História O Diario de Norman Bates - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bates Motel
Personagens Personagens Originais
Tags Assassinato, Bates Motel, Drama, Mistério, Novela, Suspense
Visualizações 2
Palavras 1.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - O Apagão


Já estava de tarde, Norman ainda estava dormindo, e Norma arrumando o quarto ao terminar ela, vai ate o quarto de Norman, ela empurra a porta, mas não o vê, ele provavelmente já havia acordado. - Norman ? Ela segue ate a cozinha, lá estava ele sentado pensativo. - O que esta fazendo querido - Diz com um sorriso leve. - Eu estava esperando você - Diz quase revelando um sorriso. - Ah querido eu ainda tenho que preparar o almoço - Tudo bem mãe mãe, eu espero. - Ta bom, eu já volto, olhe a panela e a chaleira no fogo, eu já volto. Norma vai para a sala passar a roupa, Sam neste momento entra, ele teria saido pela manhã. - Oi Norman - Oi pai - Esta esperando a vadia estúpida da sua mãe ? Onde ela esta ? Sam vai ate ate a sala, ele não diz nada a Norma, ele vai ate a poltrona, se senta e liga a TV pelo controle remoto, em seguida tira um papel do bolso e coloca seu óculos. - Norman, querido, eu vou demorar um pouco, pode tomar seu café. - E claro que você vai demorar, porque eu quero tudo isso bem passado. Norma fecha os olhos e respira impaciente. Norma continua a passar a roupa sobre a tábua, e Sam assistia TV , Norman enquanto isso coloca um pouco de leite sobre o liquidificador e em seguida coloca alguns morangos. Sam assistia TV com o volume e via as contas a pagar com seus óculos. - O que e isso ? Mês apos mês você gasta dinheiro que não temos com coisas que não precisamos. Norma suspira, ele já havia descoberto que metade  do dinheiro que teria dado a Dylan simplesmente foi gasto, porem ele nao sabia o que realmente havia ocorrido com o dinheiro, e Norma sabia que teria que inventar algo. Norma se vira e para de passar a roupa. - Isso e para mais roupas ?... Para a mulher que tem mais roupas do que uma prostituta da Park Evelin ? - Diz sam - E, e você sabe muito sobre roupas, sobre prostitutas eu concordo - Diz Norma. - O que são os trezentos dólares ? Tenho que refrescar a memória. Norman coloca um pouco mais de leite no liquidificador. - Comprei cortinas - Mente Norma. - Ah, ótimo, porque nao temos cortinas não e ? Norman ouve a conversa e sente algo que o incomoda por dentro, ele sente um ódio que não chega a ser demonstrável. - Ah, pera ai, e o que são aquelas coisas penduradas na janela ? - Diz Sam estressado e impaciente. - São feias e o que são, feias velhas e fazem a casa parecer barata. Sam a segura pelo braço e o abaixa, Norma coloca o ferro de passar sobre a mesinha e olha para ele. - Ta dizendo que a casa parece barata ? - E, eu to dizendo que a casa e barata, e tem cheio de... Norman Bates liga o liquidificador, mas mesmo assim ouve cada palavra da dissuasão entre ambos - Você vai levar de volta - Diz ainda mais furioso. - Nao da para levar de volta, sera que você não entende. - Três noites e uma semana e você gasta com isso ? - Ah, e não e tao glamouroso quanto colecionar capacidade, mas... Neste momento Sam lhe da um tapa e a derruba no chão. Norman Bates  joga toda a vitamina fora pelo ralo da pia. Sam enquanto isso a segura pelos cabelos. - Você vai devolver esta porcaria, fala que vai devolver isto... Quem vai pagar a comida em ? Norma sente a dor causada pela forca que ele puxa seus cabelos, Norman calmo e impaciente segue para a sala. - Me larga - Diz Norma assustada. Neste momento enquanto continua a puxar os cabelos de Norma, algo o antige, era Norman, que o acerta com extrema força, ele havia usado o ferro de passar, Sam cai no chão de olhos fechados, o sangue se espalha pelo tapete, Norma no chão observa o corpo, ele nao se movia mais. - Ai meu deus - Diz Norma chorando, ela logo se acalma. Norma se levanta e vai ate ele. - Norman, Norman olhe para min - Continua ela segurado seu rosto. - Olhe para min - Continua Norma, ainda assustada com a situação, ao maximo ela evita chorar e tenta manter a calma. - Ai meu deus. Norman simplesmente não se movia, estava calmo, nao dizia nada. Norma pega uma almofada e coloca por baixo da cabeça de Sam para evitar o sangramento, em seguida se levanta. - Norman - Novamente ela vai ate ele. - Norman, responde - continua ela novamente segurando seu rosto e ainda chorando. Norma segura a mão dele e o abraça. - Ta bom, vem comigo. Segurando a mão dele ela o leva pelo corredor cheio de quadros, seguindo reto ela vai ate o quarto dele. - Norman, querido, porque nao relaxa, Ta ? Deita ai Norman entra e Norma também, ela liga a TV, em seguida sai do quarto e fecha a porta. Norma volta ate a sala, antes de começar a arrastar o corpo, ela amarra um blusa em seu rosto e cabeça para evitar rastros de sangue. Norma Bates o arrasta ate a garagem, neste momento ela pensa que sua melhor chances de evitar problemas seria fazendo tudo parecer  um acidente, ela olha ao redor e pensa em algo, ao avistar a estante, ela vai ate ela, Norma sobe encima da prateleira baixa e testa o peso, vendo que não e muito pesado, ela desce e a derruba sobre o corpo de Sam, em seguida antes de sair do local, ela retira a roupa usada para evitar rastros, não havia mais nada que ela pudesse fazer, ainda assustada e desesperada, ela sai do local. Norma Bates volta ate a sala, ela pega uma escova e produtos de limpeza para tirar o sangue do chão, ela esfrega o tapete com força para que saia antes de secar, em seguida joga mais do produto, e acaba por jogar tudo fazendo a macha sumir mais rápido enquanto ainda espera, Norma em seguida vai ate o banheiro, ela se olha no espelho e arruma o cabelo, em seguida fecha os olhos e respira. Norman Bates havia acabado de acordar, a TV estava ligada, ele se levanta e abre a porta, Norman segue pelo corredor se apoiando, estava zonzo, e nao se lembrava de nada, ele quase chega a cair, se apóia contra a parede ele estava de frente com a foto de casamento de seus pais, o sonho passado lhe passa pela cabeça, ele sente um tipo de de já vu causado pelo sonho, senta como se algo nele fosse verdade. - Mãe - Chama Norman Ele segue ate a sala, a TV estava ligada, assim como o ferros de passar quente, ele vai ate a cozinha e vê a chaleira e a panela sobre o fogo, ele percebe que algo havia ocorrido, ele então segue ate a garagem, ele vê seu pais, Sam Bates no chão. - Pai - Diz assustado com a cena, ele rapidamente percebe que ele esta morto e sai o mais rápido possível do local. - Mãe - Grita Norman Bates. Ele vai ate o quarto, mas nao ah ninguém, em seguida vai ate o banheiro e bate na porta. - Mãe Norman bate ainda mais forte, e logo a porta se abre, revelando sua mãe. - Mãe, e o papai ele, ele...  - Norman estava completamente assustado e desesperado, ele sai correndo para que possa voltar ao local. Norma fica impaciente, sabia que apenas um banho nao teria ajudado em nada. Norman já estava na garagem, e Norma aparece logo  seguida, ela não sabia o que havia acontecido a mente de Norman Bates, ela o observa triste e agachado próximo ao pai, ele estava quase chorando, logo lágrimas caem de seus olhos e ele não consegue conter, Norma o observando se agacha. - Norman... Norman... - Norma tenta dizer algo mas chega a ser complicado para ela. Norma vai ate ele o abraça, ela o segura em seus braços. - Norman, eu sinto muito. Ela o solta e olha para ele. - Olhe Norman, eu vou ligar para alguém, ele... Ele deve ter bebido e teve um acidente - Diz com um olhar triste. Norman continua chorando. Uma Semana depois Haviam poucos no enterro de Sam, inclusive uma desconhecida que estava chorando e enxugando as lagrimas com um pano, ela sai do local, Norma a observa ir embora. Apos isso só sobra Norma e Norman. - Eu, vou ate ali dizer umas últimas palavras tudo bem, fique ai ? - Sim mãe Norma vai ate o local de enterro, ela observa bem. - Seu maldito, você provavelmente teve o que mereceu. Norma da um escarro e cospe sobre seu túmulo. 

A história não sera mais atualizada pelo spirit fanfics, acessem o wattpad para lerem o último capítulo que ser publicado em breve.



Notas Finais


Espero que tenham gostado, o ultimo capítulo não e necessariamente importante para este prelúdio, mas como gostei da ideia que me passou pela cabeça, vou escrever e publicar em breve, porém por problemas não irei pode mais postar aqui, por isso peço que acessem o wattpad para que possam ler, que assim como este e um ótimo e perfeito site para publicações.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...