia falar da minha vida sexual assim, eu não pergunto o que ele faz com as barangas dele, mas mesmo assim, responderei.

ㅡ depende do dia, e por que ce tá tão estressado? Tá tão afim de mim que não sabe receber um não? ㅡ ele tremeu na base.

ㅡ n-não é isso! É que eu sou bonito e não vai ser uma bixa que vai dizer o contr- EI JUNGKOOK! VOLTA AQUI AINDA NÃO TERMINEI DE FALAR!

No dia seguinte ele ficou o dia todo sem vir na minha casa ou falar comigo, eu não sei dizer se era porque ele era homofóbico e não queria ver um gay, ou se era porque ficou chateado de eu dizer que ele não fazia meu tipo, caso fosse a segunda opção eu não deixaria de jogar isso na cara dele. De qualquer forma eu não queria mesmo que ele pensasse que eu sou afim sim dele, isso jamais, só iria dar motivos dele não me querer por perto.

Depois de terminar todo meu ritual matinal, decidi que era hora de visitar Taehyung, já que ele não foi lá em casa até agora. Saí do apartamento e tranquei a porta, tava um sol do cão, então eu usava uma regata apertada, um calção vermelho e é claro, meus chinelos. Segui reto pelo corredor que daria no elevador, mas parei assim que senti uma mão segurando meu pulso. Olhei e me deparei com Jimin me impedindo de prosseguir.

ㅡ escuta, eu tava pensando… É bem melhor que eu não faça seu tipo certo? Dessa forma a gente pode continuar amigos! ㅡ o olhei de cima à baixo, pareceu que ele tinha ensaiado aquilo no espelho por horas.

ㅡ me parou só pra dizer isso? Tudo bem, continuamos amigos, só não apareça no meu apartamento quando eu estiver transando de novo. ㅡ ele pareceu surpreso e apreensivo, eu não ligava se ele tinha gostado ou não do que ouviu, eu estava certo, da próxima vez que acontecesse eu iria ignorar não importa quantas vezes ele bata.

ㅡ tá… Mas como vou saber que você está… Bem… ㅡ perguntou sem saber que palavras usar.

ㅡ hmmm, vou colocar uma gravata na porta, o que acha? ㅡ ele assentiu.

ㅡ e-eu vou fazer o mesmo quando estiver transando com uma… Garota. 

ㅡ tudo bem, não é como se eu fosse ir até o seu apartamento. ㅡ disse e deixei o coitado pra trás, Deus me livre ficar na companhia de um cara hetero, ainda mais gostoso assim, já tava ficando cheio das coisas. 

ㅡ e você tá afim dele? ㅡ perguntou apreensivo.

ㅡ eu não diria afim, eu só o conheço à um mês, só não nego que ele é bonito. ㅡ Tae pareceu aliviado.

ㅡ ah bom… Fiquei com medo de você ficar afim de mais um.

ㅡ como assim? ㅡ o que ele queria dizer com isso?

ㅡ ah pelo amor de Deus Jungkook, você sabe… Todo mundo sabe, você fica com tudo que se mexe… Dês de que não seja mulher. Ficou com o Namjoon, fez o professor lá de cima, como era o nome dele?… JIN! Fez o Jin largar a esposa, também teve um caso com o Yoon! ㅡ e daí? Qual era o problema? Eu ficava com todo mundo mesmo, ele não tinha nada haver com isso! 

ㅡ e daí? Aonde você tá querendo chegar?! 

ㅡ aonde eu quero chegar?! Poxa, Jeon, eu gosto de você! Gosto de transar com você, de dormir ao seu lado, nós temos a química perfeita, fora que somos completamente assumidos, meus avós gostam de você, mas não dá pra gente namorar se você continuar com a sua piranhagem! ㅡ puta merda! Que escroto! 

ㅡ e quem disse que eu quero namorar?! Eu te disse que não queria nada sério dês do início. E se eu piranho por ai não é problema seu! Você não é meu dono! 

ㅡ poxa a gente tá nessa à um ano, você nunca me deixa, Jungkook! Não importa quantos caras apareçam, eles sempre são casinhos de uma noite e eu o caso da sua vida, abre os olhos, você gosta de mim também! ㅡ até parece, eu sempre deixei claro que não queria nada com ele, ele mesmo concordou. Taehyung era um amor, adorável, bonito, cheiroso, mas eu não via ele daquele jeito, não mesmo, e ele colocar isso na própria cabeça foi longe demais. Não posso negar que ficar com ele é confortável, mas eu só quero namorar com alguém que eu ame mesmo, não com alguém só pra não ficar sozinho.

ㅡ se ponha no seu lugar, Taehyung, eu te disse que não queria nada sério, você concordou… Eu me sinto confortável com você, não crie ilusões na sua cabeça, eu não estou apaixonado, sou seu amigo, não seu namorado! ㅡ ele me olhou e eu soube que era hora de ir pro meu apartamento. ㅡ eu vou indo…

ㅡ não precisa mais voltar… 

Eu voltei pro meu apartamento, não estava sendo um dia bom, e ainda chegando no prédio encontrei a Hyuna lá embaixo conversando com um paramédico, o que me deu um arrepio de medo. Me aproximei dela pra saber o que estava acontecendo.

ㅡ Hyuna? O que houve?? ㅡ perguntei visivelmente preocupado. ㅡ n-não me diga que o seu vizinho… ㅡ ela terminou de falar com o paramédico e me encarou.

ㅡ o velho? Não! Foi o Dawn! ㅡ eu fiquei ainda mais apavorado.

ㅡ o seu novinho?! ㅡ ela assentiu com a cabeça.

ㅡ o que que houve aqui? ㅡ se aproximavam da gente, Jimin e Namjoon.

ㅡ o Dawn!! Meu namorado! 

ㅡ você matou o garoto?! ㅡ perguntou Namjoon.

ㅡ então tá solteira? ㅡ foi a vez de Jimin, olhei pra ele com cara de tédio, não era uma boa hora pra isso, na verdade, nenhuma hora era realmente boa pra isso.

ㅡ não pra nenhum dos dois! Acontece que esse idiota teve a brilhante ideia de fazer uma surpresa pro nosso aniversário de namoro. Eu estava no trabalho, ai cheguei aqui e a porta tava aberta, me cagando de medo eu peguei uma frigideira que tinha na cozinha, quando eu vi que tinha alguém no meu quarto eu me aproximei quando ele abriu a porta com tudo eu tomei um susto e joguei a panela nele, ele caiu com a pancada e bateu a cabeça na maçaneta, ai desmaiou! Eu fiquei apavorada, comecei a gritar e liguei pra ambulância. ㅡ meu deus, é pecado rir? Caso fosse, eu me segurei ao máximo pra não rir imaginando a cena.

ㅡ mulher eu saio por 5 minutos e você quase comete um homicídio? ㅡ ela voltou a chorar e se desesperar de novo, foi uma barra pra fazer ela se acalmar, mas no fim deu tudo certo, o menino não morreu nem nada, desmaiou pelo susto, não pela batida, mas ele ficou em analise pelo resto daquele dia e noite, o que fez a Hyuna ficar fora e me deixar tomando conta do apê dela.

E é depois desse acidente que entra o motivo de eu ter deixado a minha chave reserva com a nova loira do tchan.

Depois do acidente do namorado da Hyuna, todo mundo ficou bem apreensivo com acidentes domésticos, eu não estava tão preocupado, então boto a culpa toda nisso. 

Era uma bela noite de quarta feira, eu estava trancado no meu apartamento, pensando principalmente no que eu tinha falado pro Taehyung, aquele menino não saía mais de casa e eu me sentia culpado, com toda essa culpa eu resolvi tomar um banho. Relaxar na água quentinha é a melhor maneira de esquecer que você quebrou o coração de alguém. Eu estava todo ensaboado quando ouvi a porta bater, era o Jimin de novo, com todo o esforço do mundo eu sai do box e peguei uma toalha, na hora em que eu fui abrir a porta do banheiro eu levei um puta tombo por causa do sabão no pé e bati a cabeça na pia que era ao lado da porta. Dei o famoso grito da pantera e quando eu vi que a minha testa tava sangrando eu gritei ainda mais desesperado. Achei que ia morrer ali mesmo.

Já o Jimin estava do outro lado da porta de entrada desesperado também tentando abrir a porta.

ㅡ JUNGKOOK! TÁ TUDO BEM? A PORTA TA TRANCADA! EU VOU AI TE AJUDAR! ㅡ e foi nessa que o Arnold Schwarzenegger de 1 e 70 arrombou a minha porta no chute e foi me socorrer. Linda a cena do salvamento, 10/10. ㅡ VOCÊ SE MACHUCOU?! TA DOENDO? MEU DEUS TÁ SANGRANDO, EU VOU LIGAR PRO PRONTO SOCORRO! ㅡ assim que eu consegui me acalmar, me enrolei melhor na toalha e acalmei Jimin também, não foi exatamente uma batida, foi mais um corte que eu fiz na pia, então só tava ardendo.

ㅡ calma, calma! Ta tudo bem, só ta sangrando! ㅡ ele apesar de não estar mais gritando ainda parecia com medo.

ㅡ e se você tiver uma hemorragia interna?! E se tiver um traumatismo craniano?! ㅡ tentei de toda forma acalmar ele.

ㅡ é sério Jimin, não tá doendo, acho que só fiz um corte, preciso de merthiolate não de um médico. ㅡ eu me sentei no chão e ele fez o mesmo.

ㅡ eu tenho! Vou buscar, perai. ㅡ ele se levantou correndo e foi até a própria casa, quando voltou estava com um kit primeiros socorros. Naquele dia ficamos mais proximos.

Depois daquilo eu achei que era mais seguro deixar com ele uma cópia da minha chave caso algo aconteça e é aqui que voltamos pro início, onde tem um homem com um corpinho que é uma delícia dentro de uma calça de moletom cinza que deixa a sua bundinha redonda bem aparente e linda, comendo parte do meu cereal matinal na minha própria tigela. Depois daquele dia nós nos tornamos mais próximos e por algum motivo ele achou genial a ideia de aparecer sempre sem camisa aqui em casa.

ㅡ não acha que você é muito folgado não? ㅡ perguntei.

ㅡ já se resolveu com o Taehyung? ㅡ desconversou.

ㅡ não… Não vai responder a minha pergunta?

ㅡ não. ㅡ e então ele riu. Na maior cara de pau.

ㅡ ah, eu preciso me resolver com ele, e ainda to com a facul trancada… Meu pai veio me falar sobre isso esses dias… ㅡ me espreguicei, minha vida estava uma bagunça.

ㅡ trancou porquê? ㅡ perguntou enquanto descaradamente comia meu cereal.

ㅡ cansaço, pressão, desgante, vários motivos. ㅡ disse olhando pro teto da cozinha.

ㅡ e faz faculdade de que? ㅡ a única coisa além do Jimin que se era ouvida ali era um estranho som vindo da rua.

ㅡ fotografia, meu pai não me apoiava mas também não me impediu de fazer, ele queria na verdade que eu tivesse algum cargo no governo do Japão. ㅡ o teto parecia muito interessante principalmente pelas lembranças que vinham na minha mente.

ㅡ você é Japonês? ㅡ perguntou agora indo levar a tigela na pia, pelo menos ele vai lavar, não que não seja o mínimo.

ㅡ não, coreano mesmo, meu pai é japonês, casou com uma coreana, ele diz que foi à força mas gosta dela sim ㅡ terminei rindo pois era sempre assim com os dois, minha mãe sempre apaixonada e meu pai um poço sem se expressar, mas eu sentia o amor dele, ele a ama apesar de tudo.

ㅡ entendo… ㅡ ele terminou de colocar a tigela no escorredor e então aquele barulho estranho de antes pareceu uma música que tocava muito perto, até eu ouvir uma voz chamando meu nome. ㅡ ouviu isso? ㅡ eu levantei de supetão e então fui até a janela, Jimin vinha logo atrás. 

Olhei para fora da janela, que dava para a frente do prédio e lá estava quem eu nem imaginava encontrar. Era terrível, a coisa mais estranha que eu nunca imaginei passar.

Antes de tudo quero lhes dar o contexto.

Lá em meados de 2018, eu me inscrevi pra ajudar as crianças da escola pública aqui perto de casa, eles iriam pagar um pequeno salário pra cuidar das crianças como monitor, eu precisava de um dinheirinho e fui. Era divertido, eu passava o dia com os ranhentinhos, brincava com ele e gostava bastante, mas havia outra coisa que eu gostava muito. O professor delas, Kim Seokjin, Deus! Que homem, alto, ombros largos, lindo e um amor com as crianças e é claro, casado. Nunca conheci sua esposa, mas não imagino que seja uma pessoa ruim. Como ele era casado e aparentemente hetero, eu nem dei muita bola, só tinha uma quedinha sabe.

Enfim um belo dia eu e ele ficamos sozinhos na escolinha, era um puta dia de chuva e eu não fui comunicado que as aulas foram canceladas naquele dia, cheguei todo molhado igual um pintinho na chuva e Jin me acolheu, me secou e então ficamos o resto do dia juntos, resolvi ajudar ele com umas papeladas já que não poderia voltar pra casa, desde então ficamos bem próximos, até o dia em que ele me beijou. É isso ai, eu nem imaginei que tal coisa aconteceria, mas rolou, e rolou muito, só que eu não tava preparado pra esse lance de amante, nem gostava de fazer isso com alguém, então depois de dizer isso à ele, meti um pé na bunda do bonitão e larguei o bico na escolinha. Depois de um tempo ele veio me falar que tinha largado a esposa e que estava apaixonado por mim, e eu com uma grande cara de cu, dispensei ele de novo.

Agora esse desgraçado ta na frente do meu prédio com um carro de som, um buquê e um microfone. EU MEREÇO.

Ele pareceu testar o microfone que tinha na mão, olhei para os lados e uma galera tava se formando em volta, foras as fofoqueiras olhando da janela, eu era o madito foco daquela vizinhança, agora, o homem começou a falar:

ㅡ JUNGKOOK! MEU AMOR! EU SEI QUE ISSO PARECE MUITO MAS NÃO CHEGA NEM PERTO DO MEU AMOR ㅡ eu estava incrédulo, sem reação, Jimin ainda sem entender nada, já que não dei espaço na janela pra ele, deus me livre ver a vergonha que eu to passando. ㅡ EU QUERIA, COM ESSA SERENATA, TE PEDIR PARA SER MEU, VIVER UM AMOR PROIBIDO, EU E VOCÊ, MEU AMOR ㅡ santo Cristo… 

ㅡ eu quero ver! ㅡ então Jimin me empurrou de leve e apareceu na janela, vendo toda aquela palhaçada. 

ㅡ EU… ㅡ Ops, acho que ele viu Jimin, e sinceramente, acho que deu pra entender outra coisa, pois o mesmo com o microfone olhou incerto pra nós dois, eu de início sem entender nada, até que ver ele sem reação me fez entender. Ele devia tá achando que o gostosão sem camisa ao meu lado é meu namorado, e se ele estava acreditando nisso, era minha chance de sair desse mico!

ㅡ Jimin… Pode me fazer um favor? ㅡ ele me olhou e sorriu.

ㅡ quer que eu jogue água nele? ㅡ seria uma boa ideia até.

ㅡ não, não no momento mas se quiser pode encher o balde, to achando que ele pensa que você é meu namorado, pode por favor fazer esse papel? ㅡ de primeira ele riu, depois me olhou sério e incerto.

ㅡ não é melhor só jogar água? ㅡ o olhei com certo desespero e ele entendeu. 

Enquanto Jin ainda recitava seu amor por mim naquele carro de som breguissimo, eu e Jimin nos apressamos pra descer até lá embaixo e parar aquele maluco. 

No caminho encontramos Hyuna e Dawn, junto a vizinha de Namjoon olhando a movimentação na frente do prédio.

ㅡ mas que por- ㅡ ela tentou dizer mas eu saí com Jimin portão à fora.

ㅡ CÊ TÁ MALUCO?! ㅡ Perguntei com a raiva subindo.

ㅡ Maluco por você, Jungkook! ㅡ Jimin se enfiou na minha frente, acho que ele sabia que eu iria pular naquele poste de terno.

ㅡ ei ei! Parou ai! ㅡ Jimin chegou até o carro de som e falou algo que fez o dono parar a música e desligar o microfone.

ㅡ o que você pensa que tá fazendo? ㅡ perguntei chegando perto dele. 

ㅡ Jeon, meu amor, eu estou apaixonado por você, não consigo mais viver sem ter você na minha vida! Larguei tudo por você! ㅡ ele dizia e eu ia ficando com mais raiva, não importa o quão lindo ele seja, eu quero desfigurar a cara dele por me fazer passar por esse vexame.

ㅡ escuta aqui, quantas vezes eu já disse que não queria nada com você? MILHARES! e-eu… NAMORO! não quero nada com você, cara! Me esquece ㅡ ele pareceu meio atordoado.

ㅡ e quem é este homem que diz ser seu dono?! ㅡ então, mais uma vez salvando a minha vida, Jimin se meteu na frente.

ㅡ EU SOU! ㅡ e boom! Foi tão rápido que eu nem vi, Jimin deu um soco na cara de Jin, digno de filme de ação. Eu fiquei me perguntando quanto de peso, força e massa era necessário pra um anãozinho de 1,70 e poucos derrubar um homem de quase uns 1,80 do jeito que o Jimin derrubou aquele cara. Todo mundo olhou aquilo, acho que até filmaram! Foi lindo. 

Depois de toda aquela bagunça e do soco, conversei apropriadamente com Jin e o mandei pra casa pra não voltar mais. Já Jimin se vangloriou do seu punho extremamente forte mas logo depois lembrou que agora a vizinhança o via como homossexual. O resto dos fofoqueiros vieram nos perguntar o que aconteceu, depois de horas contando o que aconteceu em minutos a confusão se dissipou, eu e Jimin voltamos pro meu apê pelo elevador.

ㅡ agora eu to pensando… Sera que o Tae viu aquilo tudo? ㅡ a possibilidade me faz quase chorar. A gente já tava brigado e a vida me fazia isso! 

ㅡ claro que viu, todo mundo viu! Até as mulheres… Cara como eu vou dizer que não sou gay agora? Porra perdi toda a moral que ganhei no socão, mano… ㅡ merda!

ㅡ E agora o Taehyung vai pensar que e eu e você namoramos! Aaah porquê a vida só me fode?! ㅡ disse dramaticamente mas Jimin me olhou com uma expressão meio estranha de novo.

ㅡ e qual é o problema? Agora ele acha que você namora um gostosão! ㅡ é muita autoestima pra uma pessoa só.

ㅡ o problema é que anted da briga eu disse que não namoraria com ele pois não o amava de verdade, agora ele acha que eu namoro você! Um hetero top que eu não conheço nem à um mês direito! ㅡ disse me convencendo de que estava tudo uma merda.

ㅡ ainda não vejo desvantagens! ㅡ ele disse então o elevador se abriu e ele saiu com um sorriso vitorioso. Foi ai em que eu percebi que estava fodido.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado, deu um trabalhão escrever tudo com o meu lindo bloqueio criativo, comentem que eu prometo responder todo mundo! Amo vocês nenes, até a próxima atualização!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...