História O diário de um ômega apaixonado. - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


oi oi gente.

voltei com a continuação desse especial que promete ein.

se ficou muito direto e confuso, me perdoem, porque eu tentei escrever várias coisas acontecendo ao mesmo tempo, e não deu muito certo

e isso, fiquem com mais um capítulo.

Capítulo 8 - Capítulo O8


especial II

treta na festa,, parte II


— você viu aquilo? agora você está me devendo um pote de sorvete.


jennah e seungmin estavam no fundo do quintal da casa de felix. o kim havia contando para a amiga, que viu os dois juntos, desde o início da festa, e certamente a mais nova não tinha acreditado. então o mesmo a levou até o local onde eles estavam.

ja faziam alguns minutos que os dois estavam encarando chan eunwoo, que estavam aos beijos, na outra parte do quintal. agora, com os próprios olhos, jennah presenciou o momento exato que as bocas dos alfas se tocaram.


— minnie, eu ainda não tô acreditando. — colocou sua pequena mão em seu rosto, completamente em choque.

— mais está bem ali, jen. na sua frente. woo noona beijando christopher bang. — sussurrou para a mesma, não queria que fossem descobertos. — mas se bem, que se alguém me contasse, eu não iria acreditar nem pagando.

— será que eles estão apenas ficando aqui, ou o que eles tem é não é tão recente assim. — olhou para o amigo, que devolveu o olhar pensativo.

— isso vai ficar na dúvida, jen. eu realmente não sei.


eles olharam por mais alguns segundos, e logo voltaram para a festa. amanhã será um dia longo, e eunwoo teria que explicar isso tudo aos seus amigos.


[...]


woojin era um cara bastante conhecido. não só por ser bonito e ótimo jogador, mas sim por seu talento em aparelhos de mixagem. era presente em todas as festas, e obviamente elogiado por seu trabalho, por fazer todas as festas ficarem incríveis.

jennah o admirava desde que pisou na festa. já tinha ouvido falar dele sim, mas nunca parou para repara-lo completamente. ela queria chegar nele, só não sabia como.

mas ela também era uma garota que não gostava do lance de "sair e ficar com todo mundo". como dizia felix, ela era um princesa da disney, que gostava de se relacionar apenas com pessoas que gostava. era muito difícil ela chegar em alguém, pedir pra ficar com ele, e nunca mais ver ele na vida. ela não gostava dessas coisas.

se aproximou lentamente da onde era a área do dj. e ficou apenas observando o que ele fazia.


— parece que alguém gostou do meu trabalho. — disse uma voz rouca, despertando jennah do seu transe. woojin havia percebido os olhares da beta sobre ele, fazendo a mesma ficar completamente constrangida.

— o-oi, desculpa se fiquei olhando demais. é que eu realmente gostei de você, n-não de você, da sua música. — se amaldiçoou internamente por ter gaguejado.

— obrigado, mas não precisa ficar nervosa. — sorriu docemente, fazendo ela se derreter.

— desculpa. eu não tenho costume de falar com muita gente. só os meus amigos já, é muita coisa pra mim. — os dois riram. — mas me diz, você é dj a muito tempo?

— comecei a trabalhar profissionalmente ano passado. antes era só por pura diversão mesmo.

— mas é muito difícil trabalhar com isso tudo?

— até que não, depois de um tempo você se acostuma, e conhece todos os botões de cor. 


jennah apenas assustiu, e olhou para a pista de dança. todos curtindo as músicas que woojin proporcionava. ela queria estar lá curtindo também, mas sua timidez falava bem mais alto.


— tá gostando da festa? — o kim perguntou, ao perceber ela encarando todos em sua volta.

— estou, mas eu acho que quem está dançando ali, está se divertindo mais que eu. — sorriu triste.

— quer que ir lá, e dançar comigo? —ela o olhou surpresa, não acreditando no que dissera.

— sério? mas eu não vou te atrapalhar aqui?

— eu tenho um pack com musicas ja prontas, mas qualquer coisa, meus amigos também estão aqui. — ele estendeu sua mão, em uma forma convidativa. — então, que ficar comigo?


ela ainda o encarava surpresa, não era acostumada com esse tipo de tratamento com pessoas que não eram seus amigos. ela entrelaçou seus dedos com os do beta, sorrindo pra ele. e logo os dois se conduziram até a pista de dança.


[...]


o casal dançava conforme o ritmo da música. a batida era forte, o que fazia todos presentes de animarem. a pista estava iluminada, e completamente cheia. não era possível que alguém conseguia ter tantos amigos assim.

jeongin adorava ver hyunjin dançando, o mesmo achava aquilo incrível. a maneira de como o alfa tinha uma enorme facilidade em dançar, ele simplesmente amava.


—o que meus amigos queriam com você? — se aproximou do corpo do alfa, para que ele pudesse lhe ouvir melhor.

— eles só perguntaram minhas intenções com você, não se preocupa. — sorriu para o ômega, que retribuiu. mas logo algo lhe chamou atenção. — bebê, aquela ali não é a sua amiga jennah? — apontou, e jeongin segui seu dedo com o olhar.

— é ela mesma.

— o que ela está fazendo parada ali?

— acho que ela está admirando o woojin. desde que ela chegou, ela tá de olho nele. — sorriu — e com razão, porque ele é extremamente lindo.

— ah, quer dizer então que o você achou ele lindo? — sua voz estava rouca, enciumada. — extremamente ainda.

— ele é lindo sim. mas não se preocupa, meu amor, você é bem mais. — abraçou o corpo do alfa, que se acalmou. logo se animou, ao ouvir a música que começou a tocar. — caralho, eu amo essa música. 


a música era muito mais animada do que a anterior, mas os dois dançavam em seu próprio ritmo. o ômega se assustou, quando sentiu as grandes mãos do alfa em sua cintura de forma possessiva, o puxando mais para perto. jeongin passou seus braços pelos ombros do mais velho, ainda sem pararem de dançar.

estavam com os corpos bem próximos, dançando do jeito que queriam. hyunjin abraçou o corpo alheio, sentindo o cheiro de jeongin direto de sua pele. deu um pequeno beijo molhado em seu pescoço, e logo se distanciou.


— sabia que eu amo seu cheiro. — sussurou rente ao ouvido do ômega.

— só o meu cheiro?

— tudo em você.


os dois sorriram, e logo se beijaram. um beijo calmo e singelo. todos em volta dancavam feito loucos, enquanto os dois apenas sentiam o carinho bocal que proporcionavam.


[...]


felix revirava os olhos mais uma vez. estava sentado em um sofá, acompanhado de seungmin, jeongin. os três estavam apenas jogando conversa fora, olhando para qs paredes, e comendo alguns salgadinhos que pegaram na cozinha, enquanto esperavam hyunjin, que estava pegando bebidas. 


ali estava o mais puro tédio.


— eu queria tanto falar, "quero ir pra casa", sendo que eu já estou na minha casa. então não iria adiantar muita coisa. — deitou sua cabeça no ombro de seungmin, que logo fez um carinho ali.

— olha pelo lado bom, pelo menos você está com seus amigos na festa do minho. que são consideradas as melhores da escola. — jeongin disse, tentado anima-lo.

— esse papo de festa do minho, eu não levo muito em conta. eu já moro com ele. — revirou os olhos mais uma vez. — tudo que eu tinha pra dançar, eu dancei. as músicas que eu conhecia, cantei todas. e todas as bebidas que eu era permitido a beber, eu bebi. — disse simplista, vendo todos concordando. — sendo que eu não vi a cara da eunwoo uma vez na festa, ela me disse que viria.


seungmin quis falar o que ele tinha visto, só não sabia se era momento exato. então resolveu ficar na sua. não sabia se eunwoo se sentiria confortável se ele falasse, então permaneceu quieto.


— alguém sabe onde a jennah esta? — perguntou o kim.

— eu não sei onde ninguém está, eu não sei de mais nada. — ditou felix. os dois amigos tiveram que e rir da maneira que o australiano disse.

— da última vez que eu a vi, ela estava na pista de dança. depois não a vi mais.


os três continuaram conversando, até que viram hyunjin indo em direção a eles, acompanhado de jennah. a mesma estava com seu braço cruzado ao do alfa, que a guiava até o sofá. seu olhar era baixo, e ela parecia completamente abalada.

os três amigos se olharam, completamente confusos. hyunjin ajudou a jennah sentar, na cadeira ao lado de jeongin.


— meu bem, o que aconteceu? — o coreano perguntou, passando a mão em seus cabelos.

— eu só quero ir embora. pede um táxi pra mim. — deitou a cabeça em seu ombro, fungando baixinho. jeongin olhou para seus dois amigos, logo os três olharam pra hyunjin.

— quando eu estava indo pegar as bebidas, eu vi um cara empurrando ela pro banheiro. eu sabia que ela era pela roupa, então deixei as bebidas de lado, e fui atrás dela. quando eu cheguei no banheiro, aquele alfa pediu pra ela.. aquele nojento tava beijando ela a força, e tentando tirar sua roupa.

— QUE FILHO DA PUTA

— felix!

— me desculpa. mas quem era esse cara? — seu rosto estava vermelho. queria matar o idiota que fez isso com sua amiga.

— se eu não me engano, ele é do terceiro ano. acho que o nome dele e yun junho.

— acho que eu sei quem é. eu vou ter que falar isso pro minho. eu não admito isso, ainda mais dentro da minha casa. se ele fez isso com a jennah, quem nos garante que ele não fez isso com outras? eu vou atrás do meu irmão.


[...]


han jisung se encontrava sentando em cima do balcão da cozinha. balançando suas pequenas pernas, enquanto encarava seu namorado, minho, que fazia algum tipo de bebida. jisung o olhava bobo, era simplesmente apaixonado por tudo que minho fazia, e era perceptível isso.

o lee, assim que percebeu os olhares sobre ele, sorriu para o namorado, que sorriu de volta.


— por que tanto me encara? — minho perguntou, balançando a garrafa que estava em sua mão.

— por que você é tão lindo, fazendo praticamente nada? — os dois acabaram por rir. minho estendeu um copo para o mais velho, que logo aceitou. — eu ficaria horas te olhando, eu amo te admirar.

— é que.. eu fico todo sem graça quando me olha assim. — sorriu envergonhado, olhando para o seu ômega. — sério, amor, para.

— você é a coisa mais linda. vem cá.


jisung puxou minho pela nunca, e o mesmo ficou de frente pra ele, se encaixando entre as suas pernas. jisung abraçava o corpo do lee, sentindo seu carinho sob seu corpo. mas sua atenção foi tomada, assim que viu uma agitação na pista de de dança.


— wow! minho, aquele ali dançando, não é o seu irmão? — o corpo de minho se desconectou do seu, olhando para onde seu namorado apontava.

— é ele mesmo. — sussurou, surpreso.

— não sabia que ele dançava tanto assim.

— nem eu. — respondeu baixo, ainda encarando seu irmão agitando a pista.


minho ficou encarando o irmão, que estava dançando na pista. sabia que o mesmo amava dançar, só que nunca tinha parado pra reparar o quanto ele estava bom naquilo que fazia. se sentiu culpado por se privar de tantas coisas que envolvia o próprio irmão.

logo o han percebeu a forma que o lee ficou. então começou a fazer um leve carinho um suas costas, a arranhando lentamente.


— por que a gente não esquece isso tudo aqui, e não fazemos a nossa própria festa no seu quarto? — sussurou rente ao ouvido do alfa, que se arrepiou lentamente. 


o mesmo parou de observar a pista, sentindo as pernas de jisung abraçar sua cintura, puxando o lee mais para si, iniciando um beijo. minho começou a chupar os lábios de jisung, e se mover rente ao seu corpo, simulando estocadas.

os dois abandonaram a cozinha e as bebidas, indo para o quarto do minho. onde começariam sua própria festinha


[...]


a noite parecia estar ótima para esse casal. mas para outro não estava tanto assim, na verdade apenas para changbin não estava boa.

traição é uma das piores coisas que pode acontecer na vida de alguém, e changbin acabou de entender o porque. ver sua namorada beijar uma beta qualquer na festa do seu melhor amigo, quebrou seu coração. 

a noite até então estava tranquila pra ele. bebeu com seus amigos, dançou e cantou bastante, mas parece que tudo perdeu a graça ao ver aquela cena.

não era ninguém mais ninguém menos do que myoui mina, uma amiga de chaeyoung. bom, amiga bem próxima no caso. de longe o alfa via aquela cena nojenta, sentindo o seu ódio por chaeyoung começar a se formar. ele não conseguia se mexer, não conseguia ir lá para atrapalhar o lindo momento delas. seu corpo parecia não responder aos seus comandos. então, ele apenas deu meia volta, e entrou na festa.

mas, direto do terceiro andar da casa, felix encarava toda aquela cena da varanda. não sabia se ficava feliz ou triste, sem perceber sorriu, ao pensar que possivelmente eles não estariam mais juntos. mas seu sorriso desfez, quando lembrou que namorando ou não, changbin nunca iria dar uma chance pra' ele.

por fim, o ômega se sentou no chão da varanda, bebendo de vez uma garrafa de soju. o culpando internamente pela horrível vida amorosa que o mesmo tem. 

ele só estava a procura de seu irmão, quando viu essa cena. parece que tudo estava contribuindo para que ele visse.

ele não sabia que iria "receber" uma notícia dessa. ele só estava a procura de seu irmão, quando viu essa cena. parece que tudo estava contribuindo para que ele visse. agradeceu mentalmente  por não ter achado ele ainda.

bebeu agora lentamente, a outra garrafa que tinha em mãos. a noite é uma criança, então ele iria aproveitar bebendo todas, coisa que ele não faria se sua mãe estivesse em casa.

ele se encontrava fixado com um ponto no céu estrelado, que só percebeu bem depois, a presença de outra pessoa ao seu lado. poderia ser jennah, pra lhe dar mais um sermão, dizendo que ele não pode beber tanto assim. mas se surpreendeu quando finalmente olhou para seu lado.


— changbin?


Notas Finais


me desculpem pelos erros, ainda não revisei, e não terei tempo agora.

agora fiquem na imaginação de vocês, o que irá acontecer.

até o próximo capítulo :-)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...