História Essa sou eu.- Jungkook. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Simples Assim
Visualizações 274
Palavras 2.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus doces, turo pom com6, espero que xin!

Capítulo 3 - Tem Certeza?


Fanfic / Fanfiction Essa sou eu.- Jungkook. - Capítulo 3 - Tem Certeza?

Acordei com o despertador no meu ouvido, já falei que um dia eu ainda o taco pela janela? Me levantei da cama, conferi se a porta estava trancada, tomei banho, sai de fininho do meu quarto e rumo a escola.

- Mais um dia nesse inferno.- Adentrei na escola e caminhei até a minha sala.- Pelo menos hoje é sexta-feira.- Respirei fundo e abri a porta da sala.- Com licença.

- Está atrasada.

- Me desculpe.

- Entre e centese logo!

Entrei na sala e me sentei na minha carteira. A Mel e a Diane estavam me encarando com um sorrisinho na cara, isso esta me cheirando mal.

No meio da aula o meu celular não parava de apitar no watsapp.- Merda.

- Quem é S/N? É uma emergência

- Não professora é aquele menino que veio aqui semana passada.

- Ata, pede pro seu namoradinho parar de mandar mensagens que você esta em aula.

- Que?- Turo pom fessora?- Ele não...

- Vai logo, desliga o celular antes que eu pegue.- Disse me cortando.

- Ok.

...

Deu a hora do intervalo e todos sairão menos eu. Não gostava de compartilhar o mesmo ambiente que animais, principalmente, com cobras, vacas e galinhas.

- Ai merda!- Acabei bebendo muito refrigerante, me deixando com a bexiga estourando. Corri para o banheiro apertada, parecia que eu iria explodir.

Depois de urinar eu fui lavar as mãos para ir embora. Peguei meu celular do bolço e vi que faltava 10 min pra acabar o intervalo. Quando me virei a Mel e a Diane me encarando debochadas.

- Oi S/N. Tudo bem?

- S-sim. O que vocês querem?

- Nada demais, só queremos o número daquele gostosão.

- Do Kook? Ha ha, ele não iria querer falar com vocês de qualquer jeito.

- Por que não?- Diane me encarou irritada.- Ou você realmente acha que ele ficaria com você?

- N-não e-eu...

- Me de o celular.- Estendeu as mãos

Segurei meu celular bem forte e o coloquei atrás das costas.

- A não vai dar?- Balancei a cabeça em um não e ela fechou a cara.- Então vai ser do jeito difícil!

A Diane me segurou pelos braços, me impedindo de sair correndo enquanto Mel fechava os punhos, socando minha barriga. Eu estava tão fraca que acabei derrubando meu celular no chão.

Mel fez um sinal e Diane me soltou, fazendo eu cair no chão que nem uma pedra.- Pronto.- Mel tirou a foto do número do Jeon e saiu andando junto com a Diane, me deixando sozinha.

- A quase esqueci.- Mel jogou o celular em minha cabeça.- Tó essa porcaria.

Levantei menha cabeça do chão e peguei meu celular, que graças a Deus não quebrou. Sai correndo pra fora da escola indo em direção a minha casa. Peguei a chave de minha bolça e abri a porta correndo pro meu quarto.

Mensagens

oi kook

se ta bem?

espero que sim

oi

oi queri te ver

a é? pois eu ñ 

como?

além de burra é analfabeta?

eu não quero te ver

por que? T-T

por que eu não gosto de vc

me faz um favor?

me bloqueie, assim eu não perco mais meu tempo

Kook off

Eu não podia acreditar no que li, será que ele realmente não gosta de mim? Peguei meu diário e comecei a escrever, tomando cuidado para minhas lágrimas não molhar as folhas.

26/08/2018

Tenho acordado todos os dias tentando entender o que se passa dentro de mim. Sensações que me perseguem, me sinto estranha, é como se uma parte de mim fosse retirada. Meu peito dói, meus olhos lacrimejam sem parar, minha garganta esta seca, minhas pernas estão bambas, meus olhos embaçados e não respiro direito. Eu não sei mais o que fazer e o pior é que continuo tentando, tentativas totalmente em vão, porque eu continuo sem saber.

Não me entendo. Não entendo meu próprio corpo, não entendo meus próprios pensamentos, quem dirá as dos outros, não entendo o por quê só somos mais um ser nesse planeta, mais uma vida a preenche-lo, mais um para destruir seu próprio lar, mais um para ofender e não respeitar opiniões alheias, não termos o mesmo pensamento é o que nos diferencia, mas nos tornamos verdadeiros demônios.

Nunca me senti só. Durante um tempo fiquei em casa, deprimida, e chega uma hora em que você se cansa, sabe? Cansa de sofrer pelas mesmas pessoas, mas elas nem se importam com sua existência, elas estão preocupadas a se satisfazerem e esquecem que tem pessoas sofrendo ao seu lado, ou quando percebem, resolvem fechar os olhos e fingir que não sabe de nada. Resumindo eu cansei! Eu cansei de sempre ser a que leva patada e ter que pedir desculpas encarando as consequências, ser a que sempre atura a estupideza dos outros e sorri, cansei de ser agredida e ficar quieta como se nada acontecesse, cansei de sorrir para as pessoas e receber cara feia de volta. Na vida nós nos cansamos das coisas e nos livramos dela, mas na minha vida, eu me cansar e enlouquecer é a mesma coisa que nada. E quer saber? Eu não cansei nem enlouqueci, eu me destruí! 

Recomeçar é a parte de viver, então eu vou fazer! Vou recomeçar a minha vida em outro lugar, onde dizem que é o paraíso.

Assinado S/N.

Respirei profundamente, sentindo minha cabeça doer. Me levantei da cama e fui em direção ao banheiro da mãe. Aproveitei que não tinha ninguém em casa então já fui executar meu plano. Abri a última gaveta da pia, pegando um dos potes de remédio.

Abri o pote e despejei 3 comprimidos na palma de minha mão. Me encarei no espelho e uma lágrima desceu pelo meu rosto. Não sabia explicar o por quê do choro, eu ia acabar com aquilo naquele momento, mas cada vez mais lágrimas escorriam pelo meu rosto. Continuei me encarando despejando os comprimidos em minha mão até eles caírem pela falta de espaço nelas. Eu fechei os olhos e respirei fundo, quando os abrindo vi a imagem de Jungkook em vez da minha refletida no espelho. Me assustei caindo para trás derrubando os comprimidos de minha mão e me encostando na parede assustada.

- Não, não pode ter sido ele. não pode...

S/N off

Kook on

Acordei soltando um grito de desespero. Apoiei meus cotovelos nas minhas coxas e coloquei meu rosto em minhas mãos começando a chorar, não entendia o por quê de chorar, mas alguma coisa em meu peito doía muito.

- S/N?- Eu não sei por que, mas seu nome escapou de meu lábios. - S/N? S/N?- Continuei repetindo seu nome e chorando que nem um condenado. Não sabia o por quê de eu ter acordado chorando, nem de seu rosto vir em minha mente e muito menos de seu nome me fazer ter calafrios. Mas de uma coisa eu sabia, sabia que alguma coisa estava errada com S/N, muito errada.

Pulei da cama calçando meu All Star e sai correndo pelas escadas.

- Chefe?

- Oi Marlene. Não tenho tempo agora!- Continuei meu caminho até a porta de casa como se o mundo fosse acabar, como se MEU mundo fosse acabar.- Cade o meu celular?- Ela me estendeu a mão e o entregou pra mim.

Sai correndo de casa em desespero e repetindo seu nome, como se a qualquer hora eu fosse esquece-lo.

- S/N? S/N?- Não parava de gritar batendo em sua porta com força.

Kook off

S/N on

Escutei alguém me chamar. Me levantei do chão tentando me recompor indo em direção a porta, que parecia que seria arrombada a qualquer momento. Me aproximei da porta colocando o ouvido sobre ela.

- S/N?, POR FAVOR RESPONDA.- Arregalei os olhos. Mas como poderia ser o KOOK?

Abri a porta lentamente encarando seu rosto vermelho pelas lágrimas.

- S-S/N?- Pralisou.

- K-Ko Kook?- Paralisei. Não sabia o que dizer.

Jeon me agarrou em um abraço quente e gostoso, me assustando no começo, mas logo o retribui limpando minhas lágrimas em sua camiseta branca. Realmente, não foi ele que escreveu aquilo. Como eu sei disso? Eu cinto.

- Fi-fica co-comi-migo?

- Sim.- Disse abafado por causa que minha cara estava enterrada em seu tronco.

Ficamos abraçados por um longo tempo (1 hora), parecia até um Dorama, só que tinha algo que diferenciava, nós não estávamos atuando e sim vivendo aquele momento.

- Dorme comigo?

- Que?

- Fica essa noite comigo?- Desfez o abraço me encarando nos olhos.

- Sim.- Voltei a abraça-lo sentindo-o retribui-lo.

``O que será que pode acontecer?´´ eu me perguntava internamente, mas não ligava, não ligava por que eu confio nele, eu confio em você Jeon, eu confio profundamente em você.

- Vamos?

- Vamos, só vou pegar minhas roupas.

- Ok.

- Vem comigo.

Jeon balançou a cabeça e entrou em casa junto comigo. O levei em direção a o meu quarto onde se sentou na cama.

- Seu quarto é legal.

- Uhum, sei.- Disse abrindo o guarda-roupas e pegando o meu pijama.

- É sério.- Falei olhando em volta me deparando com um ursinho.- O que é isso?- Apontei o dedo.

- O que?- Perguntei seguindo seu dedo.- Ah, esse é o ursinho do papai.

- Mas ele não havia morrido?

- Sim, mas eu resolvi ficar como ele de lembrança.

- Ah tá.- Ficamos nos encarando por um momento, confesso que fiquei com um pouco de receio por ela.

...

- Vamos?

- Sim, só vou pegar umas flores.- Peguei um buque de rosas em cima da mesa.

- Pra que? - Ela não me respondeu só continuou andando. Aish.

S/N me levou a um cemitério. Nem perguntei, pois já sabia o por quê dela ter ido lá.

- Pronto pai, aqui esta suas flores favoritas, rosas brancas. Espero que goste.- Fiquei um tempo parada na frente do túmulo sorrindo.- Vamos?

- Claro.

...

Chegamos na mansão do Kook. Ele abriu passagem e eu entrei.

- Onde eu vou dormir?

- Na minha cama.

- Q-que?

- Eu durmo sofá.

- A nana nina não, a casa é sua então eu que dormo no sofá.

- De jeito nenhum. Por isso mesmo que a casa é minha, então eu decido onde eu durmo ou não.

- Mas você não manda em mim.

- Aish, quer saber?

- O que?

Jeon me pegou pela cintura e me puxou para cima colocando minha barriga em seu ombro e indo até as escadas.

- Aaaaaaaahhhhhhg jeon eu vou cair.- Disse me remexendo em seus braços.

- Não se preocupa que eu sou forte e te seguro.

Parei de me mexer e entendi o que ele quis dizer.- Ora seu... Aaaaaahhh.- Eu ia o xingar, mas Jeon me jogou na cama.

- Kkkkkkk.

- Ai seu idiota. Você me assustou.

- Kkkkkkk eu sei kkkkk, devia ter visto sua cara kkkkkkk.- Disse entre risos.

- BAKA!- Peguei um travesseiro e o joguei em sua cara.

- A, então é assim?- Jeon pegou outro travesseiro jogando em minha cara.

E assim ficamos por um tempo, brincando de guerra de travesseiros, era infantil, mas era legal.

- Chefe?

- Oi Marlene.

- Precisa de algo?

- Não obrigado.

- Ok então.- Fechei a porta do quarto e andei em direção a cozinha.- Desgraçada, as mensagens que eu mandei não foram o suficiente?- Eu escutava eles rindo do quarto, me deixando com mais raiva e ciúmes.- Você vai se arrepender de ter nascido S/N. Eu prometo.- Disse pegando uma faca da pia. 

...

- Uuuuaaaaarrrrr, que sono.- Bocejou.

- É claro, são 3:00 da manhã.

- Vai tomar banho que eu vou depois.

- Ok.

Depois de nos banharmos, fomos dormir. Como eu e Kook não sabíamos onde dormiríamos, montamos uma cabana na sala, com almofadas e colchões no chão para deitarmos.  Era uma noite fria, então eu me agarrava cada vez mais nele buscando me aquecer.

- Ai ai S/N... Olha o que você fez comigo.- Cochichei acariciando seu rosto sentindo-a me apertar cada vez mais contra seu corpo. Fico triste em lembrar que teremos apenas 23 dias com você. O que será que pode acontecer? Será que nos veremos de novo?

Continua?


Notas Finais


Comentem o que acharam da história.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...