1. Spirit Fanfics >
  2. O diário de um elfo bêbado >
  3. Esferas brilhantes

História O diário de um elfo bêbado - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Perdão pela pausa que eu fiz, estava desanimado e também aproveitando as férias. E também gosto de escrever seguindo minha rotina, chegar do colégio, fazer as lições e escrever para depois dormir. É muito bom.
Em fim... A história acabou passando por uma leve edição, sobre a vestimenta de um personagem, se é que tenha alguém acompanhando essa história e talvez queira dar uma lida na sinopse, eu recomendo.

Capítulo 4 - Esferas brilhantes


E assim o sol nasce, claro e alto! Seguíamos em direção ao lugar mais fechado dessas terras, e de longe já avistava a pura cor que iluminava esses campos, não é o sol. Mas sim o território de fadas. Estávamos nos aproximando, para os dois era meio desconfortável. Mas pra mim... Haha! Eu cresci aí até uma fase da minha infância.

- Então... Esse é o lugar? — Sim, sim! Não se preocupem, nem precisam ficar nervosos, lá é super de boa.

- Na verdade não estamos nem um pouco nervosos. Esse lugar é uma piada, não sei nem porque ainda ninguém invadiu esse lugar — Calma lá Natan. Não subestime o poder das fadas, se vocês vissem os poderes que elas carregam por baixo das mangas... — E você via alguma coisa? — Bem... Dificilmente, mas é por causa da minha curiosidade de gato que sou hypado assim! — E diz essas palavras, ou gírias sem sentido que ninguém tem o interesse de saber oque significam. — Orra... -

Aqui estamos nós. Não se preocupem galera, o pessoal daqui me conhece, já tão ligados na minhas lábias -

Logo em seguida, o destino ironicamente fazem os guardas aparecerem e me darem um empurrão e apontar suas lanças para mim

- Nem pense em se aproximar, mortal! — Como mortal!? Eu sou um elfo rapaz, e eles tão comigo. Então abram alas pro rei aqui — Não sei oque você tá falando, elfo, mas é melhor sair daqui logo antes que chamamos a Drosina para você! — A vovô? Não me faz rir maluco, ela ainda vai fazer piada de vocês quando ela me ver e me reconhecer, na verdade qualquer um que me conheça aqui!

- Hm é assim? Ok vamos pegar essa fada aqui, hey você! Conhece esta peste? — Não faço a miníma ideia... — E aí elfozinho, ainda quer que eu chame a Drosina?

Chama aí pô... -

- Como?

Chame, Não me importo. -

Logo quando ocorria o papo desnecessário uma velha fada com asas caindo aos pedaços chega voando interrompendo o dialogo — Oque está acontec... Ah não... Você de novo? Oque quer elfo? E vocês, não o reconheceram, ele é o bendito elfo Fëanor! Seus orcs burros e fedidos! Entre garoto, quanto mais cedo entrar, mais cedo você vai sair.

Vovô! Quanto tempo hein, já tava com saudades. Os dois estão comigo e precisamos de você. -

- Tudo bem garoto, apenas entrem. — Eu e meus companheiros seguimos a vovô até sua "casa-cogumelo" gigante, que por incrível que pareça cabe nós três muito bem, para uma casa de pequenas fadas...

- Nossa. Eles devem amar o Fean aqui. — Pois é — Diziam ironicamente Aco e Natan

Primeiramente, antes de tudo, você poderia cuidar do meu moletom? Por favorzinho, acabei me metendo numa briga feroz. — De novo? Sempre que vem aqui é para consertar essa vestimenta. Você não cansa de usar isso? — É muito sentimental pra mim vovô, desde que eu entrei naquele seu caldeirão de magia sobre como seria o mundo daqui a 2000 anos — Sim, eu deveria estar mais atenta, desde que você saiu daquele caldeirão você não era mais o mesmo, e ainda apareceu com essas roupas aí. Em fim, vou arrumar pra você.

- Como assim você entrou num caldeirão, Fean? — Questionou Aco

Eu ainda era novo, e muito bagunceiro, daí o caldeirão tava com uma cor chamativa rosa muito brilhante, foi quando pulei lá dentro enquanto a vovô preparava mais coisas. Desde então eu não fui mais o mesmo... Mas e daí, mo daora esse visual. 

- É estranho ver isso de você, elfo.

Vocês se acostumam. -

- Parem de enrolar crianças, digam de uma vez oque precisam. — Então vovô, não sei se andou olhando para o céu fora dessa floresta de fadas ultimamente, mas... — Sim eu sei. Vocês não pretendem fazer merda, não é? — Foi ideia do elfo fazer isso. — Pretendemos sim. Muita merda, a gente vai lááá pra cima, hihi. E vamos peitar um grande inimigo! — Não terminem a história... Só de ver você falar isso já me causa tristeza, mas vocês aventureiros são loucos por essas coisas, por isso vivem menos. Mas em fim, o máximo que vou poder dar a vocês são esses três aumentos de habilidade, previ o futuro de cada um, e já sei exatamente oque cada um precisa. — Vovô ergueu seus braço para frente invocando três esferas brilhantes. Cada uma com uma grande habilidade

- Para a princesa Aco, um pouco de velocidade e golpes críticos, e ao guerreiro Natan defensiva e velocidade de ataque. Ambas habilidades serão desenvolvidas conforme forem treinando. — péra aí e eu? — para você elfo, a esfera branca, o poder que você vai ganhar aqui vai se desenvolver conforme suas escolhas e seu destino. — Que? — Desisto... Vocês já conseguiram o que queriam, sei que não é muita coisa, mas no fundo vai ajudar vocês e esse plano maluco aí. Boa sorte. Agora tenho coisas a fazer. Rápido, vão em bora.

A vovô parecia estar ocupada, então ela simplesmente tirou o moletom do caldeirão e me entregou, saímos andando e admirando a vista que é uma floresta cercada de fadas fofas e o brilho, era estranho como olhavam para o Natan, mas também, com essa aparência, qualquer um se assusta, obvio que preferiram ver minha beleza élfica.

Finalmente! Me sinto maior, forte, poderoso! Capaz de matar deuses. -

- Não se empolgue muito elfo. Ainda temos que achar um local para treinar

- Eu ainda não senti nada, quero ver oque acontece quando "despertar" essa tal habilidade

Também tô muito curioso, princesa, sei um lugar que combina com essas habilidades aí que você ganhou, também vai ajudar eu e o Natan. -

- Não elfo, já tenho meu local de treino, só consigo melhorar por lá, nem tente ir comigo, acho que treino bruto não é com você... — Qual é, lógico que sou, meu lance é brutalidade! uso a espada e esmago sem dó, hehe. — Não, elfo, você vai se machucar. — Vou nada, fica esperto, amanhã a gente prossegue com esse treino, a gente só vai passar uma noite na academia que no dia seguinte nós vamos, uma hora você vai se converter e vai querer que eu vá junto, e também sou louco pra lutar brutalmente como você. Seria incrível!

- Pensarei...

Em fim chegamos na academia, esses caras são incríveis. Luta oriental é muito foda. E agora irei dormir aqui para treinar com o Natan a partir de amanhã. Mas também quero ver o pessoal, que não vejo a muito tempo!

Fëanor e seus parceiros treinarão para ficarem preparados para uma grande luta. Tudo para conseguir paz no mundo e trazer a princesa de volta ao seu castelo. 


Notas Finais


Vocês podem reparar que vou mudando minha forma de escrever, vou desenvolvendo uma forma aos poucos, espero que não se importem quanto a isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...