História O dono do morro - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Favela, Morro
Visualizações 71
Palavras 407
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fluffy, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Cap 11


policia

a policia ta na cola deles...

quer dizer... eles sempre estiveram atras do pessoal aqui, mas nunca foram tão incisivos assim na perseguição

-Mas e agora,Gustavo?

-calma, ta tudo sob controle, não vão ter como levar a gente 

-Mas eles atiraram em você!- aponto

-Foi um pequeno conflito- ele desmerece 

fico extremamente preocupada, ele percebe e me lança um sorriso tranquilizador e me puxa pro seu peito 

-relaxa, pequena

fácil falar...

uma semana depois

passei a semana em casa, só fui na escola segunda, depois desisti, eu sei que não era o melhor a se fazer e que educação é importante, mas eu estudaria para passar nas provas no final do bimestre e ficaria tudo bem, agradeço pelos professores não marcarem presença, eles estavam mais ocupados tentando pedir silencio na sala e no final davam apenas 15 minutos de aula, dos quais pelo menos metade ele falava da sua própria vida, enfim, Gustavo saiu bastante para resolver alguns problemas, ele não voltou mais machucado, mas estava bem preocupado, esse lance dos policiais tava pesando pra ele, a segurança no morro aumentou, os caras estavam mais atentos e sérios.

tinha acabado de levantar, Gustavo ainda tava dormindo decidi deixar ele lá e desci pra preparar o café para a gente e pro pessoal que sempre passa aqui, vejo que não tem pão e pego meu chinelo e vou para padaria, no caminho sinto alguém me observar , viro para ver quem é, mas não vejo ninguém, continuo andando, chego a padaria, pego os pães e fico conversando um pouco com seu Francisco quando 4 homens armados entram na padaria e apontam pra mim

-Amélia?

-Quem são vocês? -pergunto

Seu Francisco sai do balcão e vem ficar na minha frente 

-O que vocês querem com ela? Se o Gustavo souber que vocês apontaram um arma pra ela com certeza vai matar vocês

-Gustavo?- um deles pergunta, então olha para os outros e sorri - Então era verdade, ah isso vai ser melhor do que eu esperava -ele sorri

-quem são vocês?-pergunto de novo, dessa vez ouço o tremor na minha voz, depois de ver o sorriso de cumplicidade entre eles

-Nós somos amigos do Gustavo- outro deles diz- Você vem com a gente 

Seu Francisco impede que um deles chegue perto e logo todos apontam suas armas pra ele, entro em panico com medo deles atirarem nele e logo passo na sua frente 

-Não atirem nele, eu vou

 


Notas Finais


ai gente desculpa se o capitulo estiver ruim, tava com umas coisas pra fazer, mas quis postar esse


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...