História O diário de Jeon Jungkook. - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Diário, Jikook, Namjin, Sope
Visualizações 27
Palavras 2.052
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


*AVISO:
Minha gente, o tempo mudou drasticamente aqui onde eu moro e eu tenho sinusite, ou seja, passei todos esses dias sem postar porquê eu estava com o pé na cova. Brincadeira, mas eu tava mau mesmo.
Para compensar, fiz este capítulo grande, narrado pelo Jimin-ssi, então aproveitem.

Boa leitura e ignorem os erros porquê eu acabei de escrever este capítulo e com toda certeza, mesmo revisando com calma, ficou errinho para trás.

Bora pra história ❤

Capítulo 10 - Capítulo dez: Eu sou você e você sou eu.


Fanfic / Fanfiction O diário de Jeon Jungkook. - Capítulo 10 - Capítulo dez: Eu sou você e você sou eu.

"21 de dezembro de 2017.

       Park Jimin." 

 Ler apenas uma linha do diário do meu melhor amigo, me fez descobrir o quanto ele gostava de mim, romanticamente falando, e isso realmente me surpreendeu. Nós temos quinze anos de amizade, conhecemos um ao outro como se fosse apenas uma alma habitando dois corpo e eu nem ao menos percebi quando meu melhor amigo passou a me amar de maneira diferente. Que tipo de amigo eu sou? 

Jungkook também não ajudava, ele não demostrava que gostava de mim ou coisa parecida, nós sempre fomos próximos então não posso dizer que ele se "aproximou" mais de mim ao começar a gostar da minha pessoa.

 Eu me senti tão idiota, impotente, um péssimo amigo ao vê-lo tão estático com a simples pergunta, que por um acaso eu já tinha a resposta, ele gostava de mim e pelo que eu li no maldito diário, ele gostava muito. Vê-lo correr depois da pergunta, me fez me sentir impotente porquê eu estava tão perdido e surpreso com a descoberta que nem ao menos consegui ir atrás de si e acalmar aquele coração que eu tanto amo. 

Jungkook sempre foi o melhor para mim, mas eu nem ao menos pensava nele como alguém para namorar ou amar de outra maneira e as palavras que Jin me disse depois também não ajudaram em nada. 

 "- Você é o Hyung, se não sente nada apenas diga, não o iluda oferecendo o doce se você não vai dar, não o magoe, não o destrua, Jimin, você o conhece melhor que os pais dele, sabe cada passo que ele vai dar e mesmo que até eu esteja surpreso por ele gostar de você, eu o entendo. Vocês são próximos desde criança, não deixe que isso se perca, sim? E se serve de consolo, Jeon é alguém bom, que não irá te magoar, ele te ama a ponto de escrever ao invés de dizer, então, se não sentir o mesmo, tente pelo menos, talvez juntos tudo melhore, mas isso é com você, somente você pode decidir." 

Jin me fez pensar, mas eu não podia ficar com Jungkook, eu não podia se eu não gostava, mas ao ler seu diário por inteiro, depois de dar altas risadas com suas situações, morrer de amores com suas declarações, a maneira que ele descreve meu sorriso ou o fato de seu coração acelera ao me ver e ele achar que está tendo um infarto. 

Jungkook me fez mudar de ideia, eu percebi que ele seria bom para mim, mas por quê essa mudança? Posso dizer que era o efeito Jeon Jungkook. 

"24 de dezembro de 2017. 

   Park Jimin."

 Era véspera de natal, eu queria mais que nunca que "a magia do Natal" me ajudasse a conversar com Jungkook, mas sabia que isso não seria tão fácil, já que estou falando de Jeon fugitivo Jungkook e também, houve um imprevisto, minha ex namorada - na qual não preciso dizer o nome, já que não quero invocar o satanás. - me chamou para ir a casa dela, segundo a ruiva, precisávamos conversar.

 Ela não queria dizer nada demais, apenas devolveu minhas coisas que estavam em sua casa, porém eu sabia que se alguém tivesse descoberto, pela boca de minha mãe, que eu havia ido até minha querida diaba, digo, ex, pensariam que eu voltaria com ela, porém o único que me preocupava era um certo moreno, que por um acaso era meu amigo, que me ama romanticamente falando. 

As palavras já estavam treinadas, eu sabia o que dizer e o que fazer, era só chegar nele e dizer: Eu quero tentar, tentar te amar, namorar e sei lá mais o que, posso? Eu diria isso, não teria problema tentar, certo? Errado, fala sério, ele era meu melhor amigo a anos, comemos terra juntos, mas poxa, era o Jungkook ali e por mais errado que soasse, eu queria tentar.

Eu sempre fui alguém compreensivo, sempre tentei escutar todas as versões de cada situação, porém quando o assunto era o meu melhor amigo, as coisas ficavam complicadas. Eu o conhecia melhor que ninguém e sabia que assim que eu botasse os pés naquela casa, ele daria um jeito de ficar longe de mim ou simplesmente se isolaria no quarto até o outro dia. Mas não hoje, eu estava decidido, ele me fez decidi ao ler aquele diário - Que eu já havia entregado da maneira mais covarde possível. - então ele arcaria com as consequências. 

Dizer e fazer tudo que eu havia pensado não deu certo, quando botei meus olhos na figura morena, que até então eu não havia notado ser tão bonita, minha mente e o que dizer e fazer deram branco, eu não sabia mais o que dizer ou fazer. Já estava reconsiderado fugir para as colinas e nunca mais sair de lá, mas ao ver seu olhar triste, ao ouvi-lo se desculpar por amor, um sentimento tão bonito assim como ele, eu não podia deixar. 

 Aposto que se não fossemos amigos eu nem estaria tão afetado, tentaria o rejeitar de maneira calma, sem magoa-lo, como eu sempre fazia quando alguém se declarava para mim, porém como fazer isso estando diante do seu melhor amigo de infância? A pessoa que comeu terra com você, a pessoa que ia até mesmo no banheiro com você, a pessoa que chorou ao se perder da mãe, mas se acalmou ao escutar sua voz. Eu amava Jeon, mas não tanto como ele me amava, por isso estava disposto a tentar, tentar tornar tal sentimento, que ele descrevia e escrevia no diário, recíproco.

 Foi difícil, mas eu disse tudo, não tudo que queria, mas eu acho que ele compreendeu, já que ficou surpreso ao ponto de esquecer como se respira e desmaiar, eu achei que ele estava brincando, porém ele despencou no chão como uma fruta madura.

 "Ainda sendo 24 de dezembro de 2017. Park Jimin, 23:30." 

 Estou trancado a exata uma hora com Jeon em seu quarto, ele desmaiou e eu simplesmente o trouxe, simplesmente é uma ova, já que ele pesa muito e tive que arrasta-lo pelo pé, dei graças a Deus que já estávamos na porta do seu quarto. 

 Observei a face adormecida em meu colo, ele respirava calmamente, sua boca estava entreaberta dando para ver seus dentes avantajado - Uma parte linda do seu corpo, na minha opinião. - seus lábios vermelhos naturalmente estavam rosados, e sua linda pintinha abaixo do lábio completava a perfeição que era seu rosto. Toquei no pequeno sinal abaixo de sua boca, sempre o achei lindo ali. 

Eu não era nenhum idiota a ponto de não ver como meu melhor amigo era bonito, mas parece que depois de começar a enxerga-lo com outros olhos, ele ficou mais, bem mais. Me peguei reparando em seus braços, pernas, abdômen, rosto, até mesmo em seu pé. Jeon era tão lindo e perfeito, me pergunto como não me apaixonei por ele.

 - Eu sou lindo, não? - Me assustei ao ouvir a voz do moreno e logo retirei meus olhos de seus braços. - Tive um sonho estranho. - Riu. 

 - Sério? Como era? - Perguntei curioso. 

 - Não me chame de maluco, eu sei que você leu meu diário por completo, mas tenho certeza de que foi um sonho. - Olhou em meus olhos. - Você dizia que queria tentar retribuir meus sentimentos por você e eu ficava tão feliz que desmaiava. - Riu. - Acho que tinha alguma coisa naquela Coca-Cola, devia saber, já que foi a tia Park que trouxe. - Rimos juntos.

 - Ei, minha tia não batiza Coca-cola, apenas toddy. - Vi ele arregalar os olhos e eu gargalhei, mas fui parando aos poucos e olhei em seus olhos. - Não foi sonho, sabe disso, não é?

 - Droga, eu estava imaginado, já que você está com a mesma roupa. - Bufou, puxando mais a coberta e cobrindo o rosto. - V-você disse a verdade? Quer mesmo t-tentar?

 - Sim. - Sorri mesmo sabendo que ele não veria por está com a coberta no rosto.

- Sentiu pena, não é? - Franzi a testa. - Você leu o diário, viu o quanto eu sou idiota. - Riu. - Na verdade, nem o precisava ler, que homem de vinte dois anos tem um diário? - Perguntou, debochado. 

 - Você! - Respondi, mexendo em seus cabelos negros, estavam enormes e eu não sabia que Jungkook ficava tão bem de cabelo grande. - E eu não senti pena, achei que me conhecesse, sabe que não sou assim. - Suspirei. - Eu te amo e por mais que não seja no sentido romântico, talvez um pouquinho agora, eu quero tentar, você sempre foi meu refúgio, meu abrigo, minha ajuda, minha luz no fim do túnel e meu arco-íris após uma chuva, sabia disso? - Ele não respondeu, suspirei novamente. - Não sei o que se passa em sua mente, mas eu não senti pena de você, eu gostei do que escreveu, gostei da maneira que me descreveu, gostei da maneira que falou do meu sorriso e do efeito causado em você. Eu te amo, Jungkook-ssi, e quero tentar, mas você precisa está disposto a me ensinar a te amar ou isso não dará certo. - Disse por fim.

 Ele retirou as cobertas do rosto, me olhou, seus olhos estavam vermelhos, a ponta do nariz também, e ele respirava rapidamente, ele me olhou por mais algum tempo, então me abraçou. Já ouviram falar de abraços que curam? Pois então, Jeon tinha esse dom, sempre teve. Nos separamos do abraço depois de longos minutos, ele me olhou novamente, segurou meu rosto e eu senti meu coração na garganta, ele faria? Não, acho que não.

 - Eu também te amo, Jimin-ssi. - Então ele fez, juntou nosso lábios em apenas um selinho demorado, mas este fez um grande estrago em meu peito, era um misto de sensações e eu me perguntava se ele também sentia ou se sentia ainda mais. - Obrigado por tentar, juro que serei paciente. - Disse ao nos separarmos. - Eu te amo tanto, meu Deus, ainda não consigo acreditar, tenho medo de cair do nada e acordar percebendo que tudo não passou de um sonho.

 - Não é. - Levei minha mão até seu braço, o beliscando. - Viu?

 - Ai, Jiminie! - Tocou no local beliscado. - Eu não disse para você me beliscar.

 - Mas eu sabia que estava pensando. - Ri. - Eu sou você e você sou eu. - Sorri para si, o vendo sorrir e logo me abraçar. - Eu te amo, Jungkookie, e devo agradecer por você me amar.

 - Não agradeça, eu também te amo, Jimin-ssi. - Me deu mais um selinho rápido. 

 - Aaah, que lindo, eu disse, Hoseok, eles iam ficar juntos! - Escutamos a voz da mãe de Jungkook e olhamos para porta vendo todos ali.

 - Eu sei, tia. - Hoseok riu. - Pode passando o dinheiro, Taehyung!

 - Aish, nunca mais aposto nada. - Deu o dinheiro na mão do Jung. - Tudo culpa do Jimin. - O olhei incrédulo. - Você não podia esperar o Jeon ir atrás de você, não? - Perguntou com uma carranca, que logo se transformou em sorriso. - Parabéns, maninho e nanico. - Veio até nós, nos abraçando.

 - Ainda bem que pensou, Jimin. - Ouvi a voz de Jin. - Sabia que tomaria a decisão certa, você é o hyung. - Sorriu e eu retribui. 

 - Gente, faltam vinte segundos, deixa 'pra ver o Jimin e o Jungkook se comendo depois! - Yoongi gritou e todos saíram do quarto, rindo e correndo.

 - Vamos? - Me levantei e o moreno pegou minha mão, me impedindo de ir até a porta.

 - Vamos para o telhado, sim? - Assenti e corremos até a janela, indo devagar até o telhado, vendo como o céu estava estrelado, logo ouvimos as vozes em contagem regressiva. - Três. 

 - Dois. - Olhei para o céu, mas logo minha atenção foi tomada para Jungkook, que entrelaçava nossas mãos. 

 - Um! - Gritou e logo vimos os fogos, de todas as cores e tamanhos, olhei para Jeon que tinha um brilho no olhar, não sei se eram os fogos refletindo ali, mas estava lindo. - Feliz natal, Jimin-ssi.

 - Feliz natal, Jungkook-ssi.


Notas Finais


Foi isso, ta acabando, gente, eu gostei tanto de escreve 😢

Acho que só tem mais dois caps e um bônus, talvez.

Se gostou deixe o comentário e o favorito ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...