História O Dono de Casa! (ABO) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hansol "Vernon" Chwe, Lee Jihun "Woozi"
Tags Jinon
Visualizações 46
Palavras 1.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi desculpa a demora
Primeira parte hj ok
Espero que gostem
Boa leitura 📖📖📖📖

Capítulo 6 - Seja meu?


Fanfic / Fanfiction O Dono de Casa! (ABO) - Capítulo 6 - Seja meu?

O ômega ainda estava triste com o falecimento da mãe, por mais que seu coração apertasse ao ter que ir embora da casa aonde viveu até os dezesseis anos, era preciso pois seus filhos e ele mesmo tinham compromissos aonde habitavam atualmente. Sem contar no Alfa que os acompanharam até lá e agora estavam de volta ao carro do mais novo, que fitava a janela meio alheio a tudo. 

Os gêmeos dormiam nas cadeirinhas no banco de trás mais não impedia de ouvir um som baixinho na voz de Ailee - que ao ver do ômega era a mulher de voz perfeita - ele fitava a janela, observava a paisagem passar rápido lá fora. 

Não demorou para chegar em frente ao prédio onde moravam, logo todos já estavam dentro do apartamento do ômega colocando os gêmeos cada um em sua cama, o Alfa acompanhou todo o processo do mais novo e a cada movimento se via mais encantado com o cuidado e agilidade que o mesmo tinha com os filhos e com a casa. Mesmo cansado, Jihoon conseguia organizar o máximo possível para que no dia seguinte estivesse tudo em ordem para não haver bagunça na hora de arrumar as crianças para escola e ele, ao trabalho. 

- Quer ajuda? - Vernon parou ao seu lado quando o ômega encarava a bagunça deixada no sábado, na sala. 

- Se não for encomodar... - o Alfa negou.- ok, eu aceito ajuda. - Vernon sorriu contido, aquele ômega era precioso demais e ele já não tinha saída, se apaixonou por ele perdidamente. Não havia outro Alfa para atrapalhar e os filhos eram um puta de um bônus mais que perfeito, se via ali naquela aura de pai de família e daria tudo para que se tornasse realidade. 

A campainha tocou quando os dois haviam terminado de forrar o sofá, o mais baixo se apressou em atender e pela porta dera a passagem para um moreno alto de cabelos pretos azulados e pelo cheiro que o Alfa sentiu, era Alfa e as crianças tinham o mesmo aroma misturados. Era sem dúvida o pai dos gêmeos. 

- ah... Oi Jihoon. 

- Oi SeungKwan, tudo bem? - Vernon não sabia se deveria cumprimentar ou deixá-los a sós, mais o Ômega foi mais rápido o apresentando. 

- Bom esse é o pai dos meninos! - sorriu sem graça para os Alfas, fechou a porta e pediu gentilmente para Kwan se sentar.

- Prazer Hansol Vernon Chwi. 

- Prazer, Boo Seungkwan.- apertaram as mãos e se sentaram no sofá.

- Eu fiquei sabendo o que aconteceu com a sua mãe. Vim ver se os meninos não estão precisando de nada. 

- É, foi recente. Voltamos agora pouco e estávamos arrumando a casa. 

O clima era meio desconfortável e o Chwe não conseguia imaginar o que o outro Alfa queria, o outro também estava sem entender o que aquele outro homem fazia ali. 

- Eles estão bem. Não precisam de nada. Mas sei que não está aqui só pra isso Kwane. - Vernon estranhou a forma que o mais novo se referiu ao outro mais deixaria pra ver até onde a conversa se estendia. 

- Se quiserem eu posso deixá-los a sós. 

- Não, tudo bem. Pode ficar. 

Mesmo que de um modo estranho ambos os Alfas não se sentiam incomodados ou ameaçados e isso havia de ser esclarecido pois Hansol não sabia muita coisa do passado do mais novo. 

- Eu... Eu vim te convidar pra ser meu padrinho de casamento. 

- Sério Seung, nossa eu pensei que ela nunca ia aceitar. 

A felicidade do Ômega era visível, e o Alfa mais velho presente também estava. O Ômega olhou para o Chwe e deu uma risadinha contida e passou a falar. 

- Quando eu completei quinze anos, meus pais arranjaram um pretendente pra mim, e eu meio que surtei mas era para o bem da empresa então eu aceitei, quando completei dezessete, eu Kwan nos casamos, mais o lobo dele já tinha uma Ômega, ai quando eu engravidei fizemos um trato, nos divorciariamos e ele viveria com a Ômega e eu moraria aqui com os gêmeos. 

- Espera... Você não amava ele ou coisa do tipo? 

- Não Vernon!  Nos casamos e éramos mais amigos do que um casal. Mais ai eu tive um cio e ele me ajudou, então veio os gêmeos mais foi só isso mesmo. 

- ah... - na verdade o Alfa estava aliviado, o outro não estava ali pra reivindicar nada, então suas chances de ter os três pra ele eram muito maiores. 

- Esse baixinho encrenqueiro me ajudou bastante, se não fosse ele eu estaria casado com uma velha e megera. - os dois gargalharam e Vernon se permitiu rir baixo. 

Não sabia da fama de Ômega encrenqueiro que o baixinho tinha, mais com o tempo descobriria. 

- se me chamar assim de novo, te bato com o rolo de massa seu besta. Eu eu aceito sim ser seu padrinho Kwane, seu sonho finalmente vai se realizar Alfa babão. 

- você não tem jeito né. - riram outra vez. 

O clima não estava mais tenso e a conversa se estendeu até a hora do jantar quando os gêmeos acordaram. Após o jantar, Seungkwan foi embora e o outro Alfa ajudou o Ômega a dar banho nos pequenos, contou uma história e no meio da mesma eles já estavam caido para os lados, os ajeitou e saiu do quarto com a intenção de ir embora mais o Ômega não iria deixar, nem hoje  nem nunca mais. 

- Ei, dorme aqui! 

- Estou abusando demais da sua hospitalidade. - sorriu e segurou o mais novo pela cintura, o puxando para o seu corpo, Jihoon pousou suas mãos nos ombros do mais alto e ficou nas pontinhas dos pés para alcançar a boca a cima da sua. Selou com carinho, fechando os olhos, soltou um gemido abafado quando o Alfa o apertou mais contra o próprio corpo, aprofundaram o beijo com o mais velho passando a língua pelos lábios finos e rosados do Ômega. 

Não tinha mais como negar que um havia nascido para o outro, e já era hora de provar na prática se os corpos também se correspondiam. 


Ele me deitou sobre os lençóis com todo o carinho do mundo, me beijou, me despiu e passou a pontas dos dedos frias por cada canto de minha cintura e barriga. Abriu o cós da minha calça e me fez sentir carícias negligenciadas a muito tempo, me colocou em sua boca e me fez sentir fisgadas em meu baixo ventre, seus dedos acariciavam a linha entre meu ânus e os testículos os massageando lentamente. Soltou meu membro cansando um estalo baixo subindo os beijos molhados pelo meu quadril e barriga. Chupou meus mamilos lentamente os deixando molhados e avermelhados, estavam tão sensíveis que... 

- Ahh Vernon. - mordeu ambos os botãozinhos avantajados. 

- Me deixe te ter essa noite Ômega? 


- Sim Alfa. 


Notas Finais


Ai q vergonha
Logo logo volto com o último capítulo
Xau bolinhos 💕💕💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...