1. Spirit Fanfics >
  2. O diário de Mary Bennet. >
  3. As cláusulas de nosso contrato.

História O diário de Mary Bennet. - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Hoje Mary e as irmãs Bennet vão começar o contrato que vai mudar suas vidas para sempre.

Capítulo 4 - As cláusulas de nosso contrato.


Fanfic / Fanfiction O diário de Mary Bennet. - Capítulo 4 - As cláusulas de nosso contrato.

O Homem sentado em nossa sala parecia tão descontente como meu pai após nos observar por alguns minutos ele se coloca em pé novamente

-Onde estão meus modos estou tão nervoso que não me apresentei, sou o Senhor Darcy.

-Darcy?? Lizzy se engasga a pronunciar novamente o nome dele, e antes que ele pudesse falar eu retoma as rédias da conversa e indaga. : - Qual seu parentesco com os Darcy das empresas Pemberly?

Senhor Darcy olhou para ela com toda a admiração abriu um sorriso e falou: -Sou o Darcy original! O fundador das empresas!

Lizzy pegou a mão a do Senhor Darcy e não conseguia soltar Jane teve que puxar a mão dela para que soltasse a mão do homem.

Com um pouco de vergonha Lizzy diz para o homem : - Desculpe, desculpe é que sou sua fã.

Ele sorri para ela e agradece com a cabeça.

Meu pai vendo que sua querida Lizzy estava passando vergonha, decidiu sair em seu auxílio oferecendo um drink para o senhor Darcy, enquanto ele e papai conversam sobre um Scott 12 anos, Jane se vira para Lizzy e sussurra:-Você disse que cuidaria de tudo, o que está acontecendo com você Lizzy?

Jane sempre esperava que Lizzy resolvesse tudo pois Lizzy era a mais vivida que Jane,  uma coisa tão estranha porque Jane é que era advogada, mas acho que nunca gostou de sua profissão realmente ou nunca teve tempo de se mostrar como realmente era.

Fui arrancada do meu pensamento, quando escuto o elogio de Senhor Darcy:

-Realmente suas filhas são as moças mais lindas de toda a Inglaterra vão ser ótimas para meus filhos!

-Com certeza vão sim senhor Darcy! Meu pai concorda.

Lizzy novamente sai a frente de todas nós e fala, nos conte como são seus filhos senhor Darcy?

-Meus filhos bom o mais velho é o Charles ele é um rapaz calmo, tranquilo tem 26 anos é a amabilidade em forma de homem, cuida do setor de direito das empresas. Willian o segundo têm 25 anos ele é o mais alto dos meus quatro filhos, não só na aparência, mas seu espírito é altivo, ela fala pouco e de todos é o mais orgulhoso, cuida da parte de finanças da empresa, o terceiro e John têm 23 anos,  é meu sucessor na empresa é como eu, forte e tem princípios que me deixam confuso às vezes…

Senhor Darcy parou de falar a ouvir o som da minha risada. Ele se virou para mim e ficou me observando.

-Dês… dês… desculpe falei limpando a garganta não posso acreditar nos princípios de um homem que compra mulheres para seus filhos.

-Entendo, na verdade meus filhos sempre tiveram as mulheres que quiseram, por uma ou duas noites, deve ser porque não soube como ensinar eles depois que minha esposa morreu eles eram ainda muito jovens, e agora preciso deixar a empresa para eles e os investidores  acham que são muito voláteis, então ou caso meus filhos e mostro que são homens de famila ou eles perdem o direito a herdar a presidência.

-Entendam o casamento vai ser vantajoso para todos e vim aqui para acertar as regras desse acordo com vocês senhorita.

Senhor Darcy fala carinhosamente.

Nesse momento Lizzy liga o modo "empresária" e começa perguntando:

-Mas porque seus filhos não vieram com o senhor, se o acordo diz respeito a eles também.

-Senhorita Lizzy eles estão um pouco arredios com a forma que coloquei a questão a eles, eles não tem outra opção a não ser fazer o que eu quero e eu não tenho outra opção a não ser casar meus filhos e garantir o futuro das empresas e da família.

-Entendo, mas como garantiram o futuro da família? Meu pai pergunta curioso.

-De que forma seria, com herdeiros é claro.

Quando senhor Darcy falou nos herdeiros, meu corpo todo estremeceu, não posso ser obrigada a casar com um homem que não conheço e ainda manter relações com ele e ter filhos.

-Não se preucupem meninas, filhos podem ser adotados 3 dos meus são, nosso único filho de sangue é John, os dois primeiros adotamos no segundo ano de casamento, minha esposa morreu quando John era muito pequeno e estavamos no processo de adotar nosso quarto filho, sempre quisemos uma família grande.

-Não entendo porque o senhor vai casar 3 de quatro filhos? Jane peegunta curiosa.

-Bem querida, gostaria de casar os quatro, e dividir as ações igualmente entre eles, deixando 25% para cada, mas meu filho mais novo assim que completou 18 anos saiu de casa e se desligou de nós deixou claro que não quer contato com a família e nem participar dos negócios. Dessa forma vou deixar os 25% correspondente a ele aos cuidados de John.

-Que triste deve ser para o senhor, falei em tom baixo.

Os olhos do senhor Darcy ficaram mareados, ele somente fez que sim com a cabeça. 

Meu pai suspirou olhou para Lizzy como sinal que ela captou na mesma hora.

-Bom senhor Darcy, vamos a os acordos porque são três casamentos diferentes então feremos três acordos diferentes. Está bem para o senhor assim?

-Claro que está! Ele respondeu voltando a si imediatamente.

-O primeiro é o de  Jane. Lizzy falou mais rápido que o pai.

Os dois concordaram, enquanto Jane fazia todas as suas exigências e eles discutiam uma a uma eu peguei uma folha de papel e comecei a pensar em que eu queria no meu acordo.

Acordo de casamento de Maryelen Bennet

Cláusula 1: As partes devem dormir em cômodos separados.

Cláusula 2: Cada cômodo deve ter seu próprio Closet e banheiro particular.

Cláusula 3: As relações sexuais devem ser de comum acordo entre as partes, sem nada forçado.

Cláusula 4 : As partes podem trabalhar quando e onde desejarem.

Cláusula 5: A casa dividia entre as partes deve ter uma sala privativa com um piano.

Após terminar de escrever suas cláusulas via que Jane pedia coisas absurdas como motorista particular e o número de cômodos da casa.

Após 3 horas de negociação Lizzy terminou o acordo de Jane e falou triunfante: - Agora é o seu Mary! 

Eu concordei com a cabeça e entreguei o papel de minha mão para Lizzy que leu as cláusulas incrédula no que estava lendo.

O Senhor Darcy estendeu a mão pedindo o papel que estava com Lizzy, ela relutando entregou ele leu e respondeu cláusula por cláusula:

-Cláusula 1, ok acho importante manter a privacidade, mas quando viajarem juntos para visitar fornecedores e investidores ou quando damos festas em nossas casas de praia para amigos e outros vocês tem que dormir juntos, para manter as aparências, ok?

-concordei com a cabeça.

-Cláusula 2: ok, concordo plenamente.

-Cláusula 3: Bem a três é inviável que tipo de homem você acha que meu filho é? Já estou obrigando a se casar acha que o farei passar por tal humilhação lembrando que não pode tocar a esposa? Nao, não aceito esta Cláusula no contrato, mas dou minha palavra que meu filho, não tocará um fio de seu cabelo sem sua permissão senhorita.

-Sem essa cláusula não me caso! Exclamo com os olhos marejados e com voz chorosa.

-Minha filha, já conversamos sobre isso. Papai fala para mim com a voz cansada.

-Mary por favor o que você pensa que está fazendo? Lizzy fala irritada.

Jane por sua vez vem em minha direção me abraça e diz vai ficar tudo bem, não se preucupe.

Com a insistência de minhas irmãs eu concordo em eliminar a cláusula 3 do contrato.

Passamos as demais cláusulas sem incidentes e todas foram aprovadas pelo senhor Darcy.

Após ouvir as exigências de Lizzy para mim e para ela senhor Darcy finaliza:

-Bom da minha parte tenho algumas exigências, primeira meus filhos é que mandam ao menos em público, não devem ser questionados ou envergonhados, pois temos uma imagem, segundo o casamento de todos deve durar 2 anos antes disso será considerado quebra de contrato, terceiro as redes sociais de ambos deve ter fotos felizes dos casais e serem atualizadas uma vez na semana, quarto vexames públicos não seram tolerados, bem como traições de nenhum tipo especialmente adultério.

Fui Claro senhoritas.

-Como a água !! Lizzy rebateu, nós esperamos que suas regras valham para seus filhos também.

-Sim com toda certeza! Com o cumprimento de todas as regras vocês terão hipoteca da casa paga, todas as dividas da família quitandas, a faculdade de suas irmãs mais novas garantida na carreira e instituição que elas escolherem, roupas e acessórios novos sempre que precisarem ou desejarem, motorista ou carro a disposição e um salário mensal de 25.000,00 depositados na conta de sua preferência. Seu pai também terá um salário é um investimento mensal em suaempresa.Todas de acordo.

-Sim, respondemos em unisom.

-De acordo senhor Bennet? Senhor Darcy perguntou

-Sim de acordo! Papai responde em um suspiro.

-Agora para finalizamos essa reunião amanhã teremos um coquetel para algumas empresas parceiras a nossa e vocês farão sua primeira aparição pública com meus filhos, a limosine passará aqui as 8h para pegar vocês 3, seu pai e eu iremos em um outro carro. Ok?

-Ok, Lizzy respondeu primeiro que todos.

-Posso me retirar papai não me sinto bem. Falei tentando me livrar de toda essa confusão que virou minha vida.

-Claro! Minha filha papai respondeu com incerteza em sua voz.

Dei boa noite a todos e me direcionei ao senhor Darcy que apertou minha mão e perguntou:

-Qual o tamanho de sua roupa? 

-Media respondi sem entender.

-E o pé?

-35.

-Ok, obrigada Mary meu filho será um homem muito respeitoso com você pode agreditar.

Eu estava exausta com aquela situação só pude concordar com a cabeça.

Fui para meu quarto tirei aquela roupa, coloquei minha camiseta e deitei na minha cama, não pude me controlar e chorei desesperadamente com minha situação.

Até que minhas pálpebras pesaram e meus olho se fecha.


Notas Finais


Espero que estejam gostando pq estou amando escrever essa fic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...