História O Diário de Clara - Capítulo 7


Escrita por:

Visualizações 78
Palavras 841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Caso aconteça erro ortográfico: sorry

Capítulo 7 - Já acabou Jéssica?


 

Todo final de ano eu vou para a minha terra natal visitar meus parentes, em uma dessas idas eu acabei comendo fora do normal e ficando a cima do peso. Quando minhas férias acabaram eu voltei para casa e no dia seguinte fui para escola. Quando eu cheguei lá os meninos perceberam que eu tinha dado uma "encorpadinha" por causa da gordura que eu tinha ganhado e começaram a dar em cima de mim e me tratar diferente, como eu sempre fui "lenta" e "atrasada" em tudo eu nem percebia nada e continuava na minha. 

Conforme isso foi acontecendo algumas meninas começaram a ficar com ciúmes e aí começou a rolar um tipo de "perseguição" dentro da escola. A Jessica, uma garota que estudava na mesma sala que eu foi quem começou com tudo isso... Quando eu me levantava para ir ao banheiro ela gritava indiretas sobre o meu corpo e eu ficava calada pois sou tão lerda que nem pra receber indireta eu presto kkkk quando eu voltava do banheiro ela jogava mais indiretas olhando pra mim, ela falava e eu apenas concordava com ela sem ao menos entender uma palavra que saia da boca daquela menina kkkk quando eu fui apresentar um trabalho na frente da sala inteira ela falo lá de trás pra mim: você está tampando a lousa inteira Clara

Aí eu respondi: tem problema não Jéssica, você nem copia a lição mesmo,  é burra igual uma porta, sempre tira zero em tudo

Bicho do céu... Pra que eu fui falar isso, a menina se endoidou, levantou, pegou a cadeira na mão e queria arremessar ela em mim kkkkkkk fiquei tão assustada que quando ela levantou a cadeira pra jogar em mim eu fui mais rápida, peguei o apagador e taquei na testa dela kkkkkkk ela caiu pra trás com o olho esbugalhado e eu com o olho maior ainda pensando que eu ia ser presa  e se eu não fosse presa eu ia levar uma surra do meu pai quando eu chegasse em casa kkkkk todo mundo ficou olhando mas ninguém tentou ajudar ela, aluno é uma bosta né, a pessoa tá caida na frente deles com um galo enorme na testa e eles não fazem nada, só fica tirando foto rindo da cara da pessoa kkkkkkk  

Do nada a tia da merenda apareceu na nossa sala gritando com todo mundo, me pegou pelo braço e começou a gritar comigo na frente da sala inteira dizendo que eu matei a Jéssica, eu não sabia o que dizer, eu queria rir mas também queria chorar de desespero pois um dos alunos gritou que o diretor estava vindo, então eu me joguei no chão e fingi que tinha desmaiado... eu pensei: "vou me jogar no chão e fingir que deu tempo dela jogar a cadeira em mim, como cadeira é maior e mais pesada que o apagador ela vai amenizar a bronca que eu vou levar do diretor e meu pai não vai me bater pois vai ficar com dó de mim

(Gente, que que eu fui fazer, pensa comigo... a menina ficava me provocando, me xingava na frente da escola inteira, colocava apelidos em mim pq eu era gordinha, tentou jogar uma cadeira em mim.... eu apenas queria me defender, meu estinto de pantera foi mais rápido que eu kkkkk mas aí depois disso tudo, todo mundo viu que eu joguei o negócio primeiro que ela antes dela acertar a cadeira em mim, eu vou lá e me jogo no chão do nada? Que dia que isso iria dar certo? Kkkkkk aném Clara do passado, você só me faz passar vergonha)

Segui com meu plano de me jogar no chão, a sala inteira ficou calada por alguns segundos, todo mundo ficou sem entender nada, abri meu olho então para dar uma olhadinha se meu plano estava funcionando... Quando eu abri estava a sala inteira, a tia da merenda, o professor e o diretor olhando pra mim. Jéssica estava em pé com a mão na testa com um dos professores da escola segurando ela pois ela não conseguia ficar parada. Me pegaram pelo braço e me levantaram, eu sabia que não tinha funcionado meu plano mas mesmo assim eu tentei: "aí minha cabeça, a Jéssica....

O diretor nem deixou eu terminar de falar e já interrompeu: "nem perca seu tempo"

E saiu me arrastando para a diretoria... ele chamou meus pais e contou para eles o que eu tinha feito, não contou que a Jéssica me provocava, não contou que eu sofria bullying, não contou que eu ia levar uma cadeirada na cara e estava apenas me defendendo... Ele contou somente o que eu fiz. Quando cheguei em casa com os meus pais levei a maior surra e fiquei de castigo por 3 meses. 

Quando eu pude voltar para a escola normal, a Jéssica estava com um curativo enorme na testa, as provocações e xingamentos pioraram... 

Acho que quando o apagador pegou na cabeça dela, o espírito dela saiu do corpo dela para dar uma volta e deixou satanás entrar nele u. 


Notas Finais


Até o próximo capítulo pessoal...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...